Edição digital
Assine já
Imobiliário

Condomínio Conde de Lima vai unir duas ruas junto à Avenida da Liberdade

O projecto, com dois edifícios, vai unir as ruas Ferreira Lapa e Bernardo de Lima, transversais à avenida Duque de Loulé. JLL e Porta da Frente Christie’s comercializam

CONSTRUIR
Imobiliário

Condomínio Conde de Lima vai unir duas ruas junto à Avenida da Liberdade

O projecto, com dois edifícios, vai unir as ruas Ferreira Lapa e Bernardo de Lima, transversais à avenida Duque de Loulé. JLL e Porta da Frente Christie’s comercializam

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
A lista de nomeados dos Prémios CONSTRUIR 2022 em destaque na edição 470
Edição Digital
Cleanwatts lança academia de investigação
Empresas
Lagos vai ter dois novos hotéis Hilton
Construção
STET representa a Pronar em Portugal
Empresas
Grupel fornece geradores para World of Wine
Empresas
CeNTI lidera projecto internacional para acelerar a bioeconomia europeia
Construção
Almada: Arranca construção de primeiros fogos para habitação acessível
Construção
A Capital do Móvel está de regresso à Alfândega do Porto
Empresas
Grupo Velux encomenda à BayWa r.e. a construção de dois parques solares
Empresas
Habitação acima das expectativas com aumento de 1,3% dos preços e estabilização das vendas
Imobiliário


A zona central de Lisboa, junto à Avenida da Liberdade, contará com um novo condomínio residencial premium, o Conde de Lima, cujas vendas tiveram início este mês. A oferta totaliza 41 apartamentos entre as tipologias T0 a T4 e será comercializada em co-exclusivo pela JLL e pela Porta da Frente Christie’s.

Numa abordagem inovadora, o projecto vai unir as ruas Ferreira Lapa e Bernardo de Lima, transversais à avenida Duque de Loulé, através da junção delicada de dois edifícios naquela que é uma verdadeira ilha dentro da cidade. Além de compartilharem os mesmos valores arquitectónicos, os dois edifícios estarão ligados por um espaço privado ao ar livre, beneficiando ainda de uma área comum de relaxamento com piscina, sauna e fitness.

O edifício Lima reabilita uma fachada histórica marcante da rua Bernardo de Lima e incorpora 23 apartamentos de tipologias T1 a T4, integrando os mesmos valores de modernidade e discrição do edifício Lapa. De construção totalmente de raiz, este ergue-se na rua Ferreira Lapa e integra 18 apartamentos de tipologias T0 a T4.

Os apartamentos distinguem-se pelo design inovador, qualidade do espaço, o recurso a materiais nobres, a sofisticação das zonas de receção e a atenção máxima ao conforto, apostando numa gama muito completa de tipologias e áreas privadas que variam entre os 35 e os 270 m2.

“A simbiose bem conseguida entre dois edifícios, em ruas distintas, é um trunfo forte do projeto, além da sua localização a poucos passos da exclusiva Avenida da Liberdade. A excelente oferta de comércio e serviços, e a diversidade de tipologias, fazem deste projeto também uma excelente opção para quem quer investir em imobiliário residencial”, comenta Patrícia Barão, head of Residential da JLL.

Também Rafael Ascenso, director geral da Porta da Frente Christie’s, afirma que “o novo empreendimento Conde de Lima proporciona um estilo de vida cada vez mais procurado e valorizado: tranquilidade e bem-estar no centro da capital. As áreas exteriores privadas, bem como a zona de relaxamento com piscina, sauna e fitness fazem deste condomínio um produto de excelência e bastante atrativo tanto para o mercado nacional como internacional”.

A menos de 5 minutos a pé da Avenida da Liberdade, o condomínio Conde de Lima permite estar próximo da vida cosmopolita que o centro da cidade proporciona, com acesso a teatros, restaurantes, bares e às mais prestigiadas lojas. Simultaneamente integra-se numa zona onde ainda prevalece a vivência de bairro, estando rodeado de todas as valências necessárias para dar resposta às necessidades diárias, como comércio de conveniência, parques e praças, escolas e creches, hospitais, instalações desportivas e pontos de transporte público e compartilhado.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
A lista de nomeados dos Prémios CONSTRUIR 2022 em destaque na edição 470
Edição Digital
Cleanwatts lança academia de investigação
Empresas
Lagos vai ter dois novos hotéis Hilton
Construção
STET representa a Pronar em Portugal
Empresas
Grupel fornece geradores para World of Wine
Empresas
CeNTI lidera projecto internacional para acelerar a bioeconomia europeia
Construção
Almada: Arranca construção de primeiros fogos para habitação acessível
Construção
A Capital do Móvel está de regresso à Alfândega do Porto
Empresas
Grupo Velux encomenda à BayWa r.e. a construção de dois parques solares
Empresas
Habitação acima das expectativas com aumento de 1,3% dos preços e estabilização das vendas
Imobiliário
Edição Digital

A lista de nomeados dos Prémios CONSTRUIR 2022 em destaque na edição 470

A lista completa dos candidatos a melhor do ano na gala de Prémios CONSTRUIR 2022 numa edição que conta com suplemento dedicado à reabilitação. Mas há muito mais para ler nesta edição

Crescimento na Construção abranda
em 2023, segundo consultora

Crescimento global do sector deverá desacelerar de 6,1%, em 2021, para 3,6% em 2022 e
2023 devido aos efeitos da pandemia da COVID-19. Segundo um estudo da Deloitte, as maiores
empresas de construção do Mundo geraram receitas superiores a 1,819 biliões de dólares em 2021,
representando um aumento de 14,1%

A modularidade ou a inversão do processo
criativo da arquitectura

A construção modular ganha protagonismo no trabalho desenvolvido pelo
gabinete de arquitectura Summary, onde a forma e a função são não o fim, mas o princípio
de tudo. Paradinha, Creches de Lisboa ou o Centro Desportivo de Aveiro são três exemplos da
arquitectura despojada e pragmática deste atelier que ousou romper com o tradicional processo
criativo do arquitecto

Palbit está a desenvolver
ferramentas mais sustentáveis

Em conjunto com a universidade de Aveiro, a metalúrgica está a desenvolver um projecto tecnológico de I&D
que permite reduzir o impacto ambiental nos processos de maquinação, através do desenvolvimento
de ferramentas de metal duro com revestimento de diamante

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do CONSTRUIR. Pode comprar apenas esta edição ou efectuar uma assinatura do CONSTRUIR aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Graça Dias | [email protected] | 215 825 436

Nota: Se já é subscritor do CONSTRUIR entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção PLUS – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler

ACEDA AQUI À VERSÃO DIGITAL DA EDIÇÃO IMPRESSA DO SUPLEMENTO RECONSTRUIR

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Empresas

Cleanwatts lança academia de investigação

Através da Cleanwatts Academy candidatos europeus a mestrado e doutoramento podem realizar projectos de tese ou estágios sobre temas inovadores e disruptivos relacionados com a transição energética

CONSTRUIR

Com o objectivo de promover “a inovação no sector da energia e formar os novos líderes verdes do futuro”, a Cleanwatts lançou um novo programa de investigação. A Cleanwatts Academy oferecerá oportunidades para que candidatos europeus a mestrado e doutoramento realizem projectos de tese ou estágios sobre temas inovadores e disruptivos relacionados com a transição energética.

A Cleanwatts Academy será liderada por Andreia Carreiro, directora de Estratégia de Inovação da Cleanwatts, e vencedora do prémio “Women in Energy” 2022 dos European Sustainable Energy Awards, da Comissão Europeia.

“Nunca houve tanta procura de jovens investigadores talentosos que se dediquem a resolver um dos desafios mais urgentes do nosso tempo: acelerar a mudança para tecnologias verdes. A Cleanwatts Academy irá orientar e apoiar os líderes verdes do futuro, dando-lhes experiência em I&D, em primeira mão, e a oportunidade de trabalhar ao lado de especialistas numa das principais empresas de tecnologia climática da Europa”, afirmou Andreia Carreiro.

A Cleanwatts Academy vai, ainda, procurar parcerias estratégicas com as principais entidades de I&D para desenvolver novos projectos que apoiem o desenvolvimento de comunidades de energia renovável (REC).

Os projectos de investigação elegíveis serão concluídos num período de, pelo menos, três meses. As inscrições podem ser feitas através do site da Cleanwatts Academy.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Lagos vai ter dois novos hotéis Hilton

O Lagos Marina Hotel, Curio Collection by Hilton e o Hilton Garden Inn Lagos serão construídos junto à marina da cidade Algarvia. O projecto de reabilitação urbana representa um investimento de 107,8 M€ do grupo Mercan Properties. Os dois novos hotéis com assinatura Hilton deverão abrir no Verão de 2024

CONSTRUIR

O empreendimento hoteleiro de aproximadamente 23.000 m2 de área bruta de construção, integra dois hotéis com conceitos distintos. O Lagos Marina Hotel, Curio Collection by Hilton terá 180 quartos, distribuídos por 4 pisos, numa área bruta total de 14.776 m2. O Hilton Garden Inn Lagos irá dispor de 90 quartos, 27 dos quais a serem convertidos em apartamentos com kitchenette, entre os 7.505 m2 de área bruta total.

O projecto de reabilitação urbana representa um investimento de 107,8 milhões de euros do Grupo Mercan Properties, deverá permitir a criação de cerca de 150 postos de trabalho, durante a fase de construção, e cerca de 200 postos de trabalho na fase de operação. O acordo celebrado é o terceiro entre o Grupo Mercan Properties e a Hilton, após a recente abertura do Sé Catedral Hotel Porto, Tapestry Collection by Hilton e a futura abertura do Hilton Garden Inn Évora.

“O acordo agora assinado com a Hilton é um sinal do desenvolvimento e interesse que a cidade de Lagos tem suscitado, afirmando-se cada vez mais como um local distinto, capaz de conjugar paisagens naturais soberbas com um rico património histórico e cultural. Este projecto representa também uma aposta vencedora para o Grupo Mercan Properties, muito alinhado com os nossos valores, já que concedemos à cidade um espaço de conforto e bem-estar, capaz de dinamizar ainda mais a marina e todos os serviços e espaços ao seu redor”, sublinhou Jordi Vilanova, Presidente da Mercan Properties.

Ambos os espaços de hotelaria estão inseridos no ambiente envolvente através de uma composição arquitectónica de linhas delicadas e cuidadas, pensada ao detalhe sempre com o conforto e bem-estar de um estilo de vida exclusivo em mente. Com a beleza natural de Lagos em mente, quartos e restaurantes foram desenhados com terraços, sunken gardens e varandas, para que os hóspedes possam aproveitar ao máximo o calor algarvio e a costa atlântica. Os hotéis oferecem ainda espaços para reuniões, assim como mais de 160 lugares de estacionamento repartidos entre ambos.

assinalou que “Tendo em conta a presença da Hilton no incrivelmente popular Algarve, estamos entusiasmados por nos aliar ao Grupo Mercan Properties para fazer a nossa estreia em Lagos. Falésias estupendas, praias pitorescas e uma cultura vibrante fazem deste altamente desejado destino turístico a localização ideal para o nosso Curio Collection by Hilton e para a marca Hilton Garden Inn. Este anúncio fortalece o nosso compromisso com Portugal enquanto mercado estratégico para a Hilton, com planos para mais do que duplicar o nosso portfólio nos próximos anos”, referiu Carlos Miro, director-geral de Desenvolvimento para Espanha e Portugal da Hilton.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

STET representa a Pronar em Portugal

A marca de origem polaca oferece um vasto leque de soluções para o sector da reciclagem, respondendo às crescentes necessidades da sociedade actual

CONSTRUIR

A STET o mais recente distribuidor de equipamentos da Pronar em Portugal. A marca de origem polaca e de abrangência internacional, oferece um vasto leque de soluções para o sector da reciclagem, respondendo às crescentes necessidades da sociedade actual, garantindo a sustentabilidade e apoiando os seus clientes no cumprimento das normas europeias.

O seu portfólio de soluções inclui máquinas para aplicações agrícolas, florestais, de reciclagem e construção.

A linha de equipamentos da Pronar é fabricada com a mais alta tecnologia do mercado, com uma gama completa de crivos trommel sobre rodas e equipamentos móveis de trituração/destruição de resíduos, prensas de enfardamento, revolvedores de composto e prensas de enfardamento.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Grupel fornece geradores para World of Wine

Como elemento diferenciador deste projecto, destaca-se a automatização adoptada para a gestão das cargas, que, “em função do consumo real da instalação e de forma totalmente automatizada, permite ligar e desligar as cargas, garantindo a estabilidade da rede”

CONSTRUIR

A Grupel forneceu um projecto com quatro geradores de 550kVA (cada) para o World of Wine (WoW), em Vila Nova de Gaia, que se juntam a um quinto gerador anteriormente instalado no mesmo espaço.

Para assegurar a fiabilidade de energia, os geradores eléctricos que compõem este projecto têm motor Iveco, alternador Leroy Somer e controlador DeepSea, e podem funcionar em paralelo, assegurando um fornecimento contínuo de energia, mesmo em caso de falha da rede eléctrica.

O projecto foi acompanhado pela equipa da Grupel, desde a concepção até ao comissionamento, e demonstra a importância da utilização de geradores no turismo e nas actividades deste sector.

A escolha de utilizar quatro geradores em paralelo deveu-se ao facto de o projecto ter sido desenvolvido em várias fases. A primeira fase, que começou em 2019, envolveu a instalação de 2 geradores de 550kVA, que alimentariam apenas as cargas resgatadas, excluindo o equipamento AVAC. Em 2021, surgiu o Projeto K, a segunda fase, cuja principal condição é garantir o funcionamento contínuo do equipamento de ar condicionado, mesmo em caso de corte de energia. Este projecto incluiu dois novos geradores de 550kVA que, em paralelo com os iniciais, seriam capazes de suportar toda a carga da instalação, incluindo o ar condicionado.

A LGE – Instalações Elétricas, cliente da Grupel, foi a empresa responsável pela instalação do equipamento no local. O principal desafio para a equipa técnica da LGE foi estudar e desenvolver a solução técnica tendo em conta a localização dos novos grupos geradores. “Sendo esta uma urbanização que preserva os edifícios históricos das caves do Vinho do Porto, na encosta de Vila Nova de Gaia, a sala técnica disponível fica a centenas de metros dos grupos geradores. Com isto em mente, assegurar o sincronismo entre os equipamentos era o principal desafio técnico”, refere Luís Loureiro, engenheiro da empresa.

Como elemento diferenciador deste projecto, destaca-se a automatização adoptada para a gestão das cargas. “Utilizámos um sistema de gestão técnica centralizada (GTM) que, em função do consumo real da instalação e de forma totalmente automatizada, permite ligar e desligar as cargas, garantindo a estabilidade da rede”, acrescenta.

O WoW é ‘quarteirão cultural’, que reúne sete museus, doze restaurantes e cafés, bem como uma galeria de exposições e lojas. Inaugurado em 2020, tem uma superfície de 55 mil m², num investimento inicial de 107 milhões de euros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

CeNTI lidera projecto internacional para acelerar a bioeconomia europeia

O projecto, que conta com investimento superior a 16M€ pretende desenvolver espumas de poliuretano (PUR) de natureza biológica e melhoradas com nanomateriais, direccionadas para os sectores da Construção, Automóvel, Mobiliário e Acolchoados

CONSTRUIR

Acelerar a bioeconomia europeia, tendo por base a inovação através da nanotecnologia, é o principal objectivo do BIOMAT, um projecto internacional liderado pelo CeNTI e que reúne 26 entidades de sete países da União Europeia e de Israel. No total, o consórcio dispõe de uma verba superior a 16M€ para acelerar a transição do tecido empresarial para o paradigma da bioeconomia.

Direccionado para os sectores da Construção, Automóvel, Mobiliário e Acolchoados, o projecto está a implementar um ecossistema de inovação, Open Innovation Test Bed, composto por entidades científicas e tecnológicas para disponibilizar às empresas o acesso a tecnologia e produtos inovadores, desenvolvidos a partir de materiais celulares de natureza biológica nano-habilitados, bem como a serviços de testagem e alavancagem produtiva e de negócio.

Neste âmbito, estão a ser desenvolvidas espumas de poliuretano (PUR) de base biológica, que contêm nanomateriais. A ideia é que estes novos produtos possam substituir as tradicionais espumas, habitualmente utilizadas nas estruturas de isolamento em edifícios, interiores automóveis ou acolchoados, produzidas à base de petróleo e desprovidas de propriedades funcionais.

Incentivar as empresas a utilizarem este tipo de produtos é o objectivo do BIOMAT, sobretudo, numa altura em que se intensifica a procura por soluções sustentáveis e amigas do ambiente. No total, serão desenvolvidos 10 demonstradores/protótipos, contendo componentes e espumas de PUR funcionais.

O leque de serviços prestado pelo Open Innovation Test Bed do BIOMAT estará, assim, focado na produção e teste das espumas de PUR funcionais. As empresas terão, ainda, acesso a linhas de produção à escala piloto e a serviços complementares, nomeadamente ao nível da caracterização, nanossegurança, protecção de propriedade intelectual, planos de negócios/marketing e mentoria orientada para tecnologia e negócios, a preços competitivos e justos.
Numa primeira fase, os serviços serão disponibilizados gratuitamente a PME através de um processo de candidatura e, após o término do projecto, serão fornecidos a preços competitivos. As empresas que pretendam candidatar-se a este apoio podem já fazer um pré-registo aqui.

O BIOMAT pretende abranger toda a cadeia de valor, desde os biomateriais e as nanopartículas funcionais, até aos produtos finais e respectiva prova de conceito em ambiente industrial, acelerando a aceitação, por parte do mercado, dos novos produtos de base biológica sustentáveis e que contém nanomateriais. O projecto visa, assim, preencher as lacunas existentes nesses sectores industriais, fornecendo serviços e produtos disruptivos, sustentáveis e a custos competitivos. A avaliação do ciclo de vida e de custo (LCA & LCC) desses materiais será, também, outro dos objectivos do projecto.

A decorrer desde Janeiro de 2021, com intervenção na Europa, o BIOMAT irá finalizar em Dezembro de 2024. Tem o apoio da União Europeia de 14 588 169,63 euros e um custo total elegível de 16 707 527,50 euros. Além do CeNTI, fazem parte do consórcio do projecto mais 25 entidades, oriundas de um total de 8 países, nomeadamente Portugal, Espanha, Itália, Alemanha, França, Reino Unido, Letónia e Israel.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Alcaniça Almada

Construção

Almada: Arranca construção de primeiros fogos para habitação acessível

As três empreitadas – Alfazina, Olho de Vidro e Alcaniça – implicam um investimento de 31,1 M€. No total o Plano Integrado de Almada são 14 lotes, corresponde a 1169 habitações, num investimento global de 165,9 M€

CONSTRUIR

Já arrancou a fase de construção de 208 fogos no Plano Integrado de Almada,  com o lançamento da primeira pedra do projecto habitacional PIA.03 na Rua de Alcaniça, no Monte de Caparica, freguesia de Caparica, concelho de Almada.

Para Alcaniça, o projecto considera 24 habitações de habitação acessível construídas pelo Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), num investimento na ordem dos quatro milhões de euros. Esta primeira fase considera ainda a construção de 28 fogos na Quinta do Olho de Vidro e, a maior densidade, em Alfazina com 156.

As três empreitadas, nos lotes três, sete e dez, implicam um investimento de 31,1 milhões de euros, sendo que o total de empreitadas no Plano Integrado de Almada (PIA) são 14 lotes correspondendo a 1 169 habitações, que implicam um investimento de 165,9 milhões de euros.

Além de Inês Medeiros, presidente da Câmara Municipal de Almada, estiveram presentes na cerimónia Mariana Vieira da Silva, ministra da Presidência, Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e da Habitação e Mariana Gonçalves, secretária de Estado da Habitação.
Na sua intervenção, Pedro Nuno Santos referiu-se a este arranque da empreitada como “um dia histórico”, não só porque se trata da “primeira empreitada de construção de raiz do IHRU”, e como tal do Estado, dos últimos 40 anos, como também demonstra “a mudança de paradigma de resposta em matéria de política de habitação em Portugal” que este Governo tem vindo a implementar.
Para Pedro Nuno Santos, este é um projecto “muito ambicioso”, que abrange, “numa primeira fase, cerca de 1200 fogos”. O Ministro apontou, igualmente, o facto de este projecto estar integrado “na nova cidade e sem segmentação”, pois é assim que “se constroem cidades mais coesas”.
Sobre o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), Pedro Nuno Santos referiu a importância dos fundos comunitários para a implementação da política de habitação que o Governo pretende. Mas lembrou que estes fundos só estão a ser aplicados na Habitação «porque o Governo o quis» e porque definiu a Habitação como uma «batalha prioritária”.
Pedro Nuno Santos relembrou, também, que “não é o Estado que vai construir”, pelo que o sector privado está também envolvido nesta grande realização que é o “aumento do parque público de habitação”.
Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

A Capital do Móvel está de regresso à Alfândega do Porto

A 58.ª Edição do certame organizado pela Associação Empresarial de Paços de Ferreira está de regresso a Alfândega do Porto entre os dias 26 de Novembro e 4 de Dezembro

CONSTRUIR

A Associação Empresarial de Paços de Ferreira, AEPF, está em contagem decrescente para a inauguração da 58ª edição do evento Capital do Móvel, a maior feira de mobiliário e decoração do país, que abrirá portas na Alfândega do Porto, no último fim-de-semana de Novembro. O evento irá antecipar algumas tendências do sector para 2023.

“Dada a grande diversidade de produtos, reconhecidos pela sua qualidade e durabilidade, o sector do mobiliário português tem conquistado o seu espaço no mercado internacional. A escolha das matérias-primas é uma das preocupações das nossas empresas, desde a madeira ao mármore, bem como a cortiça, o vidro e a cerâmica, que pretendem satisfazer as necessidades dos seus clientes, sendo que para isso apresentam produtos únicos”, destaca a presidente da direcção da AEPF, Ana Rita Pacheco.

De acordo com dados do Banco de Portugal, este sector é constituído por mais de 4 mil empresas que empregam mais de 45 mil trabalhadores. “O mobiliário português está hoje presente em cerca de 160 mercados, tendo como principais mercados França, Espanha e Estados Unidos da América”, acrescenta Ana Rita Pacheco.

“Ao longo dos nove dias do certame apresentaremos uma grande variedade de peças de mobiliário e decoração para as várias divisões da casa, com linhas mais modernas, mas também com modelos mais tradicionais, e os visitantes poderão ainda observar duas exposições: uma fotográfica, que pretende mostrar a evolução do evento Capital do Móvel; e outra sobre a evolução da indústria do mobiliário”, conclui a presidente da direcção da AEPF, Ana Rita Pacheco.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Grupo Velux encomenda à BayWa r.e. a construção de dois parques solares

Os novos parques solares irão assegurar a ambição da Velux para 2030, que visa reduzir em 100% as emissões de CO2 nas acções 1 e 2 (produção e actividades)

CONSTRUIR

O Grupo Velux e a BayWa r.e. anunciaram um acordo com vista a construir dois parques solares, em Espanha. O objectivo é que, até 2024, o Grupo possa ‘alimentar’ as suas operações europeias com electricidade verde.

Os Contratos de Aquisição de Energia (Power Purchase Agreement – PPA) vão impulsionar o desenvolvimento de dois novos parques solares no sul de Espanha, um próximo de Sevilha e o outro em Granada. Este último, denominado Parque Solar de Alhendín, inclui a primeira instalação da BayWa r.e. da tecnologia inovadora Agri-PV, em Espanha, que permitirá o cultivo de plantações entre os painéis solares.

Ligando-se à rede em 2023 e 2024, as duas centrais irão gerar 167 GWh de electricidade renovável, por ano, para a Velux, o que equivale ao consumo de aproximadamente 45 mil lares europeus. 80% do total da electricidade produzida pelas plantações nas centrais será obtida através dos PPAs com a Velux.

Numa base anual, o novo PPA reduzirá a pegada de carbono da VELUX em cerca de 40 mil toneladas de CO2e provenientes das operações e actividades europeias da empresa.

“Na nossa empresa comprometemo-nos a combater a crise climática e a mostrar uma liderança sustentável. E, com este acordo, estamos no bom caminho para atingir o nosso objetivo de reduzir em 100% as nossas emissões das operações até 2030“, afirmou Lars Petersson, ceo do Grupo Velux.

Cerca de 10% do Parque Solar de Alhendín será uma instalação Agri-PV, uma nova aplicação solar que combina a produção de energia com a produção de alimentos, da qual a BayWa r.e. é pioneira e líder. Esta instalação será especialmente concebida com linhas de painéis mais altas e mais espaçadas, de modo a permitir a agricultura continua e a passagem de máquinas agrícolas modernas entre as linhas de painéis, neste caso, para a produção das plantações. Os módulos PV serão também utilizados para recolher a água da chuva, ajudando os agricultores a gerir os riscos contínuos causados pelas alterações climáticas, numa área conhecida por ser demasiado seca.

Uma vez ligadas à rede, as novas plantações solares permitirão à Velux atingir a sua meta de 2030, de redução em 100% das emissões das suas próprias operações e actividades. Este objetivo faz parte do compromisso estratégico de sustentabilidade da empresa para 2030, derivada de uma ação pioneira que diz respeito ao clima e à natureza.

O acordo pressupõe, ainda, a formação de um grupo interdisciplinar de investigação cujos resultados acabarão por dar resposta a uma estratégia abrangente e personalizada do local. Para este efeito, a BayWa r.e. fará uma parceria com as universidades próximas, nomeadamente, a Universidade Autónoma de Madrio e a Universidade de Córdoba.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Habitação acima das expectativas com aumento de 1,3% dos preços e estabilização das vendas

São as conclusões de Outubro do Índice de Preços Residenciais, da Confidencial Imobiliário e do SIR. Apesar da conjuntura macroeconómica os preços das habitações mantêm a trajectória de valorização do último ano e meio e superam novo máximo histórico

CONSTRUIR

O Índice de Preços Residenciais mostra que os preços de venda das casas em Portugal (Continental) aumentaram 1,3% em Outubro face ao mês anterior, sustentando as variações mensais acima de 1,0%. Em termos homólogos, os preços apresentam um crescimento de 19,5% em Outubro deste ano. No acumulado dos dez meses de 2022, a habitação regista uma valorização de 16,4%.

Os preços médios apurados para as transacções concretizadas entre Agosto e Outubro confirmam este comportamento positivo da valorização, ao superarem um novo máximo histórico, posicionando-se em 2.131€/m2 em Portugal Continental, de acordo com os dados do SIR-Sistema de Informação Residencial.

“Os dados de Outubro mostram que a nova conjuntura macroeconómica não trouxe, à data, um arrefecimento dos preços, os quais prosseguem a trajectória de valorização do último ano e meio. Ao mesmo tempo, a antecipada travagem na procura também não se tem verificado, tal como sugerem também os dados do Banco de Portugal sobre a evolução do crédito à habitação, que recuperou o ritmo de contratação em Setembro, depois de quebras mensais nos meses de Verão”, refere Ricardo Guimarães, director da Confidencial Imobiliário.

Em termos de procura, a Confidencial Imobiliário projecta a realização de 39,7 mil transacções de venda de habitação entre Agosto e Outubro deste ano. Tal volume fica apenas 1,6% abaixo do patamar dos três meses anteriores, quando se realizaram 40,4 mil negócios.

De acordo com o mesmo responsável, “o mercado está, assim, a superar as expectativas dos operadores que, nos últimos inquéritos de confiança Portuguese Housing Market Survey (PHMS), se mostravam menos optimistas quanto à evolução das vendas, prevendo quebras, e que antecipavam também alguma moderação no crescimento futuro dos preços”, sublinha.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.