“Desafio das empresas do sector da construção metálica será manter o crescimento nos mercados internacionais”

Por a 9 de Dezembro de 2016

16-congresso-cmm.jpg

Promover a importância da Construção Metálica Portuguesa junto de alguns países europeus e da Turquia foi o grande objectivo do II Fórum Portugal Steel, organizado pela Associação Portuguesa da Construção Metálica e Mista – CMM. Em jeito de conclusão do encontro, Luís Simões da Silva, Presidente da CMM – Associação Portuguesa de Construção Metálica e Mista, referiu que as empresas deste sector têm como principal desafio para os próximos anos, manter o crescimento da presença em mercados internacionais, quer pela maturação de presenças já existente, quer na identificação de novos mercados, para a construção metálica nacional.

PUB

Luís Simões da Silva considera ainda que é importante diversificar mercados e apostar em nichos altamente exigentes que permitirão manter e consolidar um sector da construção metálica que aposta na inovação e na competitividade das empresas nacionais, competências decisivas para a afirmação da Construção Metálica Portuguesa a nível mundial.

No encontro, que reuniu representantes da Alemanha, Polónia e Turquia em Portugal, a representante da Câmara de Comércio e Indústria da Alemanha em Portugal, Rosário Carvalho, explicou que nos próximos anos, a Alemanha pode ser uma opção para as empresas nacionais que se queiram instalar nesse país e, revelou que em 2015, o sector metálico, que inclui produtores, comerciantes, galvanização, engenharia, arquitectos e construção metálica, originou um volume de negócios de 11 mil milhões de euros. Rosário Carvalho, aproveitou também a oportunidade para alertar os empresários para a importância de referências e certificações como forma de facilitar a entrada das empresas portuguesas no mercado alemão.

Rui Paias Couto, Presidente de Câmara de Comércio e Indústria Portugal Turquia, recordou que a Turquia tem o 17º maior PIB mundial e é o 10º maior país em número de habitantes, registando um crescimento médio de 3% ao ano e destacou a necessidade de um grande investimento em construção, nos próximos anos, para responder ao desenvolvimento económico crescente do país.

Para o representante da CCIPT, as empresas nacionais do sector da construção metálica devem estar atentas a este mercado, que vai necessitar a curto prazo de investimentos em hospitais, barragens, redes viárias e centros comerciais. E, recordou ainda que as exportações de bens e serviços de Portugal para a Turquia têm vindo a aumentar, tendo registado um crescimento médio anual, no período de 2010- 2014, de 12.4%.

Por seu lado, Marta Ribeiro, representante nacional da Câmara de Comércio e Industria Portugal Polónia, partilhou com os empresários as perspectivas de crescimento económico nos próximos anos no que respeita ao mercado polaco. Um mercado, que segundo a responsável tem um défice de infra-estruturas, ao nível rodoviário, ferroviário, parques eólicos ou mesmo construção residencial e que tem de responder ao crescimento económico registado com investimento em obras públicas.

Marta Ribeiro apresentou ainda as vantagens e as barreiras para a entrada de empresas nacionais, e no que respeita às primeiras destacou a estabilidade económica e política, os incentivos fiscais e a solidez e liquidez do sistema bancário. Em relação às barreiras, destacou a legislação laboral pouco flexível e a falta de transparência na actuação e processo de decisão das instituições publicas.

 

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *