REVIVE: Lançado concurso para concessão do Forte da Barra de Aveiro

Por a 30 de Janeiro de 2020

Foi lançado esta quinta-feira, dia 30 de Janeiro, o concurso público ao abrigo do Programa REVIVE para a concessão do Forte da Barra de Aveiro, em Ílhavo, cujo prazo para apresentação de propostas é de 90 dias.

O Forte será concessionado durante 50 anos para exploração com fins turísticos (estabelecimento hoteleiro, como cerca de 50 quartos, alojamento local ou outro projecto de vocação turística), com a renda mínima anual de 6.444 euros.

O Forte da Barra de Aveiro é uma fortificação do tipo abaluartado, edificada no século XVII, no período pós restauração. Fez parte de um conjunto de fortalezas joaninas, construídas no mesmo período, para reforçar as fronteiras do reino.


Em meados do século XIX a fortaleza perdeu importância defensiva e estratégica, sendo desactivada das suas funções militares. Ainda serviu de local de orientação para entrada de barcos na Barra de Aveiro, mas perdeu essa função com a construção do farol da Barra.

O imóvel, classificado como Imóvel de Interesse Público, tem uma localização privilegiada, sobre a foz do rio Vouga, em pleno Porto de Aveiro, na ilha da Mó de Baixo, e  uma área de 3.709 m2.

Este é um dos 33 imóveis inscritos na primeira fase do Revive, um programa conjunto dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças com a colaboração das autarquias locais e coordenação do Turismo de Portugal.

Em 2019 foi lançada a segunda edição do Revive, com a integração de 16 novos imóveis. O programa integra actualmente um total de 49 imóveis, dos quais 21 se localizam em territórios do interior.

Este será o 21.º imóvel com concurso lançado no âmbito do Revive.  Actualmente, está aberto o concurso para a concessão do Palacete dos Condes Dias Garcia, em São João da Madeira, e o concurso da Quinta do Paço de Valverde, em Évora.

Presente na cerimónia, Rita Marque, secretária de Estado do Turismo, referiu que “o Forte da Barra de Aveiro é um imóvel com uma localização extraordinária”. “Dar uma nova vida a este local através do Programa Revive é criar um importante foco de atracção de turistas na região e contribuir para a consolidação da Costa Nova como destino turístico”, acrescentou.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *