Lisboa em quinto no mercado de escritórios do 1º semestre

Por a 27 de Dezembro de 2005

escritorios

Lisboa foi a quinta cidade europeia onde se verificou uma maior absorção de novos escritórios por parte de sociedades de advogados, tendo sido ocupados 6.100 metros quadrados de escritórios no primeiro semestre de 2005.

Esta é uma das conclusões de um estudo apresentado recentemente pela consultora imobiliária Cushman&Wakefield Healey&Baker (C&WH&B), de acordo com o qual as sociedades de advogados foram responsáveis pela ocupação, nos primeiros seis meses de 2005, de 135 mil metros quadrados de escritórios, em cerca de 15 países.

Segundo a consultora, Paris registou a maior transacção de escritórios no sector legal – o arrendamento da nova sede de 13.000 metros quadrados da Clifford Chance na Place Vêndome. Em Frankurt, foram arrendados 12.200 metros quadrados à Freshfields e em Amsterdão 9.500 metros quadrados à Baker & McKenzie.


De acordo com Carlos Oliveira, director do departamento de escritórios da Cushman & Wakefield Healey & Baker, «o facto de Lisboa aparecer em quinto lugar neste estudo, deve-se à entrada de grupos legais internacionais no mercado português e à fusão de sociedades portuguesas, que vão ocupando maiores e melhores espaços».