Arquiteturas Film Festival: 7ª edição decorre de 4 a 9 de Junho no Cinema São Jorge

Por a 29 de Maio de 2019

 

 

A dias da abertura da 7ª edição no Cinema São Jorge, em Lisboa, que decorre de 4 a 9 de junho, o Arquiteturas Film Festival (AFF) prepara-se para a apresentação oficial no próximo dia 30 de maio, na Roca Lisboa Gallery, a partir das 18h30. Até lá, o AFF faz, a título de warm-up, um pequeno périplo para abrir os apetites dos cinéfilos e amantes da arquitetura.

Dia 28 de Maio, o SHORTCUTZ recebeu duas curtas-metragens, “Dentro” de Barojas Quezada e “Vidas Cinza” de Leonardo Martinelli. Esta quarta-feira, 29 de Maio, Sofia Mourato, directora do AFF visita o The Third Floor e apresenta, a partir das 19h00, quatro curtas-metragens inspiradas no tema da edição deste ano – Human Nature: “Still Turning” de Jesse Pickett, “Iris” de Lea Naijar, “Smoke Through a Spider Web” de Niranjan Raj Bhetwal e” Entremarés” da brasileira Anna Andrade.

No dia 30 de Maio, a partir das 18h30, o Arquiteturas desvenda-se na Roca Lisboa Gallery, numa sessão de apresentação que contará com a presença de três arquitectos convidados: André Costa, professor de história da arquitectura, mestre em cultura contemporânea, doutorado em cinema e autor do livro “As aventuras subjetivas de Björk”; Duarte Natário, arquitecto paisagista e realizador do documentário “Tudo é Paisagem”, actualmente a desenvolver o doutoramento em Arquitectura Paisagista e Ecologia Urbana; e Daniela Silva escritora e investigadora, actualmente a desenvolver o doutoramento na área da Arquitectura Digital. É também parte da equipa da plataforma online Non Architecture Competitions.

A sétima edição do Arquiteturas Film Festival vai decorrer no cinema São Jorge com um programa que resulta de um longo processo de selecção, com mais de mil inscrições de filmes provenientes de um total de 32 países. Foram escolhidos 55 filmes para competição em quatro categorias – Ficção, Documentário, Experimental e Novos Talentos – que “traduzem o mote central do festival, contar histórias sobre o ambiente urbano que nos rodeia e abrir discussões trazendo a Lisboa as obras mais inventivas do género a nível mundial em curta e longa metragem, revelando novos autores e apoiando o regresso de cineastas que o festival tem vindo a acompanhar”, refere Sofia Mourato.

Portugal será representado por “Russa”, de João Salaviza e Ricardo Alves Jr., sobre a memória colectiva e as transformações recentes da cidade do Porto; “Civitas”, de André Sarmento, e “Alis Ubbo”, de Paulo Abreu, ambos sobre o processo de “turistificação” em Lisboa. A ficção “Lá vem Dia”, de Mercês Tomaz Gomes, trata da relação entre o morar contemporâneo e as relações afetivas.

Esta edição traz ainda a estreia da curta de animação portuguesa “O atelier do meu avô”, do arquiteto Tiago Galo, em exibição no atelier para crianças do festival, e o recém estreado filme “Tudo é Paisagem” que retrata a história da arquitectura paisagística em Portugal.

Compõem o júri do festival a arquitecta Ana Tostões, Presidente do DOCOMOMO Internacional, o geógrafo Álvaro Domingues, a arquitecta Isabel Barbas, o realizador Gerrit Messiaen, a artista e realizadora Petra Noordkamp e o arquitecto Tiago Oliveira, em representação da Secção regional Sul da Ordem dos Arquitectos (OASRS).

A Holanda é o país convidado desta edição durante a qual vão decorrer várias atividades, entre as quais o Workshop “Capturing Martim Moniz” liderado pela artista e cineasta Petra Noordkamp (membro do júri) e René Boer da Failed Architecture (curador, crítico, investigador).

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *