Banco Mundial e Governo moçambicano destinam 119 M€ à construção de estradas nas zonas rurais

Por a 28 de Novembro de 2019

O Banco Mundial e o Governo moçambicano vão destinar 132 milhões de dólares (119 milhões de euros) adicionais para construção de estradas nas zonas rurais moçambicanas, com destaque para pontos afectados pelos ciclones Idai e Kenneth e naquela que é a segunda fase de um projecto mais alargado.

Trata-se do projecto integrado de desenvolvimento de estradas rurais, que vai dar prioridade a reabilitações nas províncias da Zambézia, Sofala, Manica, Tete, no centro, e Nampula e Cabo Delgado, no norte do país, disse o vice-ministro das Obras Públicas e Habitação, falando em Nampula durante a abertura da um comité directivo que debateu os projectos de reabilitação.

O projecto integrado de desenvolvimento de estradas rurais foi lançado no ano passado, quatro meses antes do ciclone Idai, com um orçamento de 185 milhões de dólares (168 milhões de euros), desembolsado próprio Governo e pelo Banco Mundial, e abrangeu 10 distritos das províncias de Nampula e Zambézia.

Nesta segunda fase, o projecto, cujo detalhes estão ainda por anunciar, é estendido para outras províncias, com destaque para aquelas que sofreram com o impacto dos ciclones no centro e norte de Moçambique.


“Na sequência dos ciclones, com o primeiro financiamento, foi possível desenvolver acções de reconstrução imediata das estradas destruídas”, disse o vice-ministro das Obras Públicas e Habitação, Vítor Taucale, citado pelo canal televisivo STV.

O ciclone Idai, que atingiu o centro de Moçambique em Março, destruiu infraestruturas e provocou 604 mortos, afectando cerca de 1,5 milhões de pessoas no centro do país, enquanto o ciclone Kenneth, que se abateu sobre o norte em Abril, matou 45 pessoas e afectou 250 mil.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *