Aldeia Social de Borba procura investidores para produzir energia solar

Por a 6 de Março de 2020


A Aldeia Social da Santa Casa da Misericórdia de Borba, no Alentejo, procura investidores para instalar três centrais fotovoltaicas para auto consumo do seu lar de idosos. Até dia 5 de Abril qualquer pessoa pode investir neste projecto, a partir dos 20€, e ainda receber os juros do investimento através da GoParity, a plataforma portuguesa de crowdlending.

A Santa Casa da Misericórdia de Borba (SCM) recorreu à GoParity, a plataforma de investimento em projectos sustentáveis, para financiar três centrais foto-voltaicas. Estas terão a capacidade de produzir de 178,6 MWh/ano de energia 100% renovável, para auto consumo de até 90% das necessidades eléctricas do edifício.

O projecto “Solar Social Village” está disponível na plataforma até dia 5 de Abril para quem quiser investir. Quem investir nos primeiros sete dias receberá um bónus de 0,25% sobre o montante investido (além da taxa de juro do projecto).

Este empreendimento de acção social da SCM vê a energia verde como uma alternativa muito mais justa para o ambiente: “A SCM pretende, uma vez mais, demonstrar a sua responsabilidade social e contribuir positivamente para a diminuição das emissões de CO2 da sua catividade. Ao mesmo tempo, obter um claro benefício económico com a auto-produção de parte do consumo eléctrico.” refere Nuno Giraldo Torres, CEO da SOLVasto, a empresa responsável pelo projecto e parceira da SCM. Durante toda a sua vida útil, o “Solar Social Village” vai permitir que seja evitada a emissão de 1.200 toneladas de CO2 o que corresponde ao CO2 capturado por uma floresta com 2.182 árvores, equivalente a uma área de cerca de 2,5 ha.

Para a instalação do painel fotovoltaico, a SCM precisa de angariar 86.460 mil euros. Os investidores podem começar a investir nos 20 euros e têm um retorno de 3,75% TANB, a cinco anos, que começa a ser pago mensalmente após um período de carência de três meses, após a campanha terminar.

Projectos como este têm um elevado potencial de retorno, segundo Nuno Brito Jorge, CEO da GoParity: “A energia solar para auto consumo é cada vez mais um investimento rentável e fiável em qualquer parte do mundo. Para além do mais, este projecto é no Alentejo, uma das zonas com maior radiação de Portugal, o que o torna ainda mais óbvio: um investimento altamente rentável e que vai continuar a ser com os ganhos de eficiência dos painéis”, afirmou.
Qualquer pessoa, desde que maior de idade, pode inscrever-se como investidor na GoParity e investir nos projectos disponibilizados na plataforma.

A 1ª plataforma portuguesa para investimentos de impacto

A GoParity é a primeira plataforma portuguesa de acesso a investimento de impacto, com base num dos 17 Objectivos para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Junta projectos de impacto social e ambiental, à procura de financiamento, a pessoas que queiram investir em negócios que promovam a sustentabilidade. Desde o seu início, já foram investidos projectos em áreas muito diversificadas, desde o fotovoltaico ao turismo sustentável, da mobilidade eléctrica à moda sustentável, e das comunidades de talento rurais à indústria do mar.

Esta Fintech, ou Impactech, está sediada na Casa do Impacto, em Lisboa, e tem como missão democratizar e desburocratizar o acesso destes projectos ao financiamento, bem como o acesso da sociedade civil a um investimento alternativo, permitindo carteiras a partir dos 20 euros.

Em dois anos de actividade já gerou quase 1,850 milhões de euros para 35 projectos submetidos, de cerca de 5.500 investidores inscritos, com retorno na ordem dos 4-6% ao ano, o que representa já mais de 400 mil euros pagos a investidores e oito toneladas de dióxido de carbono evitado. O seu objectivo é criar um Banco Verde.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *