Associações de Braga querem transformar Confiança em Centro Cívico e Cultural

Por a 2 de Julho de 2019


Um conjunto de associações cívicas e culturais de Braga está disponível para assumir a gestão da Fábrica Confiança como Centro Cívico e Cultural (Confiança CCC). A intenção de avançar com o Confiança CCC parte das 20 entidades bracarenses que formam a Plataforma Salvar a Fábrica Confiança e que abrangem áreas artísticas como a fotografia, dança, teatro, música, cinema, artes plásticas, intervenção cívica e comunitária e de defesa do património. As primeiras iniciativas que as associações que se propõe a realizar na Fábrica Confiança são uma exposição no âmbito dos Encontros de Imagem, já em Setembro, e a festa do 125º aniversário da Saboaria e Perfumaria Confiança, que se assina a 12 de Outubro de 2019.

O projecto Confiança CCC será agora apresentado formalmente à Câmara Municipal de Braga, ao Ministério da Cultura e a mais entidades locais e nacionais, de forma a integrar novas ideias e propostas. Está também a ser preparada uma apresentação do Confiança CCC em Lisboa de forma a que esta iniciativa tenha impacto nacional e que possa servir de exemplo de movimento cívico e cultural para outros pontos do país.

A Câmara Municipal de Braga tem afirmado publicamente que não dispõe de verbas para transformar o histórico edifício da Fábrica Confiança num equipamento cultural tal como previsto na sua expropriação em 2012. O Confiança CCC pretende desbloquear esse impasse, pondo os agentes culturais a dinamizar e a angariar apoios e, ao mesmo tempo, assumindo a gestão e programação do edifício.

Sendo a Fábrica Confiança património municipal, o Confiança CCC necessita do alinhamento da autarquia neste objectivo de criação de um equipamento cívico e cultural. A proposta inicial é que a autarquia ceda o edifício por um período de 10 anos, que permita consolidar o projecto do Confiança CCC e que seja uma mais-valia na candidatura de Braga a Capital Europeia da Cultura 2027.

O concelho de Braga não dispõe de nenhum espaço de grande dimensão com uma programação transversal a vários públicos, mais flexível, mais próxima dos cidadãos e das comunidades e que reflicta a diversidade cultural e social do concelho. Os principais espaços culturais de Braga (Theatro Circo, GNRation e o futuro S. Geraldo) são geridos directamente pela autarquia. A lógica de programação dos referidos espaços obedece aos critérios de um director de programação ou então à programação de agentes culturais empresariais de âmbito nacional.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *