Web Conferência Construir: “As crises também abrem novas oportunidades”

Por a 7 de Maio de 2020


Pese embora as incertezas e a retracção forçada na economia e no sector imobiliário, em particular, os investidores e os promotores  continuam a trabalhar e a dar continuidade aos projectos que têm em carteira, mas é também é uma oportunidade para olhar para novos negócios, fruto de uma adaptação natural ao mercado a uma situação de pós-pandemia.
“As crises também trazem momentos de reflexão, são transformadoras da sociedade, criam novas oportunidades, ajudam a relembrar as regras fundamentais de uma boa gestão, como ter projectos em diferentes áreas e em diferentes ciclos de desenvolvimento”, afirmou José Luís Pinto Basto, CEO do The Edge Group, um dos convidados da primeira Web Conferência, realizada pelo jornal CONSTRUIR, que teve lugar esta terça-feira. dia 5 de Maio  e que pode ser visualizada na pagina do facebook.

Habituados a investir em contra ciclo, José Luís Pinto Basto avança que o Grupo se encontra a “olhar activamente para o mercado”.  A ideia, confirma, passa por se tornarem “parceiros em novos projectos cujas estruturas estejam com o capital desequilibrado, eventualmente com excesso de financiamento, e que irão necessitar de se recapitalizar para fazer face a eventuais atrasos nos projectos “.

O mercado do escritórios é um dos sectores onde José Luís Pinto Basto acredita que possa haver “uma maior concentração de activos”. Com a experiência do Grupo  neste sector, o The Edge Group encontra-se preparado para investir capital em projectos de alguns “players mais isolados que necessitem de se integrar numa estrutura maior”.

Com vários anos de experiência ao nível da promoção de escritórios e  na gestão de private offices e coworking, José Luís Pinto Basto considera que será necessário reavaliar os produtos que se encontram em carteira já que os escritórios irão passar por transformações, nomeadamente um maior espaçamento nos espaços de trabalho e utilização alternada entre escritórios e teletrabalho.

Quanto ao projecto de Carnaxide, o Cinco District, desenvolvido em parceria com a Ceetrus,  as  obras deverão começar ainda este ano. “Estamos neste momento numa pausa com os financiadores para analisar toda a situação mas acreditamos que a partir de Setembro ou Outubro temos condições de começar a construir”, confirmou José Luís Pinto Basto.

O Cinco District tem um total de 38 mil m2 de construção, sendo que 33 mil são de escritórios e os restantes 5 mil m2 correspondem ao hotel  Marriot.

A Web Conferência Construir “O Futuro (imediato) do Investimento” contou, ainda, com a presença de José Cardoso Botelho (Vanguard Properties), Pedro Vicente (Habitat Invest), José Gil Duarte (Essentia), Paulo Silva (Savills Portugal)  e Gonçalo Rebelo de Almeida (Grupo Vila Galé).


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *