Polis da Costa de Caparica avança

Por a 12 de Agosto de 2005

Polis da Costa de Caparica

A Costa de Caparica vai finalmente ver renovada a sua imagem. Os planos de pormenor já vão sendo conhecidos do público e três dos sete previstos já saíram em Diário da República

O Polis da Costa de Caparica começa a mexer. Depois de prolongada espera, os planos de pormenor começam a ser conhecidos, aprovados e ratificados pelo Governo. Três dos sete previstos já saíram em Diário da República, nomeadamente os planos do jardim urbano, do bairro do campo da bola e o dos novos parques de campismo.

O plano de pormenor das praias urbanas, elaborado pelo consórcio Santa Rita Arquitectos e a W. CS. Atkins está prestes a ser publicado no Diário da República. O mais adiantado é o dos novos parques de campismo, que já passou pela fase de lançamento do concurso público para execução do projecto e que foi ganho pelo Diâmetro – gabinete de estudos e projectos, que já tinha sido um dos consórcios na realização do plano de pormenor.

De acordo com fonte da autarquia de Almada ainda não está prevista a data de início das obras mas os restantes planos de pormenor estão neste momento a avançar. O Polis foi contratualizado entre o município de Almada e o Governo em Julho de 2001 e apresenta um valor de investimento na ordem dos 215 milhões de euros. A sociedade Costa Polis é quem gere esta operação de reconversão da Costa de Caparica, assumindo o Estado 60 por cento do Capital Social e a Câmara Municipal de Almada com 40 por cento. À Parque Expo coube a operacionalização do programa.

O plano de pormenor das praias urbanas vai transformar cerca de 39,5 hectares, uma área entre a Praia do Norte e a Nova Praia, e entre o mar e a avenida Humberto Delgado. Depois de terminadas as obras de defesa costeira, proceder-se-á à alimentação artificial de areia das praias da frente urbana. Segundo informação fornecida pela câmara de Almada, o paredão vai ainda receber novos apoios de praia e um espaço para o clube de surf e de pesca. Este plano prevê ainda a construção de um novo equipamento hoteleiro com uma praça e esplanadas, parques de estacionamento, uma alameda urbana e uma zona de lazer. Esta área conta também com um corredor dunar entre o paredão e o núcleo urbano.

Já o plano de pormenor do bairro do campo da bola, desenvolvido pela Bruno Soares Arquitectos, prevê intervenções ao nível da habitação, comércio e serviços de qualificação dos espaços públicos e das acessibilidades. O parque habitacional degradado do campo da bola irá dar lugar a um bairro de qualidade, com espaços verdes e novos equipamentos. Está igualmente previsto para este local uma superfície comercial mista.

Na Mata de Santo António, vai nascer um jardim urbano. Elaborado pela Global, Arquitectura Paisagista, este plano vai remodelar 14,5 hectares da Costa de Caparica. Será instalado nesta área um centro de monitorização e interpretação ambiental, bem como dois parques infantis, um juvenil, campos polidesportivos e zonas de restauração.

Quanto ao plano de pormenor dos parques de campismo, prevê a transferência dos parques instalados actualmente perto do campo da bola para o Pinhal do Inglês. Numa área total de 94,2 hectares, o consórcio Biodesign e Diâmetro elaboraram este plano.

Trafaria também sofre intervenções

Além da requalificação da Costa de Caparica, a Trafaria também irá sofrer uma intervenção. A Parque Expo já entregou na Câmara Municipal de Almada o estudo que elaborou para a reabilitação da zona da Trafaria até à Arriba Fóssil da Costa de Caparica.

Segundo José Caldeira, gestor do projecto da Parque Expo, depois de o estudo ser aprovado pela autarquia devem ser elaborados três planos de pormenor que abrangem toda aquela área (150 hectares) e que não está integrada no programa de intervenção do Polis da Costa de Caparica.

No estudo foram apresentados alguns projectos âncora a serem desenvolvidos nesse projecto de reabilitação. Entre eles, a progressiva mudança da Silpor, criar um porto de pesca, rever as instalações militares, nomeadamente os fortes da Alpena e Raposeira (antigas baterias militares que se encontram actualmente desactivadas), recuperação dos terrenos da Mata de Santo António e trazer o Metro de Superfície até à Trafaria.