Edição digital
Assine já
Construir Exclusivo

Saint-Gobain a caminho das “zero emissões líquidas de carbono”

O “Plano de Sustentabilidade” da Saint-Gobain é “ambicioso” e envolve todas as áreas do Grupo com um forte investimento em I&D. Atenta aos novos processos de urbanização e à urgência de medidas para aliviar as mudanças climáticas, o Grupo pretende, também, contribuir para “repensar os espaços de vida e os métodos de construção”

Cidália Lopes
Construir Exclusivo

Saint-Gobain a caminho das “zero emissões líquidas de carbono”

O “Plano de Sustentabilidade” da Saint-Gobain é “ambicioso” e envolve todas as áreas do Grupo com um forte investimento em I&D. Atenta aos novos processos de urbanização e à urgência de medidas para aliviar as mudanças climáticas, o Grupo pretende, também, contribuir para “repensar os espaços de vida e os métodos de construção”

Cidália Lopes
Sobre o autor
Cidália Lopes
Artigos relacionados
“A qualidade desta Concreta decorre dos conteúdos inovadores”
Construir Exclusivo
“A nossa matéria prima não tem paralelo no mercado”
Construir Exclusivo
“Espera-se que a Reabilitação possa transformar-se finalmente num factor estratégico para iniciar um novo ciclo da economia”
Construir Exclusivo
Candidaturas abertas para os Prémios Inovação na Construção 2015
Empresas
A estratégia da COBA para o crescimento da carteira de encomendas
Construir Exclusivo
Os planos para a reabilitação da escarpa da Serra do Pilar
Construção
São Tomé procura novo modelo para desenvolver infra-estruturas
Construção
Investimento: Construção em choque ou um choque para o sector?
Construção
Ponte Anita Garibaldi construída no Brasil com tecnologia portuguesa
Construir Exclusivo
Os 138M€ de Madrid para a Reabilitação até 2020
Construção

Em Portugal desde 1962, o Grupo Saint-Gobain conta já com 11 empresas distribuídas pelo País. Em entrevista ao CONSTRUIR, José Martos, CEO Saint-Gobain em Portugal, revela que a ambição é “de continuar a crescer”, nomeadamente em segmentos de mercado “onde possamos desenvolver novos modelos de negócio”. Além da aposta na sustentabilidade, o Grupo está atento às áreas da mobilidade sustentável e de protecção da saúde

Quais os objetivos da empresa para 2021?

Temos a ambição de continuar a crescer em Portugal, tanto nos nossos mercados mais tradicionais, como em novos segmentos de mercado onde possamos desenvolver novos modelos de negócio.

Este objectivo de crescimento deve ser alcançado pela Digitalização da experiência do cliente, pela Excelência Operacional e pela Sustentabilidade, de forma que todas as nossas acções contribuam para o nosso propósito último: “Making the World a Better Home”.

Pretendemos continuar a investir em I&D com vista a darmos continuidade ao desenvolvimento das nossas diversas áreas de negócio, a manter uma cultura corporativa robusta e genuína e dar seguimento ao trabalho que temos vindo a implementar no âmbito da sustentabilidade.

Que desafios impôs a pandemia, tanto em termos de equipa como de negócio?

O principal desafio está claramente centrado no imenso impacto humano e económico que está a ter. Consequentemente, a falta de confiança dos investidores no mercado da construção também afectou alguns sectores relacionados com o turismo e o retalho principalmente.

Actualmente, estamos já em franco processo de recuperação – e, na verdade, algumas das nossas áreas, como o caso da Construção, acabaram por não registar muitas quebras, visto que houve, claramente, vontade da parte das pessoas em remodelarem ou (re)construírem os seus espaços em caso, com a pandemia.

A gestão dos recursos humanos foi sempre um grande desafio, que assumimos deste o início, pois quisemos sempre que todos se sentissem serenos, protegidos, informados e igualmente motivados, desde o primeiro momento.

Presente em Portugal há tanto tempo, qual as áreas de negócio com maior crescimento?

A Saint-Gobain está presente no mercado português desde 1962, quando adquiriu parte das acções da Companhia Vidreira Nacional (Covina). Desde então, o grupo Saint-Gobain tem investido activamente no mercado português, tanto em materiais de construção como no sector automóvel, chegando a 11 empresas distribuídas por todo o País e representadas por marcas líderes nos seus respectivos mercados como Weber, Placo, Isover, Climalit, Glassdrive, Sekurit, Norton.

O segmento dos materiais de construção tem assistido a um forte crescimento, que tem acelerado nos últimos anos. Não só há uma forte procura de vivendas, mas também estamos a ver um desenvolvimento da construção mais responsável e sustentável, tanto pelo Governo como pelos proprietários. Acho que esta vai a ser um dos grandes motores de progresso da economia e do sector nos próximos anos, tanto desde o ponto de vista normativo como pelas exigências dos particulares, os quais são cada vez mais responsáveis e exigentes pelo respeito do meio ambiente.

A promoção da sustentabilidade e da responsabilidade social tem sido uma das áreas de maior foco do Grupo com vista à neutralidade do carbono até 2050 e de contribuir para a meta da redução de emissões de CO2 do Grupo para 2030. Que acções tem sido desenvolvidas neste sentido?

Com o lançamento do “Plano de Sustentabilidade”, em Setembro de 2019, a Saint-Gobain anunciou o seu compromisso de alcançar zero emissões líquidas de carbono até 2050, um objectivo alinhado com a tarefa de limitar o aquecimento global a 1,5ºC. Este compromisso requer um ambicioso plano de acção que influenciará a forma como fazemos negócios, as matérias-primas que utilizamos, os nossos processos produtivos, a forma como reutilizamos materiais para minimizar o desperdício. Ou seja, de uma forma geral, todas e cada uma das nossas acções visam contribuir positivamente para o futuro do nosso planeta.

O conceito de conforto sustentável é aplicado desde a concepção e design do produto ou solução, à selecção de matérias-primas e recursos, processos de produção e distribuição de materiais. O mesmo reflecte-se ainda na sensibilização para o consumo responsável de recursos e na promoção de comportamentos sustentáveis.

Respondendo aos seus interlocutores e a um mundo em mudança, a Saint-Gobain analisa os desafios que enfrentamos colectivamente e incorpora-os como uma fonte de progresso para as suas soluções e expertise. Em resposta ao crescimento da população mundial, ao aumento da esperança média de vida, aos processos de urbanização e à urgência de medidas para aliviar as mudanças climáticas, a Saint-Gobain está a repensar os espaços de vida e os métodos de construção, aplicando a sua experiência ao progresso na área de mobilidade sustentável e protecção da saúde de todos.

Todos os esforços em termos de sustentabilidade traduzem-se, por exemplo, na economia de energia gerada pelos produtos de isolamento da Saint-Gobain.

A Saint-Gobain investiu também no lançamento de um Fundo de Carbono interno. Implementado pela primeira vez numa região piloto – o Norte da Europa -, o fundo visa acelerar a redução das emissões não-industriais de CO2 através das ações quotidianas dos colaboradores e de investimentos direccionados para as instalações. Este Fundo de Carbono baseia-se no preço interno do carbono do Grupo para decisões de investimento, recentemente aumentado para 50€/tonelada de equivalente de CO2, e converte parte da redução das emissões de CO2 em dinheiro, com vista a financiar projectos que visem reduzir a pegada de carbono do Grupo, criando um círculo virtuoso. Esses projectos, propostos e seleccionados pelos colaboradores, incidem sobre o seu ambiente profissional.

Os novos desafios da sustentabilidade têm, também, pautado a inovação e os novos produtos da Saint-Gobain de uma forma transversal. De que forma é que a empresa conseguiu fazer essa mudança e tornar-se numa das empresas mais sustentáveis tendo, inclusive já recebido prémios pelos seus produtos?

Em primeiro lugar, quisemos sempre que a Sustentabilidade fosse um eixo importante no nosso ADN e, por isso, as nossas equipas de I&D mantiveram esse foco como permanente no desenvolvimento de novas soluções. Aliás, o nosso centro de competências em Aveiro para o desenvolvimento de argamassas industriais de colagem de cerâmica, desde 2006 – ano em que foi criado – é reflexo disso mesmo. Em segundo lugar, porque queremos que o nosso plano de acção para a Sustentabilidade seja efectivamente traduzido em acções concretas, nomeadamente no que toca à nossa gestão interna e à oferta que produzimos para os nossos públicos.

Realizamos também vários investimentos neste sentido, como é o caso do investimento de 1,2 milhões de euros na linha de pastas do centro de produção da Saint-Gobain Weber, em Aveiro, assim como a construção de um novo Centro Logístico, no Centro produtivo da mesma sociedade no Carregado.

Com o investimento na nova linha de pastas em Aveiro, pretende dar-se resposta ao crescimento de vendas notado no mercado português, assim como reforçar a posição de liderança que a empresa assume na sua experiência e satisfação do cliente, nas necessidades do mercado, na produtividade, sustentabilidade, eficiência energética e conforto integral dos edifícios. Este investimento permitirá produzir novos produtos nas gamas de colagem e pavimentos, assim como ampliar a capacidade de produção dos produtos de revestimento de fachadas, contribuindo assim para um melhor serviço no que diz respeito ao fornecimento das soluções ETICS (isolamento térmico pelo exterior), aos clientes da marca Saint-Gobain Weber – líder no sector das argamassas industriais.

Ainda no que diz respeito à melhoria do serviço, com a integração na mesma sociedade das marcas ISOVER, Placo® e Weber foram investidos 600 mil euros na construção de um novo armazém logístico, no centro de Argamassas Industriais do Carregado, incrementando em 2000 m2 o nosso centro logístico. Desta forma, será possível optimizar cargas de diferentes gamas de produtos destas marcas num único espaço, reduzindo assim também a nossa pegada carbónica pela significativa redução de transportes, centralizando as entregas no mesmo local. Estima-se que este centro logístico esteja operativo ainda em Maio de 2021.

Podemos antecipar algumas novidades ou inovações que venham a lançar ainda este ano?

A Saint-Gobain sempre se distinguiu pela sua capacidade de se diferenciar dentro das várias áreas de negócio em que actua. Em 2021, foi mesmo nomeada como uma das 100 empresas mais inovadoras do mundo no ranking Clarivate Top 100 Global Innovator™ 2021, pela décima vez consecutiva. Sobre este eixo tão importante para o nosso ADN, é também interessante recordar que, desde o início da última década, a Saint-Gobain a nível mundial apresentou mais de quatro mil patentes, financiou mais de 100 teses académicas, desenvolveu significativas inovações de produto, melhorou os seus processos de produção, inovou no serviço ao cliente e na gestão da cadeia de abastecimento graças à tecnologia digital, ao uso de dados e inteligência artificial.

O Grupo, graças aos seus 3.600 investigadores, investiu 428 milhões de euros em Investigação e Desenvolvimento em 2020.

Já a nível nacional, também a Inovação tem sido desde sempre um pilar importante no desenvolvimento do grupo Saint-Gobain em todas as suas actividades. Como exemplo de uma das últimas inovações importantes, destaco o lançamento conseguido este ano pela marca Weber em Portugal, de um produto inovador e sustentável: o Webercol Flex Lev, vencedor do prémio 5 estrelas, escolha nº1 da marca dos profissionais e com a atribuição de menção honrosa no prémio nacional de sustentabilidade. Este produto, é um cimento-cola para colagem de cerâmica, que utiliza 30% de matérias-primas recicladas provenientes de outras indústrias, contribuindo de forma muito positiva para o objectivo de redução de emissões carbónicas. Trata- se de uma solução criada no laboratório de Investigação e Desenvolvimento em Aveiro, o centro de competências da empresa para o desenvolvimento de argamassas para colagem de cerâmica à escala internacional. Foi o primeiro produto Saint-Gobain a nível mundial a ser lançado com estas características havendo já neste momento alguns países a seguir esta tendência lançada por Portugal.

Adicionalmente, este produto inovador apresenta uma excelente performance, possuindo propriedades que melhoram o seu desempenho e aderência. O Webercol Flex Lev permite ter sacos com 12,5 kg com o mesmo rendimento que as argamassas tradicionais em sacos de 25 kg, sendo um produto que não exige esforço no transporte. Do ponto de vista de manuseamento, também exige menor esforço do que o habitual, o que se torna vantajoso para todo o processo em armazém, loja ou obra, promovendo a saúde e bem- estar dos utilizadores. De forma semelhante, os gastos energéticos e emissões de CO2 associadas a todo o processo de transporte de materiais são também consideravelmente reduzidos.

O produto apresenta múltiplas funções servindo para colagem de cerâmica, pedra natural e mosaico hidráulico, em pavimentos e paredes interiores, bem como em fachadas e pavimentos exteriores. Ao contrário do que usualmente acontece, a mais-valia de sustentabilidade aportada pelo Webercol Flex Lev é alcançada sem que haja um aumento do custo da solução, o que permite que o benefício de sustentabilidade não signifique um custo acrescido para os seus utilizadores.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
Artigos relacionados
Empresas

Reynaers Aluminium lança nova gama Paralline

Os modernos sistemas podem ser utilizados em fachadas, terraços ou pátios que precisam de criar áreas sombreadas ao ar livre, principalmente no Verão em que os dias são maiores, mas igualmente ao longo do ano

A Reynaers Aluminium, especialista líder no desenvolvimento e comercialização de soluções inovadoras e sustentáveis em alumínio, apresenta para o verão de 2021 a nova gama de produtos que permite a arquitetos e profissionais de construção e remodelação, conceber e construir casas e edifícios únicos.

O revestimento Paralline combina, segundo a empresa, o design contemporâneo a soluções sustentáveis fruto da experiência de mais de 50 anos da Reynaers Aluminium na produção de soluções em alumínio para uma variedade de aplicações. De acordo com Marta Ramos, directora de marketing da Reynaers “a Reynaers tem-se posicionado como um parceiro de excelência para instaladores, arquitectos e donos de obra por via de um forte investimento em pesquisa, desenvolvimento e suporte técnico, consolidado em produtos inovadores, sustentáveis e centrados nas necessidades de cada um dos intervenientes no processo construtivo”.

Os modernos sistemas podem ser utilizados em fachadas, terraços ou pátios que precisam de criar áreas sombreadas ao ar livre, principalmente no Verão em que os dias são maiores, mas igualmente ao longo do ano, particularmente nos países do sul da Europa.
Para além de ganhos ao nível da eficiência energética, criam uma nova oportunidade de revestimento para paredes opacas ou transparentes sem necessidade de interferência de uma terceira parte no projecto.

Segundo assegura a empresa em comunicado, Paralline pode ser combinada e ajustada a qualquer elemento ou material da fachada de um edifício (incluindo janelas e portas). As opções de design são muito variadas, utilizando perfis horizontais ou verticais, com diferentes profundidades e uma conjugação de estilos para estéticas exclusivas perfeitamente adaptadas às pretensões do cliente. Está, do mesmo modo, integrada no sistema Reynapro para cálculo e orçamentação fiáveis. Os elementos podem ser pré-assemblados em oficina, permitindo uma fácil e rápida instalação e alinhamento no local. Para o proprietário, isto significa previsibilidade em custos e prazos.

“Paralline é a solução perfeita para impulsionar a sustentabilidade do seu edifício em nova construção ou em reabilitação. Uma camada de isolamento pode ser instalada atrás do revestimento da fachada Paralline para uma óptima eficiência energética”, asseguram os responsáveis da Reynaers, que acrescentam que “quando instalado em sobreposição com as janelas ou portas, os produtos Paralline actuam como um sistema de sombreamento. Além dos benefícios do isolamento, o sistema é também fácil de desmontar e reciclar, dando assim uma resposta à crescente procura de soluções para fachadas circulares”.

Sobre o autor
CONSTRUIR
Empresas

Weber lança novas versões do selante Webercolor: Sealceramic e Sealstone

A aposta da empresa tem como objectivo reforçar a sua notoriedade enquanto especialista na actividade, oferecendo selantes adequados à cor da oferta de juntas Webercolor

A Weber, da Saint-Gobain Portugal, acaba de relançar no mercado nacional os selantes Webercolor Sealceramic e Webercolor Sealstone. A aposta da empresa tem como objectivo reforçar a sua notoriedade enquanto especialista na actividade, oferecendo selantes adequados à cor da oferta de juntas Webercolor, melhorando o resultado técnico e estético das distintas obras.

O Sealceramic destina-se à selagem elástica de juntas entre cerâmica, para interiores e exteriores, paredes e pavimentos, podendo também ser utilizado em combinação com os sistemas de fachadas Webertherm da marca. O produto apresenta resistência a fungos e elevada elasticidade e aderência.

Já o Sealstone está indicado para a selagem elástica de juntas entre pedra, para interiores e exteriores de edifícios, paredes, pavimentos e piscinas, sendo também resistente a fungos, com elevada elasticidade e aderência.

Estes tipos de revestimentos estão sujeitos a muitas tensões em consequência das variações de temperatura e humidade assim como das sobrecargas a que as construções são submetidas. Uma forma de aliviar ou absorver estes esforços, evitando o destacamento das peças, é prevendo juntas no pavimento ou revestimentos ao executar a solução.

Paralelamente, os produtos mencionados são adequados para preenchimento dos remates entre painéis cerâmicos ou pétreos com os elementos adjacentes (tais como sanitários, rodapés ou caixilharia), remates estes que devem ser executados com materiais elastoméricos capazes de prevenir a passagem de água e proporcionar uma continuidade estética entre as partes.

Os produtos diferenciam-se, desta forma, pelas propriedades tecnicamente ajustadas aos dois tipos de revestimentos mais comuns: cerâmica e pedra natural. Em adição, esta oferta está ajustada à disponibilidade de cor presente na gama Webercolor, permitindo manter as características técnicas/estéticas dos revestimentos em cerâmica e pedra natural.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

MAN lança novas carroçarias para eTGE

Com caixa, a MAN eTGE possui um espaço de carga de 3.280 mm de comprimento, 2.060 mm de largura e 2.000 mm de altura (opcionalmente 2.200 mm). Isto corresponde a um generoso volume de carga de 13,5 metros cúbicos

CONSTRUIR

A MAN, especialista em produtos e serviços inovadores para a indústria de veículos pesados de mercadorias e passageiros, está já a promover um conjunto de novas carroçarias associadas ao modelo eTGE, nomeadamente uma carroçaria com caixa.

Com a introdução da solução a ser feita junto de uma empresa de mobiliário na Holanda, a opção, segundo a MAN, permite a entrega local, sem emissões, de móveis geralmente volumosos na metrópole de Amesterdão. Com este passo, a empresa contribui para a melhoria da qualidade do ar na cidade e, simultaneamente, responde ao aumento do número de entregas ao domicílio desde o início da pandemia, o que torna o transporte limpo ainda mais importante.

O facto de cada vez mais empresas pensarem desta forma também se reflecte nas actuais estatísticas de registo na Europa (UE 27 + 3). De Janeiro a Maio de 2021, o número de vans eléctricas a bateria (BEV) entre 3 e 6 t GVW duplicou em comparação com o período homólogo para cerca de 2.200 unidades (+ 135%).

Anteriormente, a MAN eTGE estava disponível como furgão na área de transporte de mercadorias e como minibus no sector de transporte de passageiros. Com o objectivo de oferecer aos seus clientes uma gama ainda mais ampla na classe de veículos comerciais eléctricos leves, a MAN Truck & Bus, em cooperação com conceituados fabricantes, oferece a eTGE com caixa, com plataforma ou basculante trilateral.

“Na nova versão, a eTGE torna-se ainda mais atraente para os motoristas de entrega. Porque muitos clientes de negócios de entregas urbanas estão interessados num grande volume de carga, seja para entregas de pedidos online de grande volume ou para entregas de móveis. Ao mesmo tempo, está a tornar-se cada vez mais importante, especialmente na cidade, reduzir de forma sustentável as emissões de gases de escape e ruídos. A MAN eTGE com caixa oferece a combinação ideal para isso”, explica Martin Imhoff, director de Marketing de Produto Van na MAN Truck & Bus.

Com caixa, a MAN eTGE possui um espaço de carga de 3.280 mm de comprimento, 2.060 mm de largura e 2.000 mm de altura (opcionalmente 2.200 mm). Isto corresponde a um generoso volume de carga de 13,5 metros cúbicos. A altura é de 1.050 mm. A área de carga pode ser facilmente alcançada através de um auxílio de entrada extensível de 4 partes na traseira. No interior, existem calhas laterais e frontais para o armazenamento seguro da carga. A carroçaria de carga vem da empresa SPIER Fah-rzeugwerk de Steinheim, Alemanha, e é montada na eTGE pelo fabricante.

A segunda novidade da gama MAN eTGE tem um propósito diferente: os serviços municipais, a indústria da construção, da jardinagem e paisagismo. Aqui, uma plataforma ou um basculante trilateral costumam ser os formatos de corpo mais procurados. A MAN oferece agora em cooperação com o fabricante Schoon Fahrzeugsysteme de Wiesmoor, Alemanha. A plataforma mede 3.255 mm de comprimento e 2.040 mm de largura. As paredes laterais rebatíveis têm 300 mm de altura. 10 olhais de amarra, cada um com uma força de tracção de 500 daN, estão integrados na plataforma. Com a plataforma, a carga útil é de 820 kg, com a basculante trilateral é de 750 kg.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Portugal prepara presença na Hannover Messe 2022

Cerca de 40 empresas confirmaram já formalmente a sua participação na edição da Hannover Messe 2022, da qual Portugal será País-parceiro

CONSTRUIR

Portugal irá apresentar-se em Hannover com uma forte presença expositiva, com um pavilhão central e três pavilhões temáticos, além de uma vasta programação de conferências, colóquios e iniciativas culturais.

Sob o mote “Portugal Makes Sense”, a presença portuguesa será focada nas áreas Engineered Parts & Solutions, Energy Solutions e Digital Ecosystems, representativos da oferta nacional de clusters de excelência nos sectores de equipamentos e metalomecânica, mobilidade, automóvel e aeronáutico, têxteis e plásticos técnicos, moldes, tecnologias de produção e energias renováveis.

A participação portuguesa é uma organização conjunta da AICEP, da AIMMAP – Associação dos Industriais Metalúrgicos Metalomecânicos e Afins de Portugal e da CCILA – Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã. As inscrições das empresas são feitas junto da AIMMAP.

A feira Hannover Messe 2022, a decorrer de 25 a 29 de abril do próximo ano na Alemanha, serve de ‘farol’ à indústria alemã e, simultaneamente, de referência para o sector industrial de outros países, já que 40% dos seus visitantes são estrangeiros.

Várias empresas portuguesas participaram em workshops realizados em Braga, Aveiro e Lisboa, com o objectivo de prepararem as respeptivas presenças nesta que é a maior feira mundial da indústria, de que Portugal é país-parceiro.

A dinamização dos workshops foi uma promoção conjunta da AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, AIMMA – Associação dos Industriais Metalúrgicos e Afins, e da CCILA – Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã.

A organização contou também com a colaboração da Associação Empresarial do Minho, da Câmara de Comércio e Indústria do Distrito de Aveiro e também da Associação Nacional das Empresas Metalúrgicas e Eletromecânicas.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Extrusal apresenta sistema de janelas B.095 Light View

O B.095 Light View representa a aposta constante do Grupo Extrusal em oferecer ao mercado soluções focadas na eficiência energética do edificado

Ricardo Batista

O grupo Extrusal, especialista no desenvolvimento de sistemas sustentáveis para a arquitectura, está a promover uma nova solução que vai, segundo a companhia, “ao encontro do que o público já procurava”: um sistema de janelas e sacadas robusto, elegante e com excelentes desempenhos. O B.095 Light View apresenta-se enquanto solução intermédia entre os sistemas de correr com uma maior expressão da vista de alumínio e os sistemas minimalistas tradicionais.

Caracterizado pela vista reduzida do perfil central, com uma vista de apenas 30 mm, o sistema B.095 LV contempla soluções de até 6 folhas em carril triplo, perfazendo um envidraçado com uma largura de 18 m e uma área extensível aos 54 m2, possibilitando ainda a abertura útil de 2/3 do vão, ou seja 12 m. Para reforçar a redução das vistas dos perfis, o sistema B.095 LV oferece a possibilidade da soleira ser embutida na construção, ficando nivelada com pavimento, conferindo ao sistema uma maior acessibilidade.

Relativamente às esquadrias, existe a opção de aro com união a 45º (solução perimetral) e, com um perfil de ombreira, a 90º com uma vista reduzida de 20 mm, perfazendo um total de 96 mm ao contemplar a vista da folha.

A Extrusal assegura a robustez do sistema B.095 LV pelo reforço do perfil central para as construções expostas a condições climatéricas mais agressivas, sobretudo à acção do vento. O B.095 Light View incorpora a nova linha de fechos e puxadores URBAN que confere ao sistema uma maior segurança, pelo fecho de dois ou três pontos com ou sem fechadura dependendo do nível de segurança desejado, e uma maior versatilidade de soluções em termos estéticos pela possibilidade desta linha poder assumir a cor, o acabamento e a textura do caixilho.

O B.095 Light View representa a aposta constante do Grupo Extrusal em oferecer ao mercado soluções focadas na eficiência energética do edificado. O sistema está concebido para a obtenção de resultados significativos de poupança no consumo de recursos energéticos. O B.095 LV de ruptura térmica, possui perfis com poliamidas de 24 mm e 28 mm e permite a aplicação de vidro duplo com espessura nominal compreendida entre 28 mm a 36 mm.

Assim, os elevados desempenhos do sistema B.095LV, conjugados com vidros adequados, permitem obter a classificação A+ de acordo com o sistema de etiquetagem energética Classe+ da ADENE. Termicamente, a solução permite obter um Uw = 1,36 W/m ²K, com um vidro Ug = 1,0 W/m²K e acusticamente, resultados de atenuação até 31 dB.

O sistema B.095 Light View é mais uma das respostas do Grupo Extrusal no desenvolvimento de soluções para a Arquitectura que cumpre com os mais rigorosos padrões de qualidade em termos de design, conforto, eficiência energética e segurança, e com uma forte participação para uma economia circular.

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos

Já protegeu o seu deck para este verão?!

Faça rejuvenescer o seu deck com Bondex!

Brand SHARE

Faça rejuvenescer o seu deck com Bondex! No vasto portefólio da marca encontrará a solução ideal – Bondex Deck – um óleo de de acabamento mate que protege a madeira contra as alterações climáticas e raios UV, mantendo o seu aspecto natural.

Indicado para a manutenção de decks e terraços, Bondex Deck nutre e preserva a madeira, garantindo o seu brilho e a sua essência.

Saiba mais sobre Bondex Deck em BONDEX.PT

Autor: Bondex

Sobre o autor
Brand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Empresas

Concorrência dá ‘luz verde’ à venda de 50% da Maxmat à BME

Empresa do grupo BME, detida pela Blackstone, da participação de 50% na Maxmat, que assim passa a ser a única dona desta cadeia de lojas

CONSTRUIR

A Autoridade da Concorrência (AdC) concluiu o processo de venda de uma participação de 50% da empresa de materiais de construção Maxmat, detida pela Sonae, à empresa do grupo BME com a decisão de não oposição na operação de concentração.

“O conselho da AdC adoptou uma decisão de não oposição na operação de concentração 28/2021 – BME/Maxmat”, lê-se na decisão publicada no “site” da AdC. Em causa está o negócio de compra à Sonae, por parte de uma empresa do grupo BME, detida pela gestora de investimentos Blackstone, da participação de 50% na Maxmat, e que assim fica ser a única dona desta cadeia de lojas de bricolage, manutenção, reparação e renovação de edifícios residenciais, e jardinagem, com 30 lojas, e que em 2020 registou um volume de negócios de 116 milhões de euros.

A operação já tinha sido notificada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em 28 de Maio, e também à AdC, por se tratar de uma operação de concentração, resultante da aquisição de controlo exclusivo pela BME Group Holding, por via da sua subsidiária em Portugal, Cimentos Estrada Pedra, sobre a Modelo – Distribuição de Materiais de Construção (“Maxmat”). Sedeada nos Países Baixos, em Portugal a BME desenvolve actividades através da sua subsidiária Cimentos Estrada Pedra, já tinha metade do capital da Maxmat.

Integralmente detida pelo Grupo Blackstone, a BME Group Holding tem como áreas de negócio estabelecimentos comerciais de materiais para construção civil, equipamentos sanitários, de aquecimento e de canalização, e estabelecimentos comerciais “do-it-yourself”. Em 27 de Maio, a Sonae SGPS anunciou que encaixou 65 milhões de euros com a venda ao grupo BME da participação de 50% da sua subsidiária Sonae MC no capital da Maxmat, o que representa uma mais-valia de 40 milhões de euros.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Carrier amplia gama de soluções do sistema Split

Um novo design de ventilador economiza 30% de energia em comparação com o design anterior. O modo de espera automático também inclui um efeito de economia de energia

CONSTRUIR

Os Instaladores de aquecimento, ventilação e ar condicionado (AVAC) podem agora escolher entre uma gama completa de unidades e sistemas Carrier para aplicações residenciais e comerciais, incluindo sistemas split e a última geração de sistemas energeticamente eficientes de caudal variável (VRF) com o XCT7.

Toda a gama de unidades split e multisplit operam com o fluído frigorigéneo R-32 em escala para atender às necessidades de controlo de temperatura dos clientes, desde residências unifamiliares a edifícios de retalho e aeroportos. As unidades Carrier estão nas classes de eficiência energética A ++ e A +++ com Índice de Eficiência Energética Sazonal (SEER) de até 9,3.

Até cinco unidades interiores podem ser conectadas a uma unidade exterior. A variedade de unidades interiores agora inclui unidades murais, cassetes e condutas. Com o sistema duplo, duas unidades interiores com a mesma capacidade podem ser conectadas a uma unidade exterior e controladas com um controlador comum. Isto permite que áreas maiores sejam arrefecidas de forma mais económica.

Todas as unidades têm uma ampla gama de operação de -15 a 50 ºC. As unidades exteriores têm protecção anti-corrosão e função autolimpante contra poeiras e areias. A tecnologia inverter garante economia de energia e temperatura ambiente constante, sem oscilações. Um novo design de ventilador economiza 30% de energia em comparação com o design anterior. O modo de espera automático também inclui um efeito de economia de energia.

Controlo remoto com fio e infravermelho estão disponíveis para o funcionamento das unidades. Com o aplicativo Carrier Air Conditioner disponível para download na Apple® App Store e na Google® Play App Store, as unidades podem ser geridas com o tablet iPad®, iPhone® e smartphones Android ™.

“Face às alterações climáticas e ao aumento da procura de conforto e qualidade do ar, o ar condicionado em habitações e edifícios como lojas, escritórios e restaurantes está a ganhar importância”, afirmou Hugo Delgado, Country Director da Carrier Portugal. “A tendência do teletrabalho, que provavelmente continuará após a pandemia de COVID-19, também contribui para o aumento da necessidade. Estamos totalmente preparados para suportar os nossos clientes com soluções de ar condicionado de qualidade comprovada pela Carrier.”

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

STET dedica página à divulgação de soluções de cogeração

Os novos Geradores de Energia 2G destacam-se pelas suas melhorias, nomeadamente ao nível da redução considerável de fricção e de perdas de calor

CONSTRUIR

A STET e a Finanzauto assinaram um acordo de representação de soluções de cogeração da marca alemã 2G para os territórios de Espanha, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe, estando para o efeito a promover uma página online onde poderão ser encontradas todas as soluções disponíveis.

Os grupos geradores a gás natural, biogás e hidrogénio juntam-se assim à gama de soluções de energia que a STET e Finanzauto disponibilizam para os seus clientes. Os novos Geradores de Energia 2G destacam-se pelas suas melhorias, nomeadamente ao nível da redução considerável de fricção e de perdas de calor devido ao uso de pistões de aço. Por sua vez, a tecnologia de quatro válvulas veio permitir uma troca de gás altamente eficiente na câmara de combustão e, não menos importante, os Geradores 2G apresentam um sistema de ignição controlado por microprocessador que garante que o tempo de ignição e a energia de ignição correspondam perfeitamente à qualidade do gás.

A montagem modular facilita a instalação até nos locais menos acessíveis, assumindo-se robusto e de baixa manutenção. Em virtude dos componentes do motor de alta resistência, é muito confiável na operação de ligar e desligar. Estas medidas aumentaram significativamente o nível de eficiência dos Geradores 2G. A título de exemplo, tanto o modelo Agenitor 406 (250 kW eléctrico) como o Agenitor 408 (360kW eléctrico) têm agora um nível de eficiência eléctrica de 42,5%, o que os coloca no topo das suas respectivas classes de potência, no mundo. Para o utilizador do sistema CHP, o melhor nível de eficiência resulta no menor consumo de gás e, como tal, menores
custos de combustível.

Sobre o autor
CONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector da construção, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias da Construção em Portugal. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue
Sobre nós
Grupo Workmedia
Mantenha-se conectado
©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.