APPC identifica oportunidades de investimento na América do Sul

Por a 22 de Agosto de 2019

Numa altura em as empresas de projecto e consultoria portuguesas sentem que “este mercado está ameaçado devido a questões como o novo código dos contratos públicos”, cuja “má aplicação pode contribuir para a destruição da engenharia portuguesa ou pela falta de investimento público em obras ambiciosas e estruturais”, o sector procura novas oportunidades em mercados estrangeiros.

“Enquanto associação representativa de 130 empresas com um volume de negócios anual de mais de 300 milhões de euros, é nosso papel encontrar geografias alternativas e potenciar o reconhecimento mundial que, por exemplo, os engenheiros portugueses, têm” afirma Jorge Meneses, presidente da Associação Portuguesa de Projectistas e Consultores (APPC).

A pensar na melhor forma de proporcionar informação sobre quais os investimentos que estão a surgir no estrangeiro a APPC levou a cabo o projecto “Engenharia e Arquitectura no Mundo”, cofinanciado no âmbito do Compete2020.

“O Engenharia e Arquitectura no Mundo é um projecto de consolidação das relações no espaço de língua portuguesa, com, e entre, Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, de modo a apoiar na criação de associações congéneres e contribuir para o desenvolvimento destes mercados, mas é também um projecto virado para a exploração de novas geografias” conclui.

“Uma nova geografia a explorar”

A Argentina foi o país em destaque no estudo que integrou o projecto, devido aos inúmeros investimentos, previstos e já a decorrer, naquele país, sendo já considerada “uma nova geografia a explorar pelos projectistas e consultores portugueses”, refere a Associação.

O estudo permite aos intervenientes no mercado, ter informação sobre a Argentina, desde a identificação de oportunidades até à caracterização da fileira de construção, engenharia e arquitectura, passando pela listagem de entidades que podem facilitar o processo de internacionalização das empresas.

Ao nível das infraestruturas de água potável e saneamento básico está previsto um investimento na ordem dos 13 mil milhões de dólares através do “Plan Nacional de Agua Potable e Saneamiento”, cujo objectivo é o de alcançar 100% de cobertura de água potável. Ao nível da habitação a Argentina tem já em marcha o “Plan Nacional de Vivienda”, através do qual se projecta a construção de 120 mil unidades habitacionais, o que dinamizará este sector.

O estudo ao mercado argentino, agora concluído, aponta ainda outras oportunidades, nomeadamente o Plano de Infraestruturas “mais ambicioso do País” e que já se encontra “em curso”, os inúmeros concursos de energia renovável que o Governo tem vindo a abrir, assim como o anunciado projecto da Red de Expresos Regionales (Rede de Expressos Regionais).

Além disso, o governo argentino lançou o Programa de Transformación Productiva, um programa para ajudar as empresas que procuram melhorar a sua competitividade e criou um conjunto de medidas de protecção ao investidor de forma a “transformar o clima de negócios no País mais apetecível e seguro”.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *