Periferias de Lisboa têm a maior subida do País nos preços das casas

Por a 7 de Janeiro de 2020

DR

A Confidencial Imobiliário revela os resultados concelhios do Índice de Preços Residenciais (IPR) para o 3º trimestre de 2019. Este indicador acompanha a evolução dos preços de venda das casas em Portugal Continental, monitorizando 278 concelhos além de apurar os resultados nacionais agregados.

Os dados mais recentes mostram que os mercados periféricos de Lisboa são os que mais estão a valorizar em todo o País, concentrando 15 dos 21 concelhos nacionais onde a subida homóloga dos preços das casas no 3º trimestre de 2019 é superior a 15%.

Montijo, Barreiro e Alcochete, na margem Sul do Tejo, e Mafra, a norte de Lisboa, são os quatro mercados com o maior crescimento homólogo dos preços em Portugal no 3º trimestre de 2019, todos com variações no patamar de 25%.

Tal valorização mais que duplica os 9,7% registados em Lisboa, que desde início de 2018 tem vindo a desacelerar, estabilizando agora no patamar de 9%. Com fortes subidas de preços estão agora também os mercados metropolitanos de Almada, Sesimbra, Amadora, Moita, Seixal, Sintra e Setúbal, por esta ordem com variações homólogas de 24,9% a 20,0%. Com uma subida acima dos 15% incluem-se ainda Oeiras, Odivelas, Vila Franca de Xira e Palmela, mercados onde a valorização homóloga no trimestre se situou entre os 17,7% e os 15,9%.

Na Área Metropolitana de Lisboa, apenas a capital, Cascais e Loures apresentam subidas de preços abaixo desse patamar, este último mercado sendo o único que não supera o ritmo de Lisboa, com uma variação de 6,7%. Em Cascais a subida ficou em 11,1%.

De referir ainda que os restantes seis concelhos nacionais em que a valorização está acima dos 15% se localizam na Área Metropolitana do Porto. A cidade Invicta mantém uma forte subida de 23,8%, mas apresenta já uma desaceleração de mais de 9 pontos percentuais face aos 32,9% a que os preços cresciam no final de 2018.

Matosinhos, com uma variação de 25%, é agora o concelho da região do Porto com maior subida de preços, mas destacam-se também Vila do Conde, Póvoa de Varzim e Espinho, todos com variações entre 21,9% e 18,7%, além de Valongo, onde a subida ficou em 15,3%. Nos restantes mercados metropolitanos monitorizados pelo IPR, Gondomar registou uma subida dos preços de 14,3%, seguido de Gaia (11,4%) e Maia (10,6%).


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *