Edição digital
Assine já
Imobiliário

Keezag apresenta protótipo do Keevisit no SIL

PropTech nascida no Porto apresenta um modelo experimental da sua nova tecnologia para gestão de visitas autónomas aos imóveis

CONSTRUIR
Imobiliário

Keezag apresenta protótipo do Keevisit no SIL

PropTech nascida no Porto apresenta um modelo experimental da sua nova tecnologia para gestão de visitas autónomas aos imóveis

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública
Construção
Cerveira vai construir nova área de acolhimento empresarial
Construção
BERD recebe prémio especial European Steel Bridge Awards
Empresas
Predibisa comercialização novo empreendimento Natura
Imobiliário
Especialistas debatem actuais desafios da gestão de edifícios
Empresas
Sanindusa apresenta novidades na Idéobain 2022 em Paris
Empresas
Indústria da Pedra Natural portuguesa apresenta-se na Marmo+Mac 22
Empresas
Natixis no Porto inaugura conceito inovador de espaço de trabalho
Arquitectura
Sea’Ya Thoughtful Stays cresce em Cascais
Empresas
FAUP lança curso de estudos avançados em território e gestão urbanística
Arquitectura

A Keezag, a nova plataforma tecnológica de encontro entre os proprietários de imóveis, consultores imobiliários e compradores em Portugal, vai apresentar o protótipo do KeeVisit durante o SIL-Salão Imobiliário de Lisboa. A nova solução tecnológica desenvolvida pela PropTech nascida no Porto permite que, através de uma aplicação de telemóvel, os potenciais compradores de um imóvel o possam visitar sem a presença do proprietário ou do consultor imobiliário, com garantia de segurança e monitorização em tempo real por parte do proprietário, do consultor, e de uma equipe no centro de operações especializadas da própria keezag.
“Na Keezag, acreditamos que a tecnologia pode estar presente em todo o processo antes da compra e venda de uma casa e o KeeVisit é a prova disso. Trata-se de uma solução de tecnologia inovadora que vai revolucionar a gestão de visitas a imóveis”, afirma David Júnior, chief technology officer da Keezag.

Esta nova solução terá grande destaque no espaço da Keezag no certame, o qual acolherá o protótipo desta tecnologia numa porta em tamanho real para testar o sistema, naquela que será uma pré-apresentação inédita deste produto ao mercado imobiliário.

A Keezag é uma PropTech nascida no Porto que traz para o setor imobiliário a proposta de descomplicar a experiência de quem precisa de vender, comprar ou arrendar um imóvel, através de uma plataforma tecnológica que promove a comunicação entre os proprietários, consultores imobiliários e compradores de imóveis de forma rápida, simples e transparente. Ativa desde abril, a Keezag agrega já 320 imóveis e mais de 1.500 consultores de 560 mediadoras e pretende, até 2022, que 20% das cerca de 150 mil transações imobiliárias realizadas anualmente no mercado nacional passem pela plataforma. O KeeLearning e o KeeVisit completam o leque de soluções tecnológicas da Keezag para proprietários, consultores imobiliários e compradores, juntando-se ao KeeSelect, a tecnologia que permite ligar o proprietário ao consultor imobiliário mais adequado às suas necessidades e também compradores aos consultores imobiliários, tudo isto com registo gratuito, simples e rápido.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública
Construção
Cerveira vai construir nova área de acolhimento empresarial
Construção
BERD recebe prémio especial European Steel Bridge Awards
Empresas
Predibisa comercialização novo empreendimento Natura
Imobiliário
Especialistas debatem actuais desafios da gestão de edifícios
Empresas
Sanindusa apresenta novidades na Idéobain 2022 em Paris
Empresas
Indústria da Pedra Natural portuguesa apresenta-se na Marmo+Mac 22
Empresas
Natixis no Porto inaugura conceito inovador de espaço de trabalho
Arquitectura
Sea’Ya Thoughtful Stays cresce em Cascais
Empresas
FAUP lança curso de estudos avançados em território e gestão urbanística
Arquitectura
Construção

Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública

A alienação dos cinco lotes municipais, todos na freguesia do Lumiar, foi proposta pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP), que tem o pelouro da Gestão Patrimonial, que sugeriu o lançamento de uma hasta pública para a venda destes terrenos para construção de habitação

A Câmara de Lisboa aprovou a venda de dois lotes municipais para a construção de habitação e chumbou a alienação de outros três terrenos para a mesma finalidade, com um valor base total de 19,84 milhões de euros.

A alienação dos cinco lotes municipais, todos na freguesia do Lumiar, foi proposta pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Filipe Anacoreta Correia (CDS-PP), que tem o pelouro da Gestão Patrimonial, que sugeriu o lançamento de uma hasta pública para a venda destes terrenos para construção de habitação, indicando que, no conjunto, os imóveis têm um valor base total de licitação de 20,915 milhões de euros.

A proposta já tinha sido discutida na semana passada, mas a votação foi adiada, após reparos da oposição sobre os contornos da venda de terrenos municipais, tendo sido realizada esta quinta-feira em reunião privada.

A venda de dois lotes municipais na Quinta dos Alcoutins, o lote 26 com uma área de 1.063 metros quadrados (m2) pelo valor base de 515 mil euros e o lote 27 com 1.150 m2 por 560 mil euros, foi aprovada com a abstenção do PS, os votos a favor da liderança PSD/CDS-PP (que governa sem maioria absoluta) e os votos contra dos restantes vereadores da oposição, nomeadamente PCP, BE, Livre e independente do Cidadãos por Lisboa (eleito pela coligação PS/Livre).

Com os votos contra de todos os vereadores da oposição à liderança PSD/CDS-PP foi chumbada a alienação dos outros três terrenos, com um valor base total de 19,84 milhões de euros, designadamente dois lotes na Rua Professor Manuel Viegas, na urbanização do Paço do Lumiar, o lote B com 1.920 m2 por 6,2 milhões de euros e o lote C com 3.906 m2 por 12,2 milhões, e um na malha 6 da Alta de Lisboa com 906,37 m2 por 1,44 milhões.

Em declarações à agência Lusa, o vice-presidente da CML acusou a oposição de “bloquear a atividade da câmara”, lembrando que o orçamento municipal para este ano, que foi viabilizado com a abstenção do PS, prevê “realizar receitas em venda de património de 100 milhões euros”.

Filipe Anacoreta Correia criticou a vereação socialista por considerar que o voto contra a venda dos três lotes “manifesta contradição com aquilo que propôs no passado”, referindo que “o PS realizou em receitas de venda de património 850 milhões de euros, nos últimos 10 anos, uma média de 85 milhões euros por ano”.

Segundo o vice-presidente, o anterior executivo socialista tentou vender dois destes lotes municipais, que ainda hoje têm uma placa a dizer “vende-se”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Cerveira vai construir nova área de acolhimento empresarial

Os trabalhos, que se preveem concluídos até ao final de Abril de 2023, realizam-se a bom ritmo, estando a decorrer, nesta fase, a instalação das infraestruturas no arruamento principal

Já arrancou, em Vila Nova de Cerveira, a empreitada de construção do novo “Parque Empresarial de Cerveira – Polo V”, na Freguesia de Sapardos, naquela que o município considera ser uma forma de criar condições favoráveis e atrativas para a instalação de operadores económicos no concelho. Com uma localização estratégica junto ao nó da A3, a obra prevê a criação de 12 lotes de dimensões idênticas, com cerca 2.700 m2 cada, numa área total de 32.602 m2, e de infraestruturas com caraterísticas compatíveis com as exigências da procura, principalmente ao nível do Sistema de Indústria Responsável (SIR), num investimento estimado em 1,2 milhões de euros.

Para o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira “esta nova área de acolhimento empresarial no concelho pretende colmatar a carência de espaços com aptidão para a instalação de empresas e a procura urgente por estes espaços, promovendo fortes dinâmicas económicas”. Recorde-se que, na assinatura do contrato, Rui Teixeira tinha já considerado este investimento como “uma necessidade para o desenvolvimento do interior do concelho, atraindo mais atividade económica e, por consequência, mais pessoas, assegurando a potenciação do vigor industrial de Vila Nova de Cerveira”.

Do ponto de vista urbanístico, o projeto teve em conta a preocupação de otimizar a integração da infraestrutura o melhor possível na topografia existente. Para tal, serão criadas quatro plataformas, a diferentes cotas, com a instalação de três lotes em cada, como forma de minimizar o movimento de terras e reduzir o ruído visual. O acesso aos lotes será feito de forma individual e diretamente da via existente, que no âmbito deste projeto será integralmente remodelada. Este espaço irá disponibilizar, também, um conjunto de infraestruturas com repercussões nos custos do produto, nomeadamente, na produção e utilização de energias renováveis e reutilização de águas.

Os trabalhos, que se preveem concluídos até ao final de Abril de 2023, realizam-se a bom ritmo, estando a decorrer, nesta fase, a instalação das infraestruturas no arruamento principal. Tendo sido já registado um elevado número de interessados na aquisição dos lotes, a venda dos mesmo será realizada através de hasta pública em data a anunciar.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

BERD recebe prémio especial European Steel Bridge Awards

O projecto que compreendeu a construção de 145 pontes modulares para o ministério dos Transportes do Perú, valeu à empresa portuguesa de engenharia de pontes a distinção internacional na EECS European Steel Bridge Awards 2022

O projecto português que ajudou a recuperar a destruição do “El Ninõ” no Peru, aliando inovação à engenharia de pontes, venceu o prémio especial internacional de uma das mais importantes instituições na área das estruturas e engenharia de pontes, a EECS European Steel Bridge Awards 2022. A atribuição do prémio já tinha sido anunciada em Julho, tendo a empresa portuguesa sido a escolhida entre os 23 projectos europeus a concurso. A cerimónia foi realizada, esta semana, em Istambul, no âmbito da 10ª edição do International Symposium for Steel Bridges for a Green Planet.

“Este prémio especial da EECS representa para a BERD o reconhecimento da actividade que temos desenvolvido, bem como do investimento em I&D. A inovação está no ADN da Berd. A aposta em I&D está na génese da empresa, dado que o negócio original da empresa está assente na exploração no mercado de uma patente sua. Ao longo destes 16 anos conseguimos afirmar-nos como uma marca premium a nível mundial, conquistamos a liderança a nível da Europa no segmento de cimbres autolançáveis e asseguramos a nossa posição, neste segmento, no TOP 2 mundial”, sustenta Pedro Pacheco, Ceo da BERD.

As pontes modulares da Berd no Peru foram destacadas por representarem uma grande evolução ao nível da engenharia, com uma poupança de 20% no consumo de aço face aos projectos convencionais, com uma redução da pegada de carbono, tendo sido emitida menos 3.240 toneladas de CO2 comparativamente à média dos projectos tradicionais, a par de uma grande evolução estética. O projecto potenciou ao Ministério dos Transportes e Comunicações Peruano uma redução de custos na ordem dos três milhões de euros.

A inovação é muito significativa nas pontes modulares da BERD, aportando valor ao conceito base criado por Donald Bailey na Segunda Guerra Mundial. Durante várias décadas este conceito foi mantido e utilizado com pequenas alterações por todos os construtores internacionais na área das pontes modulares.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Predibisa comercialização novo empreendimento Natura

Com assinatura do gabinete VisioArq, o Natura estará numa área verde de aproximada 30 mil m2, cujo projecto paisagistico coube à PROAP

O edifício Natura, o primeiro a ser construído no terreno da antiga fábrica Efanor, em Matosinhos, já se encontra em comercialização, que ficará a cargo da consultora portuense da Telhabel.

De arquitectura “sóbria e contemporânea”, com a assinatura do gabinete VisioArq, o Natura estará numa área verde de aproximada 30 mil m2, cujo projecto paisagistico coube à PROAP. Perto de restaurantes, cafés, parques infantis, escolas, colégios, universidades e duas estações de metro, o empreendimento preserva a privacidade dos moradores.

“Com 4 blocos comunicantes entre si, através dos pisos inferiores, a excelência dos espaços de tipologia T1 a T4, com varanda ou jardim privativo, está assegurada pela qualidade de construção e materiais utilizados para preservar o carácter próprio da arquitectura do edifício, que sustém a beleza de toda a envolvente natural e a ligação privilegiada, entre o interior e o exterior, através de extensos painéis de vidro, generosas varandas com vistas desafogadas e jardins privativos, que convidam a desfrutar do melhor que a vida tem para oferecer”, reforça Ana Jordão, responsável pela gestão do projecto na Predibisa.

Em suma, o design intemporal conciliado com os atributos estéticos dos acabamentos, reforça a vivência cosmopolita possível de alcançar no Edifício Natura, a poucos minutos do NorteShopping, da estação do metro e da linha de praia de Matosinhos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Especialistas debatem actuais desafios da gestão de edifícios

O impacto da transição digital no sector, a importância da tecnologia, os desafios e o papel de um gestor de edifícios serão abordados na conferência, promovida pela F3M, a 27 de Setembro, nas instalações da empresa, em Braga

tagsF3M

Com o objectivo de encontrar soluções e debater como as soluções tecnológicas podem apoiar a função do Gestor de Edifícios, a F3M promove, na próxima terça-feira, 27 de Setembro, em Braga, um encontro que pretende juntar especialistas nesta área.

Os profissionais irão abordar tópicos como o impacto da transição digital no sector, a importância da tecnologia, os desafios e o papel de um gestor de edifícios. Com esta iniciativa de participação livre, que tem início marcado para as 14h30, nas instalações da empresa, a tecnológica pretende impulsionar e acelerar a transformação digital daquela que é uma das áreas primordiais para qualquer empresa ou organização.

“O desafio da transformação digital na manutenção de equipamentos e instalações” será, assim, o tema da sessão, de acesso livre, que irá contar com a presença de Pedro Cardoso, consultor e gestor de edifícios, com uma vasta experiência em gestão e consultoria a empresas e entidades, e de António Rocha, responsável pela direcção e coordenação estratégica da área de software de gestão de empresas da F3M.

Além da partilha de conhecimento e experiências relacionadas com a função de gestão e manutenção de equipamentos e instalações, será ainda destacada a importância da tecnologia e o impacto de softwares especializados nos processos de manutenção.

Fundada em 1987, a F3M está ligada à concepção, investigação, desenvolvimento, produção e implementação de software para mercados verticais (tais como Economia Social, Óticas, Têxtil e Saúde), complementando a sua oferta com o fornecimento de alguns dos principais ERP’s (Primavera e Sage), serviços de consultoria, formação certificada, soluções de infraestrutura TI, cibersegurança e telecomunicações.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Sanindusa apresenta novidades na Idéobain 2022 em Paris

Num stand especialmente projectado para a ocasião e subordinado ao tema “Marcher vers le futur”, a marca apresentará novos produtos, novas cores, novos acabamentos e novos materiais

Depois de Milão é agora a vez de Paris receber novidades com a marca Sanindusa. De 3 a 6 de Outubro a empresa marcará presença na Idéobain 2022 que acontecerá na capital francesa, no Parque de Exposições Porte de Versailles.

Esta feira, de cariz internacional, é especializada em materiais e equipamentos de casa de banho e reúne as últimas tendências de estilo e design do sector. É igualmente a oportunidade perfeita para firmar negócios e parcerias com profissionais das áreas de arquitectura, construção, instalação e distribuição.

Durante quatro dias a Sanindusa apresentará as suas inovações em primeira mão num stand especialmente projectado para a ocasião e subordinado ao tema “Marcher vers le futur”. Neste espaço próprio, com 54 m2, promoverá novos produtos, novas cores, novos acabamentos e novos materiais.

Bases de chuveiro e lavatório em solid surface, divisórias para duche, mobiliário de casa de banho e louça sanitária em cerâmica estarão entre os destaques da participação deste ano. De salientar ainda a presença no stand da sanita suspensa texturada da colecção Sanlife recentemente distinguida com 3 prestigiados prémios internacionais de design.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Indústria da Pedra Natural portuguesa apresenta-se na Marmo+Mac 22

Aquele que é “o maior certame internacional direccionado para a indústria da pedra” realiza-se em Verona, Itália, de 27 a 30 de Setembro

CONSTRUIR

A Marmo+Mac 2022 está de volta a Verona, em Itália, entre os próximos dias 27 e 30 de Setembro, feira onde empresas e profissionais da indústria da pedra se reúnem, para aquele que é o maior certame internacional direccionado para o sector e que este ano contará com a presença do secretário de Estado da Economia, João Neves.

Nesta que é a 56ª edição do evento, Portugal destaca-se como sendo a quarta maior participação, com um total de 65 empresas, 46 das quais participam através dos Projectos Conjuntos de Internacionalização das Associações Sectoriais Nacionais – Assimagra e a AEP/ANIET – cofinanciados pelo Compete 2020/Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER.

Com esta presença as empresas pretendem reforçar o seu posicionamento mundial, alicerçado sobretudo na qualidade dos seus produtos e na arte do saber-fazer português, consubstanciado pelas linhas estratégicas que têm orientado o sector: inovação e sustentabilidade.

A participação nacional, organizada pela Associação Empresarial de Portugal (AEP, em parceria com a ANIET – Associação Nacional da Indústria Extractiva e Transformadora, no âmbito do Projecto BOW, é constituída por 17 empresas expositoras.

Para Luís Miguel Ribeiro, presidente da AEP, “a participação portuguesa no maior evento internacional dedicado à pedra natural, tecnologias de processamento, tecnologias para aplicações de pedra em arquitetura e design e formação é uma oportunidade muito importante para alavancar novos negócios para as empresas do setor em Portugal”. “Este é um certame de referência para as empresas nacionais e uma plataforma de apresentação dos seus mais recentes desenvolvimentos na área”, complementa.

O ano passado, o projecto BOW – Business on the Way promoveu a participação de mais de 100 empresas em 17 acções, entre feiras internacionais, missões empresariais (virtuais, físicas e inversas), em 22 mercados distintos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

Natixis no Porto inaugura conceito inovador de espaço de trabalho

Novo escritório vai permitir aos colaboradores ‘viajarem’ pelos quatro Continentes e 12 cidades. As Villages foram criadas com o apoio da Tétris, a empresa de arquitectura e construção da JLL em Portugal

CONSTRUIR

A Natixis em Portugal desenvolveu um conceito inovador de espaço de escritório que vai transformar a experiência do modelo de trabalho híbrido, potenciando a partilha, a criatividade, a inovação, a agilidade e a colaboração. As Villages ocupam dois pisos da sede da empresa no Porto e “recriam 12 cidades, tirando partido da mais recente tecnologia para criar uma experiência imersiva, que inclui sons e cheiros  e que afirma este espaço enquanto exemplo pioneiro dos escritórios do futuro”.

“Percebemos que a maior parte dos colaboradores da Natixis em Portugal se deslocava ao escritório para momentos de colaboração com as suas equipas e para momentos de socialização. Acreditamos que, numa nova era de trabalho, o modelo híbrido é o que tem uma maior capacidade de criação de valor para as pessoas e para as organizações. Foi nesse pressuposto que este projecto se desenvolveu”, afirma Etienne Huret, diretor-geral da Natixis em Portugal.

A partir de agora, os colaboradores da Natixis em Portugal vão poder ‘viajar’ pelas cidades de Manaus, Santiago, Dakar, Paris, Porto, Mascate, Cidade do México, Shanghai, Tóquio, Londres, Bangalore e Brooklyn. O conceito ocupa dois pisos e um total de mais de 3.800 m2, com uma lotação de perto de 200 pessoas. As Villages foram criadas pela Natixis em Portugal com o apoio da Tétris, a empresa de arquitectura e construção da JLL em Portugal. O projecto teve a duração de dois anos, da idealização à concretização da obra.

“Numa altura em que se colocava em questão o fim dos escritórios, devido à generalização do teletrabalho durante a pandemia, a Natixis, antecipou-se e percebeu que o futuro passava por transformar o espaço de trabalho colectivo ao invés de acabar com ele. Antes da pandemia, os escritórios eram, sobretudo, espaços de conveniência. Actualmente, caminha-se para que sejam espaços de experiência. As Villages são a prova de que conceitos inovadores, imersivos e focados no bem-estar dos colaboradores são fundamentais para o sucesso das empresas”, afirma Carlos Cardoso, managing director da Tétris.

Todas as salas das Villages estão equipadas com tecnologia que ajuda a otimizar o trabalho colaborativo e contribui para um trabalho mais ágil e eficiente. Cada Village é dividida em três zonas principais: Workstations (espaços de trabalho individuais); Meeting Rooms (espaços abertos e fechados para atividades de colaboração que necessitam de privacidade visual e acústica); e Cowork (locais para tarefas de colaboração e reuniões informais, cabines insonorizadas, zonas de silêncio, livraria, zona de refeições ou uma área lounge). Todos estes pontos estão equipados com as melhores ferramentas tecnológicas, para que os colaboradores possam trabalhar com as suas equipas e com outros colegas da Natixis no mundo.

O Centro, com sede no Porto, conta atualmente com 1.800 colaboradores de perto de 30 nacionalidades, que formam as equipas de Tecnologias da Informação, Atividades de Suporte à Banca e Compliance e trabalham de forma integrada, inclusiva e transversal, suportando todas as linhas de negócio e plataformas do grupo. O projeto no Porto é um dos maiores investimentos em recursos humanos já feitos pela Natixis em todo o mundo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Sea’Ya Thoughtful Stays cresce em Cascais

Marca de alojamento local para famílias tem nova imagem e novos espaços. Hoje soma cinco unidades, todas na região que envolve a Praia do Guincho, e apresenta um novo logo e uma nova assinatura que preparam a marca para as ambições do futuro

CONSTRUIR

Abriu em 2019 com a criação de três unidades de alojamento local em Cascais e a missão de criar uma marca de turismo de qualidade para descomplicar as férias das famílias e dos amantes de surf. Hoje, o Sea’Ya Thoughtful Stays soma cinco unidades, todas na região que envolve a Praia do Guincho, e apresenta um novo logo e uma nova assinatura que preparam a marca para as ambições do futuro.

As novas villas seguem os mesmos princípios que norteiam a marca desde a sua origem: máximo conforto, uma decoração diferenciadora, estreita ligação com a região e a comunidade local, proximidade à Praia do Guincho, concelho de Cascais, produtos sustentáveis e locais e, claro, os melhores equipamentos para crianças e para surfistas.

“Abrimos em ano de pandemia e contra tudo o que esperávamos, estivemos sempre em funcionamento e com taxas de ocupação acima dos 80%”, referem António Monteiro e Maria Saldanha, proprietários do Sea’Ya Thoughtful Stays. “Em 2022, com a marca a crescer de dia para dia, sentimos a necessidade de ter no nosso portfolio novas unidades, com tipologias diferentes, para dar resposta à procura que temos e que muitas vezes suplanta a oferta”, acrescentam.

Para 2023, a marca Sea’Ya Thoughtful Stays tem já prevista a abertura de mais duas unidades na mesma região. O objectivo é manter um crescimento sustentado da marca, promovendo a região de Cascais e do Guincho sem nunca a descaracterizar. “Procuramos casas de aldeia, de traça antiga, e que estejam inseridas num ambiente familiar pois só assim conseguimos proporcionar aos nossos hóspedes experiências autênticas, integradas na comunidade local e que beneficiem o comércio local”.

A marca lançou, recentemente, um novo website, um novo logo e nova assinatura. “Somos atenciosos e cuidadosos em tudo o que fazemos, desde o serviço que prestamos ao cuidado e atenção aos mínimos detalhes. Promovemos o espírito (por vezes perdido) de “guesthouse” na medida em que estamos disponíveis 24h e fazemos de tudo para que se sintam em casa. Somos igualmente conscientes face ao impacto da nossa actividade no ambiente e na região que nos acolhe. São estes os valores que os nossos hóspedes valorizam, razão pela qual acreditamos que devem estar espelhados na nossa identidade”, explicam os proprietários.

O novo posicionamento pretende ainda diferenciar o projecto no mercado nacional e despertar a atenção dos hóspedes que os visitam. Os principais mercados da marca são Alemanha, Holanda, França, Reino Unido e Estados Unidos da América.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

FAUP lança curso de estudos avançados em território e gestão urbanística

Com financiamento através dos fundos do programa «Next Generation EU» do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), do “Programa de Formação Multidisciplinar da U.Porto – Impulso Jovens STEAM & Impulso Adultos”, o curso permitirá a atribuição de três bolsas individuais

CONSTRUIR
tagsFAUP

Face aos desafios atuais de planeamento e gestão do território na sociedade contemporânea, a Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto lança este ano letivo 2022/2023 o Curso de Estudos Avançados em Território. Com duração de um ano lectivo, o curso vai decorrer de 4 de Novembro de 2022 a 14 de Julho de 2023, às sextas-feiras, na FAUP. As candidaturas para integrar o curso decorrem até dia 3 de Outubro de 2022.

Com financiamento através dos fundos do programa «Next Generation EU» do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), do “Programa de Formação Multidisciplinar da U.Porto – Impulso Jovens STEAM & Impulso Adultos”, que permitirá a atribuição de três bolsas individuais, o novo curso, com a duração de um ano, visa proporcionar uma formação de aprofundamento e actualização nas áreas de planeamento territorial, gestão urbanística e projecto urbano, com uma forte componente prática e estreita relação com os desafios e práticas quotidianas de planeamento e gestão urbanística.

O curso dirige-se a profissionais, técnicos e investigadores de diferentes áreas disciplinares relacionadas com o planeamento e os estudos urbanos – arquitectura, arquitectura paisagista, engenharia, geografia, ciências sociais, economia, direito, entre outras formações – tendo como principal foco aqueles que têm a sua actividade associados às áreas de planeamento urbano, gestão urbanística e projecto urbano, com diferentes tipos de práticas – técnicos municipais, profissionais liberais e académicos.

O CEAT estabelece ainda uma estreita ligação com o PDA – Programa de Doutoramento em Arquitectura da FAUP, sendo que a frequência do curso garante equivalência a parte substancial da componente letiva do PDA.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.