Licenciamento é o principal obstáculo ao aumento da oferta

Por a 18 de Fevereiro de 2020

Empreendimento Rua Serpa Pinto 475

Os mais recentes resultados do Portuguese Property Investment Survey mostram que o licenciamento e os custos de construção são apontados como os principais obstáculos à actividade de promoção imobiliária, ainda que predomine um sentimento de incerteza entre os promotores quanto à evolução futura dos preços e da procura residencial.
No inquérito referente ao 1º trimestre de 2020, o processo de licenciamento é considerado como o tema mais preocupante enquanto factor inibidor da actividade de promoção, atingindo um índice de pressão de 95%. Seguem-se os custos de construção (que atingem um índice de 84%)

Quanto à evolução dos preços e vendas para os próximos três meses, não há um claro consenso entre os promotores. No que se refere aos preços, 72% dos promotores antecipa uma estabilização, mas os outros 28% dividem-se entre perspectivas de evolução positiva e negativa, gerando, assim, um saldo líquido de respostas nulo, ou seja, abaixo dos +3 pontos observados no inquérito anterior. Quanto às vendas, parece haver menor apreensão, com o indicador de sentimento a melhorar de -24 pontos para -8 pontos neste inquérito, embora mantendo-se em terreno negativo.

Ainda assim, as preocupações relativas aos constrangimentos da actividade e a incerteza quanto à evolução dos preços e da procura parecem não estar a afectar as intenções de investimento, com 79% dos inquiridos a confirmar intenção de lançar novos projectos e 55% a indicar estar activamente à procura de terrenos para novas promoções. No inquérito anterior esses indicadores eram de, respectivamente, 75% e 54%.


Para Hugo Santos Ferreira, vice-presidente executivo da Associação Portuguesa dos Promotores e Investidores Imobiliários (APPII), “de acordo com esses resultados, apesar dos investidores terem uma perspectiva positiva quanto a 2020, manifestam preocupação com as crescentes dificuldades no licenciamento e enquadramento legislativo. Tais dificuldades vêm prejudicar o objectivo de aumento da oferta no mercado, em particular habitacional, vindo agravar a pressão já sentida em resultado da redução da procura decorrente das recentes alterações legislativas”.

O Portuguese Investment Property Survey é um inquérito realizado pela Confidencial Imobiliário junto de um painel dos mais representativos promotores e investidores imobiliários, em associação com a APPII.


Um comentário

  1. Miguel Portela

    20 de Fevereiro de 2020 at 10:44

    Obstáculos?

    É a lei. E ainda bem.

    Os contrutores estavam habituados a vereadores e departamentos de planeamento permeáveis… Entre constantes omissões de alterações de lotes habitacionais para lotes hoteleiros, informações essas que deviam ser obrigadas a ser transmitidas (são colocados em pasquins de pouca tiragem), não faltam aldrabices e outros esquemas.

    Se não fosse a lei, os cidadãos mais atentos, esta corja especuladora construía prédios de 30 andares em zonas históricas.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *