Governo chinês impõe taxa para evitar especulação imobiliária

Por a 19 de Janeiro de 2007

Obras_saneamento

Aprovada desde 1993, a taxa nunca foi implementada por culpa da recessão que se fazia sentir no mercado na China.

O imposto será equivalente a um valor situado entre 30 e 60 por cento dos lucros das operações imobiliárias do país, avançou a agência de notícias Xinhua, sem especificar os tipos de propriedade que serão afectados e a forma como o imposto será calculado.

Com esta medida, Pequim pretende reduzir o crescente nível de especulação no mercado imobiliário e travar a subida dos preços da habitação, que dispararam no último ano. O governo chinês teme que a subida dos preços da habitação e o forte aumento nos empréstimos concedidos por meio do crédito à habitação faça disparar a inflação e o nível de endividamento das famílias chinesas.


O governo tem vindo, ainda, a incentivar as construtoras a promoverem a construção e venda de habitações de pequenas e médias dimensões, em detrimento das moradias e apartamentos de luxo. Segundo a Administração Estatal de Impostos, o imposto será aplicado no momento em que os projectos imobiliários sejam finalizados ou transferidos, o que levará, de acordo com vários analistas, a que o sector imobiliário passe a ser um dos mais fortemente taxados na China.

“Algumas construtoras irão sofrer fortes pressões, a partir do momento em que o imposto passe a ser aplicado”, referiu Xiao Li, secretário do Conselho de Administração da sociedade China Vanke, a maior construtora do país.