Edição digital
Assine já
    PUB
    Construção

    The Noble House amplia oferta em 30%

    A propriedade passará, assim, a integrar um edifico secular de 600 m2 que vai congregar cinco novos apartamentos premium, divididos pelas tipologias T1 e T2, com áreas entre os 60 e os 140 m2

    CONSTRUIR
    Construção

    The Noble House amplia oferta em 30%

    A propriedade passará, assim, a integrar um edifico secular de 600 m2 que vai congregar cinco novos apartamentos premium, divididos pelas tipologias T1 e T2, com áreas entre os 60 e os 140 m2

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    Novo projecto do Grupo Ferreira aposta em construção ‘off-site’
    Imobiliário
    Metro de Lisboa: Ministro admite atrasos irrecuperáveis e ajustes do programa
    Construção
    Dstgroup vence concurso para construção de 5 centrais fotovoltaicas flutuantes
    Construção
    Startup portuguesa Bandora integra Agenda ILLIANCE
    Empresas
    Lisboa é a 100.ª cidade mais cara do mundo para expatriados
    Imobiliário
    Maior projecto de ‘hibridização’ do país com luz verde para avançar
    Engenharia
    Expansão da Vista Alegre e Bordallo Pinheiro na Ásia com ajuda de Cristiano Ronaldo
    Empresas
    “Trabalhamos para que a CONSTRUMAT seja um ponto de encontro para mostrar o presente e vislumbrar o futuro”
    Empresas
    Industrialização com forte presença num evento onde portugueses marcam pontos
    Empresas
    Century 21 Portugal no Rock in Rio com “casa ecológica”
    Empresas

    Um ano depois da inauguração, o boutique hotel de luxo The Noble House, detido pela Unlock Boutique Hotels, anuncia a aquisição de um novo edifício que vem ampliar a sua oferta de quartos em 30%. O projecto de remodelação e integração das novas instalações ficará concluído no final de 2019.

    A propriedade, a funcionar no coração histórico de Évora, a dois minutos a pé da Sé Catedral, passará assim a integrar um edifico secular de 600 m2 que vai congregar cinco novos apartamentos premium, divididos pelas tipologias T1 e T2, com áreas entre os 60 e os 140 m2.

    “Desde a sua abertura há um ano e meio que o The Noble House tem uma taxa de ocupação média que ascende aos 65%. Este número sustenta o investimento que vem criar oportunidades no segmento Suites & Apartments e consolidar o posicionamento da unidade, como um hotel de charme de referência na região do Alentejo, procurado sobretudo por turistas que ambicionam uma experiência autêntica”, afirma Hugo Valadas, General Manager da unidade.

    Ao nível da decoração de interiores esta vai aliar elementos da tradição envolvente e materiais de Évora e do Alentejo, representados na unidade, a componentes modernos, elevando a qualidade do The Noble House Suites & Apartaments para um patamar premium no destino. Com uma orientação para famílias ou para estadias longas, esta nova oferta responde a uma procura cada vez maior pela qualidade, autenticidade e localização privilegiada.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    Novo projecto do Grupo Ferreira aposta em construção ‘off-site’
    Imobiliário
    Metro de Lisboa: Ministro admite atrasos irrecuperáveis e ajustes do programa
    Construção
    Dstgroup vence concurso para construção de 5 centrais fotovoltaicas flutuantes
    Construção
    Startup portuguesa Bandora integra Agenda ILLIANCE
    Empresas
    Lisboa é a 100.ª cidade mais cara do mundo para expatriados
    Imobiliário
    Maior projecto de ‘hibridização’ do país com luz verde para avançar
    Engenharia
    Expansão da Vista Alegre e Bordallo Pinheiro na Ásia com ajuda de Cristiano Ronaldo
    Empresas
    “Trabalhamos para que a CONSTRUMAT seja um ponto de encontro para mostrar o presente e vislumbrar o futuro”
    Empresas
    Industrialização com forte presença num evento onde portugueses marcam pontos
    Empresas
    Century 21 Portugal no Rock in Rio com “casa ecológica”
    Empresas
    PUB

    Gestão de pessoas é o maior desafio para as lideranças de organizações cada vez mais dependentes da tecnologia

    QSP Summit

    Brand SHARE
    • Modelos de educação e formação desajustados face às necessidades das organizações são um dos principais problemas identificados pelos profissionais do tecido empresarial.
    • O principal desafio para a gestão está nas pessoas, seja pela dificuldade de engagement dos colaboradores, seja pela retenção de talento nas empresas.
    • Reconhecimento e valorização dos colaboradores (63,7%), comunicação aberta e transparente (52,6%), e uma liderança inspiradora (50,4%) são as três características consideradas mais importantes na gestão das organizações.
    • Gestores valorizam as pessoas, mas reconhecem a importância da tecnologia para o sucesso das organizações. A inteligência artificial (AI) será a tecnologia com maior impacto na gestão organizacional.

     

    Quais são os principais desafios para o futuro empresarial? Como é que as organizações se estão a adaptar? E como é que os colaboradores sentem estas mudanças nas empresas onde trabalham? A QSP – Marketing Management & Research procurou responder a estas e outras questões, através de um estudo realizado no âmbito do lançamento de mais uma edição do QSP SUMMIT, junto de profissionais do tecido empresarial, sobretudo quadros médios e superiores, que partilham a sua visão sobre as mudanças e desafios inerentes ao mundo empresarial.

    Para a grande maioria dos gestores que partilharam a sua visão sobre o mundo empresarial neste estudo, as pessoas assumem-se como o principal desafio de gestão. Tanto pela dificuldade de incutir uma cultura organizacional e o engagement dos colaboradores (por 60% dos inquiridos), como pela dificuldade de atrair e reter profissionais qualificados nos seus quadros (53,3%), uma preocupação com grande relevância para as organizações já que estes são cada vez mais escassos. 77% dos profissionais consideram os modelos de educação e formação atuais desajustados face às necessidades das organizações. Em contraponto, apenas 14,1% consideram ajustados, com os restantes 8,9% a não saberem.

    Pedro Carneiro, Head of Marketing Research da QSP, entidade organizadora do QSP SUMMIT, refere que “estes valores demonstram que há um claro desconforto com os modelos educacionais atuais e uma vontade de reformulação de forma a corresponder melhor às necessidades das organizações, seja pela prioridade dada ao conteúdo teórico em detrimento do saber fazer, pela desconsideração das soft skills, ou mesmo pela pouca ligação ao mundo empresarial, como os resultados do estudo indicam. Os desafios que as organizações enfrentam, num ambiente de concorrência feroz e em constante mutação leva a que, principalmente os gestores de topo, sintam que os recém-formados devam estar mais preparados para as dinâmicas do mundo empresarial ”.

    A agilidade na adaptação às mudanças do mercado, outro dos muitos temas debatidos ao longo dos três dias da edição deste ano do QSP SUMMIT, que decorre de 2 a 4 de julho, surge como o terceiro maior desafio atual da gestão (52,6%) para os inquiridos do estudo.

    Valorizam colaboradores, mas falta investimento na diversidade e na sustentabilidade

    Quais são as três características consideradas mais importantes na gestão das organizações? Os profissionais inquiridos destacam o reconhecimento e valorização dos colaboradores (63,7%), a comunicação aberta e transparente (52,6%) e a liderança inspiradora (50,4%). A QSP procurou então perceber se estas características são promovidas nas organizações e percebe-se que em 25,2%, 20% e 22,3% dos casos, respetivamente, são pouco ou nada promovidas.

    Embora assumam a valorização dos colaboradores como um fator importante na gestão, comparativamente os inquiridos dão pouca relevância à inclusão, diversidade e equidade dentro das organizações. Esta é vista como uma das características mais importantes na gestão das organizações por apenas 11,9% dos profissionais, sendo pouco ou nada promovida em 20,8% dos casos.

    Também a responsabilidade social e a sustentabilidade merecem pouco destaque pelos gestores. É destacada por apenas 20%, mas também há 23,7% que referem não ser promovida internamente nas organizações onde trabalham. Nos casos em que efetivamente há uma promoção, ainda que moderada, da sustentabilidade e responsabilidade social (76,3%), as iniciativas mais referidas como prioritárias em termos de responsabilidade social corporativa são a ética nos negócios (59,2%), a transparência (49,5%), a redução do impacto ambiental (48,5%) e a promoção da diversidade e inclusão (39,8%).

    Para além da tecnologia, as pessoas são o centro da mudança

    O estudo realizado pela QSP revela que 97,8% dos profissionais consideram a inovação essencial para o sucesso das organizações e 85,2% defendem que a tecnologia está a impactar positivamente a forma como as organizações operam. Nos próximos anos, espera-se que a inteligência artificial (AI) seja a tecnologia com maior impacto na gestão organizacional segundo 83% dos inquiridos. E, embora 18,8% não discriminem, espera-se que tanto a inteligência artificial generativa (57,1%), como a preditiva (50,9%) venham a ter um impacto significativo. Pedro Carneiro realça que “tratando-se de temas pouco difundidos no léxico dos portugueses, é natural haver alguma confusão nos conceitos do que é AI generativa e AI preditiva, porém fica claro que a inteligência artificial marcará o futuro da gestão organizacional”.

    Há também 63% que acreditam que a Big Data e a análise de dados venha a ser a tecnologia com mais impacto no futuro a curto/médio prazo e 40,7% que apontam a automação. Outras tecnologias, como a Internet of Things (21,5%), a blockchain (14,1%), a realidade aumentada e virtual (9,6%) e o metaverso (8,9%) também são referidas.

    No entanto, nem todas as empresas parecem estar preparadas para a mudança. 16,3% dos profissionais indicam que a sua organização tem uma capacidade baixa, ou até muito baixa, de adaptação à mudança e 43% veem a sua organização com uma capacidade moderada. No prisma oposto, 40,7% acreditam que a sua organização tem uma capacidade de adaptação à mudança elevada ou até muito elevada.

    O estudo da QSP indica ainda que, atualmente, o foco no cliente e nas necessidades do mercado parece ser a estratégia prioritária da maioria das empresas, no entanto os inquiridos acreditam que, embora isso seja muito importante, o foco deveria estar principalmente no desenvolvimento de habilidades e competências dos colaboradores e também na flexibilidade organizacional e agilidade na tomada de decisões. O investimento em tecnologia e inovação, embora seja indicado por 33,3% dos profissionais como área prioritária atual nas suas empresas, deveria ser prioritária para 46,7%, demonstrando que ainda há um longo caminho a percorrer e que o investimento em tecnologia e inovação ainda não é o suficiente.

    Para Pedro Carneiro, “mais uma vez, e ainda que o investimento em tecnologia e inovação seja visto como muito relevante e uma realidade cada vez mais premente para as organizações, os profissionais destacam o desenvolvimento de habilidades e competências dos colaboradores, demonstrando que, hoje, as pessoas continuam a estar no centro das organizações e a preocupação maior do tecido empresarial passa por garantir quadros valiosos e preparados para as mudanças que se adivinham”.

    Rethinking Organizations

    Os resultados do estudo realizado pela QSP – Marketing Management & Research, realizado junto de mais de 130 profissionais do tecido empresarial, permitiram fazer uma primeira análise sobre a temática do evento, explorando o cenário evolutivo do mundo empresarial e as estratégias que vêm a reformular as organizações como as conhecemos.

    A 17ª edição do QSP SUMMIT, que vai decorrer de 02 a 04 de julho de 2024, no Porto – Matosinhos, será o palco para o debate e a partilha de conhecimento. Sob o tema ‘Rethinking Organizations’, mais de três mil e quinhentos participantes terão a oportunidade de ouvir durante os três dias do evento mais de 90 oradores a debater sobre as tendências da dinâmica organizacional e como as empresas estão a adaptar-se para enfrentar os desafios do mundo atual.

    Mais informações podem ser consultadas no website oficial do evento http://www.qspsummit.pt/.

     

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    Revigrés

    Transforme a sua cozinha com azulejos: inspiração e sugestões

    A cozinha é um espaço de convívio quotidiano onde a criatividade encontra a  funcionalidade, num espaço cada vez mais voltado para o convívio. No que diz respeito à decoração de […]

    Brand SHARE

    A cozinha é um espaço de convívio quotidiano onde a criatividade encontra a  funcionalidade, num espaço cada vez mais voltado para o convívio. No que diz respeito à decoração de interiores, um dos elementos em destaque têm sido os azulejos de cozinha, que continuam a afirmar-se como uma solução prática e elegante.

    A variedade de estilos, padrões e materiais disponíveis faz dos revestimentos e pavimentos cerâmicos uma ferramenta versátil para personalizar e transformar estes espaços de uma forma simples e duradoura – o revestimento de cozinha ideal.

    Neste artigo, vamos explorar as vantagens, tendências e sugestões práticas para renovar a sua cozinha com azulejos, bem como dar dicas de como aplicá-los noutras divisões da casa.

    A importância dos azulejos na cozinha

    Há décadas que os azulejos desempenham um papel fundamental nas cozinhas. Não são apenas uma escolha estética, mas também uma escolha prática, protegendo as paredes de salpicos e manchas, pois são resistentes e fáceis de limpar.

    Os azulejos de cozinha também oferecem infinitas opções de design, permitindo que os proprietários expressem a sua criatividade e personalidade.

    • Versatilidade: Desde cores sólidas a padrões arrojados, formas geométricas a estilos vintage, os azulejos oferecem uma variedade de escolhas sem paralelo. Quer a sua cozinha seja moderna, clássica ou eclética, existe um estilo de azulejo perfeito para complementar a sua decoração.
    • Durabilidade: Os azulejos de cozinha são produzidos para resistir ao desgaste diário. São resistentes a riscos, manchas e temperaturas elevadas, o que os torna uma escolha lógica para uma área muitas vezes propensa a pequenos acidentes culinários.
    • Manutenção: A superfície dos azulejos é fácil de limpar, requerendo apenas um pano húmido e um pouco de produto de limpeza. Isto torna a rotina de limpeza mais fácil e mantém a cozinha com um aspeto novo durante muito mais tempo.

    Tendências contemporâneas em azulejos de cozinha

    O mercado dos azulejos conheceu um renascimento nos últimos anos, com designers a explorarem uma variedade de novas tendências.

    • Azulejos 3D: Esta tendência acrescenta uma dimensão extra ao espaço, criando um efeito visual dinâmico e interessante. Este estilo é perfeito para cozinhas modernas e minimalistas, adicionando textura e profundidade.
    • Tons naturais: As cerâmicas em tons terra, como o bege, o castanho e o cinzento, tornaram-se cada vez mais populares, especialmente para cozinhas com um estilo contemporâneo e minimalista.

    Estes tons oferecem uma base neutra que permite adicionar outros elementos decorativos.

    • Padrões inspirados nos azulejos portugueses: Os azulejos tradicionais portugueses, com padrões intrincados e coloridos, estão a fazer um regresso triunfante. São uma excelente escolha para criar uma cozinha eclética, adicionando um toque cultural e vibrante.
    • Tons metálicos: Os tons metálicos, como o prateado, o cobre e o dourado, estão a ganhar terreno no design de interiores.

    Dão-lhe um toque moderno e luxuoso, especialmente quando combinados com eletrodomésticos de aço inoxidável ou acessórios metálicos.

    Dicas práticas para renovar a sua cozinha

    • Defina um plano: Antes de escolher os azulejos, considere o estilo geral da sua cozinha. Isto inclui a cor das paredes, os armários e os eletrodomésticos. Escolha um estilo de azulejo que complemente esses elementos e não entre em conflito com eles.
    • Tome atenção à iluminação: A iluminação pode afetar significativamente o aspecto dos azulejos. Considere a forma como a luz natural e artificial se refletirá neles e como isso afetará a paleta de cores da cozinha.
    • Crie um ponto central: Utilize azulejos com padrões ou cores diferentes para criar um ponto central, seja atrás do fogão, do lava-loiça ou numa parede proeminente. Isto irá acrescentar personalidade e estilo à cozinha, tornando-a única e acolhedora.
    • Combine cores e padrões: Não tenha medo de misturar diferentes tipos de azulejos. Combine azulejos simples com azulejos com padrões para criar um visual coeso mas interessante.

    Como escolher o azulejo certo

    • Tipo de material: Existem diferentes tipos de azulejos de acordo com as suas características, como a durabilidade e a resistência à água, o que os torna mais adequados para diferentes espaços.
    • Orçamento: Tenha em conta o seu orçamento quando escolher os azulejos. Existem opções para todos os orçamentos, desde os mais económicos aos mais luxuosos. Considere também o custo da instalação ao calcular o orçamento total da renovação.
    • Inspiração e variedade: Explore várias colecções e encontre a solução perfeita para o seu espaço.

     

    Os azulejos de cozinha são uma forma eficaz e versátil de transformar o coração da sua casa. Resistentes e fáceis de manter, os azulejos estão cada vez mais alinhados com as últimas tendências de design, abrindo as portas a uma cozinha única e cada vez mais sua.

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    ‘Rethinking Organizations: as diferentes visões sobre o Futuro das Organizações no QSP SUMMIT 2024

    Um dos maiores eventos de Management e Marketing da Europa reunirá mais de 3.500 quadros médios e superiores para refletir sobre o Futuro das Organizações

    Brand SHARE

    De 2 a 4 de julho de 2024, o QSP SUMMIT está de volta sob o mote ‘Rethinking Organizations’. Com foco nas organizações e no futuro do trabalho, mais do que nunca, é tempo das organizações refletirem sobre inovação, adaptação e transformação.

    Mediante um leque abrangente de tópicos a serem explorados em torno da temática principal ‘Rethinking Organizations’, desde a importância crescente da agilidade, liderança, gestão de talento e cultura organizacional, até a questões de inovação, o impacto da IA no mundo do trabalho e as grandes tendências do futuro em certas áreas de negócio. Serão ainda alvo de debate alguns tópicos essenciais, entre eles: a importância da estratégia e da data, as tecnologias de integração de equipas, o reskilling e upskilling das equipas, o bem-estar organizacional, e outras matérias de interesse.

    Entre as primeiras novidades está Linda Hill, professora da Harvard Business School e etnógrafa americana com uma carreira distinta, especialista em desenvolvimento de liderança e inovação, mas mais nomes como Costas Markides – Professor de de Estratégia e Empreendedorismo, o especialista em tendências Rohit Bhargava, a data expert Christina Stathopoulos, entre outros, já foram anunciados. No total, o evento contará com aproximadamente 98 gurus, especialistas e profissionais das mais diversas áreas.

    O QSP SUMMIT conta também com uma área de exposição com mais de 130 marcas envolvidas e apresenta novos palcos este ano, adicionando mais sessões e novas áreas de partilha de conhecimento.

    Para mais informações ou aquisições de passes, pode consultar o website oficial do evento, em www.qspsummit.pt.

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    Schindler regressa com segunda edição “Women Back to Business”

    Pelo segundo ano, a Schindler promove o “Woman Back to Business”, programa direcionado a mulheres residentes em Portugal e Espanha que decidiram interromper a sua carreira profissional devido a motivos pessoais, por um período de tempo entre 3 a 10 anos. Os postos de trabalho que a Schindler oferece estão relacionados com as áreas comercial, de atendimento ao cliente e de operações.

    Brand SHARE

    Após uma pausa de sete anos na carreira, Catarina Sêrro não poderia estar mais feliz quando em 2021 regressou ao mundo empresarial como chefe comercial da Schindler, em Lisboa. Para tal acontecer, bastou candidatar-se a uma das vagas do “Women Back to Business” da Schindler, tendo sido uma das escolhidas.

    “Durante os primeiros seis meses, estive em formação num horário de trabalho flexível, de modo a conseguir conciliar com a minha vida familiar. Após este período, integrei a empresa e, neste momento, tenho um plano de carreira adaptado aos meus interesses e capacidades pessoais, com acesso às mesmas vantagens que os restantes colaboradores”, destacou a candidata Catarina Sêrro.

    Nadia Peiro voltou ao mercado de trabalho, como chefe técnica de zona da Schindler, em Valência. Graças à iniciativa da Schindler Iberia, foi possível realizar uma formação específica de acordo com o seu perfil, e entrar numa empresa multinacional que aposta no desenvolvimento das suas competências profissionais, depois de 12 anos dedicados à família.

    Face ao sucesso da primeira edição, em que contaram com 617 candidaturas, a Schindler Iberia relança este programa destinado às mulheres residentes em Portugal e Espanha. O objetivo do “Women Back to Business” visa dar uma nova oportunidade a todas as profissionais que, por motivos pessoais, decidiram interromper as suas carreiras e que agora pretendem voltar a trabalhar. A iniciativa oferece admissão na empresa através de postos de trabalho relacionados com as áreas comercial, de atendimento ao cliente e de operações.

    “Como parte do nosso compromisso com a inclusão e a igualdade, a Schindler concebeu o Programa Schindler Women Back to Business para dar uma nova oportunidade às mulheres que, por motivos pessoais, interromperam a sua carreira profissional há alguns anos e gostariam de regressar ao mercado de trabalho. Pretendemos oferecer um emprego sólido e estável, numa empresa multinacional especializada no transporte vertical, com mais de 140 anos de história, presente em mais de uma centena de países e que conta com mais de 66.000 colaboradores em todo o mundo”, reforçou Gemma Baz, Diretora de Recursos Humanos da Schindler Iberia.

    Ainda que o programa valorize de forma individual todas as solicitações, “Women Back to Business” está especificamente direcionado para as mulheres que abandonaram os seus empregos por questões de índole pessoal, por um período entre três e dez anos, que contem com uma experiência mínima de cinco anos em grandes empresas nacionais ou internacionais e que possuam um bom nível de inglês, B2, requisito obrigatório.

    Além disso, valorizam-se as candidatas que residam ou tenham acessibilidade facilitada às grandes cidades de Portugal e Espanha, como Lisboa ou Porto e, no caso de Espanha, Madrid e Barcelona.

    Fases do programa

    Após o recrutamento, as mulheres selecionadas começarão um período de formação de seis meses com flexibilidade, de forma a que lhes seja possível conciliar a sua vida pessoal com o regresso à atividade laboral. Nesta fase conhecerão o modelo de negócio da Schindler, terão contacto com as ferramentas tecnológicas com que irão trabalhar e formar-se-ão, tanto na área, como no posto de trabalho que venham a incorporar. Quando estiver finalizado o período de formação inicial, as participantes passarão a fazer parte da estrutura da empresa, desempenhando funções específicas nos departamentos em que sejam colocadas. Todas terão acesso às mesmas vantagens que os restantes colaboradores, da mesma forma que terão possibilidade de disfrutar do prémio anual de acordo com a concretização de objetivos e de contar com um plano de carreira adaptado aos seus interesses e às suas capacidades pessoais.

    O lançamento do programa “Women Back to Business” responde ao compromisso que a Schindler Ibéria tem com a inclusão e a diversidade e na aposta, a todos os níveis, pela igualdade da mulher.

    https://schindlerwomenbacktobusiness.es/pt-pt/  

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    A Mapei marca presença no Architect@work

    MAPEI

    Brand SHARE

    A famosa exposição internacional Architect at Work está finalmente em Lisboa e a Mapei vai marcar a sua presença. Venha visitar o nosso Stand no Pavilhão 1-83.

    Venha descobrir a nossa inovação!

    Registe-se aqui para a sua visita digital e/ou presencial aqui

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    Photo by Blue Bird | Pexels

    Apartamentos: como financiar a sua renovação de sonho?

    De acordo com o Eurostat, 46% dos portugueses vivem num apartamento, tipologia de habitação que, em muitos casos, não recebe uma requalificação/renovação desde o dia em que foi inaugurada. Com […]

    Brand SHARE

    De acordo com o Eurostat, 46% dos portugueses vivem num apartamento, tipologia de habitação que, em muitos casos, não recebe uma requalificação/renovação desde o dia em que foi inaugurada.

    Com uma grande parte do edificado a pertencer aos anos 70 e 80, é natural que os nossos apartamentos estejam fechados e não nos ofereçam o conforto que esperamos. Face a isto, a solução passa por uma renovação, mas com que dinheiro?

    Esta é, se assim a podemos colocar, a pergunta do “milhão de dólares”. Os custos de renovação de um apartamento podem, em face das necessidades, serem bastante altos para o dinheiro que temos poupado ou para aquilo que os nossos rendimentos permitem, colocando-nos numa posição em que temos de procurar uma solução de financiamento alternativo.

    É aqui que entra um tipo de crédito pessoal muito específico: o crédito para obras.

    O que é o Crédito para Obras?

    Tal como o crédito para férias ou o crédito automóvel, o crédito Obras ou crédito para obras é um tipo de crédito pessoal que, como o nome indica, tem uma finalidade específica e oferece montantes, prazos de reembolso e taxas de juro mais em linha com as necessidades de quem quer renovar a sua habitação.

    Para se perceber o que é que este tipo de crédito oferece, vejamos a solução de crédito para obras da Credibom, instituição de crédito “Escolha do Consumidor” e “marca 5 Estrelas” pelos serviços financeiros de qualidade oferecidos aos consumidores portugueses.

    Em termos práticos, a solução crédito Obras e pequenas renovações da Credibom oferece-nos montantes de financiamento que se situam entre os 5 mil e os 50 mil euros, prazos de pagamento entre 24 e 84 meses, taxas de juro competitivas (TAN de 11,60% a 12,60% e TAEG desde 14,40%), isenção de comissão de abertura de contrato, possibilidade de seguro facultativo de proteção ao crédito e flexibilidade na escolha da data de débito da prestação.

    Para além de prestações e taxas de juro fixas, o crédito para obras Credibom garante a rapidez de contratação que o consumidor do séc. XXI exige, já que todo o processo de contratação é 100% digital (embora a aprovação esteja sujeita à apresentação do orçamento detalhado das obras a efetuar).

    Melhor do que explicar em termos teóricos como funciona o crédito para obras da Credibom e como pode ser contratado, vamos apresentar-lhe um exemplo prático, o exemplo da Joana e do Pedro, recém-casados que acabaram de comprar um apartamento.

    Como contratar um crédito para obras: exemplo prático

    Depois de muita pesquisa, a Joana e o Pedro encontraram um apartamento a que podem, de ora em diante, chamar lar. Contudo, este “lar” está a precisar de algumas obras para que se adeque aquilo com o casal sonha.

    Feitas as contas, todas as obras para tornar o seu apartamento num verdadeiro ninho de amor irá custar ao nosso simpático casal a módica quantia de 20 mil euros. Como esta é uma quantia demasiado generosa para o bolso destes dois recém-casados, a Joana e o Pedro decidem procurar um crédito para obras online através dos seus smartphones.

    Depois de googlar o termo “crédito para obras” e clicar no “enter”, o nosso casal depara-se com uma lista de resultados onde pontifica a proposta de crédito da Credibom. Decidem clicar nela.

    Logo após entrarem na página dedicada ao crédito para obras e pequenas reparações da Credibom, a Joana e o Pedro encontram, de imediato, um simulador de crédito online que lhes permitirá calcular o valor da prestação para limites de financiamento entre os 10 mil e os 50 mil euros e prazos de reembolso entre os 24 e os 84 meses.

    Como pretendem pedir 20 mil euros e reembolsá-los em 84 meses, o simulador dá-lhes um resultado de 364,97 euros de prestação mensal (TAN:12,60%; TAEG:14,60%).

    Esta prestação está dentro das possibilidades económicas das nossas personagens e, como tal, eles decidem-se a partir para a sua contratação.

    Sem deixarem a página, eles clicam na barra “Fazer pedido” que os vai encaminhar para o preenchimento de um formulário online a que devem adicionar os documentos exigidos. Uma vez submetido o pedido, a Credibom irá analisá-lo prontamente e, quando aprovado, o casal Joana e Pedro vão poder contar com os 20 mil euros na conta bancária que indicaram no prazo de dois dias úteis.

     

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    default

    BEELT reforça presença no Algarve com a abertura de um novo estaleiro

    Investimento estratégico em resposta à crescente procura no mercado algarvio.

    Brand SHARE

    A Beelt, empresa de construção civil que atua maioritariamente no setor residencial, deu mais um passo no sentido da sua fixação no mercado algarvio, através da aquisição de um estaleiro onde irá fixar a sua base operacional para a região. Este investimento estratégico reflete o compromisso da Beelt em fortalecer sua presença num mercado que se revelou crucial para o crescimento da empresa e no qual a aposta será crescente.

    A Beelt detém já um vasto conhecimento do mercado do Algarve, tendo sido identificadas diversas oportunidades de crescimento, a par com o crescente número de processos para o qual a empresa tem estado a ser consultada.

    Neste momento a Beelt está a entrar na reta final da obra Simple Vilamoura, na qual demonstrou capacidade de resposta aos padrões exigidos pelo cliente. Tendo em consideração o número de obras em pipeline, a empresa sentiu a necessidade de ter uma resposta operacional local totalmente autónoma de forma a tornar-se mais competitiva e consistente.

    “A decisão de nos fixarmos localmente é muito importante na medida em que é um mercado estrategicamente relevante, no qual nos queremos tornar uma referência no sector. É um mercado em grande transformação, com níveis de exigência muito elevados, o que significa que para darmos o nível de resposta a que nos propomos temos de estar dotados de todas as condições necessárias.”, afirma a Beelt ao Jornal Construir.

    Para mais informações sobre a Beelt e seus projetos no Algarve e no resto do país, visite www.beelt.pt.

    Sobre a Beelt

    A Beelt é uma empresa de construção civil especializada em construção e reabilitação, presente nos mercados do centro e sul do país.

    Dotada de uma equipa técnica multidisciplinar com anos de experiência acumulada e dos recursos necessários à correta execução de projetos com elevado nível de complexidade, a Beelt é uma empresa sólida que tem vindo a responder aos desafios dos seus clientes de forma profissional e consistente.

    #wemakeitwork

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos

    Jantar Pôr-do-Sol

    Restaurante Zimbral

    Um passeio gastronómico com história

    Brand SHARE

    O Restaurante “Zimbral”, do Hotel Casa Palmela, propriedade que remonta ao Sec. XVII, encontra-se em pleno Parque Natural da Arrábida apenas a 40 km de Lisboa.

    A cozinha é da responsabilidade do Chef Mauro Álison e a oferta vínica, elaborada pelo Maître Alexandre Santos, condiz com a região da Península de Setúbal e demais regiões do país.

    No Zimbral podemos contar com a total integração de toda a produção que provem da Horta da Quinta, permitindo uma frescura e qualidade sustentável aos pratos que ali são confecionados e respeitando a sua sazonalidade.

    O conceito dos pratos do Restaurante é a cozinha de sabor com inspiração Portuguesa, Africana e Asiática, resultado das raízes do Chef que, embora de nacionalidade portuguesa, dá origem à descoberta de novos paladares.

    Venha conhecer a Casa e disfrutar desta experiência à nossa mesa.

    Mais informação aqui

     

    Sobre o autorBrand SHARE

    Brand SHARE

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2024 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.