Rendas fecharam 2019 com subida de 7,8%, a menor em dois anos

Por a 17 de Abril de 2020

As rendas residenciais em Portugal (Continental) aumentaram 7,8% no 4º trimestre de 2019 quando comparadas com o mesmo trimestre de 2018, mostra o Índice de Rendas Residenciais (IRR) da Confidencial Imobiliário. Trata-se da menor subida homóloga dos últimos dois anos, sendo necessário recuar ao 1º trimestre de 2017 para encontrar uma variação inferior (5,3%). Em termos trimestrais, contudo, as rendas voltaram a acelerar, com a variação de 2,2% obtida no 4º trimestre a comparar com a de 0,2% observada no trimestre anterior.

O comportamento homólogo confirma a tendência de abrandamento nas subidas das rendas iniciada no 2º trimestre de 2018, altura em que se atingiu uma variação homóloga de 13%. Esta perda de fôlego tem sido consistente, embora pouco abrupta, já que só na segunda metade de 2019 as variações ficaram abaixo dos 10%.

No Porto as rendas também moderaram o crescimento homólogo, o qual se situou em níveis próximos da média nacional atingindo 8,2% no trimestre em análise. Semelhante ao quadro nacional, esta foi igualmente a menor subida em dois anos. O mercado do Porto verificou uma clara desaceleração durante todo o ano passado, com a variação homóloga obtida no final de 2019 a ficar 10,7 pontos percentuais abaixo do crescimento de 18,9% registado um ano antes. Em termos trimestrais, pelo contrário, verificou-se um percurso de aceleração ao longo de 2019, com o ano a encerrar com uma variação em cadeia de 3,1%.

Em Lisboa, a mudança de padrão é bastante mais assinável, com as rendas a subirem apenas 1,4% em termos homólogos no 4º trimestre. Apesar de manter as rendas em crescimento, trata-se de uma variação relativamente residual e que iguala o ritmo registado por este mercado em 2014, quando se davam os primeiros passos na recuperação após um período de perdas acumuladas de 18,4% (face a 2010). Tal abrandamento foi ainda mais expressivo se considerarmos que as rendas em Lisboa chegaram a crescer 21,9% no início de 2017 e que nesse ano e seguinte aumentaram quase sempre acima dos 17%. No comportamento em cadeia, pelo contrário, Lisboa recuperou, com a variação trimestral de 1,8% obtida no 4º trimestre a comparar com a de -1,4% obtida no trimestre prévio. Esta tinha sido a primeira descida do IRR para Lisboa em 3 anos.

PUB

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *