Edição digital
Assine já

SIKA Consigo é a nova aposta deste verão

O mote para o lançamento de duas campanhas publicitárias da Sika Portugal em dois diferentes canais – o canal TV e o canal digital online – chama-se Sika CONSIGO. Sika CONSIGO (sikaconsigo.pt) expressa proximidade imediata ao cliente final para utilização de produtos e soluções Sika. O conceito reflete também a grande facilidade individual, ou através… Continue reading SIKA Consigo é a nova aposta deste verão

Brand SHARE

SIKA Consigo é a nova aposta deste verão

O mote para o lançamento de duas campanhas publicitárias da Sika Portugal em dois diferentes canais – o canal TV e o canal digital online – chama-se Sika CONSIGO. Sika CONSIGO (sikaconsigo.pt) expressa proximidade imediata ao cliente final para utilização de produtos e soluções Sika. O conceito reflete também a grande facilidade individual, ou através… Continue reading SIKA Consigo é a nova aposta deste verão

Brand SHARE
Sobre o autor
Brand SHARE
Artigos relacionados
Responder aos desafios da Habitação segundo os princípios da NEB Goes South
Arquitectura
Gordon Brothers e JLL formam aliança para oferecer serviços integrados em Espanha e Portugal
Imobiliário
Residência Nossa Senhora da Piedade nasce em Almada
Construção
Fuse Valley: Um projecto que materializa a “inovação, sustentabilidade e tecnologia”
Imobiliário
OptylonKrea lança fundo de 150 M€ para investir em branded residences
Imobiliário
Espaços de trabalho são cada vez mais um modelo “escritórios-satélite”
Imobiliário
Mafalda Samwell Diniz é a nova Head of Marketing & Communication da MALEO
Empresas
Grupo Preceram na Tektónica 2021
Construção
São João da Madeira: Câmara promove concurso de ideias para EB2,3
Construção
EUREKATHON 2021 procura soluções para cidades sustentáveis
Engenharia

O mote para o lançamento de duas campanhas publicitárias da Sika Portugal em dois diferentes canais – o canal TV e o canal digital online – chama-se Sika CONSIGO.

Sika CONSIGO (sikaconsigo.pt) expressa proximidade imediata ao cliente final para utilização de produtos e soluções Sika. O conceito reflete também a grande facilidade individual, ou através de profissionais da construção, para qualquer pessoa, a resolver problemas de construção rapidamente na sua casa, no seu projeto ou na sua obra. Em suma a mensagem pretende mostrar que qualquer um, com as soluções Sika, consegue aplicar e resolver.

Na TV, a campanha publicitária Sika CONSIGO materializa-se no canal SPORT TV com vários spots publicitários de produtos Sika em todos os jogos do EURO 2020.

No canal digital online a campanha Sika CONSIGO divulgará durante os próximos 3 meses vários produtos Sika através das plataformas GOOGLE, FACEBOOK, INSTAGRAM, LINKEDIN, PINTEREST e YOUTUBE e em outros sites de relevância nacional, sejam desportivos ou de notícias generalistas.

Os pontos de venda Sika CONSIGO e as obras em território nacional estão já a ser objeto deste novo conceito de comunicação com merchandising customizado.

Os resultados esperam alavancar as vendas de todos os parceiros de negócio Sika.
Mais detalhes sobre soluções construtivas Sika CONSIGO em prt.sika.com/pt/sika-consigo.html 

Autor: SIKA

Artigos relacionados
Responder aos desafios da Habitação segundo os princípios da NEB Goes South
Arquitectura
Gordon Brothers e JLL formam aliança para oferecer serviços integrados em Espanha e Portugal
Imobiliário
Residência Nossa Senhora da Piedade nasce em Almada
Construção
Fuse Valley: Um projecto que materializa a “inovação, sustentabilidade e tecnologia”
Imobiliário
OptylonKrea lança fundo de 150 M€ para investir em branded residences
Imobiliário
Espaços de trabalho são cada vez mais um modelo “escritórios-satélite”
Imobiliário
Mafalda Samwell Diniz é a nova Head of Marketing & Communication da MALEO
Empresas
Grupo Preceram na Tektónica 2021
Construção
São João da Madeira: Câmara promove concurso de ideias para EB2,3
Construção
EUREKATHON 2021 procura soluções para cidades sustentáveis
Engenharia
Arquitectura

Responder aos desafios da Habitação segundo os princípios da NEB Goes South

A 29 de Setembro, a cidade do Porto recebe “The question of housing”. Teresa Calix, vice-directora da FAUP deixa-nos algumas pistas sobre a importância do debate destas temáticas e sobre a procura de respostas mais adaptadas a cada realidade

Reflectir e propor futuros modos de vida que respondam ao Pacto Ecológico através de soluções sustentáveis, inclusivas e belas é o desafio central do novo movimento cultural, a “New European Bauhaus”. Reconhecendo a condição comum – geográfica e climática – dos países do Sul da Europa e o seu legado cultural, a Universidade do Porto associou-se a outras cinco universidades na criação de uma plataforma pan-europeia de encontro e debate, a NEB goes South, com vista à identificação de problemas e oportunidades comuns e partilha de experiências. Arquitectos, paisagistas, designers, engenheiros, geógrafos, sociólogos e outros especialistas irão procurar compreender e mapear as especificidades do sul da Europa, para reflectir e propor respostas mais adaptadas.

Apresentada em Junho, a plataforma NEB Goes South prevê a realização de seis conferências até Janeiro de 2022, em seis cidades europeias. A primeira teve lugar em Julho, em Atenas, com o tema “Designing with the landscape” e a 29 de Setembro, a cidade do Porto recebe a segunda conferência, com o tema “The question of housing”. As seguintes irão realizar-se em Zagreb (Outubro), Bolonha (Novembro), Valencia (Dezembro) e Toulose (Janeiro 2022).

“Habitação é um tema obrigatório”

A habitação é um dos temas subjacentes aos pressupostos da NEB. O “direito a uma habitação condigna”, enquanto “condição essencial para a redução das desigualdades sociais”, será um dos pontos em debate, assim como a necessidade de intervenção num parque edificado muitas vezes precário. “É fundamental aumentar a vida do edificado e garantir a equidade de acesso”, afirmou ao Construir Teresa Calix, vice-directora da FAUP e coordenadora do grupo de investigação Morfologias e Dinâmicas do Território do Centro de Estudos em Arquitectura e Urbanismo da FAUP.  E se, actualmente, a habitação já pressupõe soluções que garantam “edifícios resilientes que integrem como dimensões críticas a adaptabilidade, a acessibilidade e as mudanças climáticas”, há ainda, por outro lado, muito parque habitacional que se encontra precário e a necessitar de intervenção. Acções essas que iriam também contribuir para tornar as cidades mais sustentáveis, na medida em que “garantindo as condições de habitabilidade, e incrementando as capacidades de acesso, se reduz os recursos consumidos em percursos mais longos e qualifica o espaço urbano enquanto responde às necessidades de uma população mais vulnerável”, salienta.

“Respostas adaptadas a cada região”

Os países do sul da Europa estão a lidar com sinais crescentes de eventos climáticos extremos, aumento das temperaturas, ilhas de calor, desertificação e seca. Além disso compartilham “histórias ricas e uma herança cultural próxima”, considera Teresa Calix, sendo essa realidade suficiente para criar uma plataforma única que visa “encontrar respostas adaptadas a cada região que devem ser discutidas e construídas em conjunto”.

“Novos projectos e soluções inovadoras podem ser mais facilmente alcançados e adaptados a problemas reais se tivermos em conta regiões que compartilham climas, ecossistemas, culturas e problemas sociais semelhantes”, confirma.

A plataforma NEB goes South reconhece este este legado geográfico e cultural comum, procurando promover um debate centrado em torno de questões fundamentais para este contexto territorial, sem carácter restritivo e sujeito às mais diversas interacções.

“Mudança cultural”

Se a New European Bauhaus requer uma mudança a vários níveis, as instituições de ensino não querem ficar para trás. Na realidade estas são “fundamentais para garantir a mudança cultural que é necessária”, considera Teresa Calix e, é neste sentido, que entra em acção o papel da FAUP e das restantes faculdades que integra a plataforma NEB goes South. O conhecimento determina as alterações de comportamento e é vital para estimular a acção e efectuar mudanças. O ensino deve promover uma mudança que integre como princípio ético uma visão não linear mais inclusiva, que considere os ciclos biológicos e a circularidade dos recursos e ao mesmo tempo que seja preservadora dos valores e esteticamente estimulante. A ciência, a tecnologia, e as artes têm de ser percebidas como aliados fundamentais.

 

Caixa

Programa | Conferência “The question of housing” (29 de Setembro – 13h30 – 18h30)

Bloco 1 | 13h30-13h50 Abertura

António de Sousa Pereira, reitor da Universidade do Porto

João Pedro Xavier, reitor da Faculdade da Arquitectura (U. Porto)

João Miguel Rodrigues, director do Centro de Estudos em Arquitectura e Urbanismo (Universidade do Porto)

13h50 – 14h15 Gonçalo Byrne, presidente da Ordem dos Arquitectos

14h15 – 14h40 – Lacol arquitectes

14h40 – 15h00 – Q&A

Bloco 2 | Debate

15h15 – 16h15 – Sessões paralelas:

1 The right to the right house

2 Reconciling housing with the environment and culture

3 Resilient modes of inhabitation

4 A new paradigm: retrofitting, re-using, (dis)assembly, up-cycling

5 Housing design: modes of education and practice

Bloco 3 | Acção

17:00-17:15    Resumo das sessões

2 keynotes + 3 oradores convidados. Confirmados até ao momento: Carmen Espegel e  Filipa Roseta

18:15-18:30     Conclusões

Mia Roth-Čerina (University of Zagreb) e Teresa Calix (Universidade do Porto)

 

BIO

Teresa Calix

Teresa Calix

Arquitecta e professora assistente da FAUP, Teresa Calix é actualmente vice-reitora e coordenadora do grupo de investigação “Morfologias e Dinâmicas do Território” do Centro de Estudos de Arquitectura e Urbanismo. Além disso, coordena, também, a Pesquisa Dinâmica e Formas Urbanas, do Programa de Doutoramento em Arquitetura e responsável pelos cursos “Projecto 5” – estúdio de desenho urbano – e “Urbanística 2“ – teoria urbana – do Mestrado Integrado em Arquitectura.

Tem coordenado diversos projetos de investigação aplicada e as suas atividades docentes têm sido oportunidades para aprofundar as relações, tanto com instituições como com especialistas das diversas áreas do conhecimento que se relacionam com o desenvolvimento urbano e sustentável.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
Imobiliário

Gordon Brothers e JLL formam aliança para oferecer serviços integrados em Espanha e Portugal

A aliança estratégica eleva as ofertas para empresas de retalho e industrial em processos de transformação em Espanha e Portugal

A Gordon Brothers, a empresa global de consultoria, reestruturação e investimento, e a Jones Lang LaSalle Incorporated (JLL), formaram uma aliança estratégica para oferecer serviços integrados a empresas que operam em Espanha e Portugal e que estão a passar por situações de mudança. A aliança Ibérica abrange os sectores de retalho e industrial, ambos com potencial para maximizar o valor de uma empresa em processos de transformação. E assenta numa parceria estratégica de longa data entre as duas empresas nos EUA, em sectores de retalho e industrial, que tem executado com sucesso processos de expansão, restruturação, vendas, avaliações e realocações.

A Gordon Brothers apoia as empresas em fase de mudança estratégica através das suas avaliações, escoamento de stocks e maximização de capital, enquanto a JLL traz uma das maiores plataformas globais de serviços imobiliários, serviços de mercado de capitais e capacidades de gestão imobiliária. Juntos, proporcionam uma oferta integrada e única de uma das maiores e mais experientes equipas de imobiliário, retalho e industrial.

Além disso, a gestão do fluxo de trabalho é feita com um único ponto de contacto para todos os serviços disponíveis fruto desta parceria: imóveis, inventário, instalações, equipamentos, mobiliário e marcas. A Gordon Brothers e a JLL apoiam empresas em situações de transformação que podem exigir necessidades de capital e de escoamento de activos, optimizando as suas operações e liquidez.

Os serviços combinados incluem revisão do portfolio imobiliário, mitigação, resolução e reestruturação do arrendamento, vendas, avaliações, escoamento de activos, licenciamento e reestruturação de marcas, migração de clientes, financiamento, procura e análise de espaços, entre outros.

“A aliança com a JLL permite-nos oferecer um serviço abrangente de reestruturação de activos para empresas e negócios em processo de transformação, incluindo activos imobiliários”, disse Álvaro Cobo, Director Geral para Espanha e Portugal da Gordon Brothers. “Juntos, temos uma vasta experiência interna para analisar o valor dos activos, uma experiência significativa na venda ou liquidação de activos, e capacidade financeira para apoiar empresas e negócios que precisam desta numa base transitória”.

“Estamos encantados por este acordo nos permitir fornecer à nossa diversificada e sofisticada base de clientes espanhóis e portugueses uma gama complementar de serviços de avaliação e gestão de activos não imobiliários que a Gordon Brothers oferece”, disse Sérgio Fernandes, head of Capital Markets da JLL Espanha.

Também Mariana Ros, head of Leasing Markets Advisory of JLL Portugal, considera que, através desta aliança, “ganhamos a capacidade de mobilizar capital em Espanha e Portugal para apoiar empresas de retalho e industrial ao longo do seu ciclo de vida”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Residência Nossa Senhora da Piedade nasce em Almada

O projecto, com assinatura do arquitecto Eduardo Porfírio e do Centro de Estudos de Engenharia, Lda, está avaliado em mais de 4 milhões de euros e estará concluído em Julho de 2022. A empreitada está a cargo da dst, sa

Almada vai ter um novo equipamento social para seniores com uma área total de construção de aproximadamente 6.500m2. A Residência Nossa Senhora da Piedade, promovida pelo Centro Social Paroquial Padre Ricardo Gameiro, terá 17 quartos duplos, 24 individuais e seis apartamentos para casais e espaços de apoio à comunidade local, distribuídos por quatro pisos.

A execução da obra, no valor superior a 4 milhões de euros, está a cargo da construtora dst, sa. O projecto tem assinatura do arquitecto Eduardo Porfírio e do Centro de Estudos de Engenharia, Lda.

Edificado num espaço anteriormente ocupado por instalações industriais que se encontravam abandonadas, o novo equipamento social, localizado na Rua Francisco Ferrer, agrega ainda a ruína de uma antiga adega com 210m2, que será integrada no projecto após reabilitação. Estão previstas diversas valências destinadas ao apoio da comunidade local, nomeadamente uma capela, um espaço cultural polivalente, uma área destinada à fisioterapia e uma ludoteca, abertas ao exterior.


A empreitada, já em curso e com data de conclusão prevista para o Julho de 2022, inclui a demolição de edificações que se encontravam em avançado estado de degradação, escavação e contenção de terras, execução da estrutura de betão armado em vários níveis, cave, rés-do-chão, quatro pisos elevados, trabalhos de construção civil e redes de abastecimento de águas e gás, drenagens e incêndio. Está ainda prevista a execução de arranjos exteriores, arruamentos e de um espaço infantil.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Fuse Valley: Um projecto que materializa a “inovação, sustentabilidade e tecnologia”

“Ambicionamos construir um total de 24 edifícios, 14 dos quais prevemos que estejam construídos até 2025. Destes, sete são para os espaços da Farfetch e os restantes sete serão edifícios promovidos pelo Castro Group, incluindo o hotel”

A Farfetch, a plataforma global para a moda de luxo, em conjunto com o Castro Group, que actua nas áreas de promoção imobiliária e construção apresentaram publicamente, o projecto Fuse Valley, o futuro vale tecnológico que irá nascer em Matosinhos, nos próximos quatro anos.

Numa cerimónia que contou com as presenças de Pedro Siza Vieira, ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, de Luísa Salgueiro, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, e, ainda, o arquitecto dinamarquês do projecto, Bjarke Ingels e partner do Bjarke Ingels Group, João Albuquerque, foram mostrados os detalhes do novo complexo futurista que assenta em três pilares fundamentais: inovação, sustentabilidade e bem-estar.

“O novo Fuse Valley será um espaço de fusão e encontro, onde empresas, cultura, arte e a comunidade se fundem e se conectam. Por isso, uma das particularidades deste projecto é o facto de 81% dos espaços exteriores serem totalmente abertos à comunidade, numa total harmonia e respeito pelo meio-ambiente envolvente”, revela o arquitecto.

“Este empreendimento traduz os novos conceitos de trabalho num espaço físico desenhado para privilegiar a flexibilidade, mas também a conexão entre os colaboradores e a ligação com a comunidade”, reforça.

Com o objectivo de criar as melhores condições para que os colaboradores da Farfeth se sintam confortáveis no seu dia-a-dia e tenham ao seu dispor ferramentas para melhorarem o seu bem-estar, e ao mesmo tempo permita promover a colaboração e o sentido de equipa, a empresa desenvolveu um plano para a criação de espaços, como uma creche para os filhos dos colaboradores, uma academia focada no bem-estar e também salas para a prática de meditação, ioga e exercício, promovendo a saúde física e mental, num ‘Vale’ que, pela sua simbiose com a natureza, tem por si só uma proposta de valor diferenciadora.

Promovido pelo Castrou Group, o projecto engloba, no seu todo, 62.800 m2 de escritórios disponíveis para acolher outras empresas, um hotel com 75 quartos e 42 apartamentos, 5.000 m2 de espaços para comércio e serviços de suporte ao empreendimento, como áreas de restauração, ginásio e SPA, bem como um anfiteatro ao ar livre disponível para receber mostras de arte, palestras e workshops.

Segundo Paulo Castro, CEO do Castro Group, “o Fuse Valley é a interpretação perfeita da nossa regra de ouro, aplicada a todos os nossos projectos: localização, inovação, sustentabilidade e tecnologia. O que vamos fazer nascer em Matosinhos é algo ímpar e que coloca este espaço no mapa internacional do que melhor se faz quer ao nível da sustentabilidade, quer ao nível da inovação. Com este empreendimento propomo-nos desenvolver uma smart city, ou neste caso, um smart valley. Ambicionamos construir um total de 24 edifícios, 14 dos quais prevemos  que estejam construídos até 2025. Destes, sete são para os espaços da Farfetch e os restantes sete serão edifícios promovidos pelo Castro Group, incluindo o hotel”.

Além dos princípios de sustentabilidade aplicados à construção, o Fuse Valley estará também orientado para promover a mobilidade sustentável, com uma forte aposta nos espaços para o carregamento de veículos eléctricos e postos com bicicletas e trotinetes eléctricas para usufruto comum dentro do perímetro do vale. A ligação com as principais conexões de transportes públicos estará também assegurada com shuttles diários que ligam o empreendimento à rede local.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

OptylonKrea lança fundo de 150 M€ para investir em branded residences

O mercado de branded residences cresceu 236% nos últimos 10 anos e deverá manter uma expansão continuada com o impulso de grandes projectos em países como Portugal, Espanha e Turquia

A OptylonKrea, empresa pan-mediterrânica de promoção imobiliária e gestão de investimentos, tornou-se general partner da sociedade gestora de capital de risco Stag Fund Management, para lançar um novo fundo de 150 milhões de euros, o Prima Europe Fund, direccionado a investidores que procuram beneficiar do regime de Autorização de Residência para Actividade de Investimento (ARI), os chamados ‘Vistos Gold’, através do investimento nas branded residences Prima Collection.

Estudos mostram que o mercado de branded residences, unidades residenciais pertencentes a uma marca de alojamento de renome, cresceu 236% em todo o mundo nos últimos 10 anos, devendo manter uma expansão continuada ao longo da próxima década. Este segmento imobiliário, que pode atingir um prémio de até 31%, em comparação com non-branded residences, deverá registar um aumento nas quotas de mercado nos principais países mediterrâneos nos próximos anos, esperando-se que alcance 50% do mercado europeu e cerca de 10 % do mercado global, suportado principalmente por grandes projectos em Portugal, Turquia e Espanha.

A OptylonKrea, presente desde 2015 em Portugal e fund advisor em três fundos de investimento de acesso a Vistos Gold, identifica grandes oportunidades no contexto de retoma económica pós-Covid e aponta Portugal como um dos países que mais irá beneficiar das mudanças motivadas pela crise pandémica, tanto na forma de trabalhar como de viajar.

“Acreditamos que o número de nómadas está a aumentar em todo o mundo, pessoas que não estão ligadas a um local específico, mas a valores comuns. Por isso, decidimos reposicionar a nossa marca, para servir os viajantes, bem como os expatriados e os locais que procuram juntar o coliving e o coworking”, refere William Tonnard, presidente e COO da OptylonKrea, joint venture entre a turca Krea e a portuguesa fundada por franceses Optylon Capital. “A pandemia atingiu de forma particularmente severa o setor da hotelaria e alojamento desde 2020, mas a nossa marca de residências Prima Collection revelou-se muito mais resiliente em comparação com as marcas de hotéis”, adianta. Prova disso são as taxas de ocupação das residências Prima Collection em Lisboa, que atingiram 78,56% em 2020, o que compara com uma taxa de cerca de 21% nos hotéis.

Para o Presidente do Conselho de Administração da STAG, Sean Dowden, “é uma óptima oportunidade podermos contar com a experiência e track record da OptylonKrea, neste que é um dos 7 fundos que temos actualmente sob gestão. A STAG, desde a sua criação, tem revelado um crescimento sustentado, que é inegável. O lançamento deste fundo não só vem confirmar essa nossa política de crescimento, sendo, igualmente, manifestação inequívoca da elevação do patamar de qualidade em que pretendemos colocar a STAG”, afirmou.

Prima Collection, um novo género de coliving

A pandemia e o teletrabalho terão claramente impactos de longo prazo nos hábitos de viagem dos consumidores, com os hóspedes a priorizarem espaços maiores, com cozinhas totalmente equipada e espaços de trabalho próprio. Além disso, tem contribuído para o crescente interesse dos reformados por destinos que ofereçam boas infraestruturas de saúde. Portugal, assim como outros países mediterrânicos, irão certamente beneficiar desta tendência.

É neste contexto que a OptylonKrea decidiu redefinir a sua marca Prima Collection, nascida em Lisboa, e adaptá-la às novas especificidades do mercado, ao mesmo tempo que prepara a expansão para outros destinos mediterrânicos, com o objectivo de chegar até 25 novas localizações nos próximos cinco anos. As residências Prima Collection definem-se como “um novo género no coliving” que cruza o lifestyle característico das branded residences com um contacto local e cultural. A marca, reposicionada sob a consultoria da Servotel, está agora a ser redesenhada pelas premiadas agências criativas e de design Blacksheep e AvroKo.

O segmento de branded residence demonstrou estar bem preparado para responder às preferências dos clientes pós-Covid em mercados voltados para o turismo. Nesta nova era, os segmentos upscale e midscale vão superar o até agora dominante segmento de luxo, num contexto de democratização do mercado causada por uma procura crescente por produtos de luxo mais acessíveis e de 4 estrelas voltados para a geração Y (Millennials – nascidos entre 1980 e 1995) e famílias. Além disso, pesquisas recentes revelam novas tendências de design no mercado, como a crescente popularidade de terraços e jardins privados, quartos adicionais com flexibilidade para usar como escritório ou ginásio e novas tecnologias para permitir serviços personalizados.

Em termos de localização, um dos factores que pesa na preferência dos consumidores relaciona-se com o regime de atribuição de residência e cidadania através de investimento, que tem registado um forte crescimento nos principais países do Mediterrâneo (Portugal, Grécia, Espanha e Turquia) nos últimos oito anos, com o seu peso a crescer dez vezes para atingir 20% do mercado global.

Para Hakan Kodal, chairman da OptylonKrea, “no caso do programa português de Vistos Gold, a classe Imobiliário tem estado em constante evolução desde 2013, embora tenhamos assistido a uma tendência crescente para investimentos de menor dimensão – opções de 350 mil euros em imóveis e fundos de capital de risco nos últimos 2-3 anos”. O responsável acredita ainda que com as próximas mudanças regulatórias nas classes de activos elegíveis do programa e requisitos mínimos de investimento, as branded residences ganharão definitivamente mais tracção no mercado.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Espaços de trabalho são cada vez mais um modelo “escritórios-satélite”

Segundo a Savills, “apesar do teletrabalho ser uma tendência que parece ter vindo para ficar, o escritório físico continuará a ter a sua importância enquanto espaço que reforça os valores e cultura da empresa”

A continuidade dos espaços tradicionais de escritórios tem sido uma questão amplamente debatida desde que os modelos de trabalho remoto e híbrido, fruto da conjuntura pandémica, assumiram a dianteira das preferências dos colaboradores. Contudo, o espaço físico do escritório, quer seja a sede ou outros espaços-satélite, não deverá perder a relevância, afirma a consultora imobiliária internacional Savills.

Sublinhando a importância de as empresas olharem para os escritórios como mais do que meros locais de produtividade, a Savills aponta que estes espaços de trabalho devem cada vez mais adquirir os contornos de locais de promoção da criatividade, da troca de ideias, de contactos informais e de socialização entre colaboradores. Desta forma, os escritórios retêm a sua importância para as empresas e adquirem um novo significado para os colaboradores, assegurando a sua satisfação, minimizando perdas de rendimento e maximizando a retenção de talento.

Bárbara Clemente, Senior Architect, WELL AP & WP Strategist, Savills Portugal, refere que “o modelo de trabalho híbrido não é apenas resultado da pandemia. Há muito que se discute e se desenvolvem espaços de trabalho que espelham a cultura organizativa, quer pela flexibilidade que a tecnologia tem vindo a trazer, quer pela vontade de estimular a criatividade de cada um, possibilitando um maior equilíbrio entre trabalho e vida pessoal”.

O modelo organizativo deverá ser adaptado a cada empresa, resultando de um trabalho de workplace strategy sustentado num processo de mudança ambicioso para a organização.

Os chamados escritórios-satélite também deverão adquirir uma relevância crescente no mercado de trabalho. A diminuição do tempo de deslocação diária para o local de trabalho e quebra de rotinas é hoje uma ambição do dia-a-dia de cada pessoa. O chamado work life balance estará dependente da capacidade de flexibilização e escolha pela melhor forma de trabalhar para cada projecto, em equilíbrio com a rotina pessoal. Criar espaços de escritórios, como extensão da sede, em localizações periféricas próximas do local de residência (fixa ou temporária) dos seus colaboradores vai permitir promover a cultura organizativa para além das fronteiras rígidas do espaço-sede.

De modo a aumentar as sinergias entre cada tipo de espaço, desde a sede aos espaços-satélite, os critérios e os objectivos deverão ser claros e ambiciosos.

O compromisso das empresas com o meio ambiente é cada vez maior e, como tal, urge um maior investimento nos seus imóveis, seguindo os critérios definidos pelas mais conceituadas certificações de edifícios, como a BREEAM ou a LEED, mitigando os desperdícios energéticos e rentabilizando ao máximo os recursos naturais.

Ao tornar os seus espaços de escritórios mais sustentáveis, as empresas procuram aumentar o nível de bem-estar dos seus colaboradores, por exemplo, com recurso à luz natural e à integração de elementos evocativos da Natureza no design dos espaços, garantindo diferentes ambientes, como espaços de colaboração, de criatividade, de socialização ou de concentração.

Ana Redondo, offices associate director, Savills Portugal, refere que “Projectar um escritório vai muito além de colocar mesas e cadeiras num espaço. É necessário criar ambientes que inspirem e que criem valor nas pessoas. Isso é investir no futuro da empresa”.

Acrescenta ainda que, “apesar do teletrabalho ser uma tendência que parece ter vindo para ficar, o escritório físico continuará a ter a sua importância enquanto espaço que reforça os valores e cultura da empresa. Será sempre um espaço facilitador de inovação, colaboração e produtividade, saúde e bem-estar”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Mafalda Samwell Diniz é a nova Head of Marketing & Communication da MALEO

A responsável terá como missão desenvolver e implementar a nova estratégia da marca, depois de concluído o processo de rebranding e posicionamento, assentes no claim “Works For You”

A MALEO, marca de soluções de escritórios flexíveis e adaptáveis às necessidades específicas de cada negócio, anuncia a nomeação de Mafalda Samwell Diniz para o cargo de Head of Marketing & Communication. A responsável terá como missão desenvolver e implementar a nova estratégia da marca, depois de concluído o processo de rebranding e posicionamento, assentes no claim “Works For You”. O objectivo será transmitir uma imagem diferenciadora de full-serviced office, através de uma oferta completa de serviços integrados e com total flexibilidade, ajustados às realidades específicas de cada negócio.

A carreira profissional de Mafalda Samwell Diniz iniciou-se há mais 25 anos, no departamento criativo da BBDO. Ainda nos anos 90 assumiu o cargo de directora de Arte na Ogilvy. Já este século, foi directora de Arte da Lowe Lintas, entre 2001 e 2004, passou pela Terra Design e foi directora Criativa da AddMore durante um ano para, em 2009 abraçar o desafio de partner Criativa da CherryBloom. Ao longo deste período foi agraciada com inúmeros prémios de criatividade. Destaque para o prémio Gold nos Young Creative Portugal, em 2003.

Licenciada em Design de Comunicação pelo IADE (com formação concluída em 1996), Mafalda Diniz é também membro do Conselho Consultivo da Fundação António Quadros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Grupo Preceram na Tektónica 2021

As empresas do Grupo Preceram, Argex, Gyptec, Preceram e Volcalis, participam na Tektónica 2021, que decorre de 6 a 9 de outubro, na FIL – Feira Internacional de Lisboa.

O Grupo Preceram terá em exposição os seus diversos materiais e soluções para a construção, direcionadas para o conforto e sustentabilidade dos edifícios.

Destaque para as soluções de construção a seco que possibilitam uma construção limpa, rápida, económica e que permitem a flexibilização dos espaços, melhorar o desempenho térmico e acústico dos edifícios e contribuir para um maior conforto dos seus habitantes. Soluções essas que são inclusivamente elegíveis para a 2ª fase do programa de apoio do Fundo Ambiental, que reembolsa os investimentos na área da reabilitação. (Saiba mais sobre este apoio aqui)

O Grupo Preceram aproveitará o evento para divulgar e promover as suas novas ferramentas digitais, nomeadamente, a página de internet SolucoesParaConstrucao.com, onde todos os produtos e soluções do Grupo Preceram estão acessíveis à distância de um clique.


Mais do que um site, é uma porta de entrada para o universo das empresas do Grupo Preceram. A partir daqui pode encontrar todas as novidades, informação e documentação, das empresas Argex, Preceram e Preceram Norte, Gyptec e Volcalis.

A Gyptec Ibérica lançou também recentemente a sua nova a página de internet. Totalmente renovada, com novas funcionalidades e mais conteúdos. Destaque para o Apoio Técnico, a nova subpágina onde se reúnem soluções construtivas, recomendações de prescrição e ferramentas digitais de apoio ao projeto. Para além do acesso direto ao Manual Técnico e ao Gestor de Soluções, disponibiliza ainda um mirror site da página da Gyptec na maior biblioteca mundial de objetos BIM, a BIMObject. Nesta área de trabalho é possível encontrar soluções para construção e reabilitação de paredes e tetos, agora com isolamento em lã mineral Volcalis.

Mais do que um website uma ferramenta de trabalho! Esta é a frase que caracteriza a presença das empresas do Grupo Preceram na internet.

No dia 7 de outubro, o Grupo Preceram participa no Ciclo de Conferências “Competitividade, Sustentabilidade e Resiliência na Construção”, onde se irá debater o tema: “Produtos eficientes, contributo para a funcionalidade e sustentabilidade”.

Um tema bastante premente e diretamente ligado à atividade das empresas do Grupo Preceram, que produzem produtos e soluções, que contribuem positivamente para a melhoria das condições do nosso parque edificado, assegurando eficiência energética, aumento da produtividade e conforto em casa.

Visite-nos, estamos no stand 2C11 do pavilhão 2, da FIL, de 6 a 9 de outubro.

Sobre o autorBrand SHARE

Brand SHARE

Mais artigos
Construção

São João da Madeira: Câmara promove concurso de ideias para EB2,3

Os concorrentes têm 90 dias para apresentar as suas propostas, sendo que estas devem ter ainda em consideração a apresentação de “uma solução técnica, construtiva e financeiramente exequível, face ao valor de obra e ao ciclo da sua vida útil”

Ricardo Batista

A Câmara de São João da Madeira lançou um concurso de ideias com vista à elaboração do projeto de reabilitação e requalificação da escola básica dos segundo e terceiro ciclos (EB2,3), antigo ciclo preparatório da cidade.

Este passo segue-se à celebração, em 2020, de um protocolo entre a autarquia e o Ministério da Educação, abrindo caminho, precisamente, à reabilitação e reprogramação funcional desse estabelecimento de ensino sanjoanense.

Nesse documento, está previsto, para além da resolução da questão do amianto na EB2,3 de S. João da Madeira, o desenvolvimento de um estudo prévio de reabilitação do edifício e a sua reprogramação funcional.


O concurso de ideias agora lançado pela Câmara vai ao encontro do que estabelece esse protocolo, pois visa a seleção de um trabalho de conceção, para a reabilitação e requalificação do referido estabelecimento de ensino. Segundo o programa do concurso, pretende-se privilegiar a “originalidade e criatividade” da solução proposta, a sua “qualidade urbanística e arquitetónica” que, “através de um conceito original e inovador, seja capaz de potenciar a afirmação da Escola na cidade”, bem como “a integração e articulação com a envolvente próxima”.

Pretende-se também conciliar “a criação de espaços articuláveis e autonomizáveis, aptos para várias funções e programas, com outras áreas aptas para “uma única função, com características arquitetónicas e tecnológicas específicas, vocacionados para exposições”.

Nos termos do Anúncio de procedimento n.º 11576/2021 do Diário da República, os concorrentes têm 90 dias para apresentar as suas propostas, sendo que estas devem ter ainda em consideração a apresentação de “uma solução técnica, construtiva e financeiramente exequível, face ao valor de obra e ao ciclo da sua vida útil”.

Júri inclui representantes da DGEstE e do Agrupamento de Escolas
O júri do concurso é constituído por arquitetos da Câmara Municipal de S. João da Madeira e representantes da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) e do Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, no qual se insere o antigo ciclo/EB2,3 da cidade.

O prémio a atribuir a quem apresentar a proposta que vier a selecionada pelo júri é de 15.000 euros. Estão ainda previstos 45 mil euros a dividir por todos os concorrentes admitidos, num máximo de 4500 euros por participante. O júri do concurso poderá ainda atribuir menções honrosas, sem prémio pecuniário.

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Engenharia

EUREKATHON 2021 procura soluções para cidades sustentáveis

LTPLabs, Porto Business School e NOS promovem a terceira edição da Eurekathon, uma iniciativa que pretende encontrar soluções que contribuam para o desenvolvimento sustentável da sociedade

CONSTRUIR

A LTPLabs, a Porto Business School e a NOS estão a promover a terceira edição da Eurekathon, uma maratona de geração de ideias, que desafia estudantes e profissionais das áreas de engenharia e ciências, business analytics e data science a encontrar soluções inovadoras que respondam a problemas reais, alinhados com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. O objectivo é que os projectos arquitectados pelos participantes contribuam directamente para o desenvolvimento da sociedade, e lhes permitam reforçar competências críticas nos novos paradigmas da digitalização e inteligência artificial.

O tema da edição deste ano da Eurekathon é “Challenging Data for Sustainable Cities” e esta conta com a parceria da Câmara Municipal de Matosinhos e do CEiiA. Os participantes deverão fazer uma minuciosa análise dos dados disponíveis para, depois, apresentarem soluções de optimização dos espaços urbanos, de modo a promover cidades mais inteligentes e mais sustentáveis.

Segundo a ONU, hoje, cerca de 55% da população mundial vive em áreas urbanas e a expectativa é de que aumente para 75% até 2050. As cidades são o palco de transformação, onde a mobilidade, a eficiência na gestão de recursos, a acessibilidade e a representatividade constituem desafios acrescidos, mas são também motores de desenvolvimento.


A procura por soluções inovadoras que possam dar resposta às problemáticas urbanas do futuro e melhorar a vida das pessoas é premente, para a qual a terceira edição da iniciativa Eurekathon pretende contribuir.

A competição vai decorrer virtualmente entre os dias 12 e 14 Novembro, através de uma plataforma especialmente desenvolvida para o evento. No dia 20 de Novembro, os finalistas terão oportunidade de apresentar os seus projectos, que serão sujeitos à avaliação de um júri.

Com base no impacto potencial, na inovação e na profundidade analítica, este painel vai premiar três equipas e os resultados dos seus projectos serão partilhados e discutidos com a Câmara Municipal de Matosinhos.

Ao longo da competição, todas as equipas vão contar com o acompanhamento de mentores destacados e terão acesso a uma diversidade de dados de comportamento humano, de fontes privadas e públicas, para criar análises, modelos e ferramentas, com vista à resolução do desafio.

Os concorrentes poderão, ainda, participar em actividades complementares, que incluem momentos de interacção entre participantes e especialistas em Data Science e Smart cities, bem como momentos de entretenimento online, que promovem networking.

De recordar que as edições anteriores da Eurekathon contaram com a participação de mais de 300 talentos, entre estudantes das áreas de engenharia, ciências, business analytics e data science e profissionais de grandes empresas das áreas tecnológicas.

As inscrições estão abertas até dia 3 de Novembro, através do site da EUREKATHON.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector da construção, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias da Construção em Portugal. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.