Neinver investe em «outlet» em Sintra

Por a 15 de Julho de 2005

Neinver

A imobiliária espanhola Neinver prepara-se para voltar a investir em Portugal no domínio dos «outlets», desta feita com um investimento de aproximadamente 200 milhões de euros em Sintra.

A empresa, ligada à promoção e à gestão de espaços comerciais, chegou já a acordo com a câmara de Sintra para a aquisição de um terreno de 220 mil metros quadrados junto ao IC19 para a instalação desta estrutura. Integrado nos modelos designados por Nassica, baptizados pela empresa espanhola que também gere a marca Factory, o «outlet» de Sintra não tem ainda uma data definida para o inicio da construção.

Prioridade ao lazer Os projectos designados por Nassica, da responsabilidade da Neinver e que estão já presentes em cidades como Sevilha, Madrid e mesmo em Varsóvia, na Polónia, são referenciados por serem espaços voltados para a família, pois além da componente comercial inclui a vertente lazer. Essa será, segundo fonte ligada à empresa contactada pelo Construir, a principal aposta do complexo a instalar em Sintra e que está ainda em fase de apreciação por parte da autarquia.

Até ao momento ainda não são conhecidos quaisquer pormenores em relação ao projecto, executado em parceria com a autarquia: se por um lado o «outlet» vem colmatar algumas necessidades daquela zona, por outro a localização é vista como estratégica para os interesses da empresa portuguesa, com capital totalmente espanhol. O conceito foi aplicado pelo grupo espanhol em Vila do Conde aquando da abertura do empreendimento da mesma marca. Aquele que foi o primeiro investimento do grupo espanhol em Portugal foi avaliado em cerca de 250 milhões de euros e compreende uma área de 350 mil metros quadrados de área de construção.

Mais-valias De acordo com o director da Neinver Lusitana, Alvaro Valiente, «o momento complicado que a economia portuguesa atravessa não é impeditiva de se avançar para um projecto do género daquele que pretendemos implementar em Sintra». Para aquele responsável, «é uma mais valia as pessoas encontrarem num mesmo espaço, as melhores marcas nacionais e internacionais e com descontos entre os 50 e os 80 por cento», adianta Valiente, considerando que a localização desta estrutura é estratégica, tendo em consideração a movimentação daquela zona. O mercado dos outlets em Portugal tem conhecido um franco crescimento, sobretudo depois da inauguração dos projectos Campera, localizado no Carregado, e o Grijo, a norte do país.

A avaliar pelo relatório da consultora imobiliária Cushman & Wakefield Healey & Baker, o crescimento da actividade dá-se também pela franca aceitação por parte do mercado retalhista por este modelo de negócio. «O mercado de Outlets continua a captar o interesse dos operadores nacionais e internacionais, mostrando claramente o seu potencial, manifestado também pela forte adesão dos consumidores», revela o estudo daquela consultora imobiliária.