Edição digital
Assine já
Imobiliário

Hipoges com aumento de 150% no volume de vendas em Portugal no primeiro trimestre do ano

Lisboa, Faro, Setúbal e Santarém são as regiões que mais volume de vendas concentraram em Portugal: num total de mais de 60%

CONSTRUIR
Imobiliário

Hipoges com aumento de 150% no volume de vendas em Portugal no primeiro trimestre do ano

Lisboa, Faro, Setúbal e Santarém são as regiões que mais volume de vendas concentraram em Portugal: num total de mais de 60%

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
ERA Imobiliária conta com três novas agências
Imobiliário
Vila Galé Monte do Vilar representa investimento de 4M€
Imobiliário
Archi Summit antecipa nova edição com inúmeras iniciativas
Arquitectura
A revolução chegou à indústria
Empresas
Évora recebe conferência internacional “Smart Cities, Smart Future?”
Empresas
VIC Properties anuncia novos accionistas e reforça estrutura financeira
Imobiliário
5ª edição do Programa de Trainees da Tétris já está a decorrer
Empresas
Investimento superior a 35 M€ transforma antigo edifício da Ageas no Porto
Imobiliário
Prime Watch destaca aumento de renda de cerca de 20% em apenas um ano
Imobiliário
Município do Porto cede terreno para futura Academia da Associação de Futebol
Construção

O servicer de referência em Asset Management, Hipoges, com presença em Portugal, Grécia, Itália e Espanha, fechou o primeiro trimestre de 2022 com um aumento de 150% no volume de vendas face ao mesmo período homólogo. Este crescimento notável reflectiu-se também no número de operações encerradas com sucesso pela empresa, onde registou um aumento de 87%, comparativamente aos primeiros três meses do ano anterior.

Especificando por tipo, o sector terciário tem demonstrado um forte impulso de actividade com um aumento homólogo superior a 189% no volume de vendas e 106% das transacções fechadas, o que reflecte o compromisso da empresa com este segmento através do recente lançamento do Portal do Investidor para os mercados de Portugal e Espanha.

No que ao sector residencial diz respeito, a empresa registou também um aumento de 206% no número de operações fechadas com sucesso. Um crescimento que representou um volume de vendas 221% superior ao do mesmo trimestre de 2021 e colocou o sector residencial como o mercado que mais cresceu no primeiro trimestre de 2022.

Lisboa, Faro, Setúbal e Santarém são as regiões que mais volume de vendas concentraram em Portugal: num total de mais de 60%. A capital lisboeta representa 34% do total de vendas, Faro 12%, Santarém 12% e Setúbal 10%. Estes dados reflectem o crescimento exponencial que o servicer está a viver ano após ano.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
ERA Imobiliária conta com três novas agências
Imobiliário
Vila Galé Monte do Vilar representa investimento de 4M€
Imobiliário
Archi Summit antecipa nova edição com inúmeras iniciativas
Arquitectura
A revolução chegou à indústria
Empresas
Évora recebe conferência internacional “Smart Cities, Smart Future?”
Empresas
VIC Properties anuncia novos accionistas e reforça estrutura financeira
Imobiliário
5ª edição do Programa de Trainees da Tétris já está a decorrer
Empresas
Investimento superior a 35 M€ transforma antigo edifício da Ageas no Porto
Imobiliário
Prime Watch destaca aumento de renda de cerca de 20% em apenas um ano
Imobiliário
Município do Porto cede terreno para futura Academia da Associação de Futebol
Construção
Imobiliário

ERA Imobiliária conta com três novas agências

Estarreja, Lamego e Mangualde são as três novas agências que reforçam a presença da imobiliária na região Centro e Norte do País

CONSTRUIR

Estarreja, Lamego e Mangualde são as três novas agências da ERA Imobiliária na região Centro e Norte do País. Com estas aberturas, já são seis as novas agências a arrancarem com a operação desde o início de 2023.

A abertura de mais uma loja em Lamego, a segunda na região, justifica-se com o aumento de procura na zona, tal como se tem verificado na generalidade do território português. O cliente-tipo que procura casa nesta região fá-lo em busca de uma habitação secundária, num local isolado, e pretende adquirir imóveis T3 ou moradias com terreno.

No caso de Estarreja, a nova agência permitirá aumentar a dimensão e representação da ERA na zona Centro e, em simultâneo, acrescentar valor no mercado imobiliário. Também aqui a procura aumentou significativamente, sobretudo devido aos imigrantes provenientes do Brasil e da Venezuela que se fixam na região.

Já em Mangualde, além da subida exponencial dos preços em Viseu (capital de distrito), a aposta no desenvolvimento turístico dos produtos regionais veio criar oportunidades de investimento em alojamento local que acabou por fazer disparar a procura e justificar a abertura de uma nova loja ERA. Os portugueses, ingleses e brasileiros são os que mais procura casa nesta região.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Vila Galé Monte do Vilar representa investimento de 4M€

O Grupo Vila Galé vai abrir a sua 40ª unidade, a 1 de Abril. Localizado nos terrenos do Clube de Campo do grupo em Beja, o Vila Galé Monte do Vilar representa um investimento de 4M€

CONSTRUIR

Localizado nos terrenos do Clube de Campo Vila Galé, em Beja, esta nova unidade terá 12 quartos, resultado de um investimento de quatro milhões de euros do grupo. O Vila Galé Monte do Vilar terá como temática os principais monumentos alentejanos, contando com uma piscina exterior, dois salões de eventos e duas salas de reuniões.

Em comunicado, o grupo refere que esta nova unidade irá privilegiar um ambiente “relaxante, privacidade e tranquilidade absoluta”. Inserida numa herdade com 1.620 hectares a nova unidade permite “desfrutar da comunhão com a natureza e de actividades ao ar-livre como caminhadas, piqueniques e ecoturismo”. A oferta deste ecoturismo inclui o Satsanga Spa & Wellness.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Matinha

Imobiliário

VIC Properties anuncia novos accionistas e reforça estrutura financeira

Os novos investidores são agora a AlbaCore Capital Group, Mudrick Capital Management e a Owl Creek Asset Management e da qual faz parte, também, a actual equipa de gestão da Vic. A transacção deverá estar concluída durante o segundo trimestre de 2023

CONSTRUIR

A VIC Properties anunciou esta sexta-feira, dia 17 de Março, que a Aggregate Holdings  vendeu a totalidade das acções que detinha da promotora imobiliária, numa transacção que totalizou um montante superior a 670 milhões de euros e que “proporcionará à VIC Properties uma estrutura financeira significativamente reforçada e mais flexível”. A transacção está sujeita às condições habituais para uma operação desta natureza, e espera-se que seja concluída durante o segundo trimestre de 2023.

Os novos investidores, liderados pela AlbaCore Capital Group, Mudrick Capital Management e a Owl Creek Asset Management e da qual faz parte, também, a actual equipa de gestão da Vic, confirma o “compromisso de longo prazo para com o mercado residencial português”, naquela que será “uma nova fase de crescimento”.

Como parte do seu novo plano estratégico, a VIC Properties receberá um significativo reforço de capital, cujos termos e valor ainda estão por acordar, de forma a acelerar o desenvolvimento dos seus três grandes projectos residenciais em Portugal. Estes projectos contemplam o Prata Riverside Village e a Matinha, ambos situados na zona ribeirinha de Lisboa, e o Pinheirinho, localizado entre a Comporta e Melides. Na sua globalidade, estes projectos têm uma área bruta de construção combinada de 570 mil metros quadrados (m2) e, após estarem totalmente licenciados e desenvolvidos, irão fornecer aproximadamente três mil novos apartamentos à cidade de Lisboa e variadíssimas unidades residenciais e turísticas na região entre a Comporta e Melides.

“Hoje arranca um novo e excitante capítulo para a VIC Properties. Juntamente com os nossos novos parceiros, e beneficiando de uma estrutura de capital reforçada, estamos altamente entusiasmados por podermos investir no desenvolvimento contínuo de alguns dos mais proeminentes projectos residenciais do País, proporcionando habitação de alta qualidade, sustentável e moderna, que tanta falta faz a quem vive em Portugal”, afirma João Cabaça, ceo da VIC Properties.

Já Jason Mudrick, fundador e chief Investment Officer da Mudrick Capital Management, afirma que “esta transacção vai permitir à VIC Properties acelerar as suas ambições estratégicas”

“A Aggregate e a equipa de gestão da VIC fizeram um trabalho notável na criação e desenvolvimento da empresa a partir do zero, o que nos deixa bastante entusiasmados em trabalhar com a VIC nesta nova etapa, apoiando-a na promoção dos seus emblemáticos projectos residenciais, contribuindo assim para novas soluções de habitação em Portugal”, reforça.

O acordo requer determinadas alterações aos actuais acordos de financiamento do grupo VIC, incluindo, entre outros, um exercício de solicitação de consentimento para que os titulares das obrigações em circulação da VIC aprovem certas alterações aos termos de tais obrigações a fim de implementar a transacção, incluindo a libertação da garantia existente prestada pela Aggregate, assim como de quaisquer compromissos futuros relacionados com as obrigações convertíveis da VIC.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

@Openbook

Imobiliário

Investimento superior a 35 M€ transforma antigo edifício da Ageas no Porto

Aquela que é a primeira aquisição do grupo internacional em Portugal e desenvolvido em parceria com a Adriparte, conta com projecto da Openbook e Project Management da Alphalink para transformar o edifício num “escritório do futuro”

Cidália Lopes

O edifício Campo Alegre, antiga sede da Ageas, no Porto, foi vendido à Osborne +Co, promotora com uma vasta experiência no desenvolvimento de escritórios. Aquela que é a primeira aquisição do grupo internacional em Portugal, em parceria com a Adriparte, representa um investimento superior a 35 milhões de euros. Com assinatura do atelier Openbook, o projecto conta, ainda, com a equipa da Alphalink para Project Management. Ainda em fase de licenciamento, as obras de reabilitação do imóvel deverão estar concluídas no final de 2024.

“Estamos ansiosos para aproveitar o potencial do edifício existente de Campo Alegre e transformá-lo em um espaço de escritórios de primeira linha que exceda os padrões da indústria. A nossa equipa está muito satisfeita por estar envolvida na criação de uma localização privilegiada dinâmica e sustentável para atrair novos ocupantes internacionais para a Zona 1 CBD Boavista”, afirma Fernando Caldas, general manager da Osborne+Co em Portugal.

Com 15 mil metros quadrados (m2), este será “um dos melhores projectos de escritórios na cidade do Porto”, que poderá vir a receber mais de 600 colaboradores, distribuídos por sete pisos. A aquisição “deste edifício emblemático”, que conta com uma “localização privilegiada, acessibilidades e excelente visibilidade” vai, ainda, colmatar a “crescente procura no mercado de ocupação de escritórios”.

“Altamente sustentável e moderno”

Desenhado para promover um espaço “altamente sustentável e moderno” e com foco no bem-estar dos seus ocupantes, a intervenção no edifício prevê a substituição da fachada e M&A, criando um edifício de escritórios de classe A.

A zona central do edifício irá oferecer, ainda, uma área significativa para amenities e espaços de escritórios adequados para ocupantes de menor dimensão, criando neste espaço um ponto vibrante e de encontro.

Tendo em conta a grande procura por espaços de grande dimensão, este edifício de escritórios irá também colocar no mercado pisos com áreas entre os 800 m2 e os 2000 m2, o que o torna “altamente atraente para novas empresas que queiram entrar no Porto ou para aquelas que pretendam aumentar as suas operações”.

O ‘Campo Alegre’ conta, ainda, com mais de 2.500 m2 de terraços exteriores, que se encontram em diferentes pisos, e cuja utilização se tornou ainda mais importante e mais procurada pelos ocupantes dos edifícios de escritórios depois da pandemia de Covid. “Esta é uma característica única quando comparada com o stock existente de prédios de escritórios disponíveis no núcleo CBD”, refere.

O projecto de requalificação prevê, ainda, espaços de estacionamento ao nível da rua e subsolo (-1 e -2) e conta, também, com parque para bicicletas, carregamento de veículos eléctricos, fornecimento de energia através de fontes renováveis, sistema inteligente e centralizado de todo o edifício e IoT disponível através de app.

“O nosso vasto track-record global na promoção de edifícios de escritórios de vanguarda, contribui de uma forma decisiva para o desenvolvimento sustentável das cidades, cumprindo com os requisitos ESG. Esperamos que os futuros ocupantes deste edifício possam usufruir de um ambiente e serviços complementares com elevados padrões de qualidade”, adianta Fernando Caldas.

Concluída venda do portefólio Invictus

A operação foi assessorada pela CBRE, tendo, desta forma, concluído a venda do portefólio Invictus, que pertencia à seguradora. Para a AGEAS, esta transacção corresponde às suas reais expectativas na conclusão de um processo estruturado que incluía três importantes activos da cidade do Porto, e é com grande satisfação que reconhece a importância do projecto de transformação apresentado pela Osborne, o qual dará uma nova vida ao edifício no qual funcionou a sede daquela seguradora durante cerca de 10 anos e que, com a requalificação prevista, contribuirá para uma cidade cada vez mais regenerada.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
Imobiliário

Prime Watch destaca aumento de renda de cerca de 20% em apenas um ano

Estudo anual sobre imobiliário comercial realizado pela consultora B. Prime, que destaca, ainda, a falta generalizada de oferta, em todos os segmentos, o que potencia uma pressão nas rendas com aumentos muito expressivos

CONSTRUIR

O mercado de escritórios registou, em algumas zonas da cidade de Lisboa,  um aumento de 20% no valor das rendas. Esta é uma das conclusões do Prime Watch, um estudo anual sobre imobiliário comercial realizado pela consultora B. Prime, que destaca, ainda, a falta generalizada de oferta, em todos os segmentos, o que potencia uma pressão nas rendas com aumentos muito expressivos. Não obstante, e apesar do cenário de incerteza geopolítica e consequentes oscilações económicas, “o sector imobiliário continuou a demonstrar uma forte resiliência”, tendo o segmento de investimento registado uma variação de +55% para um valor próximo de 3.2 mil milhões de euros.

No segmento de investimento existe, ainda, uma expectativa no aumento de operações de sale & leaseback de modo a contornar eventuais dificuldades de tesouraria, devido ao aumento das taxas de juro.

Os critérios ESG são uma componente incontornável e são cada vez mais determinantes na valorização dos imóveis e na sua procura, tanto para compra, como para arrendamento.

O Prime Watch destaca, igualmente, o crescimento que deverá continuar a manter-se na criação de Sociedades de Investimentos Imobiliário de Capital Fixo (SICAFI’S) visando obter uma maior eficiência fiscal.

No mercado de arrendamento, a oferta continua a ser diminuta, principalmente no segmento dos escritórios e logística, o que faz com que o regime de pré-arrendamento continue a ter uma enorme preponderância na área disponível; ou seja, muitos edifícios ainda antes de estarem concluídos já estarão ocupados.

Segundo Jorge Bota, managing partner da B. Prime, “existem enormes expectativas para o ano de 2023, nomeadamente a partir do segundo semestre, altura em que se prevê uma retoma do mercado de investimento, após o abrandamento que estamos a viver nestes primeiros meses do ano”.

“Neste momento muitos investidores estão a aguardar pela estabilização das taxas de juro, que se espera venha a acontecer a partir do segundo semestre. No decorrer deste ano, a dinâmica nos segmentos da logística e de escritórios vai continuar a ser robusta e estes serão certamente os activos mais procurados pelos investidores”.

O Prime Watch faz um balanço anual dos diferentes segmentos do imobiliário comercial: escritórios, logístico, retalho e investimento; no que diz respeito a volume de negócios, operações efetuadas, caracterização da procura e da oferta. Este estudo revela igualmente valores de ocupação, rendas e yields, para além de apontar uma série de tendências e expectativas para este ano de 2023.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

APRUPP promove debate sobre Habitação e Alojamento Local

O debate “Habitação, Alojamento Local, Direito de Propriedade” acontece em formato online dia 21 de Março, no sentido de abordar as medidas governamentais no domínio das políticas públicas de habitação que se encontra sob consulta pública

CONSTRUIR

No âmbito do processo de consulta pública do pacote de medidas governamentais no domínio das políticas públicas de habitação, designado “Mais Habitação” e que foi alargada até dia 24 de Março, a Associação Portuguesa para a Reabilitação Urbana e Protecção do Património (APRUPP) vai promover o debate sobre esta temática.

Deste modo, no próximo dia 21 de Março, pelas 18 horas, convidamos todos os interessados a juntarem-se a nós na Tertúlia “Habitação, Alojamento Local, Direito de Propriedade”, em formato online (através da plataforma Zoom), que contará com intervenções de alguns convidados especializados nestas matérias.

A participação é gratuita, mas com inscrição obrigatória junto da APRUPP.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

CBRE responsável pela colocação da John Paul no Tivoli Fórum

A empresa francesa de serviços de concierge vai ocupar uma área de 500 metros quadrados (m2) no 4.º piso do Tivoli Fórum

CONSTRUIR

A CBRE  foi responsável pela colocação da John Paul, empresa francesa de serviços de concierge, no 4.º piso do Tivoli Fórum, na Avenida da Liberdade, tendo actuado em nome do proprietário.

O novo escritório da John Paul, com uma área de 500 metros quadrados (m2), localiza-se em plena Avenida da Liberdade, uma das zonas comerciais mais prestigiadas da cidade de Lisboa o que, segundo Tachfin Kheli, director da John Paul em Portugal, “satisfaz plenamente” as exigências da identidade da marca e necessidades operacionais, “com uma localização prestigiada, espaço generoso e serviços de qualidade”.

Por sua vez, o Tivoli Fórum dispõe de uma vasta diversidade de espaços, incluindo áreas de retalho, restauração, um hotel e um parque de estacionamento público e privado, beneficiando ainda da proximidade com o Parque Eduardo VII, uma das maiores zonas verdes da cidade.

“O Tivoli Fórum é um espaço  atractivo para a maioria das empresas devido às excelentes condições que apresenta e à sua localização de excelência, bem no centro de Lisboa. Neste caso, mostrou-se o espaço ideal para acomodar uma empresa como a John Paul, pois consegue responder às necessidades e exigências das suas equipas. Esta colocação demonstra, uma vez mais, o dinamismo do sector de escritórios que se tem mantido nos primeiros meses de 2023”, destaca André Almada, senior director Offices Advisory & Transaction da CBRE Portugal.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Zome inaugura hub no metaverso

“Sabemos que o metaverso fará parte do futuro, e é lá que queremos estar, sempre em conjunto com todos os nossos parceiros, para proporcionarmos mais conveniência aos clientes e um serviço único a quem nos procura”, justifica Patrícia Santos, CEO da Zome

CONSTRUIR

A Zome, anunciou a abertura do primeiro hub no metaverso, tornando-se na primeira mediadora imobiliária portuguesa a ter uma unidade de negócio nesta plataforma de realidade virtual. Para visitar o novo hub, os clientes poderão utilizar um browser à disposição nas Experience Zone, zonas criadas para este efeito, e assim visitar um imóvel no mundo virtual sem precisarem de sair da loja.

O anúncio foi feito no primeiro dia do evento anual Zome Summit 2023, no Grande Real Santa Eulália Resort & Hotel Spa, em Albufeira, que todos os anos reúne os colaboradores da empresa para partilha de resultados, conquistas e objectivos.

“A chegada ao metaverso vem reforçar a nossa vontade de estar na vanguarda das tendências do sector, e como é sempre nossa prática, ter a honra de poder anunciá-lo a todos os colaboradores da Zome em Portugal e Espanha, pois são as nossas equipas que nos motivam a continuarmos a evoluir. Sabemos que o metaverso fará parte do futuro, e é lá que queremos estar, sempre em conjunto com todos os nossos parceiros, para proporcionarmos mais conveniência aos clientes e um serviço único a quem nos procura”, sublinha Patrícia Santos, CEO da Zome.

Desde a sua fundação em 2019, a Zome tem tirado partido da tecnologia para acompanhar as tendências do sector. Em Maio de 2022, lançou o Cryptohouses, o primeiro portal de uma rede imobiliária a listar imóveis integralmente em criptomoeda.

A construção do hub da Zome no metaverso arrancou em 2022 e contará com novas fases de aperfeiçoamento. Com o desenvolvimento desta funcionalidade, a Zome pretende que seja possível a entrada de multiutilizadores com recurso a avatares e, através de um novo site que será lançado ainda em 2023, os clientes poderão visitar o hub da Zome a partir de qualquer lugar, desde que disponham de uns óculos de Realidade Virtual (VR).

“Queremos estar na vanguarda e proporcionar novas experiências aos nossos clientes, dando-lhes a oportunidade de explorar este novo mundo de realidade virtual que é o metaverso, num formato altamente conveniente. No futuro, queremos conectar-nos com outros parceiros nesta plataforma, nomeadamente da área da banca, criando uma experiência que se possa assemelhar a uma ida ao shopping, onde os clientes poderão entrar e sair de umas lojas para as outras de forma ininterrupta e fluída”, detalha Carlos Santos, Chief Technology Officer da Zome.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Cascais abre consulta pública para comprar imóveis no mercado imobiliário

A Câmara Municipal de Cascais aprovou na última reunião de Câmara a abertura de consulta pública ao mercado imobiliário para aquisição de imóveis para habitação no âmbito da Estratégia Local de Habitação do município de Cascais e do Programa de Apoio ao Acesso à Habitação do PRR

CONSTRUIR

Estas habitações já edificadas que a autarquia pretende adquirir devem reunir condições de habitabilidade adequadas independentemente de se encontrarem prontas a habitar ou careçam de realização prévia de obras de reabilitação.

Podem apresentar proposta qualquer pessoa singular ou colectiva de direito público ou privado, nacionais ou estrangeiras. Todos terão de ter a situação tributária regularizada. Incluem-se as heranças indivisas, desde que todos os herdeiros manifestem o seu acordo. Os imóveis terão de ter autorização de utilização para habitação.

O município procederá à análise dos imóveis apresentados, aferindo do cumprimento dos requisitos gerais, das normas construtivas, do estado de conservação e da análise de mercado do preço de venda proposto.

O prazo de apresentação de propostas está aberto até dia 30 de Abril de 2023, podendo ser prorrogado.

Uma vez adquiridos pela autarquia, os imóveis destinam-se a beneficiários que cumpram os requisitos definidos na Estratégia Local de Habitação de Cascais e no Programa “1º Direito” – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação do PRR.

O financiamento para esta medida está devidamente enquadrado no Acordo de Colaboração entre o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana e o Município de Cascais.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Jaime Navarro é o novo Manager Global de Comunicação & Marketing para Portugal e Espanha da Hipoges

É a mais recente contratação do servicer de Asset Management tem mais de 10 anos de experiência profissional, uma visão estratégica de negócio e é especializado em Marketing Automation

CONSTRUIR

É “com grande expectativa” que Jaime Navarro, o novo Manager Global de Communication & Marketing da Hipoges, abraça a sua entrada no Departamento de Marketing do servicer. O responsável, encarregue de tudo o que envolve comunicação da marca em Portugal e Espanha, interna e externa, employer branding e Marketing conta que se identificou, desde logo, com a sua actual equipa: “Tem sido uma alegria fazer parte de um conjunto de pessoas que está verdadeiramente comprometido com a empresa, que trabalha como um relógio suíço, e acima de tudo, acredita no que faz”.

O novo Manager Global de Communication & Marketing da Hipoges conta com mais de 10 anos de experiência e “inicia esta etapa com muita vontade de acrescentar valor com a sua visão estratégica e criativa de negócio”. Ao longo do seu percurso, Jaime Navarro marcou o caminho de diferentes empresas com o desenvolvimento e preparação de todas as ferramentas de marketing de raiz, tanto para captação de clientes como para investimento de capital, chegando mesmo a criar todo um Departamento de Marketing para dar apoio a todas as áreas dentro de uma empresa.

Entre outras formações, o novo Manager Global de Comunicação & Marketing é formado em business administration, marketing and public relations pela Universidade Camilo José Cela, tendo ainda uma licenciatura pela Staffordshire University, no Reino Unido. É também mestre em marketing digital pela EAE Business School. O seu interesse por marketing e a área de tecnologia levou a que se especializasse em Marketing Automation através de um programa avançado oferecido pela Universidade espanhola UNIR.

Actualmente, a Hipoges conta com mais de 47.000 milhões de euros de activos sob gestão e em tempo de pandemia conseguiu ganhar carteiras de peso em Portugal e Espanha e abrir novos escritórios. No caso particular de Portugal, o servicer soma 24 clientes, 32 portfólios e conta com mais de 300 colaboradores. “Não podemos esquecer o trabalho de um servicer para a sociedade: trata-se de uma apólice de seguro para que não ocorram situações como a crise de 2008”, termina Jaime Navarro.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.