Ruas acusa o Governo de transferir responsabilidades de conservação de estradas para as autarquias

Por a 30 de Junho de 2005

nó das quebradas

Ricardo Batista, em Viseu

Fernando Ruas, presidente da Associação Nacional dos Municípios Portugueses, acusou o Governo de estar a sacudir a «água do capote», no que diz respeito à transferência da responsabilidade de 3.500 quilómetros de estradas para as autarquias, representando por isso, um reforço de verbas para a Administração Local. A acusação foi feita na sessão de abertura do 1º Encontro Nacional sobre Estradas Municipais, que hoje termina em Viseu.

As declarações surgem no domínio da discussão sobre as responsabilidades na gestão e conservação de estradas secundárias. Ruas considera que é inadiável a recuperação da rede viária secundária. Para o secretário de Estado Adjunto das Obras Públicas e Comunicações, Paulo Campo, «não existem hoje normativas sobre as características das vias secundárias e logo é difícil consertar um exercício de planeamento entre os diversos organismos envolvidos».


Para hoje está agendada a discussão sobre a conservação de redes rodoviárias municipais, que contará com a presença de Eloi Ribeiro, administrador da Monte Adriano e Teotónio Bouça, administrador delegado da Pavia.