Crescimento do Porto de Setúbal de mãos dadas com o turismo

Por a 23 de Novembro de 2017

As vantagens competitivas e potencialidades de crescimento do Porto de Setúbal, aliado ao turismo enquanto factor de desenvolvimento estratégico daquele território, foram os temas em destaque, esta, quarta-feira, na abertura da conferência “Porto de Setúbal – Uma solução para a região de Lisboa | Mais Capacidade, Maior Competitividade”.
O encontro, que decorreu no Fórum Municipal Luísa Todi, organizado pela Comunidade Portuária de Setúbal, contou com as participações do presidente daquela associação, Porfírio Gomes, e das presidentes da Câmara Municipal, Maria das Dores Meira, e da APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sines, Lídia Sequeira.
Para que o porto de Setúbal, actualmente em quarto lugar no ranking nacional, dê um salto qualitativo mais acentuado em termos de crescimento de volume de negócios, foi consensual entre os intervenientes a realização de apostas estratégicas noutras áreas de actuação.
Neste sentido, o sector do turismo foi destacado como um eixo que deve ser considerado essencial para o crescimento do porto de Setúbal, assim como do próprio concelho.
“O lazer e o recreio têm um papel fundamental no desenvolvimento deste porto, pelas características únicas que o Estuário do Sado apresenta”, frisou a responsável da APSS, para quem o porto de Setúbal possui “uma capacidade de expansão que tem de ser explorada”.
A criação de uma marina pode ser uma das chaves que permitirão materializar todo o potencial do porto setubalense, ao retirar proveito da localização geográfica em relação às rotas marítimas internacionais praticadas, das qualidades endógenas, propícias a turismo de natureza, da Serra da Arrábida e do Estuário do Sado, e da própria cidade de Setúbal.
“A Câmara Municipal e a APSS estão a desenvolver o trabalho necessário para a abertura do respectivo concurso de concessão” da futura marina, revelou Maria das Dores Meira.
Consensual foi também a necessidade de o desenvolvimento do porto de Setúbal ser feito em harmonia com a envolvente, incluindo a própria cidade, em particular no que diz respeito às infraestruturas ferroviárias e rodoviárias e espaços empresariais para melhor servir aquela zona da cidade.
“O porto de Setúbal tem capacidade de resposta em todos os segmentos de carga”, mais-valia assinalada por Porfírio Gomes, embora “a capacidade dos terminais esteja com uma baixa taxa de ocupação, tendo sido identificados os acessos ferroviários e outros actualmente existentes como limitativos do seu desenvolvimento”.
Maria das Dores Meira sublinhou que a, apesar de a gestão dos transportes públicos só transitar para os municípios em 2019, a Câmara de Setúbal já está “em vias de iniciar o Plano Operacional de Transportes e o caderno de encargos para a gestão do estacionamento na cidade”.  A autarca recordou, ainda sobre esta temática, que Setúbal tem uma candidatura aprovada para poder “começar em breve” a construir o interface intermodal da Praça do Brasil, com os modos ferroviário e rodoviário.
Em  desenvolvimento está também o plano de pormenor da zona industrial da Mitrena, que irá qualificar aquela zona ao nível das infraestruturas, “na potenciação da oferta de novos espaços empresariais e na melhoria da qualidade ambiental da área”.

PUB
PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *