Edição digital
Assine já
Imobiliário

Primeiro investimento turístico da Socicorreia nasce em Braga (c/galeria de imagens)

Com um investimento de 2,5 M€, o “Lux Housing Século XXI”, marca a expansão do Grupo Socicorreia para o sector do turismo. Até 2025, estão previstas mais aberturas na cidade de Braga

Cidália Lopes
Imobiliário

Primeiro investimento turístico da Socicorreia nasce em Braga (c/galeria de imagens)

Com um investimento de 2,5 M€, o “Lux Housing Século XXI”, marca a expansão do Grupo Socicorreia para o sector do turismo. Até 2025, estão previstas mais aberturas na cidade de Braga

Cidália Lopes
Sobre o autor
Cidália Lopes
Artigos relacionados
Salgueiral Residences vendido na totalidade
Imobiliário
“É fundamental que os arquitectos voltem a aproximar-se dos centros de decisão”
Arquitectura
Atraso no OE dita quebra de 19% nos concursos lançados
Construção
Renault Portugal e Nissan em novo edifício no Lagoas Park
Imobiliário
ERA regista “melhor semestre de sempre em Portugal”
Imobiliário
Schneider Electric expande portefólio de celas MT verdes e digitais
Empresas
Home Tailors Real Estate abre nova loja em Sesimbra
Imobiliário
OBO Bettermann lança novos kits completos GES R2 para betonilha
Empresas
Linha Profissional do Grupo Puma
Construção
Plano de Alojamento para estudantes do Ensino Superior com 134 candidaturas aprovadas
Construção

Nasceu em Braga o primeiro empreendimento de alojamento local de luxo da Socicorreia Turismo. O “Lux Housing Século XXI”, fruto de um investimento de 2,5 milhões de euros, marca o início da expansão do Grupo para o segmento do turismo e da hotelaria.

O “Lux Housing Século XXI” resulta da reabilitação de um prédio antigo e com história, no coração de Braga, e é expectável que a ocupação atinja os 60% no primeiro ano, segundo o Grupo. O edifício, remodelado e modernizado, é composto por oito apartamentos de luxo totalmente equipados e decorados, com terraço, jardim privado e vistas privilegiadas para a cidade Braga, com a particularidade de, apesar de serem apartamentos, reunirem condições de um hotel de 5 estrelas. Todos os alojamentos foram pensados para turistas e para executivos, sendo que existem condições para a realização de reuniões no seu interior.

O objectivo do Grupo Socicorreia é diversificar os negócios e expandir a organização para o sector do turismo, ao mesmo tempo que dá resposta às necessidades do mercado no segmento de luxo e de negócios na Região, sendo, por isso, “uma sequência natural dos investimentos do Grupo, que desde sempre procurou a diversificação de negócios e a aposta em áreas de mercado tão competitivos quanto lucrativos, mantendo a qualidade”, assegura Custódio Correia, CEO do Grupo Socicorreia.

Além da promoção de projectos na área do alojamento, a Socicorreia Turismo pretende, também, gerir todos os serviços complementares associados, nomeadamente, o aluguer de viaturas de gama alta, serviço de transfers e a organização de viagens e visitas à região.

Novos investimentos até 2025

A escolha da localização para este investimento prende-se, primeiramente, ao facto de Braga ser a cidade natal do CEO do Grupo Socicorreia, mas também por ser a cidade mais antiga de Portugal que, consequentemente, tem muita história e uma riqueza de monumentos muito grande, para além da sua gastronomia muito própria e do forte turismo religioso.

Com novos investimentos previstos para os próximos anos, a Socicorreia confirmou ao CONSTRUIR que, os próximos projectos a desenvolver serão, também, na mesma cidade.

“Por enquanto e nos próximos anos, o foco na área do turismo será na cidade de Braga”, afirma Custódio Correia.

É também em Braga que a promotora pretende desenvolver novos investimentos neste segmento, estando previsto mais projectos até 2025. “Vamos sempre apostar em linhas Premium, como temos vindo a fazer em todas as áreas onde nos encontramos”, acrescentou o CEO do Grupo.

Composto por sete empresas, todas elas maioritariamente ligadas aos sectores da construção e do imobiliário, o Grupo tem hoje uma forte presença nas cidades de Lisboa, Funchal e Ponta Delgada e Braga onde actua na aquisição de imóveis de alta qualidade para construção ou reabilitação para fins residenciais, sendo os Edifícios Século XXI a sua principal imagem de marca. Actualmente, tem já vários projectos concluídos e comercializados, tendo registado, em 2020, um volume de facturação superior a 50 milhões de euros, valores que a empresa espera superar em 2021.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
Artigos relacionados
Salgueiral Residences vendido na totalidade
Imobiliário
“É fundamental que os arquitectos voltem a aproximar-se dos centros de decisão”
Arquitectura
Atraso no OE dita quebra de 19% nos concursos lançados
Construção
Renault Portugal e Nissan em novo edifício no Lagoas Park
Imobiliário
ERA regista “melhor semestre de sempre em Portugal”
Imobiliário
Schneider Electric expande portefólio de celas MT verdes e digitais
Empresas
Home Tailors Real Estate abre nova loja em Sesimbra
Imobiliário
OBO Bettermann lança novos kits completos GES R2 para betonilha
Empresas
Linha Profissional do Grupo Puma
Construção
Plano de Alojamento para estudantes do Ensino Superior com 134 candidaturas aprovadas
Construção
Imobiliário

Salgueiral Residences vendido na totalidade

Situado na cidade de Guimarães, o empreendimento conta com promoção da dstrealestate e comercialização da dipe. O investimento global ultrapassou os 13 M€

O empreendimento Salgueiral Residences, situado no centro da cidade de Guimarães, tem as fracções habitacionais 100% vendidas. Promovido pela dstrealestate, o grupo esteve ainda representado por mais quatro empresas: a dst, dstsolar, tagregados, tbetão, sendo que o investimento global do grupo ultrapassou os 13 milhões de euros.

Segundo Miguel Moreira, director geral da dstrealestate, o sucesso do Salgueiral deve-se em parte à “evidente carência de imóveis prontos a habitar na cidade de Guimarâes”. “Podemos considerar que esta foi uma aposta ganha, uma vez que, ainda em fase construção, foram vendidas 85% das fracções. Este sucesso motiva-nos ainda mais para os desafios que se seguem”, acrescenta.

Por sua vez, Diogo Antunes, CEO da dipe, imobiliária responsável pela comercialização, que conta com mais de 25 anos de experiência no mercado, destaca a elevada aceitação por parte dos clientes. “Pela localização atractiva, pelas áreas espaçosas e pelas generosas varandas voltadas a Sul, sabíamos que este empreendimento seria um sucesso de vendas”, começa por dizer Diogo Antunes, que revela a elevada procura por parte de investidores: “a DST é uma referência, não só em Portugal, mas também no estrangeiro”.

Os Salgueiral Residences contemplam “os mais elevados padrões de conforto, aliados à tecnologia mais sofisticada, com o máximo aproveitamento da exposição solar, amplas áreas e cuidado em cada detalhe”. Além do corpo habitacional, o complexo integra, ainda, seis espaços comerciais, uma zona de uso colectivo para festas, reuniões e convívios, e uma área de lazer reservada.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Renault Portugal e Nissan em novo edifício no Lagoas Park

A Renault, a RCI e a Nissan transitam agora para o edifício 15 onde vão partilhar 1600 metros quadrados de espaço prime office, uma mudança que marca o regresso dos seus colaboradores ao escritório

O Grupo Renault Portugal e Nissan Portugal vão partilhar um novo edifício no Lagoas Park. Inicialmente situadas no edifício 4, a Renault, a RCI e a Nissan transitam agora para o edifício 15 onde vão partilhar 1600 metros quadrados de espaço prime office. Presentes no Lagoas Park desde 2005, estas marcas reforçam, assim, a parceria de longa duração com o parque empresarial e assinalam, com esta mudança, o regresso dos colaboradores ao escritório. A operação foi conduzida pela CBRE, consultora que desde 2021 foi contratada pela Henderson Park para gerir e comercializar o parque empresarial. “A Renault Portugal e a Nissan Portugal encontram-se no Lagoas Park desde 2005 e sentiram agora a necessidade de mudar de escritórios para um novo espaço que respondesse às actuais necessidades, centralizando todas as equipas. A CBRE orgulha-se de ter apoiado este processo, principalmente numa altura tão importante para estas marcas que voltam a receber as suas equipas, agora numa nova área.”, afirma André Almada, senior director advisory & transactions services offices da CBRE Portugal.

“Após 17 anos no edifício 4 do Lagoas Park era chegado o momento para a Renault Portugal mudar de casa. Os tempos actuais e futuros exigem novas dinâmicas de trabalho em termos de flexibilidade, condições de trabalho e tecnologia. Encontrámos tudo isso no edifício 15. Temos agora condições óptimas que nos permitem abraçar os desafios da mobilidade do futuro com confiança redobrada.”, afirma Ricardo Lopes, administrador delegado da Renault Portugal. Uma opinião partilhada por Antonio Melica, diretor-geral da Nissan Portugal. “A Nissan orgulha-se de ter sido considerada um Best Work Place e um Great Place to Work em Portugal, prémios que reforçam o nosso forte compromisso com esta fantástica equipa que diariamente torna a Nissan uma marca mais forte em Portugal. Por esta equipa, estamos permanentemente a Inovar em métodos de trabalho e a implementar acções que melhorem a sua qualidade de trabalho e permitam um melhor equilíbrio entre trabalho e vida pessoal. Esta mudança de instalações, aliada à alteração para uma nova organização de trabalho em que os colaboradores só vêm ao escritório 3 dias por semana, é mais uma forma de continuar a contribuir para fazer crescer as nossas Pessoas e a Marca Nissan”, sustenta.

Recorde-se que o Lagoas Park é um dos maiores parques empresariais de Portugal. Com 114 mil metros quadrados de escritórios, 2500 metros quadrados de área comercial e 85 mil metros quadrados de espaços verdes, este parque de escritórios acolhe diversas empresas nacionais e internacionais nomeadamente Cisco, Canon, Colgate-Palmolive, Johnson & Johnson, Oracle, Pfizer, entre muitas outras dos mais diversos sectores.

“O Grupo Renault Portugal e a Nissan Portugal são dois icónicos fabricantes de automóveis, o que só demonstra a força do tenant mix do Lagoas Park. Ambas as empresas têm uma longa associação com o Lagoas Park que remonta a 2005. O Edifício 15 proporciona um espaço de escritório ideal, inserido numa localização premium, com um ambiente tecnológico e de trabalho colaborativo que apoia estas empresas e as suas respectivas equipas. À medida que continuamos o nosso extenso programa de investimento de capital de mais de 20M€ com o intuito de enaltecer ainda mais o Lagoas Park e as suas credenciais de sustentabilidade – que incluem a remodelação e desenvolvimento das áreas interiores e exteriores, nomeadamente espaços de trabalho e colaboração – desejamos que o Grupo Renault Portugal e a Nissan Portugal usufruam da sua nova casa no Edifício 15 bem como da tecnologia, infraestruturas e espaços verdes que o Lagoas Park oferece e oferecerá por muito anos”, afirma Ronan Webster, Henderson Park, Asset Management Director.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

ERA regista “melhor semestre de sempre em Portugal”

Facturação ascendeu a 47,3 milhões de euros, o que significa um aumento de 24% face ao período homólogo de 2021. Durante este período, a imobiliária anuncia que vendeu mais de 6 250 imóveis

A ERA Imobiliária facturou 47,3 milhões de euros nos primeiros seis meses deste ano, o que significa um aumento de 24% face ao período homólogo de 2021, revela a rede. Durante este período, a imobiliária anuncia que vendeu mais de 6 250 imóveis, um crescimento de 13% em comparação com o mesmo período no ano passado. Estes números fazem com que o primeiro semestre de 2022 seja o melhor de sempre da ERA Imobiliária.

Verifica-se que a facturação atingida no primeiro semestre de 2022 regista, também, um aumento de 12% face ao período homólogo em 2019 e inclusive supera em 3% o valor atingido em 2018, considerado o melhor ano da história da ERA Imobiliária até agora.

Apesar de todos os factores externos adversos que estão a influenciar os diferentes sectores económicos, incluindo o imobiliário, nomeadamente o aumento da inflação, a subida das taxas de juro ou a escassez e aumento do custo das matérias-primas, a ERA Imobiliária mostrou-se resiliente e desenvolveu uma estratégia que lhe permitiu transaccionar a venda de imóveis com um valor total de 1000 milhões de euros no primeiro semestre de 2022.

Merece nota o facto de, em linha com o estado actual do sector imobiliário, se ter registado um maior número de clientes compradores face aos clientes vendedores. Neste sentido, face ao período homólogo de 2021, o número de clientes compradores registados na imobiliária aumentou em 7% e o número de clientes vendedores cresceu cerca de 4%. O valor médio de venda foi de cerca de 180 mil euros, um aumento de 14% face ao primeiro semestre de 2021.

Num quadro geral marcado por uma maior procura de imóveis e uma escassez de oferta, a ERA deu o seu contributo para a inversão desta realidade através do lançamento no mercado de 154 novos empreendimentos residenciais nos primeiros seis meses do ano, ao abrigo do programa de parceria Obra Nova ERA.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Home Tailors Real Estate abre nova loja em Sesimbra

Com esta abertura a Home Tailors dá mais um passo no seu plano de expansão que prevê alcançar 30 agências até ao final de 2023

A Home Tailors Real Estate abriu uma nova loja em Sesimbra, a nova unidade situa-se em pleno centro histórica da vila. Com esta abertura a Home Tailors dá mais um passo no seu plano de expansão que prevê alcançar 30 agências até ao final de 2023.

Para este ano está prevista a abertura de mais 8 agências Home Tailors. A aposta será reforçar a posição na Grande Lisboa, com mais 6 agências em Cascais, Oeiras, Setúbal, Aroeira, Parque das Nações e Chiado e mais duas unidades a norte. Já em 2023, o plano de expansão passa por chegar às regiões centro e sul do país. Neste momento estão várias unidades em preparação e diversas candidaturas em análise.

Segundo David Carapinha, CEO & Founder da Home Tailors Real Estate: “A Home Tailors nasceu há apenas cinco anos e temos tido um percurso sempre em crescendo. A nova loja de Sesimbra é mais um grande passo no crescimento da empresa fruto do fantástico trabalho de toda a nossa equipa a quem desde já agradeço”.

A empresa de angariação e mediação imobiliária está há cinco anos no mercado, tendo fechado 2021 com um volume de vendas de 78 milhões de euros. Naquele que foi o seu melhor ano de sempre, a empresa registou um crescimento de 21% face a 2020. 2021 foi, também, o ano de maior volume de negócios e de maior número de vendas pela Home Tailors, com quase 400 imóveis transacionados, o que representou um aumento de quase 30% face a 2020 no número de imóveis vendidos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Novaxia Investissement vai desenvolver projecto multiusos na Amadora

Com uma área de cerca de 72.000 m2, tem um potencial construtivo estimado de 107.000 m2 acima do solo. Para além de serviços, habitação e a construção de equipamentos diversos, os primeiros estudos propõem também a criação de espaços verdes

CONSTRUIR

A Novaxia Investissement através de um dos seus fundos, adquiriu um conjunto de terrenos na zona da Amadora, concretizando o seu primeiro investimento em Portugal. O processo de negociação, estudos iniciais e introdução do investidor ao vendedor, foi efectuado pelo BNP Paribas Real Estate.

O perímetro transaccionado é composto por cinco terrenos, que até então estavam na posse do Millennium BCP, perfazendo uma área de cerca de 72.000 m2, apresentando um potencial construtivo estimado de 107.000 m2 acima do solo. Entre os vários usos permitidos, destaca-se a capacidade para a construção de serviços, habitação e equipamentos diversos, incluindo nas áreas de saúde, educação ou cultura. Os primeiros estudos propõem também a criação de muitos espaços verdes, que irão transformar radicalmente um espaço anteriormente ocupado por actividades industriais.

O activo situa-se numa localização estratégia para o concelho de Amadora e com excelentes acessibilidades, quer rodoviárias, quer da rede pública de transportes, estando bastante próximo da estação de metro Amadora Este e das estações de metro e comboio da Reboleira. A proximidade à CRIL permite também um rápido acesso às diferentes zonas das cidades da Amadora e de Lisboa. Localizado junto à freguesia de Benfica, um dos bairros residenciais mais consolidados de Lisboa, o desenvolvimento deste projecto estruturante permitirá consolidar e harmonizar a ligação entre os dois concelhos.

“Esta transacção confirma a forte procura internacional por projectos de desenvolvimento imobiliário de grande escala e surge como uma oportunidade única de renovar o stock imobiliário existente, permitindo que este seja comercializado no futuro a preços mais ajustados à capacidade da generalidade das famílias e empresas portuguesas. Este novo projecto de construção nova combina uma série de factores que tornam o seu potencial indiscutível: (i) localização junto ao limite territorial de dois dos concelhos mais relevantes do país; (ii) escala/dimensão rara na realidade destes dois centros urbanos; (iii) excelentes acessibilidades, quer a nível rodoviário quer a nível de transportes públicos”, refere Gonçalo Ponces, head of development da JLL. A consultora assessorou o Millennium BCP no processo de venda. “Mas, acima de tudo”, continua o mesmo responsável, “o futuro projecto imobiliário a nascer nestes terrenos, pela sua escala, vai dar um contributo importante para a regeneração de que este território tem sido alvo nos últimos anos, dando continuidade ao grande investimento municipal realizado numa das localizações mais estratégicas para o concelho da Amadora”, nota.

“Este é um projecto de requalificação urbana emblemático, uma especialidade da Novaxia Investissement. Em parceria com o BNPP Real Estate, a Novaxia Investissement está a realizar um dos seus primeiros projectos de requalificação urbana fora de França, tornando possível dinamizar um bairro sem alterar negativamente a natureza dos solos. A Novaxia Investissement deseja continuar a sua expansão internacional através de projectos de todas as dimensões, acompanhando sempre os seus parceiros” reforça Mathieu Descout, President da Novaxia Investissement.

“O BNPP Real Estate Portugal, actuando como promotor imobiliário multi asset class, identificou o projecto da Fábrica com um enorme potencial de desenvolvimento e procurou fazer esta parceria com a Novaxia para trazer para o concelho da Amadora uma nova centralidade ao serviço da cidade e das pessoas. Com efeito, antes da concretização desta aquisição pela Novaxia, foram realizados importantes estudos técnicos e urbanísticos em proximidade com a equipa técnica do município da Amadora e com o apoio do Mbcp e da JLL”, explicou Pedro Alves Torgo, head of BNPP Re Portugal e property development director Iberia.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Italiana Candy Lisa entra em Portugal pela mão da Cushman & Wakefield

Para Sandra Belo, associate do Departamento de Retalho da consultora, “este espaço, junto ao Elevador de Santa Justa, tem o perfil certo para fazer jus à visão arrojada da Candy Lisa, algo em que o proprietário para quem atuamos acreditou desde o primeiro minuto”

CONSTRUIR

A consultora Cushman & Wakefield apoiou a operação de entrada em Portugal da retalhista italiana Candy Lisa.

A loja abre até ao final deste verão, no Chiado, mais concretamente junto ao Elevador de Santa Justa, após a consultora imobiliária ter procedido ao arrendamento do espaço.

Fundada em 2015, a Candy Lisa é uma retalhista italiana que conta com 37 lojas, distribuídas por Itália, e algumas cidades europeias, sendo a imagem de marca do grupo italiano a doçura e harmonia dos seus doces, em conjugação com a diversão e extravagância dos desenhos animados mais icónicos.

Nesta nova loja de doces da baixa lisboeta, será possível encontrar expositores em forma de barris de madeira, inteiramente desenhados e fabricados por artesões italianos, bem como modelos de vários desenhos animados famosos, também eles feitos à mão. Os doces, são a grande estrela da companhia e prometem levar miúdos e graúdos numa viagem por diferentes cores, texturas, perfumes e sabores.

Para Sandra Belo, Associate do Departamento de Retalho da Cushman & Wakefield Portugal, “encontrar um local apropriado para abrir a primeira loja Candy Lisa em Portugal foi um desafio que aceitámos de imediato, uma vez que com esta conquista estamos a apoiar uma marca internacional, com um conceito inovador, a chegar a Portugal.” Sandra Belo acrescenta ainda que “este espaço, junto ao Elevador de Santa Justa, tem o perfil certo para fazer jus à visão arrojada da Candy Lisa, algo em que o proprietário para quem atuamos acreditou desde o primeiro minuto.”

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

SRS Advogados assessora Fidelidade na aquisição do Yotel no Porto

O fundo imobiliário IMOFID é detido a 49% pelo Grupo Fidelidade e conta com alguns dos maiores investidores institucionais portugueses.

CONSTRUIR

A SRS Advogados assessorou a Fidelidade Sociedade Gestora de Organismos de Investimento Coletivo – na qualidade de sociedade gestora do fundo imobiliário IMOFID – na compra de um hotel no Porto, o Yotel, operado pelo grupo UIP. A equipa da SRS Advogados foi coordenada por Neuza Pereira de Campos, sócia responsável
pelo Departamento de Imobiliário.

O fundo imobiliário IMOFID é detido a 49% pelo Grupo Fidelidade e conta com alguns dos maiores investidores institucionais portugueses.

Situado no centro antigo da cidade do Porto, o prédio do Yotel Porto engloba uma área de 7794 metros quadrados e o investimento realizado foi de cerca de 30 milhões de euros. “A SRS Advogados continua a prestar assessoria relevante a este tipo de transacções e é com satisfação que verificamos que o mercado imobiliário em Portugal se mantém activo e relevante em vários sectores, incluindo na área do Turismo, também ela muito relevante para a economia Portuguesa”, afirma Neuza Pereira de Campos, sócia da SRS.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

JLL antecipa melhor ano de sempre na ocupação de escritórios em Portugal

2022 está a revelar-se um ano ímpar para o mercado de escritórios, com a cidade de Lisboa a encerrar o 1º semestre com uma média de 1.600 m2 tomados por cada transacção, um valor nunca antes visto

CONSTRUIR

2022 está a revelar-se um ano ímpar para o mercado de escritórios, com a cidade de Lisboa a encerrar o 1º semestre com uma média de 1.600 m2 tomados por cada transacção, um valor nunca antes visto. A consultora prevê assim que, mantendo-se o ritmo na ocupação de escritórios, este será o melhor ano de sempre no sector em Portugal.

Em termos acumulados, a primeira metade do ano encerra com nota muito positiva tanto em Lisboa como no Porto. Na capital, o take-up deste período ascende já a 168.000 m2, superando as absorções anuais quer de 2020 quer de 2021 e estando a mais de 85% da actividade anual de 2019. Nestes seis meses, o mercado de Lisboa contabilizou 104 operações com uma área média de 1.615 m2, sendo o Parque das Nações a zona mais procurada (30% da absorção), embora seguida de perto pela Nova Zona de Escritórios (24% do take-up). Em termos de procura, foram as empresas de “Serviços Financeiros” as líderes, com 47% do take-up.

No Porto, a actividade semestral ascende a 30.000 m2, num total de 35 operações com uma área média de 865 m2. Neste caso, tal actividade apresenta um forte crescimento face aos níveis do 1º semestre de qualquer um dos últimos 3 anos. Em particular comparativamente com o mesmo período de 2021, o crescimento foi de mais de 100%. O Central Business District (CBD) – Baixa atraiu o maior volume de ocupação (38%), sendo as empresas de “TMT’s & Utilities” as mais dinâmicas a ocupar escritórios no Porto nestes seis meses (50%).

Sofia Tavares, Head of Office Leasing da JLL, explica que “apesar da conjuntura económica mais desafiante, as empresas estão a regressar em força aos escritórios e a procura de áreas grandes continua a ser um dos principais requisitos. No mês de Junho voltámos a ver isso, com as áreas superiores a 1.000 m2 a concentrarem um terço das operações em Lisboa e metade no Porto. Da nossa parte, temos estado especialmente activos neste tipo de colocação e em Junho actuámos na maioria dos negócios com áreas grandes, incluindo a maior do mês, que superou os 7.000 m2. Acreditamos que este tipo de procura vai continuar a dinamizar bastante o mercado e a gerar muitos pré-arrendamentos”.

De acordo com o Office Flashpoint da JLL, o mercado de escritórios continua a exibir um desempenho assinalável, totalizando 21.000 m2 de absorção em Lisboa e 6.800 m2 no Porto no mês de Junho.

Em Junho, a zona Histórica e Ribeirinha foi a mais activa em Lisboa, com 39% do take-up mensal, enquanto o segmento de procura mais dinâmico foi o de “Consultores e Advogados”, gerando 47% da ocupação. Já no Porto, destacou-se o sector de “Serviços Financeiros”, com 64% da ocupação, sendo o CBD-Baixa o destino mais procurado, com um peso também de 64%. Em Lisboa a área média transaccionada em Junho ascendeu a 1.170 m2 e no Porto a 1.130 m2.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

21,5% das transacções RE/MAX são de investimento estrangeiro

Entre Janeiro e Maio, brasileiros e norte-americanos foram quem mais investiu, representando 38% do volume total de transacções envolvendo clientes estrangeiros. O distrito de Lisboa absorveu 47,9% das transacções

CONSTRUIR

A RE/MAX tem registado um crescente interesse de clientes estrangeiros, com os primeiros cinco meses, de Janeiro a Maio, a representar 21,5% dos negócios da rede. Numa comparação com igual período de 2021, o número de transacções envolvendo clientes estrangeiros aumentou cerca de 57%, com os clientes brasileiros a serem os mais intervenientes, assegurando 30,6% das transacções. Destaque também para um acentuado incremento na procura por parte de norte-americanos, a segunda nacionalidade mais importante envolvendo clientes internacionais, com 7,4% das transacções, ultrapassando as nacionalidades inglesa, francesa e angolana.

Ainda que o cliente nacional continue a ser o principal investidor em imobiliário no território nacional, nos primeiros cinco meses deste ano o número de transacções envolvendo clientes estrangeiros aumentou cerca de 57% quando comparado com os meses de Janeiro a Maio 2021, superando a barreira das sete mil transacções (7.141), mais do que o crescimento registado envolvendo clientes nacionais (3,5%). Neste sentido, os clientes estrangeiros representam uma fatia de 21,5% das transacções da rede, um peso similar ao registado em anos pré-pandemia.

“Portugal continua a reunir excelentes condições para atrair investidores estrangeiros, muitos dos quais investem poupanças acumuladas ao longo de anos para aqui viver. Factores como a segurança, o acolhimento, o clima, a gastronomia e a qualidade de vida, conduzem a que, cada vez mais, os investidores estrangeiros vejam o nosso país como uma opção segura de investimento em imobiliário. Acreditamos que esta dinâmica se mantenha nos próximos meses, dadas as excepcionais características que Portugal apresenta”, sustenta Beatriz Rubio, CEO da RE/MAX

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Casavo levanta 400 M€ para continuar a expandir a sua plataforma de compra e venda de imóveis na Europa

O capital angariado inclui uma ronda série D de 100M€. A empresa assegurou ainda 300 M€ adicionais em dívida para reforçar a compra e venda de imóveis. O investimento será utilizado para escalar o negócio e consolidar a liderança na Europa

CONSTRUIR

A Casavo, plataforma digital europeia, com presença em Portugal desde Janeiro, anunciou uma nova ronda de investimento que ascende a 400 milhões de euros. Este investimento é composto por uma ronda série D de 100 milhões de euros e uma linha de crédito de 300 milhões de euros. A série D de 100 milhões de euros representa a maior ronda levantada por uma proptech na Europa até à data, “o que demonstra a solidez do modelo de negócio e as perspectivas futuras da Casavo, apesar das difíceis circunstâncias em que se encontra o mercado de capitais”, sublinha em comunicado a plataforma. A linha adicional de dívida de 300 milhões de euros aumenta a capacidade de financiamento da Casavo para a compra de imóveis, garantindo recursos suficientes para o crescimento do seu negócio imobiliário nos próximos anos.

A ronda de investimento anunciada pela Casavo foi liderada pela Exor NV, reputado grupo de investimento europeu controlado pela família Agnelli. Entre os novos investidores destacam-se ainda grupos como Neva SGR (Grupo Intesa Sanpaolo), Endeavor Catalyst, Hambro Perks e ainda investidores privados como Sébastien de Lafond (fundador da MilleursAgents). A combinação de investidores com diferentes perfis irá proporcionar à Casavo a experiência necessária para potenciar o crescimento futuro da empresa. Por outro lado, os accionistas que participaram nas rondas anteriores, incluindo a Greenoaks, Project A Ventures, 360 Capital, P101 SGR, Picus Capital e Bonsai Partners, também participaram na ronda série D e reforçaram a sua confiança no plano de expansão da Casavo.

“Estamos muito satisfeitos por reforçar a nossa relação com a Exor, na sequência do seu investimento inicial realizado no ano passado, e por acolher todos os novos investidores juntamente com os nossos accionistas já existentes”, afirma Giorgio Tinacci, fundador e CEO da Casavo. “Esta combinação de equity e dívida é um reconhecimento do nosso crescimento sustentado e da confiança que os investidores têm na nossa visão a longo prazo. Esta ronda permitir-nos-á consolidar a nossa liderança na Europa, crescendo nos mercados onde já operamos, nomeadamente, Portugal, Espanha e Itália, e expandir para novos mercados, sendo França a nossa prioridade. Vamos continuar a apostar na nossa missão de simplificar a forma como as pessoas vendem e compram imóveis, evoluindo de um comprador de casas para uma plataforma integral líder na Europa, com soluções tanto para vendedores como para compradores”, complementa.

“A Casavo está claramente a tornar-se a proptech líder na Europa e estamos entusiasmados por acompanhar este trajecto com o seu fundador, Giorgio Tinacci, e restante equipa. Apesar das condições turbulentas do mercado, a Casavo tem atingido excelentes resultados até à data e estamos optimistas quanto ao futuro”, refere Noam Ohana, Diretor Geral da Exor Seeds.

Para além da ronda série D de 100 milhões de euros, a Casavo angariou ainda 300 milhões de euros em dívida, que incluem uma extensão de 190 milhões de euros para apoiar a actividade da empresa em novas geografias. O grupo Intesa Sanpaolo é um dos novos investidores da Casavo, juntando-se aos já existentes Goldman Sachs e D.E. Shaw & Co. Este financiamento adicional vai permitir uma redução significativa no custo do capital da Casavo e evidencia a confiança dos investidores institucionais nas bases sólidas do negócio da empresa.

Desde a sua fundação em 2017, a Casavo tem-se guiado por um objectivo claro: facilitar a vida a quem quer vender ou comprar casa. A empresa começou como uma plataforma digital de compra de casas, um modelo de negócio conhecido na indústria como “Instant Buyer”, tornando-se o ponto de referência online para a maioria dos vendedores ao oferecer uma proposta rápida e sem complicações – em contraste com o processo de venda tradicional e lento. A plataforma realiza avaliações de imóveis de forma instantânea e gratuita, apresenta ofertas em 48 horas e compra as casas directamente aos vendedores em apenas alguns dias. Depois de adquirir as casas, renova-as e encontra os clientes finais. Por outro lado, os compradores têm acesso a um inventário exclusivo de casas prontas a habitar, com garantia e serviço pós-venda.

A Casavo é uma solução completa para vendedores e compradores de casas, utilizando tecnologia patenteada em cada etapa do processo de transacção. Além disso, também permite conectar agentes imobiliários, bancos e empresas de renovação, acrescentando valor ao ecossistema em que se insere e oferecendo serviços inovadores aos seus clientes. Actualmente, a plataforma opera em Espanha, Itália e Portugal e já executou mais de mil milhões de euros em transacções.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.