É mesmo necessário?

Por a 6 de Junho de 2005

Ricardo Batista

A realidade é dura mas dá que pensar. O Instituto Nacional de Estatística espanhol anunciou recentemente que o Produto Interno Bruto daquele país registou um crescimento de 3,3 por cento no primeiro trimestres deste ano. Mais. Numa análise mais restrita, os dados que chegam dos nuestros hermanos mostram que foram construídas mais de 700 mil habitações novas, estando previsto que nos próximos cinco anos as cifras rondem as 480 mil.

Que razões estão na origem deste crescimento significativo da economia espanhola, com reflexos no mercado da construção e da habitação ? Ou invertendo o sentido da questão, que razões estão por detrás do disparo das empresas de construção dos nossos vizinhos espanhóis ?

Bem sei que está já a pensar na discrepância que existe entre o mercado espanhol e o mercado português e que por esse motivo as oportunidades de negócio são invariavelmente superiores. Se em relação à primeira leitura sou, naturalmente, obrigado a concordar, a questão das oportunidades cai por terra a partir do momento em que alguns dos mais recentes grandes investimentos realizados em Portugal são da responsabilidade de empresas espanholas.

É imperativo que o pais saiba estar atento aos sinais do mercado para que, de entre um conjunto de oportunidades no sector do turismo não resulte o anúncio de mais centros comerciais.