Terreno na Av. Alfredo Bensaúde comprado por 38 M€

Por a 6 de Dezembro de 2019

DR: Estamo

Situado no limite norte do concelho de Lisboa, junto às urbanizações da Portela e Jardins do Cristo Rei, na envolvente do Parque das Nações, o lote de terreno da Avenida Alfredo Bensaúde é um dos últimos vazios urbanos da cidade.

Com uma área de 42 155 m2, o terreno tem um PIP em curso para uma área potencial acima do solo de 71 500 m2, cujo projecto, de Samuel Torres de Carvalho, contempla a criação de três lotes, destinados a habitação, comércio e serviços.

Os usos mistos, sem dúvida permitem conciliar, habitar, trabalhar, comprar e vender, tudo num só lugar”, destaca o arquitecto Torres de Carvalho na memória descritiva.

Com um preço de referência de 34,9 milhões de euros, o terreno acabou por ser foi adquirido por 38 milhões de euros, pela Guadamad 2 Development, sociedade veículo criada para a compra específica deste terreno, pela holding First Lusitanian, resultante da joint venture entre a Acciona e a Clever Red.

PIP em aprovação

Além da possibilidade de dividir o terreno em três lotes e a utilização do espaço para diferentes usos, a proposta apresentada no PIP prevê ainda que cada lote tenha um edifício distinto, com estacionamento à superfície.

Além disso, o promotor deverá ainda construir um Parque Verde Urbano, com cerca de 21 mil m2, uma nova ligação pedonal sobre a Avenida Dr. Alfredo Bensaúde e uma nova rotunda junto dos Bombeiros no limite administrativo da Câmara Municipal de Loures.

A configuração do edifícios pressupõe um de maiores dimensões, com cerca de 30 pisos e sete em cave, que deverá destinar-se a habitação. Os restantes dois, que deverão contemplar serviços, comércio, uma unidade de saúde e uma biblioteca, não vão além dos cinco pisos e dois pisos, respectivamente. Em qualquer um dos edifícios haverá lugar a estacionamento privado, num total de 790 lugares. Além disso estão ainda contemplados 354 lugares de estacionamento público.

 

A proposta

Elegeu-se a direcção na qual está construído o Bairro da Portela aquela que irá orientar, longitudinalmente, o principal edifício. Esta direcção coincide com a maior diagonal do quadrilátero que forma a área de intervenção.

É também junto desta Torre que deverá surgir um corredor verde vegetal, que visa estruturar a malha de massas arbórea na cidade e as interligue.

Deste modo, temos a Torre do Parque verde conjugada pelo embasamento do edifício que permite uma ligação directa à frente de rua da Avenida Dr. Alfredo Bensaúde, constituindo um espaço privilegiado e destinado ao uso preferencial comercial.

Finalmente, a espinha dorsal da circulação automóvel corresponde à ligação a poente, que confina com o edifício dos Serviços Cartográficos do Exército, ligando a Estrada da Circunvalação à Avenida Dr Alfredo Bensaúde. É ao longo desta via que está previsto a construção do edifício com 2 pisos. A eventual futura ligação ao lote confinante fica assim garantida e formalizada com um edifício de dimensões proporcionais ao referido edifício dos Serviços Cartográficos do Exército.

“A permeabilidade proporcionada pela implantação proposta, intensifica a relação de proximidade física que se pretende promover com o território a Norte, ou seja a Portela, com o território a sul. Transpor esta barreira, é também maximizar as relações visuais que permitam uma leitura mais alargada do território envolvente”, destaca ainda Torres de Carvalho.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *