Corticeira Amorim: aposta WISE fez crescer Revestimentos

Por a 18 de Maio de 2020

As vendas do primeiro trimestre atingiram os 203,7 milhões de euros, mais 0,7% face ao obtido no mesmo trimestre de 2019. De salientar que o trimestre homólogo foi o mais elevado em termos de crescimento de vendas de 2019 (+9,2%), condicionando o comparativo para o primeiro trimestre de 2020. O início do ano também foi afectado pelos sinais de abrandamento prévios à Covid-19 resultantes da guerra comercial entre os EUA e a China e também pela aplicação de tarifas de 25% impostas pelos EUA à importação de vinhos europeus com menos de 14% álcool.

Por Unidades de Negócio (UN), o crescimento das vendas da UN Rolhas foi de +1,0%, sendo a UN que tem o maior peso no total das vendas da Corticeira Amorim. A UN Revestimentos consegui inverter a tendência de diminuição das vendas nos trimestres anteriores, terminando o trimestre com um crescimento do volume de negócios de 11,0%. A UN Rolhas registou vendas de 144,8 milhões de euros +1,0% face ao período homólogo). As vendas da UN Revestimentos atingiram os 31,5 milhões de euros, +11,0% face ao período homólogo. As vendas do WISE foram o principal factor que justifica o crescimento de vendas desta unidade de negócios. De salientar o crescimento de vendas na Escandinávia, Alemanha e América do Norte. As UN Matérias-Primas (-7,7%), Aglomerados Compósitos (-6,7%) e Isolamentos (-12,4%) diminuíram as suas vendas face ao período homólogo.

O EBITDA consolidado aumentou 2,8% relativamente ao registado no trimestre homólogo. Essa evolução reflecte os aumentos de preços de venda e os ganhos de eficiência operacional nas várias unidades de negócio, que compensam o efeito negativo do aumento do preço de consumo das matérias-primas. De salientar também que a UN Revestimentos apresenta EBITDA positivo, dando sinais que as acções implementadas para inverter performance negativa começam a surtir efeito. Para esta evolução contribuiu a margem gerada pelo crescimento das vendas, o esforço de racionalização e optimização em termos de estrutura administrativa industrial logística e comercial e, também, não se ter repetido, neste trimestre, o registo de gastos inerentes ao lançamento do produto WISE (que afectaram o período homólogo de 2019). O rácio EBITDA/Vendas aumentou para 17,6% (1T19:17,2%).

O EBITDA da UN Aglomerados Compósitos atingiu 2,1 milhões de euros, -36,2% face ao período homólogo, e o rácio EBITDA/Vendas diminuiu para 8,3% (12,2% no período homólogo). A redução das vendas e um mix de produtos menos favorável foram os principais motivos para a deterioração do EBITDA.

A UN Isolamentos reverteu as perdas registadas no período homólogo, tendo terminado o trimestre com um EBITDA de 0,2 ficou nos 5,2% (1T19:-1,4%), reflectindo a esperada inversão da tendência de consumo de cortiça a preços mais elevados.

Impacto da pandemia causada pelo novo Corona Vírus

O grupo implementou um plano de contingência nas unidades industriais e na rede de distribuição, que inclui um conjunto de medidas de largo espectro fundamentais para assegurar o bem-estar permanente dos todos os funcionários, a laboração das diversas unidades industriais em segurança e a continuidade dos negócios: em Portugal (3200 colaboradores, dos quais 120 ficaram retidos na cerca sanitária de Ovar, durante quatro semanas) e no exterior (1200 colaboradores) que mantiveram o seu normal desempenho e contributo acompanhando aos clientes, ao longo deste tempo de confinamento.

Do conjunto de medidas deste plano de contingência salienta-se a implementação de salas de isolamento, quarentena a colaboradores regressados de zonas de risco e a quem tivesse tido contado de primeiro nível com doente com infecção confirmada, restrições no acesso às instalações, redefinição de espaços de refeição e nas regras de socialização, reforço na higiene de trabalho, restrição nas deslocações em contexto de trabalho, activação de planos de continuidade de negócios e campanhas de comunicação.

Até final de março o grupo não tinha registado impacto material no volume de negócios e, apesar de actualmente se manter uma actividade industrial quase em pleno, as expectativas para Abril, Maio e Junho são de redução. A Corticeira Amorim considera ainda que o impacto dos efeitos directos e indirectos da Covid-19 é de difícil mensuração, estando largamente dependente da extensão da sua disseminação e dos seus efeitos sobre a economia global. Com uma carteira de quase 30 mil clientes em todo o globo, o risco está significativamente repartido.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *