Edição digital
Assine já
Imobiliário

Consórcio de empresas compra edifício Sumol+Compal

O grupo Rolear e a Metalofarense anunciaram a compra, numa operação conjunta, do emblemático edifício da SUMOL+COMPAL em Faro, localizado na EN 125. O negócio foi assessorado pela Savills

CONSTRUIR
Imobiliário

Consórcio de empresas compra edifício Sumol+Compal

O grupo Rolear e a Metalofarense anunciaram a compra, numa operação conjunta, do emblemático edifício da SUMOL+COMPAL em Faro, localizado na EN 125. O negócio foi assessorado pela Savills

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Worx nomeia Bernardo Zammit e Vasconcelos como head of Agency
Imobiliário
Cushman & Wakefield actua na venda do Choupana Hills ao Lux Hotels
Imobiliário
Choupana Hills
A aposta no modular
Construção
De olhos postos no primeiro leilão solar flutuante
Engenharia
GesConsult vai encerrar 2021 com um aumento de 40% na facturação
Empresas
Crescem o número de patentes “made in Portugal”
Empresas
Keller Williams distinguida pela Forbes como uma das melhores empresas para mulheres trabalharem
Empresas
Carmo Wood: depois da Agricultura, a Construção é a forte aposta para os próximos anos
Construção
IHRU lança concursos para projectos de 164 habitações em Almada
Construção
Francisco Cardoso dos Reis reconduzido na liderança da UIC Europa
Engenharia

O grupo Rolear e a Metalofarense anunciaram a compra, numa operação conjunta, do emblemático edifício da Sumol+Compal em Faro, localizado na EN 125, próximo do centro comercial Fórum Algarve.
Com a aquisição deste imóvel, o consórcio de empresas portuguesas pretende potenciar a dinamização das suas marcas e aumentar as respectivas capacidades de armazenagem, a proximidade com os seus clientes e o portfólio de oferta de produtos.

O edifício, cuja venda foi assessorada pela consultora imobiliária internacional Savills, é composto por um bloco principal, com uma área destinada a escritórios, zonas técnicas e de apoio à actividade fabril e logística. Em virtude de uma operação de concentração industrial, a actividade fabril no imóvel cessou em final de 1995, tendo a instalação passado a ser utilizada como centro regional de armazenagem e distribuição do portfólio de bebidas.
Ao longo do tempo, e devido ao crescimento da oferta de produtos, procedeu-se a uma ampliação das instalações, com novas áreas para armazenagem. Actualmente, pode contar-se com uma área total de armazéns de 7.753,66 m2, uma área total de escritórios de 2.221,00 m2 e uma área total de logradouro de 10.474,00 m2.

“A abrangência do leque de produtos e serviços da Rolear, desde a área energética, à construção civil, infraestruturas de águas e de saneamento, bem como a sua abrangência nacional, forçou a que, para uma resposta de qualidade face às diferentes solicitações, se procurasse um espaço logístico na área da sede, bem localizado, com bons acessos, bem visível, de dimensões assinaláveis, mas necessárias. A estes requisitos importantes juntou a faceta peculiar de ser um edifício-emblema da produção industrial do Algarve”, explica Parreira Afonso, administrador da Rolear.

O Grupo Rolear teve origem no ano de 1979, com sede em Faro, inicialmente direccionado para as áreas de electricidade, electromecânica e bombagem, quer na comercialização por grosso, quer na realização de infraestruturas. “Contamos que a nova unidade venha proporcionar incremento geral dos negócios, fortalecendo as nossas empresas e contribuindo para o desenvolvimento da região”, conclui.

Por seu lado, a Metalofarense, empresa fundada em 1958 que, desde então, tem sido um participante activo no desenvolvimento da região, com um papel de destaque no sector de produtos siderúrgicos e materiais de construção, sublinha que “trata-se de uma aquisição importante para o desenvolvimento da empresa, também relevante por ser uma edificação icónica do concelho de Faro e até do Algarve, e ainda por ter sido levada a cabo por duas empresas da região. O fundador da Sumol, também ele algarvio, teria ficado satisfeito com esta faceta do negócio”, revela Luís Afonso, administrador da Metalofarense. Para a empresa este é, assim, “mais um passo no crescimento da nossa actividade, acompanhando o desenvolvimento e o progresso da Região Algarvia”, acrescenta.

“Apraz-nos assessorar reconhecidas marcas, como a Sumol+Compal, a implementar as suas estratégias de Real Estate, que, neste caso, nos confiou a comercialização do seu activo imobiliário, outrora vital no desenvolvimento do seu negócio e que, agora, terá um renovado papel de relevo na estratégia de crescimento da Metalofarense e do Grupo Rolear”, refere Luís Rocha, Industrial & Logistics Consultant da Savills Portugal

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Worx nomeia Bernardo Zammit e Vasconcelos como head of Agency
Imobiliário
Choupana Hills
Cushman & Wakefield actua na venda do Choupana Hills ao Lux Hotels
Imobiliário
A aposta no modular
Construção
De olhos postos no primeiro leilão solar flutuante
Engenharia
GesConsult vai encerrar 2021 com um aumento de 40% na facturação
Empresas
Crescem o número de patentes “made in Portugal”
Empresas
Keller Williams distinguida pela Forbes como uma das melhores empresas para mulheres trabalharem
Empresas
Carmo Wood: depois da Agricultura, a Construção é a forte aposta para os próximos anos
Construção
IHRU lança concursos para projectos de 164 habitações em Almada
Construção
Francisco Cardoso dos Reis reconduzido na liderança da UIC Europa
Engenharia
Imobiliário

Worx nomeia Bernardo Zammit e Vasconcelos como head of Agency

Com um percurso consolidado no sector de Escritórios, Industrial e Retalho, conta com 14 anos de experiência no mercado imobiliário

CONSTRUIR

A Worx Real Estate Consultants nomeia Bernardo Zammit e Vasconcelos como head of Agency do departamento.

Com um percurso consolidado no sector de Escritórios, Industrial e Retalho, conta com 14 anos de experiência no mercado imobiliário, tendo passado ainda no início da sua carreira por outras consultoras como a Deloitte.

Até à data, era responsável pela área de Occupier Solutions onde detinha as responsabilidades de Tenant Representation e pela ligação com o BNP Paribas Real Estate, parceira internacional da Worx em Portugal.

Bernardo esteve envolvido em algumas das maiores transacções de escritórios dos últimos anos, tais como a ocupação de 15 mil m2 do BNP Paribas no Urbo Business Center ou o arrendamento da sede da Teleperformance na Av. Alvaro Pais.

“Esta mudança permitirá que a unidade de Agency da Worx se mantenha na liderança do sector de escritórios e alargue as nossas oportunidades de negócio, aproveitando a sua visão integrada e diferenciadora do mercado imobiliário comercial”, explica Pedro Rutkowski, CEO da Worx.

O novo head of Agency irá liderar uma equipa sénior, proactiva e que tem evidenciado um crescimento estratégico e sustentado, estando inclusive em fase de recrutamento, procurando mais um consultor para a equipa.

“Cada vez mais pretendemos que os consultores sejam um Advisor em todas as fases do projecto de desenvolvimento e comercialização de um activo, com o suporte de outros departamentos relevantes como Marketing, Arquitetura ou Research. Só desta forma é que conseguimos trazer real valor acrescentando aos nossos parceiros” acrescenta ainda, Pedro Rutkowski.

O departamento de Agency da Worx conta com mais de 230 mil m2 em comercialização, entre os quais alguns dos mais importantes portfólios de escritórios no mercado em (co) exclusivo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Choupana Hills
Imobiliário

Cushman & Wakefield actua na venda do Choupana Hills ao Lux Hotels

O Grupo irá agora iniciar os trabalhos de reconstrução com vista à exploração própria do hotel. Considerado um dos produtos mais icónico da Madeira, o hotel viu a sua operação ser abruptamente interrompida pelos incêndios de 2016

CONSTRUIR

A Cushman & Wakefield concluiu a venda do Choupana Hills localizado no Funchal, Madeira, anunciou a consultora esta segunda-feira, dia 20 de Dezembro

O Choupana Hills é uma referência da hotelaria da Madeira, tendo sido distinguido pela World Travel Awards por mais do que uma ocasião como o melhor Boutique Resort da Europa. Um hotel de 5 estrelas com 62 unidades de alojamento, que viu a sua operação ser abruptamente interrompida pelos incêndios de 2016 que devastaram o Funchal.

Num processo estruturado de venda conduzido pela Cushman & Wakefield e Amazing Evolution, que já geria o activo desde 2014, actuando em nome do sindicato bancário proprietário do activo, foi concluída com sucesso a transacção para o grupo Lux Hotels, que irá iniciar agora os trabalhos de reconstrução com vista à exploração própria do hotel.

Segundo Gonçalo Garcia, associate e director de Hospitality da Cushman & Wakefield, “a conclusão desta operação reforça a confiança que os agentes do sector turístico depositam na recuperação do mercado, e em concreto na já evidente recuperação do destino Madeira. Trata-se de um primeiro passo para devolver ao destino um dos seus produto mais icónicos”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

doValue Portugal participa na venda de terreno por mais de 2 M€

Terreno na Quinta dos Cónegos, no Carregado, tem cerca de 50 mil m2 e foi comprado por empresa internacional que opera no sector da logística

CONSTRUIR

A doValue Portugal, gestora de créditos e activos imobiliários, intermediou a venda de um terreno com cerca de 50 mil m2 a um operador internacional de logística por um valor superior a 2 milhões de euros, numa operação que foi concluída no final do mês de Novembro.

O terreno, para promoção industrial e logística e com uma área bruta de construção potencial de mais de 23 mil m2, está localizado na Quinta dos Cónegos, junto ao nó do Carregado, num local estratégico em termos geográficos e de acessibilidades, próximo da A1.

“A concretização desta operação demonstra que o sector da logística se encontra em franco desenvolvimento em Portugal, existindo boas oportunidades de investimento e de crescimento no país”, afirma João Ribeiro, director de Real Estate da gestora de créditos e activos imobiliários.

“É uma transacção que irá certamente beneficiar aquela região, trazendo potencialmente mais empregos e maior dinamismo”, remata o responsável.

A doValue Portugal, antiga Altamira Portugal, pertence à companhia de serviços financeiros italiana doValue (anteriormente doBank), cotada na Bolsa de Milão. O Grupo doValue é o maior servicer do sul da Europa, com uma carteira de activos financeiros e imobiliários superiores a 155 mil milhões de euros, em cinco países: Portugal, Espanha, Itália, Chipre e Grécia. A doValue Portugal, que iniciou a sua actividade com a gestão do portefólio Oitante, é hoje uma empresa de referência no mercado de Servicing, tendo sob gestão vários portefólios de distintas entidades, desde carteiras de Non Performing Loans a carteiras de activos imobiliários. Tem escritórios em Lisboa, Porto e Funchal.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Carteira de projectos da Promiris ascende a 200 M€

Desde 2017 em Portugal, a belga Promiris tem um plano de investimentos até 2024 que ascende aos 200 M€, dos quais 100 M€ serão em parcerias. Porto e Lisboa concentram a maioria dos investimentos do grupo, mas Coimbra e Braga estão nos planos futuros. Residências de estudantes e seniores são as principais apostas da promotora

Cidália Lopes

A promotora belga Promiris, em Portugal desde 2017, tem para desenvolvimento uma carteira de projectos que ascende, actualmente, a 200 milhões de euros. Em declarações ao CONSTRUIR, a promotora afirmou, ainda, que deste montante “cerca de 100 milhões de euros correspondem a parcerias com o grupo Thomas & Piron”.

Com diversos empreendimentos em fase de desenvolvimento em Lisboa, no Porto e Vila Nova de Gaia, a promotora avança que o futuro passa pela aposta nos segmentos das residências de estudantes e residências seniores. “Os novos projectos serão residências de estudantes em Coimbra, Lisboa e Braga, bem como residências seniores, na região do Grande Porto”, acrescenta.

Entre os diversos projectos em desenvolvimento, a Promiris tem já concluído o seu primeiro empreendimento em Lisboa, o The Bivart Residences, na Rua Luís Bivar. O projecto do arquitecto Capinha Lopes, reestruturou um edifício já existente em 31 apartamentos, entretanto já todos vendidos e entregues. A Norte, na zona do Porto, dois projectos do seu portfólio estão já em fase de construção e devendo ficar concluídos e prontos a entregar em 2022, Trata-se dos empreendimentos Mira Douro, num investimento de 20 milhões de euros, para habitação e o Granjo, um projecto misto de residência de estudantes e unidades residenciais. Mais recentemente, a Promiris, em conjunto com o grupo belga Thomas & Piron, anunciou, também, a promoção, do empreendimento Gaia Hills. Até à data um dos maiores do grupo e que prevê um investimento conjunto na ordem dos 85 milhões de euros.

Fundada há 45 anos na Bélgica, a Thomas & Piron tem presença em países como França, Luxemburgo e Marrocos e afirma estar em Portugal “para ficar e com ambição de crescer e de continuar a investir no nosso país”. Actualmente, tem em desenvolvimento dois projectos residenciais em conjunto com a Promiris e estão em fase final de negociação de um projecto de grande dimensão, na área metropolitana de Lisboa, para o qual não avançaram, para já, mais pormenores. Estão igualmente a trabalhar na aquisição de mais duas ou três projectos de menor dimensão, nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.

Granjo

Com uma localização privilegiada no bairro residencial do Bonfim, Granjo agregará edifício residencial com 16 apartamentos e uma residência estudantil com 212 quartos, que ficará a cargo do operador francês Odalys. Com promoção da join-venture belga Cetim e Promiris, a construção está a cargo da Garcia Garcia, especializada no design and build de edifícios residenciais, comerciais, industriais e logísticos. A construtora nacional é responsável pela edificação dos seis blocos do edifício, um de habitação com 16 apartamentos, tipologias T1 e T2, e cinco blocos destinados à residência de estudantes, com 212 quartos, cuja conclusão está prevista para Dezembro 2021.

Gaia Hills

Na margem esquerda do rio Douro, outrora denominada Quinta do Vale de Amores, em plena zona ribeirinha, Vila Nova de Gaia, nasce um novo empreendimento residencial, o Gaia Hills. O projecto prevê construção nova, através da edificação de oito edifícios habitacionais para acolher até 256 apartamentos. Situado entre um parque de aproximadamente três hectares e o rio Douro, Gaia Hills está projectado em torno de uma ágora concebida como um oásis verde, que convida à tranquilidade e ao bem-estar. O projecto conta com a assinatura do Gabinete Saraiva + Associados e apresenta-se como um conceito moderno de habitação combinado com a natureza. Assenta numa abordagem ecológica e sustentável, que integra espaços verdes e residenciais na sua urbanização e que incorpora ainda sustentabilidade no seu design. Projectado ao longo de quatro a cinco pisos, agrega uma área total de construção acima do solo a rondar os 30.500 m2. Segundo as promotoras, este conceito residencial distintivo está alinhado com as tendências actuais de estilo de vida e pretende atrair residentes que apreciem viver na natureza.

A nível da construção e em função da localização, o empreendimento vai de encontro às mais ambiciosas normas ambientais, sendo que o aproveitamento da água da chuva para sistemas de irrigação e/ou para uso em descargas sanitárias, assim como a produção de energia renovável, através da instalação de painéis fotovoltaicos, ou a produção de água quente sanitária por colectores nas coberturas, são pontos delineados no projecto.

Desenvolvido em duas fases, o arranque da construção está previsto para o segundo semestre de 2022.

Mira Douro

Entre a Travessa das Antas e a Rua Agostinho José Freire, no Porto, nasce um novo condomínio residencial premium o Mira Douro, com assinatura do gabinete de arquitectura de Carlos Castanheira e com um investimento de cerca de 20 milhões de euros. O projecto prevê construção nova, através da edificação de dois blocos habitacionais, numa área total de construção acima do solo a rondar os 8.300 m2. Um dos blocos é constituído por 18 fracções, distribuídos por quatro pisos e tipologias T3 e T4, já um outro agrega 36 fracções, T2 e T3 divididos por sete pisos.

Todas as habitações estão dotadas de varandas e em algumas fracções beneficiam de amplos terraços. O projecto contempla, ainda, estacionamento exclusivo e dispõe ainda vários espaços comuns, tais como ginásio, sala de cinema e sala de convívio, esta última ideal para crianças, aniversários, eventos e actividades lúdicas. No condomínio também encontramos um espaço exterior privado incluindo um equipamento de crianças, para usufruto total dos condóminos, em total tranquilidade e segurança.

Todo o conceito habitacional prima por acabamentos e materiais de elevada qualidade, que acrescentam solidez construtiva e arquitectónica ao projecto. Com a estrutura projectada em betão, os planos de paredes exteriores serão em reboco sobre isolamento térmico-acústico, que conjuntamente com o isolamento no interior garantirá uma elevada certificação energética. Por sua vez, nas coberturas estão instalados os equipamentos de climatização, exaustão, assim como os painéis solares que possibilitarão consumos responsáveis e ecológicos.

Projectos:

Lisboa

The Bivart Residences (Rua Luís Bivar)

Reconversão de edifício para habitação

31 apartamentos

Arqº – Capinha Lopes

Totalmente vendido

Lamas | Junqueira

Construção de residência de estudantes

124 quatros (aprovado)

Arqº Capinha Lopes

Parceria com grupo belga Cetim

Entregue em 2023

Conde de Lima

Reabilitação de edifício para habitação

41 apartamentos

Arqº Saraiva + Associados

Comercialização: 60%

Conclusão das obras: 2022

Alvalade

Aquisição de imóvel devoluto para reconverter em habitação

Início das obras: 2022

Porto

Granjo

Projecto misto de residência de estudantes (211 quartos) e habitação (16 unidades)

Arqº Fragmentos

Residência de estudantes a cargo do operador Xior Student Housing

Em pré-venda e com data de entrega para Dezembro de 2022

Mira Douro

Projecto residencial, perto do Parque de São Roque

Arqº Carlos Castanheira

Comercialização: 90%

Conclusão das obras: 2022

Asprela

Lote de terreno para desenvolvimento de uma residência de estudantes

Projecto vendido ao operador Xior Student Housing

Arqº Saraiva + Associados

Conclusão prevista para 2023

Gaia Hills

Projecto residencial, junto ao rio Douro, com 31 mil m2

Em parceria com o grupo belga Thomas & Piron

Arqº Saraiva + Associados

Início das obras: 2022

Vila Nova de Gaia

Futuro projecto de uma residência sénior com 126 apartamentos (10 mil m2)

Arqº Fragmentos

Data prevista de conclusão: 2024

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
quarto hotel
Imobiliário

Primeiro hotel da marca “Meu Hotel” abre em Paredes

O “Meu Hotel Porto Gandra” está em regime de soft opening’ desde o dia 8 de Dezembro. Lançado pelo Grupo S. Pintos – Engenharia e Construção, conta com um investimento de cerca de 2 M€

CONSTRUIR

Localizado na cidade de Gandra, Paredes, próximo do Porto, o Meu Hotel Porto Gandra abriu portas em regime de soft opening’ desde o dia 8 de Dezembro e irá manter esta modalidade até ao final do ano.

Com 50 quartos, este novo hotel é o primeiro da marca “Meu Hotel” lançado pelo Grupo S. Pintos – Engenharia e Construção, uma sociedade que detém diversas empresas do sector da construção e imobiliário. Com um investimento de cerca de 2 milhões de euros e a criação de 10 postos de trabalho directos, a unidade hoteleira prevê facturar cerca de 500 mil euros em 2022.

“Esta abertura em regime de soft opening dá-nos a oportunidade para aperfeiçoar os serviços e o funcionamento das instalações, através do feedback dos clientes e visitantes do hotel, de modo a criarmos um maior conforto para os hóspedes”, defende Vasco Pinto, CEO da S. Pintos – Construção e Engenharia e administrador do Meu Hotel Porto Gandra.

O empresário considera, ainda, que “o investimento em hotelaria diversifica as áreas de negócio do grupo e apesar da actual oscilação do mercado turístico devido à pandemia, Paredes necessitava de mais oferta hoteleira, com a proximidade à cidade do Porto e as boas acessibilidades, o Meu Hotel Porto Gandra é mais uma unidade com capacidade de resposta no alojamento de qualidade”.

O design de interiores é da responsabilidade de Bárbara Neto, da LemonVariance e foi pensado para proporcionar conforto num ambiente alegre e descontraído. A decoração incorpora “elementos de natureza para conjugar em harmonia “a cidade e o campo”, optando pelos melhores equipamentos em todos os espaços, para que o hóspede se sinta bem e relaxado, e em total segurança, pois todos os seus materiais são de fácil limpeza e higienização.

“O conceito do hotel foi inspirado no significado do nome, Gandra – “Vara de Urze branca”. A urze é uma planta que se caracteriza por uma imagem de simplicidade, isto permitiu-nos usar tonalidades e texturas da natureza. O uso da madeira em estado natural, mas que ao mesmo tempo, reflecte um toque moderno de sofisticação contemporânea, através das cores e formas. Os pisos estão divididos em cores alusivas à natureza”.

Os 50 quartos (Duplo Superior, Twin Superior, Premium Duplo, Triplo, Triplo, Standard Twin e para Mobilidade Reduzida) estão equipados com Ar Condicionado, TV Cabo, telefone directo, tomadas USB, cofre, fechadura electrónica de segurança, WI-FI gratuito, casa de banho privativa, secador de cabelo, espelho, produtos de higiene pessoal gratuitos. Alguns quartos dispõem de varanda.

O Meu Hotel Porto Gandra apresenta, ainda, um moderno Espaço Fitness com equipamentos de cardio, indoor cycling, musculação, entre outros aparelhos e ecrãs LCD.

A unidade hoteleira está equipada, também, com sala de reuniões e eventos, bar e restaurante com sala para o pequeno-almoço, parque de estacionamento gratuito e vai disponibilizar, ainda, três lugares de carregamento para veículo eléctrico.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Edifícios de escritórios com certificações ambientais registam rendas mais elevadas

Estudo divulgado pela consultora imobiliária CBRE analisa a evolução da oferta de escritórios e da ocupação ao longo dos últimos cinco anos, em 15 cidades europeias, incluindo Lisboa

CONSTRUIR

OS edifícios certificados registam rendas mais elevadas e taxas de disponibilidade mais baixas do que outros sem qualquer certificação, avança o estudo ‘Is sustainability certification in Real Estate worth it?’, lançado pela consultora CBRE. O estudo analisa a evolução da oferta de escritórios e da ocupação aos longo dos últimos cinco anos, em 15 cidades europeias, incluindo Lisboa, compreendendo um total de 128 milhões de metros quadrados. Foram considerados edifícios com as certificações BREEAM, LEED e WELL, assim como HQE, específica de França. O estudo procura ainda responder à seguinte questão: terão os edifícios certificados características distintas de desempenho – ocupação, renda e disponibilidade – diferentes das de edifícios não certificados?

De uma forma geral, os benefícios dos edifícios sustentáveis estão associados a quatro categorias: impacto ambiental positivo, através da redução de resíduos e emissões de gases de efeito estufa (GHG) em todo o ciclo de vida do edifício; redução de custos, através do menor consumo de água e energia, assim como menores custos de operação e manutenção; maior conforto, bem-estar e produtividade resultantes de melhor qualidade ambiental; e melhoria da reputação corporativa resultante do compromisso com os requisitos de sustentabilidade corporativa.

Aumento do edificado de escritórios com certificações
No conjunto de cidades analisadas, verificou-se que, nos últimos cinco anos, a área em edifícios de escritórios com certificações aumentou mais rapidamente que o total da oferta existente, sendo que em alguns mercados por uma margem ampla.
Mesmo em mercados onde existiu uma contracção do edificado de escritórios, como é o caso de Lisboa e Copenhaga, verificou-se um aumento considerável na oferta de escritórios certificados. Em Lisboa, o peso da oferta de escritórios com certificados no edificado total aumentou para 2,9% no final do primeiro semestre de 2021 em comparação com apenas 0,3% em 2016.

Maior peso na ocupação de escritórios com certificações
O estudo confirmou que o peso da ocupação em edifícios certificados relativamente à ocupação total aumentou para 31% na primeira metade de 2021 em comparação com apenas 24% em 2016. Apesar da tendência ser clara, não é o resultado de um crescimento linear, tendo-se verificado grandes variações em alguns mercados. Em Lisboa, 10,2% da área ocupada nos primeiros seis meses do ano foi em edifícios certificados. Esta tendência de crescimento deverá consolidar-se à medida que surgem novos projectos de construção.

Redução da disponibilidade
Verificou-se também uma menor taxa de disponibilidade em edifícios certificados. Em 2020, devido à pandemia, registou-se um aumento generalizado da taxa de disponibilidade, incluindo em edifícios certificados. No entanto, com a recuperação dos mercados após a pandemia, a taxa de disponibilidade em edifícios certificados está novamente a descer, contrariamente a edifícios não certificados.
A tendência geral mostra que os edifícios certificados registam taxas de disponibilidade mais baixas do que o mercado em geral. No caso de Lisboa, no final de junho verificou-se uma diferença de 5,9 p.b. entre a taxa de disponibilidade em edifícios certificados (1,6%) e o mercado em geral (7,5%).
No futuro, os fundamentais de mercado e a agenda ESG poderão resultar num aumento da disparidade entre da taxa de disponibilidade em edifícios certificados e não certificados.

Aumento das rendas
No que diz respeito às rendas, concluiu-se que os edifícios certificados têm um prémio entre 13 e 29%, num período de cinco anos, relativamente aos edifícios não certificados, consoante os mercados, sendo a média de 21%.

Valorização dos imóveis

Regra geral, os certificados de sustentabilidade têm um impacto fundamental nas características de um edifício e, portanto, também maior influência no seu valor. No entanto, podemos argumentar se é a certificação por si só ou as características únicas que o edifício atingiu durante a certificação ou mesmo a sua localização que têm maior impacto na valorização do edifício.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Salgueiral Residences em Guimarães com 90% de fracções vendidas

Localizado em Guimarães, a mais recente aposta do grupo dst no mercado imobiliário habitacional representa um investimento de 13 milhões de euros

CONSTRUIR

O empreendimento habitacional Salgueiral Residences, situado em Guimarães, atingiu a marca de 90% de fracções vendidas, entre as cerca de sete dezenas de apartamentos prontos a habitar. A promotora é a dstrealestate, empresa do dstgroup, enquanto a comercialização pertence exclusivamente à dipe imobiliária. O grupo está ainda representado por mais quatro empresas, nomeadamente a construtora dst, a dte, a dstsolar, a tagregados e a tconcrete, num investimento global que ultrapassa os 13 milhões de euros.

“O empreendimento veio dar uma resposta transversal a uma necessidade premente da cidade de Guimarães. As habitações apresentam zonas sociais voltadas a sul e com generosas varandas, assim como materiais de elevada qualidade e baixo custo de manutenção. Acreditamos que estes são alguns dos factores que se tornaram preponderantes para a elevada aceitação por parte dos clientes”, justifica Diogo Antunes, CEO da dipe imobiliária. Diogo Antunes revela ainda que o empreendimento despertou o interesse de um público mais específico. “Desde o primeiro dia que notámos uma elevada procura por parte de investidores locais e estrangeiros. Uma análise pormenorizada dos dados permite-nos compreender que a crescente procura por Vistos Gold no nosso país está na origem de alguns dos investimentos”, sublinha.

A apenas dois minutos do centro da cidade de Guimarães, o Salgueiral Residences apresenta os mais elevados padrões de conforto, aliados à tecnologia mais sofisticada, com o máximo aproveitamento da exposição solar, amplas áreas e cuidado em cada detalhe. Para além do corpo habitacional, o complexo integra ainda seis espaços comerciais, uma zona de uso colectivo para festas, reuniões e convívios, assim como uma área de lazer reservada.

“O Salgueiral Residences faz parte do nosso mais recente investimento no mercado imobiliário habitacional, nomeadamente em Guimarães. Tomámos esta decisão estratégica no momento certo, procurando dar resposta à necessidade de habitações prontas a habitar junto ao centro da cidade. Foi uma aposta ganha”, refere José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do dstgroup.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Coporgest conclui investimento imobiliário de 21,6 M€ em Lisboa [c/ galeria de imagens]

Álvares Cabral Premium Apartments, entre o Largo do Rato e o Jardim da Estrela, resulta da reconversão integral de um antigo edifício de escritórios em 13 apartamentos.

CONSTRUIR

A promotora Coporgest acaba de concluir um investimento de 21,6 milhões de euros num novo empreendimento residencial em Lisboa. Chama-se Álvares Cabral Premium Apartments e resulta da reconversão integral de um antigo edifício de escritórios em 13 apartamentos. Situado numa das melhores zonas residenciais da capital, o empreendimento visa o segmento premium do mercado. O edifício foi adquirido em Novembro de 2018, tendo as obras, agora concluídas, arrancado em Abril de 2019.

Localizado na Avenida Álvares Cabral, entre o Largo do Rato e o Jardim da Estrela, o empreendimento abrange uma área bruta de construção total de 6.200 metros quadrados (m2), dos quais 4 mil acima do solo. Do edifício original, construído nos anos 70, apenas se aproveitou parte da estrutura de betão original. Tudo o resto, incluindo fachadas, revestimentos, redes técnicas, caixilhos e elevadores, é completamente novo.

Com oito pisos acima do solo e três abaixo, o edifício inclui ainda uma loja que permanecerá no activo da Coporgest para arrendamento. Um dos destaques da obra vai para a criação de dois terraços a tardoz (um no piso 1 e o outro na cobertura), ambos com piscinas privadas. Na fachada a tardoz, sobressaem igualmente amplas varandas, que potenciam a excelente vista sobre a cidade.

Publicidade


Dos 13 apartamentos, com tipologias entre T1 e T5, a maioria está já vendida, com preços que variam entre 675 mil euros e 5 milhões de euros.

“Este projecto conjugou o melhor dos mundos: excelente localização, qualidade de construção e tranquilidade da zona envolvente. Foi seguramente uma excelente opção tanto para quem comprou para viver, como para quem adquiriu numa óptica de investimento”, afirma Sérgio Ferreira, presidente da Coporgest.

No que diz respeito a acabamentos, a intervenção realizada no Álvares Cabral Premium Apartments “foi muito exigente, de forma a obter um elevado nível de conforto”, acrescenta. Assim, “os valores obtidos para isolamento acústico são muito superiores ao exigido nos regulamentos, todas as fracções têm climatização com ar condicionado e pavimento radiante, e ainda caixilhos em alumínio com renovação de ar permanente”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Fusões e Aquisições em Portugal movimentam 12,4MM€ até Novembro

Até Novembro, registaram-se 468 transacções, totalizando um total de 12,4 MM€. O volume de fusões e aquisições apresenta crescimento de 28%

CONSTRUIR

O mercado transaccional português registou um total de 468 transacções e movimentou 12,4 MM€ até Novembro de 2021, no qual 47% do total das transacções possuem os valores revelados, de acordo com o relatório mensal do TTR em colaboração com o Datasite. Estes números representam um crescimento de 28% no número de transacções em comparação ao mesmo período de 2020, no entanto houve uma diminuição de 31% do capital mobilizado.

Em Novembro, foram registadas 45 fusões e aquisições, entre anunciadas e encerradas, por um total de 1,2 MM€. Em termos sectoriais, a Tecnologia lidera como sector mais activo, com 94 transacções, seguido pelo sector Imobiliário, com 72 operações e o sector Financeiro e Seguros, com 48 transacções.

Âmbito Cross-Border
As empresas norte-americanas aumentaram em 192% suas aquisições no mercado português, mobilizando um capital de 1,5 MM€ até Novembro de 2021. Em número de transacções, a Espanha foi o país que mais investiu em Portugal, contabilizando 56 operações. Os Estados Unidos em segundo lugar, com 41 operações e o Reino Unido em terceiro, com 25 transacções.

As empresas portuguesas escolheram a Espanha como principal destino de investimento, com 29 transacções. Em segundo lugar, está o Brasil com oito operações e em terceiro, o Reino Unido com seis transacções.
As aquisições estrangeiras no sector de Tecnologia e Internet aumentaram 150% em comparação ao mesmo período de 2020. Em relação aos fundos estrangeiros de Private Equity e Venture Capital que investem em empresas portuguesas, houve uma diminuição de 15% no período.

Private Equity, Venture Capital e Asset Acquisitions
Até Novembro de 2021, foram contabilizadas 35 transaçõesde Private Equity com um total de 2,1 MM€. Houve uma diminuição de 2% no número de operações em comparação ao mesmo período de 2020. Em Venture Capital, foram realizadas 103 rodadas de investimentos com um total de EUR 1,5bi, representando um aumento de 87% no número de transacções.

No segmento de Asset Acquisitions, foram registadas 105 transacções com um valor de EUR 3,7bi, representando um aumento de 38% no número de operações.
A transacção destacada pelo TTR em Novembro de 2021 foi a venda, pela SIBS, de participação de 25% na Via Verde para a Ascendi e Brisa. O valor da transacção não foi divulgado. A operação contou com a assessoria jurídica dos escritórios VdA – Vieira de Almeida e PLMJ.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Sonae Sierra reforça portefólio em Marrocos com a gestão do Aeria Mall

Localizado em Casablanca, o novo centro comercial resulta do trabalho realizado pela Reify, que desenvolveu o layout e o conceito, tendo, também, fornecido serviços técnicos

CONSTRUIR

A Sonae Sierra assinou um novo contrato de gestão e comercialização para o Aeria Mall, um novo centro comercial na cidade de Casablanca, em Marrocos, que resulta do trabalho realizado pela Reify, que desenvolveu o layout e o conceito, tendo, também, fornecido serviços técnicos para o centro comercial.

Com 25 mil m2 de Área Bruta Locável (ABL), o Aeria Mall está localizado no distrito urbano Casa Anfa, ocupando o antigo aeroporto de Casablanca. A partir de 2022, a Sonae Sierra irá gerir este centro comercial, enriquecendo a sua oferta e serviços e, assim, melhorando a experiência do cliente.

Os serviços da Reify para o Aeria Mall incluíram a entrega de um estudo de mercado e serviços de layout para a urbanização da Casa Anfa, o desenvolvimento do conceito de Food Hall de última geração, experiências diferenciadoras de design interno e serviços de auditoria e engenharia técnica.

Com 93 lojas, o Aeria Mall é um centro comercial de proximidade, com um supermercado Marjane e lojas de marcas nacionais e internacionais no mundo do pronto-a-vestir, acessórios de moda, beleza, mobiliário e muito mais. Oferece, também, um Food Hall único, com restaurantes e zonas distintas, bem como um cinema e um ginásio.

O Aeria Mall faz parte do projecto de uso misto Casa Anfa, que também inclui um escritório e uma componente residencial, estando inserido num plano de desenvolvimento mais amplo, de 350 hectares. A cidade de Casablanca decidiu dedicar um terço deste projecto a espaços verdes, incluindo um parque metropolitano central de 50 hectares. Complementando a sua ampla oferta de propriedades residenciais, escritórios e espaços verdes proporcionados pelo Parque d’Anfa, toda a área é servida por duas estações de eléctrico.

Com a adição do Aeria Mall em Casablanca (25.000 m2 de ABL) ao seu portefólio, a Sonae Sierra passa a gerir três centros comerciais em Marrocos, incluindo o Arribat Centre, em Rabat (44.800 m2 de ABL), e o Carre Eden, em Marraquexe (15.000 m2 de ABL).

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector da construção, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias da Construção em Portugal. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.