Edição digital
Assine já
Empresas

Remax recruta 4350 consultores entre Janeiro e Outubro

“Formação, reconhecimento, premiação, partilha entre consultores, compensação justa e elevada dos rendimentos”, são alguns factores impulsionadores do crescimento, afirma Beatriz Rubio

CONSTRUIR
Empresas

Remax recruta 4350 consultores entre Janeiro e Outubro

“Formação, reconhecimento, premiação, partilha entre consultores, compensação justa e elevada dos rendimentos”, são alguns factores impulsionadores do crescimento, afirma Beatriz Rubio

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Plano de Alojamento para estudantes do Ensino Superior com 134 candidaturas aprovadas
Construção
Riportico assegurou a fiscalização do Terminal Intermodal de Campanhã
Engenharia
Grupo Casais: “Design for Change é o futuro”
Empresas
homem num púlpito a discursar
Novaxia Investissement vai desenvolver projecto multiusos na Amadora
Imobiliário
Italiana Candy Lisa entra em Portugal pela mão da Cushman & Wakefield
Imobiliário
O potencial da pedra portuguesa sob o olhar da arquitectura
Arquitectura
Consumo de cimento aumenta 4,3% até Maio
Construção
O novo Hospital de Lisboa, o quarteirão do Palácio Ford e o dossier Cozinhas e Casas-de-Banho no CONSTRUIR 463
Construção
REVIVE lança concurso para exploração da 7ª Bataria do Outão em Setúbal
Construção
Fixando: 51% dos pedidos feitos na plataforma não têm qualquer resposta e preços vão aumentar 9% no 3º trimestre
Empresas

De Janeiro a Outubro a imobiliária Remax recrutou 4.350 consultores, o que se traduz numa média de 435 pessoas por mês. Depois de apurar o impacto do processo de recrutamento na rede e que tem ajudado alavancar um crescimento sustentado dos seus resultados, foi possível verificar que o mês de Março foi que registou o maior número de consultores recrutados, com 564 a juntarem-se à imobiliária no mercado. Abril somou

516 novos consultores e Fevereiro 484, sendo estes períodos intensos ao nível do recrutamento, em contraste com os meses de Verão em que o ritmo foi menor, em função do período de férias. Com uma subida notada em Setembro (451 novos consultores), o número de recrutados do mês de Outubro (465) antecipa já os últimos meses do ano para níveis de recrutamento muito similares aos verificados no seu início.

Quanto às regiões com maior peso no recrutamento, sobressaem a zona central de Lisboa (concelho) com quase 19% do total de consultores recrutados, seguida da região do Grande Porto com uma percentagem de 17,5% e depois o Norte do país, que fecha o top 3, com 12,6% de taxa de recrutamento. Já as regiões autónomas da Madeira e dos Açores, a par da região alentejana, são as que possuem menor representatividade, com um total acumulado de 3,1% de consultores recrutados.

Para Beatriz Rubio, CEO da Remax Portugal, “o recrutamento na rede RE/MAX tem-se mostrado muito forte e dinâmico, como resultado da enorme atractividade que a rede cada vez mais representa e do esforço conjunto de dezenas e dezenas de profissionais que analisam, entrevistam e seleccionam centenas de candidatos todos os meses”.

“Formação, reconhecimento, premiação, partilha de negócios entre consultores, assim como a compensação justa e elevada dos rendimentos”, são outros factores impulsionadores do crescimento da rede, acrescenta a responsável

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Plano de Alojamento para estudantes do Ensino Superior com 134 candidaturas aprovadas
Construção
Riportico assegurou a fiscalização do Terminal Intermodal de Campanhã
Engenharia
homem num púlpito a discursar
Grupo Casais: “Design for Change é o futuro”
Empresas
Novaxia Investissement vai desenvolver projecto multiusos na Amadora
Imobiliário
Italiana Candy Lisa entra em Portugal pela mão da Cushman & Wakefield
Imobiliário
O potencial da pedra portuguesa sob o olhar da arquitectura
Arquitectura
Consumo de cimento aumenta 4,3% até Maio
Construção
O novo Hospital de Lisboa, o quarteirão do Palácio Ford e o dossier Cozinhas e Casas-de-Banho no CONSTRUIR 463
Construção
REVIVE lança concurso para exploração da 7ª Bataria do Outão em Setúbal
Construção
Fixando: 51% dos pedidos feitos na plataforma não têm qualquer resposta e preços vão aumentar 9% no 3º trimestre
Empresas
homem num púlpito a discursar
Empresas

Grupo Casais: “Design for Change é o futuro”

A Casais apresentou o primeiro relatório de sustentabilidade, documento onde o grupo reconhece que no desafio por um futuro sustentável “é imperativo que a próxima geração de edifícios incorpore uma mentalidade de projecto e obras pensados para a mudança”

CONSTRUIR

O Grupo Casais apresentou esta semana o primeiro relatório de sustentabilidade. Um documento onde o CEO António Carlos Rodrigues reconhece que no desafio por um futuro sustentável para a humanidade “é imperativo que a próxima geração de edifícios incorpore uma mentalidade de projecto e obras pensados para a mudança (Design for Change), admitindo que os componentes dos edifícios são capital que não desvaloriza desde que possam ser desmontados e reutilizados, no limite evitando a necessidade de extrair mais recursos nos próximos séculos”, sustenta.

“As construções, a face visível das nossas acções e decisões, serão o espelho da mudança nos nossos comportamentos”, de acordo com António Carlos Rodrigues, que assumiu os compromissos do grupo em matéria de sustentabilidade perante uma audiência que contou com o presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio e o Presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta.

“No Grupo Casais acreditamos que temos um papel preponderante na construção das sociedades e no futuro das comunidades. Por isso, temos vindo a reforçar o compromisso com a sustentabilidade dos nossos clientes, colaboradores e demais comunidades, contribuindo assim para os pilares de uma sociedade equilibrada e alinhada com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, defende o CEO do grupo.

Neste relatório de sustentabilidade, o grupo assume compromissos claros e objectivos, de entre os quais se destaca, por exemplo, o compromisso de incorporar critérios ESG (Ambiental, Social e Governance) em todos os investimentos significativos e na avaliação para a aceitação de grandes projectos. O Grupo Casais assume também o compromisso de assegurar a discriminação positiva de fornecedores e prestadores de serviços com base na proximidade ao local de construção.

A apresentação do relatório de sustentabilidade teve lugar no Mosteiro de Tibães, em Braga, numa cerimónia que também serviu, igualmente, para assinalar a adesão do grupo ao GRACE – Empresas Responsáveis, uma associação empresarial de utilidade pública, sem fins lucrativos, que actua nas áreas da Responsabilidade Social e Sustentabilidade.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Fixando: 51% dos pedidos feitos na plataforma não têm qualquer resposta e preços vão aumentar 9% no 3º trimestre

Os profissionais de remodelações e reparações para casa não conseguem dar resposta a cerca de metade dos pedidos dos portugueses, revela um estudo da APP Fixando a mais de 160 mil pedidos realizados na plataforma, que alerta ainda para um aumento dos preços praticados pelo sector na ordem dos 9%, no terceiro trimestre do ano

CONSTRUIR

A partir da mesma análise, a Fixando estima que ascenda a 51% a percentagem de clientes que não consegue encontrar especialistas deste sector disponíveis, no terceiro trimestre do ano.

“Este paradigma é causado por dois importantes factores: por um lado, a escassez de especialistas qualificados nestas áreas, derivada da falta de incentivos à formação profissional e, por outro lado, do aumento da procura que se verifica num cenário pós-pandemia, devido ao adiamento de projectos durante os períodos de confinamento”, explica Alice Nunes, directora de Novos Negócios da Fixando.

Entre o primeiro e o segundo trimestre de 2022, registou-se um aumento de 8% nos preços praticados no sector, e a mesma responsável aponta que, para além da pouca mão de obra disponível, a escassez e aumento do preço das matérias-primas e os atrasos na entrega de materiais contribuíram para esta situação.

Diversas áreas registaram aumentos de preços mais acentuados, evidenciando-se os serviços de electricidade (+9%) e construção (14%), com a Fixando a alertar para um aumento na ordem dos 9% no terceiro trimestre, devido à inflação e à sazonalidade, que diminui a oferta e aumenta a procura durante o período de férias.

A Fixando estima que os especialistas inscritos na APP ultrapassem os 5M€ de facturação no terceiro trimestre do ano, um valor que não se registava desde 2020, e que confirma a tendência de aumento da procura por estes serviços. A aplicação liga clientes a especialistas em todos os serviços. No mercado nacional desde 2017, através do seu website e aplicação conta com mais de 50.000 especialistas, pequenas empresas e freelancers, inscritos.

Falta de mão de obra preocupa sector

Quase metade (49%) dos especialistas inquiridos pela Fixando afirma que a falta de mão de obra está a afectar o seu negócio, pois a dificuldade em contratar pessoas qualificadas para trabalhar acaba por impossibilitar o cumprimento de prazos ou mesmo o cancelamento de serviços.
Dos especialistas entrevistados, 32% assume ter que recusar serviços devido a este problema, o que acaba por causar quebras nos lucros a 67% destes negócios.
Entre os principais motivos apontados para a escassez de mão de obra no sector estão a falta de profissionais com qualificações (55%), os ganhos reduzidos (44%) e as condições de trabalho pouco apelativas (24%).
No que toca à escassez de matérias-primas, esta afecta 44% dos negócios, e as principais consequências apontadas pelos profissionais são o aumento de preços para o consumidor final (50%), a diminuição da percentagem de lucro (48%), a recusa de trabalhos (21%) e o adiamento (11%).

Alice Nunes refere que as soluções apontadas pelo sector para estes problemas passam por “melhores salários, aposta em formação e qualificação de pessoas nestas áreas e reduzir a dependência de fornecedores externos no que toca às matérias-primas, privilegiando a produção nacional”, refere.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

CERTIF estabelece acordo com CARES para atribuição da Marcação UKCA

A CERTIF estabeleceu um acordo com o CARES, organismo britânico líder mundial na certificação de aços para construção, com vista à atribuição da marcação UKCA

CONSTRUIR

A CERTIF, líder em Portugal na certificação de produtos e, também, na Marcação CE para produtos de construção, estabeleceu um acordo com o CARES, organismo britânico líder mundial na certificação de aços para construção, com vista à atribuição da marcação UKCA a qual, em consequência do BREXIT, vai substituir a marcação CE no Reino Unido e tornar-se indispensável à circulação de produtos naquele espaço económico.

Este acordo agora assinado entre o CARES e a CERTIF sucede a um outro já anteriormente assinado com o BBA e foi estabelecido com o objectivo de alargar o âmbito dos produtos que poderão aceder à marcação UKCA. Estes acordos permitem que um cliente da CERTIF que tenha já a marcação CE e pretenda exportar para o Reino Unido possa aceder mais facilmente à marcação UKCA, obrigatória para os produtos da construção constantes da respectiva lista, que é semelhante à do Regulamento dos Produtos da Construção.

Nos termos dos acordos, as auditorias realizadas pela CERTIF são aceites pelo CARES e BBA, havendo apenas a pagar custos relativos ao acompanhamento e análise da documentação técnica.

O período de transição termina no final do ano e, a partir de 1 de Janeiro de 2023, deixará de ser reconhecida a marcação CE e apenas produtos com a marcação UKCA poderão entrar.

Embora o Reino Unido produza a maior parte dos produtos de construção que utiliza, dados de 2017 mostravam que 60% dos produtos importados eram provenientes da União Europeia. Para várias empresas clientes da CERTIF este é um mercado com interesse e, por isso, a preocupação em estabelecer acordos que facilitem futuros negócios.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

SOLYD e GROHE estabelecem parceria

Através desta parceria SOLYD promove soluções sustentáveis com materiais GROHE que ajudam a economizar até 70% da água na sua casa. Villa Unika, ALTEAR, MIREAR e Miraflores Park são exemplos de empreendimentos equipados com torneiras GROHE

CONSTRUIR

A SOLYD Property Developers (“SOLYD”) e a GROHE estabeleceram uma parceria estratégica para incluir soluções avançadas de sustentabilidade e eficiência nos edifícios desenvolvidos pela promotora. Os materiais GROHE, nomeadamente os mecanismos de descarga, e as torneiras de banho e de cozinha, permitem poupar até cerca de 70% do consumo da água. Com o sistema GROHE EcoJoy, através de um redutor no caudal das torneiras, estas economizam significativamente o consumo de água mantendo a experiência na utilização.

Os projectos Villa Unika (no Estoril), ALTEAR (na Alta de Lisboa), MIREAR e Miraflores Park (ambos em Miraflores) contam já com as soluções sustentáveis da GROHE. Esta parceria prevê ainda que projectos residenciais futuros continuem a incorporar soluções de banho e cozinha que combinem os designs mais recentes com características sustentáveis e com benefícios para o ambiente.

Estas soluções têm um estilo cosmopolita e permitem uma gestão sustentável da água, indo assim ao encontro das características dos projectos da SOLYD que combinam modernidade com sustentabilidade.

No projecto Villa Unika, as cozinhas serão equipadas com um Water System. Através da GROHE Blue Home é assegurada a purificação da água através de um filtro de várias fases, permitindo obter não só água fresca, como também gaseificada. Este sistema tem dois canais internos isolados, onde a água não se mistura, garantindo a máxima qualidade. Com esta solução, para produzir um litro de água filtrada é necessário apenas um litro de água e 18g de CO2, enquanto no método tradicional de engarrafamento são necessários sete litros de água e 109g de CO2.

As soluções pensadas para os espaços de banho são também sustentáveis, com misturadoras que têm um redutor no caudal que permite uma poupança bastante significativa. Com a tecnologia SilkMove, os manípulos são facilmente manuseados, o que permite um controlo absoluto sobre o fluxo bem como a temperatura desejada.

A preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade é um dos critérios de selecção dos parceiros da promotora imobiliária. Nesse sentido, surge a colaboração entre a SOLYD e a GROHE, fornecedor líder mundial de artigos sanitários e marca global, dedicada a fornecer produtos de água inovadores e sustentáveis.

Sónia Santos, directora de marketing e vendas da SOLYD, afirma que fazem “uma forte aposta na centralidade do impacto ambiental e social dos seus projectos e uma grande consciência do impacto da actividade no meio ambiente e por isso procuram-se soluções e parcerias, como com a GROHE, para assegurar que os projetos respondem aos desafios climáticos e minimizam o impacto ambiental”.

Daniela Silva, Leader, Projects Channel, na GROHE Portugal, acrescenta que “todos nós, intervenientes no desenvolvimento de novos projectos, das futuras cidades, temos a responsabilidade de promover e seleccionar soluções e tecnologias que permitam aumentar a eficiência hídrica e energética dos edifícios. O nosso objectivo assenta em ser possível fazer uma utilização racional dos recursos, mantendo o prazer e o conforto da utilização habitual dos mesmos. Mais que um parceiro de negócio, a SOLYD Property Developers é nosso parceiro no compromisso para com o meio ambiente e, em ambas as vertentes, estamos em perfeita harmonia.”

A parceria insere-se, assim, na estratégia da SOLYD em afirmar-se como líder no compromisso da sustentabilidade no sector imobiliário, através do desenvolvimento de projectos inovadores no mercado de promoção imobiliária em Portugal.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
a importância de mão-de-obra qualificada na construção civil
Empresas

AEP recebeu mais de 130 candidaturas de empreendedores no âmbito do Desafios 5.0

A AEP – Associação Empresarial de Portugal, no âmbito do projecto Desafios 5.0, recebeu, durante os primeiros nove meses, mais de 130 candidaturas de jovens empreendedores no Norte e Centro do país

CONSTRUIR

Os projectos que chegaram à AEP são de áreas diversas – educação, saúde, turismo, construção, segurança alimentar, design ecológico, produção sustentável, multimédia e jogos – e foram avaliados tendo como base a maturidade do candidato, desenvolvimento da ideia de negócio, potencial de inovação e de mercado.

O Desafios 5.0 foi lançado pela AEP em Novembro de 2021 para promover o espírito empresarial do Norte e Centro do país. O objectivo é consolidar um novo perfil empreendedor, apoiado em ideias inovadoras e criativas, que possam responder aos desafios sociais e societais associados ao novo paradigma de evolução da sociedade 5.0, tópico central do projecto.

Para promover a criação de ideias inovadoras e o empreendedorismo qualificado e criativo, o projeto Desafios 5.0 assenta em três acções centrais: Call For Ideias (captação de ideias em fase embrionária), Call For Acceleration (captação de ideias numa fase mais desenvolvida ou startups constituídas há menos de 2 anos) e Call For Needs (para empresas interessadas em lançar desafios que possam ser resolvidos pelos empreendedores).

A acção Call for Ideias recebeu 36 candidaturas, tendo a AEP seleccionado as 20 melhores para participarem no Level UP, um programa de pré aceleração. À Call for Acceleration chegaram 20 candidaturas, todas seleccionadas para o programa de aceleração Rise UP. Os empreendedores participaram, ainda, na sessão Speed Mentoring, uma oportunidade para apresentarem os seus projectos, colocarem questões e receberam feedback de mentores/investidores.

À Call for Needs responderam 13 empresas, algumas das quais participaram na actividade Matchmaking, que proporcionou ao primeiro grupo de empreendedores a validação inicial dos projectos. Deste primeiro grupo de empreendedores foram seleccionados os 15 melhores projectos, que estão neste momento a participar no Mentoring 5.0, que consiste no acompanhamento e aconselhamento individualizado. Nesta fase, o mentor é o responsável pelo desenvolvimento de competências capazes de conduzir o empreendedor à constituição/desenvolvimento da sua empresa.
Em Março deu-se início à constituição do segundo grupo de empreendedores, a Call for Ideas – desenvolvida em parceria com a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão – contou com 42 candidaturas, das quais 30 participaram no programa de pré-aceleração Level UP. A Call for Acceleration contou com a participação de 22 empreendedores, que estão agora a concluir o programa Rise UP, que culmina com a sessão Speed Mentoring.

Finalmente em Junho de 2023, data prevista para o fim do Desafios 5.0, os 25 melhores projectos receberão apoio para consolidar o plano de negócios, viabilizar oportunidades de negócio, robustecer e potenciar a viabilização dos projectos apresentados. Aos seis melhores projectos serão atribuídos prémios (Speed Up) individuais, no valor de 5 mil euros.

Em paralelo, o Desafios 5.0 está, neste momento, a promover a actividade Meet and Learn, destinada a jovens empreendedores e empresas criadas há menos de dois anos. A acção é composta webinars (saúde, biologia, mobilidade, energia, ambiente, sociedade e segurança), meetups e empresas (visitas técnicas a empresas para proporcionar contacto entre empreendedores e empresários) e ecosystem tour (visitas a hub’s, incubadoras e aceleradoras).

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Schneider Electric lança Nova Unica System+

Os módulos funcionais – incluindo tomadas de alimentação, carregadores USB, carregadores sem fios, etc. – podem ser combinados e adaptados para criar soluções feitas à medida

CONSTRUIR

A Schneider Electric anuncia o lançamento da Nova Unica System+, uma gama de soluções modulares que permite tirar o máximo partido dos escritórios modernos. Concebidos para serem fáceis de instalar e utilizar, os dispositivos Nova Unica System+ ajudam a maximizar a utilização dos espaços de um escritório e economizam tempo de montagem e configuração.

“Reconhecendo os desafios que os actuais espaços de trabalho colocam aos instaladores, concebemos a Nova Unica System+ como um sistema modular com maior flexibilidade de instalação,” afirmou Jonathan Deloy, Industrial & Ergonomics Designer da Schneider Electric Design Lab Europe. “Cada peça foi desenvolvida com foco nos detalhes, de forma a agilizar o trabalho dos instaladores e a que a sua utilização seja intuitiva.”

Estão disponíveis várias opções de montagem: fixação por parafuso, ou grampos de mesa e fixação por clipagem de colunas e minicolunas, o que facilita a instalação dos dispositivos Nova Unica System+. Graças à capacidade modular do sistema, os instaladores podem dar resposta a uma grande variedade de exigências dos clientes.

Os módulos funcionais – incluindo tomadas de alimentação, carregadores USB, carregadores sem fios, etc. – podem ser combinados e adaptados para criar soluções feitas à medida. Estes dispositivos podem ser utilizados através de miniconectores tipo WIELAND e é muito fácil e rápido actualizá-los, mudá-los de local ou desmontá-los quando necessário.

Os complementos adicionais – como os suportes de telefone, o armazenamento para pequenos equipamentos de escritório ou as mesas de coluna e minicoluna – permitem melhorar e personalizar ainda mais a funcionalidade do espaço de trabalho.

A forma ergonómica dos dispositivos é subtil e minimalista e a vasta gama de opções, como os suportes para cabos, as pegas fáceis de utilizar e os padrões antiderrapantes, acrescentam conforto. A gama está disponível em duas cores, antracite e branco, e dois acabamentos, alumínio e tecido.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Sto
Empresas

Sto apresenta StoColor X-black, a tinta que reflecte o calor em vez de o absorver

Especialista em isolamento térmico, a Sto apresenta agora uma das suas mais inovadoras tintas inteligentes, a StoColor X-black, uma tinta de exterior à base de pigmentos pretos que reflectem o calor ao invés de o absorver e protegem os edifícios da radiação solar até 70ºC

CONSTRUIR

Um dos grandes entraves à escolha de cores escuras no momento de pintar os edifícios é o facto de estas actuarem como íman para a luz directa, uma vez que absorvem a luz solar incidente e a transformam em calor, contrariamente às cores mais claras. Enquanto especialista em isolamento térmico e a favor da liberdade de design dos projectos, a Sto apresenta a sua tinta inteligente StoColor X-black com inovadores pigmentos pretos NIR (near infrared reflection) que garantem não só a reflexão do calor e consequente arrefecimento do edifício, mas também impedem que o mesmo sofra danos causados pelas temperaturas extremas como rachas ou deformações.

Um sistema de isolamento térmico é capaz de manter o interior do edifício agradavelmente fresco no Verão. Contudo, a sua superfície pode atingir temperaturas demasiado elevadas, especialmente quando se opta por cores escuras acabando por ter um efeito indesejado na eficiência térmica do edifício. Os pigmentos NIR da tinta StoColor X-black contrariam este fenómeno ao absorverem grande parte da energia solar, permitindo que as superfícies escuras permaneçam muito mais frias e que a fachada seja protegida eficazmente contra danos.

O design e a estética ficam garantidos com esta nova tinta Sto que permite eliminar, quase na totalidade, os limites térmicos no design de cores dos edifícios. Com efeito, até mesmo as superfícies de fachada com tons escuros ou pretos são facilmente possíveis dado que o tingimento à base de acrilato puro está disponível em todas as tonalidades do sistema StoColor e, a pedido, em muitos outros.

De entre as principais características diferenciadoras de StoColor X-black, destacam-se a sua base em acrilato reflectivo de calor puro com tecnologia NIR que, em contraste com os pigmentos convencionais, consegue uma redução de 20% na temperatura da superfície; permite que os picos de temperatura causados pela radiação solar sejam mantidos a temperaturas abaixo dos 70° C; pode igualmente ser aplicado como uma camada de renovação em estruturas ITE e monolíticas; está disponível em todas as cores do sistema StoColor e, a pedido, em inúmeras outras cores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Secil lança o primeiro betão neutro em carbono de Portugal

A Secil acaba de lançar o Betão Verdi Zero, o primeiro betão com zero emissões de CO₂ em Portugal, um produto inovador e sustentável que vem ao encontro dos objectivos para atingir a neutralidade carbónica da indústria cimenteira em 2050 e da necessária descarbonização do sector da construção

CONSTRUIR

O betão é um dos produtos essenciais à nossa sociedade e as suas propriedades únicas fazem com que seja um material de construção de eleição, sendo o primeiro produto manufacturado mais utilizado no mundo. Com este novo produto, a Secil vem dar resposta às novas exigências do mercado, que procura cada vez mais soluções verdes, em linha com a nova tendência de construção, os green buildings e respectivas certificações ambientais – BREEAM e LEED.

“Com o lançamento do betão Verdi Zero, a Secil dá um passo em frente na construção de um futuro mais sustentável, com edifícios e infraestruturas menos carbónicos e com menor impacto no meio ambiente”, afirma Otmar Hübscher, CEO do Grupo Secil, acrescentando que “a Empresa segue as directrizes que têm sido estabelecidas para o sector da indústria cimenteira e assume o compromisso de reduzir as emissões de CO₂ associadas à cadeia de valor, desenvolvendo um conjunto de projectos que incidem sobre o produto, a operação e o transporte”.

O Betão Verdi Zero é, assim, um betão com menor intensidade carbónica, que promove a economia circular, através da incorporação de resíduos reciclados, o que implica uma menor utilização de matéria-prima virgem. As restantes emissões serão compensadas através de um programa de compensação de carbono certificado pela Climate Impact Partners, tendo sido atribuído o selo de CarbonNeutral® Product.

Reforçando o seu compromisso no combate às alterações climáticas, o Grupo Secil aderiu à Science Based Targets initiative (SBTi), definindo as metas internas de redução de emissões near term (2030), com base em dados científicos e na verificação, por parte desta organização internacional, do cumprimento dos seus objectivos de descarbonização.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Weber reforça gama de coberturas com telas betuminosas

Além das opções com recurso a membrana líquida de poliuretano, a Weber tem disponível também a impermeabilização de coberturas com uso de telas betuminosas – gama weberdry roof.

CONSTRUIR

Num edifício a impermeabilização de uma cobertura é imprescindível, independentemente, do tipo de construção e estética definida para o projecto. A Weber, marca da Saint-Gobain Portugal, possui uma alargada gama de soluções de impermeabilização de coberturas que se adequam às necessidades dos edifícios. Além das opções com recurso a membrana líquida de poliuretano, a Weber tem disponível também a impermeabilização de coberturas com uso de telas betuminosas – gama weberdry roof.

As telas betuminosas são fabricadas com betume à base de plastómeros, que lhes confere rigidez, estabilidade dimensional e alta resistência aos raios ultravioleta, promovendo a durabilidade da solução de impermeabilização.

A gama weberdry roof é composta por um conjunto de telas betuminosas – membranas APP (Atactic Polypropylene Membrane), emulsões betuminosas – weberprim roof CI e weberprim roof CT e geotêxtil desacoplador – weberdry roof GEOT. Estes produtos quando combinados permitem dar resposta a vários sistemas construtivos de coberturas, sejam planas, inclinadas, metálicas ou até ajardinadas, sendo possível combinar com diversos tipos de revestimento final. As emulsões betuminosas atuam como primário e promotor de adesão à tela que se lhe irá sobrepor, sendo o weberprim CI para uma cobertura invertida ou o weberprim CT que atua como barreira pára-vapor, numa cobertura tradicional.
Por fim, o geotêxtil weberdry roof GEOT actua como camada desacopladora, imprescindível em alguns sistemas construtivos, como é geralmente o caso de coberturas ajardinadas ou acessíveis.

Actualmente, verificamos diversas patologias nos edifícios, tendo na sua grande maioria, origem numa deficiente impermeabilização da cobertura. As telas betuminosas têm a vantagem de poder ser combinadas com os vários tipos de isolamento térmico, garantido, assim, uma solução completa.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Corticeira Amorim lança novo produto com materiais reciclados da Nike no mercado americano

O Go4cork Blend, é um subpavimento produzido pela Amorim Cork Composites que combina cortiça e excedentes de produção da indústria do calçado da Nike e pretende ter um impacto positivo no ambiente, através da criação de uma solução sustentável para o sector da construção

CONSTRUIR

A Corticeira Amorim, o maior grupo de transformação de cortiça do mundo, lançou um novo subpavimento com materiais da Nike. O subpavimento Go4cork Blend com Nike Grind é produzido pela Amorim Cork Composites – unidade de negócio da Corticeira Amorim que desenvolve produtos, soluções e aplicações para algumas das indústrias mais exigentes do mundo – e pretende ter um impacto positivo no ambiente, através da criação de uma solução sustentável, tendo por base os princípios da economia circular. A Amorim Cork Composites utilizou na composição deste produto: compósitos de cortiça e espuma de EVA, proveniente dos excedentes do processo de fabrico de calçado da Nike. A Nike Grind começou como uma iniciativa de base em 1992 para reaproveitar o calçado desportivo destinado a aterro, sendo agora um programa global de sustentabilidade, que ajuda a transformar desperdícios de fabrico da Nike em materiais reciclados.

A nova solução assenta numa formulação que visa proporcionar um elevado desempenho ao subpavimento, devido às características únicas que a cortiça confere a esta aplicação: durabilidade, conforto, impermeabilidade, anti-vibração e isolamento térmico e acústico. Segundo um estudo levado a cabo pela consultora EY, o balanço de carbono do subpavimento Go4cork Blend com Nike Grind é negativo, representando -5.5kg CO2 eq/m2. Isto significa que este produto promove um sequestro de carbono no montado que é superior às emissões de CO2 que resultam da sua produção.
António Rios de Amorim, presidente e CEO da Corticeira Amorim, destaca o facto de «o produto reflectir uma aposta contínua da Corticeira Amorim na área da economia circular, assumindo a sustentabilidade como um compromisso e como um dos pilares estratégicos da actividade da empresa». Salienta ainda, «no futuro, a Amorim Cork Composites vai continuar a fazer o que faz de melhor: acrescentar valor à cortiça de forma competitiva, diferenciadora e inovadora».

O estudo de Ciclo de Vida do subpavimento Go4cork Blend com Nike Grind foi conduzido segundo uma abordagem cradle-to-gate, contemplando os impactos ambientais de todas as actividades, desde a extracção da matéria-prima, passando pela produção de todos os componentes, até à porta da fábrica. A metodologia dos estudos teve por base o sequestro de CO2 promovido pela floresta de sobro, bem como as normas ISO 14040/44, complementadas com as directrizes do International Reference Life Cycle Data System (ILCD). Os dados associados à produção do produto foram fornecidos pela Amorim Cork Composites, ao passo que os processos gerais associados à produção das matérias-primas, energia, transporte e gestão de resíduos foram obtidos na base de dados ecoinvent 3.5.

O produto Go4cork Blend com Nike Grind está disponível na Home Depot USA

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.