Edição digital
Assine já
Arquitectura

Porto Mass Lab premiado em concurso de habitação em Helsínquia

O projecto Urban Nature, com 11 mil m2, foi distinguido pela forma como a “natureza, pessoas e cidade” ficam em simbiose

CONSTRUIR
Arquitectura

Porto Mass Lab premiado em concurso de habitação em Helsínquia

O projecto Urban Nature, com 11 mil m2, foi distinguido pela forma como a “natureza, pessoas e cidade” ficam em simbiose

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Hotel Turismo da Guarda vai integrar rede de Pousadas de Portugal
Construção
PlanAPP mandatado para a realização de estudos sobre o mercado da habitação
Imobiliário
Grupo Altis Hotels celebra 50 anos com investimento de 26,5 M€
Construção
dstgroup distinguido internacionalmente como uma das melhores empresas para trabalhar
Empresas
‘Primeira Pedra’ encerra com evento de apresentação de livro comemorativo
Empresas
CIN devolve identidade ao Mercado do Bolhão
Empresas
Home Tailors Real Estate fecha 2022 com um volume de vendas de 92M€
Imobiliário
Risco de incumprimento do pagamento da renda é maior
Imobiliário
Revigrés distinguida com o prémio Good Design Award 2022
Empresas
Casa da Arquitectura antecipa documentário sobre a vida e obra do fotógrafo Luís Ferreira Alves
Arquitectura

O concurso, promovido pela Câmara Municipal de Helsínquia, visa encontrar propostas para renovar o parque habitacional da cidade, tendo como ponto de partida três locais alternativos de construção: Jätkäsaari, Meri-Rastila e Pohjois-Pasila.

A proposta do Porto Mass Lab incidiu sobre a zona de Meri-Rastilla e foi distinguida na categoria de Redenção. Com cerca de 11 mil m2 de área construída, o projecto Urban Nature foi concebido de modo a que “natureza, pessoas e cidade” ficassem em simbiose, refere os arquitectos do Porto Mass Lab.

Esta não é a primeira vez que o grupo de jovens arquitectos, formados na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, são reconhecidos internacionalmente, tendo já arrecado outras distinções especialmente nos países nórdicos, onde desenvolvem diversos projectos, sempre assentes no princípio da sustentabilidade.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Hotel Turismo da Guarda vai integrar rede de Pousadas de Portugal
Construção
PlanAPP mandatado para a realização de estudos sobre o mercado da habitação
Imobiliário
Grupo Altis Hotels celebra 50 anos com investimento de 26,5 M€
Construção
dstgroup distinguido internacionalmente como uma das melhores empresas para trabalhar
Empresas
‘Primeira Pedra’ encerra com evento de apresentação de livro comemorativo
Empresas
CIN devolve identidade ao Mercado do Bolhão
Empresas
Home Tailors Real Estate fecha 2022 com um volume de vendas de 92M€
Imobiliário
Risco de incumprimento do pagamento da renda é maior
Imobiliário
Revigrés distinguida com o prémio Good Design Award 2022
Empresas
Casa da Arquitectura antecipa documentário sobre a vida e obra do fotógrafo Luís Ferreira Alves
Arquitectura
Arquitectura

Casa da Arquitectura antecipa documentário sobre a vida e obra do fotógrafo Luís Ferreira Alves

A anteestreia do documentário “Luís Ferreira Alves: Um Olhar Construído” é exibida, em parceria com a RTP2, na CA no próximo sábado, 21 de Janeiro, a partir das 16h30

CONSTRUIR

A Casa da Arquitectura, em parceria com a RTP2, acolhe no próximo sábado, 21 de Janeiro, a partir das 16h30, a antestreia do documentário “Luis Ferreira Alves: Um Olhar Construído”, “um trabalho sobre a vida e obra do fotógrafo portuense que oferece um olhar incisivo sobre uma personagem poliédrica da cultura arquitectónica portuguesa, fotógrafo, cineasta e amante da vida”.  

Após a exibição do documentário, terá lugar uma conversa em torno da obra e da pessoa de Luis Ferreira Alves com Teresa Paixão, directora da RTP2, Ricardo Gonçalves, realizador do documentário, Victor Neves, autor do documentário e Pedro Leão Neto, investigador em comunicação de arquitectura e fotografia. A moderação ficará a cargo da arquitecta Joana Azevedo.

A projecção do documentário na Casa da Arquitectura antecipa a sua exibição em antena na RTP2 na grelha do próximo dia 26 de Janeiro.

Luís Ferreira Alves, falecido em 2022, com uma obra que atravessa a fronteira entre o analógico e o digital, doou todo o seu espólio à Casa da Arquitectura (CA) em Novembro de 2021, tendo-lhe sido atribuída pelo Ministério da Cultura a Medalha de Mérito Cultural numa cerimónia que decorreu nesse mesmo ano na CA.

Nascido em Valadares, em 1938, Luís Ferreira Alves era um apaixonado pelo cinema, tendo sido seccionista activo do Cineclube do Porto nos anos 50 e cofundador da Secção de Formato Reduzido e Cinema Experimental. Em 1962, foi preso pela PIDE e julgado no Tribunal Plenário do Porto, tendo sido compulsivamente afastado do Banco Ferreira Alves & Pinto Leite onde até então trabalhava junto do pai.

No início dos anos 80 retomou, como amador, intensa actividade fotográfica, tendo sido convidado pelo amigo arquitecto Pedro Ramalho a apresentar num seminário da Escola Superior de Belas Artes do Porto um diaporama sobre a sua obra arquitectónica, tornan-se esse o seu ponto de partida para a actividade como fotógrafo profissional.

Especializou-se na fotografia de arquitectura, património e território tendo sido publicado regularmente em revistas de todo o mundo. Colaborou intimamente com arquitectos da chamada Escola do Porto nomeadamente Eduardo Souto Moura cuja obra tem sistematicamente acompanhado.

Realizador de vídeos de arquitectura e culturais, tem dezenas de livros editados e realizou inúmeras exposições, algumas delas em coautoria, dentro e fora do País.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

A ‘viagem’ de Souto de Moura em exposição em Seul

A partir de 17 de Janeiro, a Seoul Hall of Urbanism & Architecture, na Coreia do Sul, recebe a exposição “Journey of an Architect” sobre os 12 projectos mais representativos do arquitecto português

CONSTRUIR

“Journey of an Architect” é o título da exposição dedicada à obra de Eduardo Souto de Moura que abre portas no dia 17 de Janeiro em Seul, na Coreia do Sul, no âmbito de um protocolo de colaboração entre a Casa da Arquitectura – Centro Português de Arquitectura e o Seoul Hall of Urbanism & Architecture, com o apoio da embaixada de Portugal em Seul.

A exposição sobre a obra de Souto de Moura, Prémio Pritzker 2011, irá incidir sobre uma selecção de doze projectos representados através de maquetes originais, reproduções autenticadas de desenhos, esquissos, estudos de concepção e desenhos técnicos e também fotografias das obras da autoria do fotógrafo Luis Ferreira Alves, cujo acervo de fotografia de arquitetura se encontra na Casa da Arquitectura.

O Seoul Hall of Urbanism & Architecture é uma instituição cultural, focada na divulgação e promoção de Urbanismo e Arquitectura que vai acolher, de 1 de Setembro a 29 de Outubro, a 4ª Bienal de Arquitetura e Urbanismo de Seul 2023, dedicada ao tema “City of Mountain Ranges, Waterways, and Wind Breezes – Drawing of the Seoul’s next 100 years”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Fotografia: Ivo Tavares Studio

Arquitectura

Arquitecto catalão aborda temática das cidades relacionais na Casa da Arquitectura

No âmbito do projecto ‘Laboratório das Cidades Relacionais’, Miquel Lacasta procura “gerar uma reflexão prática para cidades mais humanizadas e analisar dinâmicas do quotidiano”

CONSTRUIR

A 16 de Janeiro, entre as 11 e as 13 horas, o arquitecto Miquel Lacasta é o orador convidado da conferência “A Cidade Relacional”, que decorrerá na Casa da Arquitectura, no âmbito do projecto ‘Laboratório das Cidades Relacionais’ promovido pelo Instituto Padre António Vieira (IPAV) e pela Gaiurb.

Miquel Lacasta é uma referência entre o corpo docente da Escola de Arquitectura da Universidade Internacional da Catalunha, onde se distinguiu na área de Arquitectura Biodigital no âmbito da investigação académica, contando com um vasto percurso de prémios e distinções internacionais, entre os quais se destaca o Prémio de Urbanismo Espanhol 2021, o primeiro lugar no concurso Quartiers Fertiles 2021 para a Agrociudad Gagarine Truillot, assim como foi vencedor da edição 2021 do concurso Réinventer Paris 3 com Scène des Loges e finalista do Troféu EPL 2021, na categoria “Cidade de amanhã – Cidade inteligente”, para a ZAC Rouget -de-Lisle.

Com inscrição gratuita mas obrigatória, a conferência aborda um modelo de urbanismo mais orientado para as pessoas, procurando gerar uma reflexão prática para cidades mais humanizadas e analisar dinâmicas do quotidiano, à semelhança do que é já aplicado noutras geografias como Inglaterra, França ou Estados Unidos.

Recorde-se que o ‘Laboratório das Cidades Relacionais’ foi apresentado publicamente em Novembro e está actualmente sedeado na Casa dos Ferradores, na Rua Cândido dos Reis, em Vila Nova de Gaia, decorrendo de uma articulação entre a Gaiurb e o IPAV

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Casa da Arquitectura anuncia mostra dedicada a Paulo Mendes da Rocha

A 26 de Maio arrancam duas exposições dedicadas ao Pritzker brasileiro: “Geografias Construídas: Paulo Mendes da Rocha, uma Retrospetiva”, onde é dado a conhecer o “imenso” acervo entregue à CA e “Paulo”, na Galeria da Casa, que oferece ao visitante “a oportunidade de ter com o arquitecto brasileiro uma experiência mais íntima”

CONSTRUIR

2023 será o ano do arquitecto Paulo Mendes da Rocha na Casa da Arquitectura (CA), anunciou aquela entidade. Para o efeito arrancam, a 26 de Maio, duas exposições dedicadas ao Pritzker brasileiro.

Percorrendo sete décadas de actividade, a imensa obra de Paulo Mendes da Rocha vai-se revelar na exposição “Geografias Construídas: Paulo Mendes da Rocha, uma Retrospetiva” com uma amplitude inédita extraída do imenso acervo entregue à Casa da Arquitectura. Com curadoria de Jean-Louis Cohen e Vanessa Grossman, o projecto expositivo é de Eduardo Souto de Moura e Nuno Graça Moura, na Nave Expositiva.

Na Galeria da Casa, a exposição intitulada “Paulo”, oferece ao visitante a oportunidade de ter com o arquitecto brasileiro uma experiência mais íntima, permitindo-lhe ouvir a sua visão do mundo e as suas reflexões sobre tantos temas que o ocuparam e que no fundo, explicam a sua obra. Com curadoria de Rui Furtado e Marta Moreira, o projecto expositivo é de Ricardo Bak Gordon.

Paralelamente a estas duas exposições vai decorrer um programa de actividades, com curadoria do arquitecto Nuno Sampaio, director-executivo e comissário-geral da CA, e da arquitecta Catherine Otondo, responsável pela organização do acervo de Paulo Mendes da Rocha, e que irá contar com debates, conferências e visitas de obra.

O Prémio Pritzker 2006, que foi primeiro associado honorário da Casa da Arquitectura em Setembro de 2018 e o mais recente galardoado com a medalha de ouro do Congresso da UIA – União Internacional de Arquitetos, faleceu a 23 de Maio de 2021.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Residência de Estudantes é o ponto de partida para uma nova centralidade no Porto

O escritório de arquitectura Masslab venceu concurso público para desenhar a nova residência de estudantes com cerca de 5 mil m² no antigo Quartel do Monte Pedral. Este é um ponto de partida para a reabilitação do quarteirão e criação de uma nova centralidade na cidade

CONSTRUIR

“Esta fase será o desenvolvimento do projecto de reconversão e ampliação de uma parte do actual edifício do quartel, voltado para a Rua Serpa Pinto, que iremos parcialmente manter, como é vontade do projecto regulador urbano da câmara municipal do Porto. O nosso trabalho envolve o desenho da residência de estudantes”, explica o atelier.

Em 2019 a Masslab ganhou o concurso de ideias para o quarteirão do Quartel ao propor transformar o Monte Pedral num “Arquipélago” em plena cidade, tendo como elemento diferenciador o facto de ter sido pensado o espaço público antes do espaço privado. O resultado da proposta vencedora apresentava “uma ideia de cidade contemporânea apoiada na diversidade morfológica, tipológica e programática, garantindo a continuidade e a articulação com o espaço adjacente”.

Após o terreno do antigo Quartel ter sido “devolvido” à câmara municipal do Porto por parte do Estado português e depois de um plano de loteamento concluído, o projecto finalmente tem luz verde para avançar. Pedro Baganha, vereador do Urbanismo da CMP, considera que “este terreno é a grande oportunidade para a criação de uma nova centralidade na cidade”.

O projecto regulador urbano foi, assim, elaborado pelo departamento de urbanismo do Município do Porto com inspiração no projecto vencedor do Concurso de Ideias de 2019. Pela facto da MASSLAB ter ganho o 1º prémio no concurso de ideias, a câmara municipal do Porto convidou este atelier e três outros gabinetes de arquitectura do Porto a apresentar uma proposta e respectiva equipa técnica para a elaboração do projecto no âmbito de um concurso público.

O desenho da nova residência de estudantes será desenvolvido pela Masslab e pela equipa de engenharia MOQ, e contará com a reconversão e a ampliação do actual edifício do quartel voltado para a Rua Serpa Pinto.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Arquitectura e design portugueses distinguidos internacionalmente

A arquitectura portuguesa volta a estar em destaque em mais uma edição da Architecture & Design Collection Awards,. Os vencedores da edição de 2022 foram conhecidos no penúltimo dia do ano. Entre os 56 vencedores, distribuídos pelas categorias de arquitectura, design e design de comunicação encontrámos vários projectos nacionais

CONSTRUIR

A arquitectura portuguesa volta a estar em destaque em mais uma edição da Architecture & Design Collection Awards, uma plataforma internacional aberta à criatividade e ao talento. Os vencedores da edição de 2022 foram conhecidos no penúltimo dia do ano. Entre os 56 vencedores, distribuídos pelas categorias de arquitectura, design e design de comunicação encontrámos vários projectos nacionais.

Com assinatura do atelier A2OFFICE, a Casa da Vilarinha arrecadou o prémio “Gold Winner” na categoria “Private Residence Medium Architecture Built”, enquanto que o já premiado Apartamento CR.IS, também com assinatura deste gabinete, foi distinguido com o prémio “Silver Winner” na categoria “Residential Interior Design Built”.

Também no domínio da Arquitectura o gabinete Paulo Martins Arquitectura & Design viu dois dos seus projectos residenciais distinguidos com o prémio “Gold Winner”, o primeiro atribuído a Madalena House, na categoria “Private Residence Large Architecture Built”, o segundo para a RC House, na categoria Private Residence Small Architecture Concept”.

O terceiro nome que destacamos nesta edição é o de Rui Leão arquitecto português e co-fundador, juntamente com Carlotta Bruni, do gabinete LBA Arquitectura e Planeamento, com sede em Macau , que viu o seu edifício de serviços integrados, construído na zona antiga de Macau distinguido com o prémio “Silver Winner”, na categoria “Industrial Architecture Built”. O mesmo edifício recebeu, em Novembro, o prémio “Conservação do Património Cultural na Ásia-Pacífico”, na categoria de Inovação em Construção, atribuído pela UNESCO.

Na área do Design Portugal também teve em destaque arrecadando três “Gold Winners”. O primeiro na categoria “Facade Lighting Design Built”, atribuído à arquitecta Diana Del Negro da Lightware Architecture, pelo projecto de iluminação de fachadas de dois postos de gasolina da BP.

O segundo, na categoria “Art and Luxury Design Built”, a António Adauta pelos seus Quadros a ponto de Arraiolos baseados em mosaicos de Conínbriga. Por fim, na categoria “Pop-ups Design Built”, à equipa da Impactplan art productins pelo seu projecto Umbrella Sky “Flower Power”.

A Architecture & Design Collection Awards é uma competição anual presidida por um júri internacional que distingue projectos de arquitectura e design que se destacam pela sua “inovação, originalidade, valor estético, funcionalidade e integração espacial”, seleccionados entre centenas de candidaturas oriundas de todo o mundo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Fórum da Maia recebe exposição de candidaturas ao prémio João Álvaro Rocha

Os projectos das candidaturas admitidas para a 1ª edição do Prémio Municipal de Arquitectura João Álvaro Rocha vão estar em exposição de 10 a 31 de Janeiro

CONSTRUIR

No seguimento da primeira edição do Prémio Municipal de Arquitectura João Álvaro Rocha, a Câmara Municipal da Maia promove, de 10 a 31 de Janeiro, no Fórum da Maia, a exposição de projectos das candidaturas admitidas.

Organizado pela APJAR – Associação Pró-Arquitectura João Álvaro Rocha, com o apoio da Ordem dos Arquitectos – Secção Regional Norte, o prémio, não pecuniário, de iniciativa autárquica e com periodicidade bienal, “destina-se à valorização, reconhecimento e promoção de Edificações e Espaços Públicos, localizados no Município da Maia, que se destaquem não só pela sua qualidade arquitectónica e urbanística, mas sobretudo pela sua função social, cultural e inserção urbana”. Neste sentido, é dado relevância ao período pós-construção e à capacidade de resposta demonstrada pela obra.

A Câmara Municipal da Maia atribuiu o nome do arquitecto João Álvaro Rocha (1959 – 2014) ao Prémio Municipal de Arquitectura como reconhecimento do seu trabalho em prol da qualidade da arquitectura e do urbanismo, uma parte significativa realizada no concelho da Maia, e com o objectivo da integridade e autenticidade da sua obra servir como referência ao Prémio.

Os resultados desta primeira edição serão anunciados no acto de inauguração da exposição dos trabalhos, ou seja, no dia 10 de Janeiro, na qual estarão presentes para a apresentação o júri, constituído por António Silva Tiago, presidente da Câmara Municipal da Maia, José Gigante, em representação da APJAR, Teresa Fonseca, designada pela Ordem dos Arquitectos, José Miguel Rodrigues e pelo curador José Maia, pela Câmara Municipal da Maia.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Ala Pediatrica do Hospital São João no Porto com Arquitectura ARG Studio do Arquitecto Ricardo Guedes ,Ilustração Francisca Ramalho e fotografias de Ivo Tavares Studio

Arquitectura

‘Vamos lançar o papagaio?’ ou o ‘pacto’ entre a arquitectura e a ilustração

O “ambiente imersivo” do projecto de interiores de Ricardo Guedes, cuja cor ‘invade’ cada sala da nova Ala Pediátrica do Hospital de São João, no Porto, combina com o desenho de Francisca Ramalho, onde o papagaio se torna o protagonista da história

CONSTRUIR

A nova Ala Pediátrica do Hospital de São João do Porto, após anos de mediatismo e expectativa, surge como modelo de renovação e inovação do Sistema Nacional de Saúde. Nesse sentido, a Administração Hospitalar teve a visão da importância de garantir os serviços de tratamento mais avançados, mas também o bem-estar, conforto e alegria do utente. Procurou assim uma equipa multidisciplinar que pudesse conceber uma imagem, um cenário e um ambiente para os espaços sociais, de circulação e lazer da nova Ala. Neste sentido, o desafio de Ricardo Guedes, do atelier ARG Studio, “foi criar um vínculo entre a linguagem arquitectónica da área lúdica e a narrativa ilustrada ao longo do percurso do edifício”.

“A arquitectura escolheu a cor, a cor procurou a ilustração e a ilustração encontrou o protagonista: o papagaio. O papagaio saiu do desenho e voou em direcção à entrada da nova Ala Pediátrica – o lugar onde começa esta história”, refere o arquitecto.

Ambiente imersivo

A área lúdica é um lugar essencial na recuperação, conforto e bem-estar das crianças. O projecto concebe uma sequência de espaços com programas diversos desde área de estudo, biblioteca, zona de actividades físicas, jogos virtuais, ou simplesmente de brincadeira. Cada sala apresenta uma cor criando um ambiente imersivo que no seu conjunto, através de uma paleta variada, concede ao espaço dinamismo e serenidade. Esta solução permite tanto a um bebé como a um adolescente sentir-se estimulado, com o cuidado de criar zonas de comunhão e partilha, mas também espaços de maior reclusão. Resultando num ambiente que permite a inevitável amplitude de estados de espírito dos utentes.

O voo do papagaio

Uma instalação em forma de papagaio que se evidencia pelo jogo de formas elementares salpicadas ao longo do tecto do corredor da entrada principal, como um brinquedo de criança. “Entre a imaginação e a figuração, esta peça faz a descolagem de um percurso lúdico e curioso”.

O projecto de ilustração, de Francisca Ramalho, é o passeio do papagaio ao longo da Ala por paisagens recheadas de plantas misteriosas e animais escondidos. Um percurso ilustrado por grandes painéis que propõe lugares de brincadeira, lugares de riso onde é possível questionar, imaginar ou apenas contemplar as formas coloridas. Esta narrativa procura um pouco de fantasia num lugar que guarda, também ele, histórias muito diferentes: umas mais tristes outras mais felizes.

Ficha Técnica:

Ano de conclusão da obra: 2022

Área total construída (m2):  350m2

Atelier de Arquitectura: ARG Studio

Arquiteto responsável: Ricardo Guedes

Designer: Francisca Ramalho

Fotógrafo: Ivo Tavares Studio

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

O culto de Souto Moura ao Mosteiro de Alcobaça [c/galeria imagens)

: O arquitecto Eduardo Souto de Moura assina o projecto de reconversão da sétima unidade hoteleira da Visabeira: o Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel, localizado na ala sul do icónico Mosteiro. Trata-se de um projecto no qual o arquitecto privilegiou a estética depurada da arquitectura cisterciense, estendendo o conceito também ao mobiliário que decora os 91 quartos da nova unidade, também ele assinado por Souto de Moura

No agora baptizado Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel, o arquitecto Eduardo Souto de Moura fez o que já havia feito noutros projectos de reconversão como no Convento das Bernardas, em Tavira, ou no Convento de Santa Maria do Bouro, em Braga: libertou-o das inúmeras intervenções mais recentes e recuperou-lhe o espírito e a história que estiveram na sua origem, há muitos séculos atrás. Uma visão de arquitectura que conseguiu destacar o virtuosismo e qualidade de materiais nobres como a pedra, a madeira, as peles, o aço, o betão e o vidro, em perfeita união com as seculares raízes do edifício e o irrepreensível respeito pelas pré-existências e pela história do Mosteiro.

O conceito subjacente ao projecto foi inspirado no minimalismo e no desapego da vida conventual. O Mosteiro constitui uma das primeiras fundações monásticas cistercienses em território português, tendo-se tornado a principal casa desta Ordem religiosa. As dependências medievais ainda conservadas fazem do Mosteiro de Alcobaça um conjunto único no mundo, a que acrescem as edificações posteriores, dos séculos XVI a XVIII, como importante testemunho da evolução da arquitectura portuguesa. O conjunto, classificado como Monumento Nacional desde 1910 e na Lista do Património Mundial da Unesco desde Dezembro de 1989, constitui um dos mais notáveis e bem conservados exemplos da arquitectura e filosofia espacial cisterciense.

Colégio, aposentos, biblioteca e agora hotel
Inaugurada há escassas semanas, o novo hotel foi edificado no Claustro do Rachadouro, na ala sul do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça que albergou o Colégio de Nossa Senhora da Conceição, os aposentos dos abades gerais da Congregação Autónoma e onde, inclusive, chegou a funcionar a Biblioteca Municipal, tendo sido, no final do século XX, objecto de uma profunda intervenção assinada pelos arquitectos Gonçalo Byrne, João Pedro Falcão de Campos e pelos engenheiros João Appleton e João Caetano Gonçalves. Estes seguiram as linhas da arquitectura cisterciense, optando por uma estética depurada, que surge também privilegiada no projecto de reconversão assinado por Souto de Moura.
“Este projecto é um exemplo de como a articulação entre a actividade privada e o património público dá respostas à recuperação e manutenção de espaços, tendo a intervenção constituído uma responsabilidade incomensurável, dadas as condições de degradação em que se encontrava aquela ala do monumento”, sublinha a Visabeira, em comunicado.
“Ao mesmo tempo, foi um enorme desafio à capacidade de engenharia e de adaptação do espaço ao conforto e segurança que contemplam a experiência hoteleira contemporânea, numa intervenção que valorizasse a existência social e cultural do património, integrando-o harmonicamente nas necessidades funcionais da unidade hoteleira, sem perder o espírito do edificado”.

O design é uma extensão da arquitectura
Para além do projecto, o arquitecto Eduardo Souto Moura é, também, o responsável pelo design do mobiliário, especialmente desenvolvido para o hotel e pela decoração do espaço. Onde se destaque o branco sublime, o uso da madeira e linhas direitas, cumprindo a função, sem subterfúgios. Desta simbiose, resultou um hotel de categoria 5 estrelas, dotado com 91 unidades de alojamento, distribuídas por quartos singles e duplos, quartos familiares, suites e uma master suíte.

24,5M€ na reconversão do novo Montebelo

A inauguração do Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel contou com a presença de dois Presidentes de Estado, de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa, e de Moçambique, Filipe Filipe Nyusi. Uma presença justificada, não só pela importância do Monumento, mas também pelo facto da nova unidade fazer agora parte do universo Visabeira, um grupo português com fortes investimentos, no turismo e não só, em Portugal e em Moçambique. A reconversão do Claustro do Rachadouro pelo grupo Visabeira resulta de um investimento de 24,5 milhões de euros. O Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel é o sétimo hotel com chancela Montebelo em Portugal, que detém ainda seis hotéis e resorts em Moçambique. Em Janeiro de 2023, a marca volta a crescer em território nacional com uma oitava unidade hoteleira no Chiado, em Lisboa.
A cerimónia contou ainda com a presença do ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, em representação do Primeiro-ministro, do ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, da ministra da Agricultura e Alimentação, Maria do Céu Antunes, do Presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Hermínio Rodrigues, para além do arquitecto Eduardo Souto Moura, autor do projecto.
O governo moçambicano esteve representado pela ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, ministra da Justiça e Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, e da ministra da Cultura e Turismo, Eldevina Materula.

Sobre o autorManuela Sousa Guerreiro

Manuela Sousa Guerreiro

Mais artigos
Arquitectura

Candidaturas ao Prémio Gulbenkian Património Maria Tereza e Vasco Vilalva terminam a 31 Janeiro

O Prémio Vilalva foi criado em 2007 e distingue anualmente um projecto de excelência na área da conservação, recuperação, valorização ou divulgação do património cultural português, imóvel ou móvel

CONSTRUIR

O Prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva, no valor de 50 mil euros, destina-se a assinalar “intervenções exemplares e de excelência na área da conservação, recuperação, valorização ou divulgação do património português”, designadamente em bens imóveis ou móveis de valor cultural, de modo a incentivar a preservação e recuperação do património.

A fase de submissão de candidaturas termina a 31 de Janeiro de 2023. A decisão de atribuição do Prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva é da responsabilidade do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian, com base numa proposta elaborada pelo Júri do Prémio. A avaliação das candidaturas terá em conta, entre outros, as intervenções que valorizem e salvaguardem um bem de reconhecido valor cultural e/ou que tenham um efeito demonstrativo que permita estimular o interesse pela recuperação do património português.

Na edição de 2022, a 14º do Prémio Vilalva, o Júri distinguiu o projecto de conservação e restauro dos Tectos Mudéjares da Sé do Funchal, promovida pela Paróquia da Sé do Funchal. Foram ainda entregues duas menções Honrosas: ao projecto de reabilitação estrutural e restauro da Igreja da Misericórdia de Coruche, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Coruche; e ao projecto de recuperação da Moradia Marques da Silva, localizada na Rua Álvares Cabral, nº 103, no Porto, proposta pelo atelier Franca Arquitectura.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.