Edição digital
Assine já
Imobiliário

GuestReady lança Guia Essencial sobre Alojamento Local para a cidade do Porto

O Guia é gratuito e inclui toda a informação actualizada para os que já são proprietários e para quem pretende investir neste sector

CONSTRUIR
Imobiliário

GuestReady lança Guia Essencial sobre Alojamento Local para a cidade do Porto

O Guia é gratuito e inclui toda a informação actualizada para os que já são proprietários e para quem pretende investir neste sector

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Garcia Garcia amplia unidade industrial da Finieco
Construção
Norfin lança futuro Oriente Green Campus
Imobiliário
YARD Properties faz a estreia em Portugal
Imobiliário
Iberis entra no capital da Carmo Wood
Empresas
Sani/Ikos Group celebra novo acordo de parceria estratégica com a GIC
Imobiliário
Schindler Ahead Conecta: A tecnologia revolucionária para resolução remota de avarias em transporte vertical
Os projectos em carteira da Room007, emprego na Construção, os planos de Coimbra para o Mosteiro de Santa Cruz em destaque no CONSTRUIR 467
Edição Digital
Mais de 10M€ foi quanto custaram duas penthouses do Promenade
Imobiliário
Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública
Construção
BERD recebe prémio especial European Steel Bridge Awards
Empresas

A GuestReady, especialista na gestão de unidades de Alojamento Local (AL) e alugueres de curta duração, acaba de lançar um guia essencial sobre Alojamento Local na cidade do Porto, reunindo num único documento toda a informação necessária para ter sucesso na criação deste tipo de alojamentos.

O Guia Essencial do Alojamento Local do Porto conduz os leitores por todos os aspectos associados à criação deste tipo alojamentos de curta duração, sejam eles proprietários ou gestores dessas unidades. No documento é possível encontrar explicações que vão desde os conceitos gerais sobre o que é o Alojamento Local e todos os passos para a criação de uma unidade de AL, até à explicação das Zonas de Contenção na cidade do Porto e os aspectos fiscais e de licenciamento do negócio.

“A GuestReady defende que a chave para a criação de um mercado de Alojamento Local equilibrado, em harmonia com a cidade em que está inserido, está na gestão profissional dos espaços” afirma António Fragateiro, City Manager da GuestReady para a cidade do Porto. “Este Guia é uma ferramenta essencial para ajudar os proprietários e os gestores de AL a rentabilizarem os seus espaços e a conseguirem esse tipo de gestão, transmitindo-lhes todas as informações que necessitam para o fazer de forma profissional e correcta”.

O documento, disponível em português, inglês e francês, tem como base as novas zonas de contenção aprovadas pela Assembleia Municipal do Porto a 10 de Julho, bem como o Regulamento de Alojamento Local do Porto que está em processo de aprovação e cuja aprovação final deverá ocorrer em Janeiro de 2020.

A publicação online permite a actualização imediata de todas as informações legais, tornando assim este documento numa valiosa ferramenta de trabalho.  Pode aceder ao Guia de Alojamento Local no Porto, aqui.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Garcia Garcia amplia unidade industrial da Finieco
Construção
Norfin lança futuro Oriente Green Campus
Imobiliário
YARD Properties faz a estreia em Portugal
Imobiliário
Iberis entra no capital da Carmo Wood
Empresas
Sani/Ikos Group celebra novo acordo de parceria estratégica com a GIC
Imobiliário
Schindler Ahead Conecta: A tecnologia revolucionária para resolução remota de avarias em transporte vertical
Os projectos em carteira da Room007, emprego na Construção, os planos de Coimbra para o Mosteiro de Santa Cruz em destaque no CONSTRUIR 467
Edição Digital
Mais de 10M€ foi quanto custaram duas penthouses do Promenade
Imobiliário
Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública
Construção
BERD recebe prémio especial European Steel Bridge Awards
Empresas
Construção

Garcia Garcia amplia unidade industrial da Finieco

Intervenção da Garcia tem duas fases distintas, sendo a primeira relativa à ampliação da área de produção e a segunda à construção de um moderno armazém automático

Com o objectivo de alavancar a capacidade produtiva e logística e elevar os seus níveis de eficiência no mercado, a Finieco, um dos principais players europeus do sector de soluções de packaging comercial e alimentar, vai ampliar a sua unidade de produção, localizada no Parque Empresarial da Ermida, em Santo Tirso. A Finieco exporta mais de 90% da sua produção para sectores tão distintos como moda, farmacêutico ou alimentar, marcando presença direta em mais de 40 países e com acentuado desenvolvimento no mercado norte-americano.

O projecto de design & build para a ampliação unidade foi entregue à construtora Garcia Garcia de produção, no Parque Empresarial da Ermida, em Santo Tirso.

Especializada em edifícios industriais e logísticos, a construtora nacional tem a cargo a execução da obra, cujo projecto se desenvolve em duas fases. A primeira, já concluída, incidiu na ampliação da área de produção e a segunda fase, já iniciada, prevê a construção de um moderno armazém automático. Com este projecto as duas empresas voltam a reforçar uma relação de parceria, pautada nos últimos anos por diversos projectos em que colaboraram mutuamente.

O forte investimento em inovação e tecnologia, assim como a aposta na sustentabilidade da sua operação tornam a Finieco numa referência do sector do papel e do packaging. Com o desenvolvimento registado pela empresa nos últimos anos, pautado por um incremento significativo da procura actual e da procura que projecta, tendo em conta a alteração dos padrões dos consumidores que procuram uma alternativa ao plástico, a empresa avançou para o desenvolvimento da sua unidade fabril.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Norfin lança futuro Oriente Green Campus

O espaço, para onde anteriormente esteve pensado o projecto Multiusos Oriente, contará com uma área total de escritórios de 41,100 m2 e ainda 18,700 m2 de zonas exteriores

A Norfin, uma das referências nacionais na gestão de investimentos imobiliários, em representação do Fundo Multiusos Oriente FEIIF, detido pelos Orion European Real Estate Funds, acaba de anunciar o início das obras para a construção do Oriente Green Campus. A construção deverá estar finalizada no decorrer do segundo semestre de 2023 e promete trazer “um novo impulso à zona norte do Parque das Nações”.

O futuro Oriente Green Campus, localizado em Moscavide, no espaço onde anteriormente esteve pensado o projecto Multiusos Oriente, contará com uma área total de escritórios de 41,100 m2 e ainda 18,700 m2 de zonas exteriores e servirá de extensão ao Parque das Nações estando dotado de várias alternativas de acessibilidade. Idealizado para estar na vanguarda da sustentabilidade, o edifício contará com variadas amenities, como um food court de uso exclusivo dos utilizadores, ginásio, auditório, extensas zonas verdes e estacionamento para veículos, incluindo bicicletas, bem como um sistema de ventilação natural que permitirá uma maior renovação do ar no interior e uma redução do consumo energético.

O projecto de arquitetura, desenvolvido em colaboração pelos reconhecidos ateliers de arquitectura Kohn Pedersen Fox Associates (KPF), com vasta presença internacional, tendo desenvolvido projectos para algumas das maiores empresas mundiais, incluindo alguns dos gigantes tecnológicos, e Saraiva + Associados, pretende proporcionar “uma experiência de trabalho inovadora e acolhedora”, o que se reflecte na incorporação de vastas zonas verdes, nas áreas amplas de iluminação natural, na qualidade dos equipamentos e acabamentos e, ainda, num rooftop único em Portugal.

Com uma área bruta total de construção de 41.000m2, o programa distribui-se por três pisos acima do solo, com floorplates únicos de até 14.000m2 por piso. O edifício contará com três entradas independentes o que lhe confere flexibilidade e conveniência.

O complexo estará habilitado a albergar mais de 3.500 funcionários, nas suas duas formas: como utilizadores individuais – em gabinetes – ou em open space, complementados pelas salas de reuniões formais ou zonas de encontro informais e de pausa. Incluem-se ainda o átrio principal, um food court, uma zona de ginásio, um auditório, um espaço para estacionamento de bicicletas e um delivery locker.

O Oriente Green Campus será, ainda, o primeiro edifício LEED Platinum do mercado da Grande Lisboa, garantindo assim o mais alto nível de certificação da construção sustentável, com grande foco na redução da pegada carbónica. Este será ainda dotado do selo WELL Gold, que visa nomeadamente a saúde, segurança e o bem-estar dos seus utilizadores. “O equilíbrio entre as práticas verdes e a tradição local estará também reflectido na fachada do edifício, que incorpora peças de azulejo, privilegiando a paleta de cores azul e branco, típicas da cidade de Lisboa”, reafirma a promotora.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

YARD Properties faz a estreia em Portugal

O primeiro projecto imobiliário, desenvolvido pela promotora chama-se “355 Outubro”, localiza-se em Lisboa e representa um investimento de 13,5 M€. Em carteira estão mais dois projectos residenciais “prime” que deverão ascender a 71 milhões de euros

A YARD Properties é a nova empresa de promoção e investimento imobiliário, sedeada em Lisboa, do grupo israelita liderado por David Rabbi, empresário activo no mercado imobiliário em várias cidades e países do mundo.
É uma empresa que tem como objectivo “desenvolver projectos com impacto positivo”, com uma visão inovadora, que contribuam “positivamente para o sector e a nível social”, “respeitadores do meio ambiental”, refere a sua declaração de princípios.

A criação da empresa em Portugal traduz a confiança que o empresário israelita deposita no mercado imobiliário nacional e no seu potencial. O primeiro projecto localiza-se em Lisboa “355 Outubro”, e representa um investimento de 13,5 milhões de euros.


Para o seu fundador, mais do que uma nova empresa de promoção imobiliária a YARD properties pretende afirmar-se no mercado como uma marca forte associada a solidez e confiança, “atributos tão importantes neste sector”, sublinha, bem como à responsabilidade ambiental e social e à inovação. Na base de todas estes pilares estruturais estão as pessoas, proporcionando aos seus clientes “casas que satisfaçam os seus anseios de segurança, estabilidade e felicidade”. “Pretendemos desenvolver projectos imobiliários inovadores, pensados para as pessoas e que enquadrem todas estas vertentes constitutivas da YARD Properties”, sublinha David Rabbi.

O empresário sublinha que nestes últimos 40 anos não se assistiram em Portugal a saltos qualitativos em termos de processos construtivos e de materiais. Mas, agora estamos a assistir a uma verdadeira ‘revolução na construção’. A YARD Properties “quer associar-se a este movimento renovador”, subscreve.

“355 Outubro” com vendas a bom ritmo

O primeiro empreendimento da YARD Properties, no nº 355 da Avenida 05 de Outubro, na capital, tem já a estrutura concluída e a sua construção, a cargo da empresa Alves Ribeiro, deverá estar concluída em Fevereiro de 2023. O imóvel disponibiliza 18 luxuosos apartamentos, com 2 e 3 quartos, bem como um apartamento duplex de 5 quartos na cobertura do edifício. David Rabbi acredita que eles estarão totalmente vendidos por altura da conclusão das obras, dado o bom ritmo de vendas e pela procura a que tem assistido. Os compradores das frações vendidas são tanto estrangeiros, de diversas nacionalidades, como portugueses.

Para além do “355 Outubro”, a YARD Properties tem dois novos projectos residenciais em avaliação cujo montante global de investimento ascenderá a 71 milhões de euros. A sua divulgação acontecerá em breve.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Iberis entra no capital da Carmo Wood

A gestora de fundos de private equity e venture capital, Iberis Capital, passou a deter, em conjunto com um co-investidor, 20% do capital da empresa. Objectivo passa por reforçar investimento em novas aquisições e na internacionalização da empresa

A gestora de fundos de private equity e venture capital, Iberis Capital, passou a deter, em conjunto com um co-investidor, 20% do capital da empresa Carmo Wood, especialista europeia no segmento das madeiras tratadas.

Fundada pela família Milne e Carmo que mantém o controlo maioritário da companhia, com 80% do capital, a Carmo Wood entra agora num novo estágio de expansão, focado no investimento de novas aquisições que permitam acelerar o crescimento sustentado da empresa.

A nova estrutura accionista da Carmo Wood pretende também dinamizar o estágio de crescimento da empresa através do reforço da actividade internacional e da diversificação dos canais de distribuição. Com exportações para 40 países, a facturação da Carmo Wood deverá atingir os cem milhões de euros em 2022, o que representa um crescimento homólogo de 15%.

Com esta operação, a Carmo Wood reforça ainda a aposta em I&D, com um investimento adicional de quatro milhões de euros, alavancado no Fundo Bluetech, gerido pela Iberis Capital. As competências da Iberis Capital nos domínios de I&D foram reconhecidos pela Agência Nacional da Inovação, factor determinante para a concretização da operação.

A entrada dos novos sócios no capital da Carmo Wood, que emprega 400 colaboradores e tem quatro unidades fabris em Pegões, Almeirim e Oliveira de Frades, vai determinar a implementação de um novo sistema de Governance, desenhado de acordo com as melhores práticas e que alinha os acionistas, a gestão e os restantes stakeholders para o desenvolvimento futuro da Carmo Wood.

Para Luís Quaresma, sócio da Iberis Capital, “a Carmo Wood é a maior empresa europeia em soluções de exterior e de interior de madeira tratada. Em conjunto com os novos accionistas, pretendemos reforçar a sua posição de líder nos 40 mercados em que opera e conquistar novas geografias, um trabalho alavancado na estratégia da actual gestão”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Sani/Ikos Group celebra novo acordo de parceria estratégica com a GIC

A transacção valoriza o Sani/Ikos Group em 2,3 mil milhões de euros e deverá ser concluída no quarto trimestre de 2022. Especialista em resorts balneares de luxo no Mediterrâneo afirma que Portugal será um dos países de aposta para a expansão nos próximos anos, nomeadamente no Algarve

O Sani/Ikos Group (SIG), grupo especialista em resorts balneares de luxo no Mediterrâneo, e a GIC, empresa investidora institucional global, celebraram uma parceria estratégica na qual a GIC se vai tornar o principal accionista juntamente com a equipa de gestão do SIG. A transacção valoriza o Sani/Ikos Group em 2,3 mil milhões de euros e deverá ser concluída no quarto trimestre de 2022, sujeita à habitual aprovação regulamentar

Sob a liderança dos seus fundadores, Stavros Andreadis, Andreas Andreadis e Mathieu Guillemin, que continuam a ser accionistas significativos, o SIG cresceu do resort familiar Sani na Grécia para a operação de resorts de luxo liderada por proprietário que regista o crescimento mais rápido e maior sucesso no Mediterrâneo. Desde a sua criação em 2015, o SIG expandiu a sua base de activos e escalou por um factor de quatro com o apoio de investidores “blue-chip”, incluindo fundos geridos pela Oaktree Capital Management L.P., fundos geridos pela Goldman Sachs Asset Management, Moonstone, Florac e Hermes GPE, que venderão as suas participações à GIC como parte desta transacção.

Andreas Andreadis e Mathieu Guillemin vão continuar a gerir o SIG como CEOs e Co-Managing Partners, enquanto Stavros Andreadis se tornará presidente honorário do Grupo.

A força do negócio do SIG tem sido evidenciada pelo seu crescimento e resiliência, inclusive durante a Covid. Em 2022, as reservas nos resorts do SIG subiram 52% em comparação com 2021 e 57% em comparação com 2019. Tanto os conceitos Sani como Ikos estão a proporcionar uma satisfação excecional aos hóspedes em excelentes propriedades de resorts balneares. A Ikos combinou com sucesso, e de uma forma inovadora, o verdadeiro luxo com o poder do tudo incluído (all-inclusive), tal como ilustrado pelo ranking global #1 alcançado na categoria TripAdvisor’s Traveler’s Choice Best All-Inclusive durante cinco anos consecutivos até 2022.

A nova parceria com a GIC irá reforçar ainda mais os recursos à disposição do Grupo para concretizar o seu plano de investimento a cinco anos de mais de 900 milhões de euros, contribuindo para o apoio às economias locais e para a criação de novos empregos no Mediterrâneo. Neste contexto, Portugal assume-se como um dos países prioritários para a expansão do Grupo, tendo sido já anunciado os planos para abertura de um resort no Algarve entre 2023 e 2025. O Grupo assegurou quatro projectos adicionais (1578 quartos, suites e moradias) para a expansão da marca Ikos na Grécia (Corfu & Creta), Espanha (Mallorca) e Portugal (Algarve), e pretende continuar a desenvolver as marcas Sani Resort e Ikos Resorts na Grécia e no estrangeiro.

O SIG também ganhou reconhecimento entre a indústria pelo seu contínuo compromisso com a responsabilidade social e o futuro de turismo sustentável. O programa Sani Green, lançado em 2008, e Ikos Green, que começou no início da marca, desenvolveram-se ao longo dos anos num programa ESG integrado e galardoado que se concentra na obtenção de resultados ambientais, sociais e económicos positivos.

Morgan Stanley actuou como consultor financeiro e Kirkland & Ellis LLP atuou como consultor jurídico do Grupo Sani/Ikos nesta transacção.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Schindler Ahead Conecta: A tecnologia revolucionária para resolução remota de avarias em transporte vertical

A Schindler continua a desenvolver tecnologias inovadoras, neste caso, um sistema para resolução remota de avarias em transporte vertical, Schindler Ahead Conecta.

Esta tecnologia revolucionária, que reforça o posicionamento da empresa na vanguarda da indústria de transporte vertical, proporciona um maior conforto e bem-estar aos seus Clientes. Neste caso, Schindler Ahead Conecta é um novo sistema de resolução de avarias à distância, eficiente, rápido e que permite poupar tempo a solucionar as mesmas.

Este sistema baseia-se na monitorização contínua dos equipamentos (todos os que possuem a tecnologia Cube e manobras compatíveis) que enviam informação contínua para o Technical Operation Center (TOC). Desta forma, quando ocorre uma possível falha, o TOC realiza um diagnóstico personalizado que atribui uma ação específica. Em situações em que tal é possível e não há risco físico, é desencadeada uma resolução remota. Se a recuperação não alcançar o seu objetivo, será enviado um técnico que já terá toda a informação sobre o problema.

O inovador sistema Schindler Ahead Conecta consegue aumentar a eficiência do processo de resolução de avarias, reduzindo o tempo de inatividade do equipamento, os tempos de reparação e por vezes até evita a necessidade da deslocação de um técnico. Com este inovador sistema de serviço de avarias, não só revolucionámos a forma de resolver problemas de forma remota, segura e eficiente, como também melhoramos a experiência do Cliente ao proporcionar segurança e confiança, com um serviço rápido e eficaz que, com monitorização constante, nos permite conhecer o estado do equipamento”, refere Antonio Baldellou, Diretor de Instalações Existentes e Modernizações da Schindler Ibéria. Trata-se assim de um serviço integral em melhoria contínua, dado que cada reparação ou incidência num elevador da Schindler recolhe informação para as seguintes.

Para mais informações sobre esta solução, aceder a https://www.schindler.pt/pt/servicos/digitais/conecta

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Edição Digital

Os projectos em carteira da Room007, emprego na Construção, os planos de Coimbra para o Mosteiro de Santa Cruz em destaque no CONSTRUIR 467

Saiba onde a cadeia Room007 planeia executar os seus próximos investimentos, numa edição onde lhe contamos em que consiste o contrato da bysteel com o CERN e o que projectou a FOCUS GROUP em Loures. Mas há muito mais para ler nesta edição do CONSTRUIR

CONSTRUIR

Room007 com plano de investimento de 200Ma até final do ano
A operadora espanhola de hostels e hotéis boutique está a reforçar a sua operação em Espanha e Portugal e deverá entrar em Itália até ao final do ano. Lisboa e Porto concentram as atenções e o investimento da Room007 no País. Na capital, o primeiro hostel da marca ficará localizado no Cais do Sodré. No Porto, a operadora adquiriu um novo activo e novas aberturas estão já previstas

Coimbra: Mosteiro convertido em Centro de Artes
A proposta, promovida pelo município, procura instalar o novo Centro de Arte Contemporânea no Mosteiro de Santa Cruz, valorizando património votado à degradação

Contrato com o CERN impulsiona Bysteel
O acordo assinado entre a empresa do Grupo dst e o CERN vai permitir reforçar a posição da empresa nos mercados externos. Carteira de encomendas ronda os 120M€

Vanguard e CUF assinam acordo para a Comporta
Memorando estabelece as linhas de abertura de uma clínica de proximidade no projecto “Terras da Comporta”. Acordo está avaliado em dois milhões de euros

Isolamento e Impermeabilização
Mesmo perante um cenário de dificuldades devido ao custo da energia e dos materiais, o mercado da construção mantém-se dinâmico e com um grande potencial pelas suas necessidades de melhoria. Iniciativas sucedem-se

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do CONSTRUIR. Pode comprar apenas esta edição ou efectuar uma assinatura do CONSTRUIR aqui obtendo o acesso imediato

Para mais informações contacte: Graça Dias | [email protected] | 215 825 436

Nota: Se já é subscritor do CONSTRUIR entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção PLUS – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler

ACEDA AQUI À VERSÃO DIGITAL DA EDIÇÃO IMPRESSA DO CONSTRUIR 467

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Mais de 10M€ foi quanto custaram duas penthouses do Promenade

As duas penthouses integram empreendimento desenvolvido pela promotora imobiliária AM|48 e foram vendidas a investidores estrangeiros. O empreendimento está concluído mas aguarda ainda a emissão da licença de utilização para entregar as casas

CONSTRUIR

O valor comercial dos dois imóveis supera os 10 milhões de euros, tendo as penthouses sido vendidas a investidores estrangeiros, que representam cerca de 80% dos compradores do Promenade, recentemente concluído na Avenida 24 de Julho.

No interior dos apartamentos de luxo, com uma área de 670 m2 e de 970 m2, respectivamente, as janelas amplas permitem usufruir da luminosidade da cidade de Lisboa e da vista panorâmica para a frente ribeirinha, onde a qualidade de vida surge naturalmente da proximidade com o Tejo.

Nas penthouses todos os detalhes e características reflectem requinte e exclusividade. Reúnem acabamentos e equipamentos de elevada qualidade que permitem uma experiência de conforto e modernidade, entre eles, o acesso directo e exclusivo à cobertura do edifício onde se encontra o terraço particular com piscina, os mármores e cozinhas Gaggenau, os pisos aquecidos, o sistema de domótica que torna estas casas inteligentes. Todos os quartos são suites e alguns incluem closet. A penthouse maior é composta por seis suites, mais uma pensada para servir o staff, sala de estar e jantar com cerca de 90m2 e o um terraço na cobertura com piscina exclusiva com cerca de 355m2.

Privilegiando o conceito de privacidade, estes apartamentos contam com a existência de boxes de estacionamento até seis carros, que, através de um elevador privado, permitem acesso directo desde a box até ao interior de cada uma das unidades. Para além dos lugares de parqueamento, este espaço dispõe de uma copa totalmente equipada, casa de banho e carregador de veículos eléctricos tornando-se o espaço ideal para algum conceito diferente: uma sala de estar, um salão de jogos ou outra qualquer utilização que se adapte à dinâmica familiar.

No total dos cinco pisos habitacionais o Promenade dispõe de 36 apartamentos e quatro penthouses, de tipologia T1 a T6. O empreendimento possui ainda um exclusivo SPA com ginásio e piscina interior, idealizado num estilo de arquitectura contemporânea.

Com o empreendimento concluído, apenas se aguarda a emissão da licença de utilização, requerida há mais de um ano, para que as casas possam ser entregues aos seus compradores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública

A alienação dos cinco lotes municipais, todos na freguesia do Lumiar, foi proposta pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP), que tem o pelouro da Gestão Patrimonial, que sugeriu o lançamento de uma hasta pública para a venda destes terrenos para construção de habitação

CONSTRUIR

A Câmara de Lisboa aprovou a venda de dois lotes municipais para a construção de habitação e chumbou a alienação de outros três terrenos para a mesma finalidade, com um valor base total de 19,84 milhões de euros.

A alienação dos cinco lotes municipais, todos na freguesia do Lumiar, foi proposta pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP), que tem o pelouro da Gestão Patrimonial, que sugeriu o lançamento de uma hasta pública para a venda destes terrenos para construção de habitação, indicando que, no conjunto, os imóveis têm um valor base total de licitação de 20,915 milhões de euros.

A proposta já tinha sido discutida na semana passada, mas a votação foi adiada, após reparos da oposição sobre os contornos da venda de terrenos municipais, tendo sido realizada esta quinta-feira em reunião privada.

A venda de dois lotes municipais na Quinta dos Alcoutins, o lote 26 com uma área de 1.063 metros quadrados (m2) pelo valor base de 515 mil euros e o lote 27 com 1.150 m2 por 560 mil euros, foi aprovada com a abstenção do PS, os votos a favor da liderança PSD/CDS-PP (que governa sem maioria absoluta) e os votos contra dos restantes vereadores da oposição, nomeadamente PCP, BE, Livre e independente do Cidadãos por Lisboa (eleito pela coligação PS/Livre).

Com os votos contra de todos os vereadores da oposição à liderança PSD/CDS-PP foi chumbada a alienação dos outros três terrenos, com um valor base total de 19,84 milhões de euros, designadamente dois lotes na Rua Professor Manuel Viegas, na urbanização do Paço do Lumiar, o lote B com 1.920 m2 por 6,2 milhões de euros e o lote C com 3.906 m2 por 12,2 milhões, e um na malha 6 da Alta de Lisboa com 906,37 m2 por 1,44 milhões.

Em declarações à agência Lusa, o vice-presidente da CML acusou a oposição de “bloquear a atividade da câmara”, lembrando que o orçamento municipal para este ano, que foi viabilizado com a abstenção do PS, prevê “realizar receitas em venda de património de 100 milhões euros”.

Filipe Anacoreta Correia criticou a vereação socialista por considerar que o voto contra a venda dos três lotes “manifesta contradição com aquilo que propôs no passado”, referindo que “o PS realizou em receitas de venda de património 850 milhões de euros, nos últimos 10 anos, uma média de 85 milhões euros por ano”.

Segundo o vice-presidente, o anterior executivo socialista tentou vender dois destes lotes municipais, que ainda hoje têm uma placa a dizer “vende-se”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

BERD recebe prémio especial European Steel Bridge Awards

O projecto que compreendeu a construção de 145 pontes modulares para o ministério dos Transportes do Perú, valeu à empresa portuguesa de engenharia de pontes a distinção internacional na EECS European Steel Bridge Awards 2022

CONSTRUIR

O projecto português que ajudou a recuperar a destruição do “El Ninõ” no Peru, aliando inovação à engenharia de pontes, venceu o prémio especial internacional de uma das mais importantes instituições na área das estruturas e engenharia de pontes, a EECS European Steel Bridge Awards 2022. A atribuição do prémio já tinha sido anunciada em Julho, tendo a empresa portuguesa sido a escolhida entre os 23 projectos europeus a concurso. A cerimónia foi realizada, esta semana, em Istambul, no âmbito da 10ª edição do International Symposium for Steel Bridges for a Green Planet.

“Este prémio especial da EECS representa para a BERD o reconhecimento da actividade que temos desenvolvido, bem como do investimento em I&D. A inovação está no ADN da Berd. A aposta em I&D está na génese da empresa, dado que o negócio original da empresa está assente na exploração no mercado de uma patente sua. Ao longo destes 16 anos conseguimos afirmar-nos como uma marca premium a nível mundial, conquistamos a liderança a nível da Europa no segmento de cimbres autolançáveis e asseguramos a nossa posição, neste segmento, no TOP 2 mundial”, sustenta Pedro Pacheco, Ceo da BERD.

As pontes modulares da Berd no Peru foram destacadas por representarem uma grande evolução ao nível da engenharia, com uma poupança de 20% no consumo de aço face aos projectos convencionais, com uma redução da pegada de carbono, tendo sido emitida menos 3.240 toneladas de CO2 comparativamente à média dos projectos tradicionais, a par de uma grande evolução estética. O projecto potenciou ao Ministério dos Transportes e Comunicações Peruano uma redução de custos na ordem dos três milhões de euros.

A inovação é muito significativa nas pontes modulares da BERD, aportando valor ao conceito base criado por Donald Bailey na Segunda Guerra Mundial. Durante várias décadas este conceito foi mantido e utilizado com pequenas alterações por todos os construtores internacionais na área das pontes modulares.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.