Amorim Isolamentos vê ‘Casa de Cortiça’ premiada

Por a 10 de Janeiro de 2020

DR

Finalista do prestigiado Stirling Prize 2019, o maior prémio de arquitectura britânico, e vencedora do prémio Stephen Lawrence 2019 do RIBA, atribuído em dezembro último, o projecto Cork House (Casa de Cortiça) foi construído com aglomerado de cortiça expandida da Amorim Isolamentos.

Construída em Berkshire, no Reino Unido, a Cork House tem como objectivo fornecer uma solução inovadora para as complexidades inerentes à construção de casas modernas e foi construída quase inteiramente a partir de um único material natural sustentável e renovável: a cortiça.

Da autoria de Matthew Barnett Howland, Dido Miln  e Oliver Wilton, da Bartlett School of Architecture, a casa é realizada com recurso a paredes monolíticas e tectos apoiados em mísulas, feitos de cortiça sólida e resistente. Concebida como um kit, os seus componentes são pré fabricados fora do local de construção e montados à mão, no local, sem recurso a argamassa ou cola. Deste modo, os 1268 blocos de aglomerado de cortiça expandida que a compõem podem ser reutilizados, reciclados ou devolvidos à biosfera no fim de vida do edifício.


A Cork House utiliza uma versão actualizada de um sistema de construção inovador desenvolvido, desenhado e testado em conjunto pela MPH Architects, The Bartlett School of Architecture, University of Bath, Corticeira Amorim e Ty-Mawr e teve como subempreiteiros a Arup e a BR. A pesquisa foi parcialmente financiada pelo Innovate UK e EPSRC, no âmbito do concurso 2015 Building Whole Life Performance. O processo de I&D incluiu sofisticados testes laboratoriais para avaliar a performance estrutural e penetração de chuva e fogo, com dois protótipos realizados para testar a performance real do sistema de construção.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *