Edição digital
Assine já
Imobiliário

Maio regista ligeira subida na compra de habitação face a Abril

Há um aumento da procura por imobiliário em Lisboa, Setúbal, Porto e Faro, contrariando a tendência do mercado. Subida da taxa de juro pode justificar quebra de procura

CONSTRUIR
Imobiliário

Maio regista ligeira subida na compra de habitação face a Abril

Há um aumento da procura por imobiliário em Lisboa, Setúbal, Porto e Faro, contrariando a tendência do mercado. Subida da taxa de juro pode justificar quebra de procura

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
RE/MAX Collection promove oito novos empreendimentos
Imobiliário
25M€ para a construção do novo centro de Formação e Comando Territorial da GNR
Construção
Bonjardim comercializa espaços comerciais
Imobiliário
Smartfrius é o novo inquilino do Parque Verde
Imobiliário
ERA Arca d’Água comercializa Edifício La Lys no Porto
Imobiliário
Escritórios em Lisboa e Porto mantêm tendência de crescimento
Imobiliário
Câmara de Oeiras vai construir 92 casas até 2024
Construção
Casas: Preços de venda crescem 2,5% em Maio
Imobiliário
TRADITERM NATURE um Isolamento Térmico Sustentável. Grupo Puma
Construção
Mexto Property anuncia investimento superior a 100 M€ na Suíça
Imobiliário

No mês de Maio, a procura de imobiliário para compra registou uma ligeira diminuição quando comparado a Abril. O decréscimo ocorreu sobretudo no caso das quintas e herdades (-14%), mas também nas categorias de apartamentos (-7,6%), moradias (-7,4%) e terrenos (-7,2%), segundo dados do portal Imovirtual.

A nível regional, apesar do decréscimo geral da procura nas diversas categorias, há alguns distritos que se destacam por manterem um aumento na procura em Maio, face a Abril. O caso mais evidente é a procura de terrenos em Lisboa (+29%), Setúbal (+14%), Porto (+12%) e Faro (+10%). A procura por quintas e herdades também sobe ligeiramente no Porto (+11,5%) e em Lisboa (6,5%). No caso das moradias, da mesma forma se regista um ligeiro crescimento da procura no Porto (+ 3,2%) e em Lisboa (+0,2%). Em regiões como Lisboa e Porto, a procura caiu apenas na categoria de apartamentos (-7% e -3,5%, respectivamente).

“Nas diversas análises que temos vindo a fazer, este ano, temos verificado uma tendência geral para aumento de procura de casa. O que estes dados agora revelam é um decréscimo em Maio. Uma das explicações pode ser a instabilidade no crédito habitação com a subida anunciada da taxa de juro, que aumentou pela primeira vez em 2022 em Abril, cerca de 0,8%, assim como pelo aumento das taxas Euribor. A inflação geral devido ao contexto internacional também influencia o mercado imobiliário” explica Ricardo Feferbaum, director geral do Imovirtual.

De acordo com o último barómetro do Imovirtual, os distritos onde se mantém o aumento de procura nas categorias mencionadas são precisamente aqueles que registam os preços médios de venda mais elevados, nomeadamente Lisboa, Faro, Porto e Setúbal. “O facto de a procura não diminuir nestes distritos, na maioria das categorias, mostra o dinamismo destes mercados e o motivo pelo qual são das regiões mais procuradas e as mais caras”, analisa Ricardo Feferbaum.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
RE/MAX Collection promove oito novos empreendimentos
Imobiliário
25M€ para a construção do novo centro de Formação e Comando Territorial da GNR
Construção
Bonjardim comercializa espaços comerciais
Imobiliário
Smartfrius é o novo inquilino do Parque Verde
Imobiliário
ERA Arca d’Água comercializa Edifício La Lys no Porto
Imobiliário
Escritórios em Lisboa e Porto mantêm tendência de crescimento
Imobiliário
Câmara de Oeiras vai construir 92 casas até 2024
Construção
Casas: Preços de venda crescem 2,5% em Maio
Imobiliário
TRADITERM NATURE um Isolamento Térmico Sustentável. Grupo Puma
Construção
Mexto Property anuncia investimento superior a 100 M€ na Suíça
Imobiliário
Imobiliário

RE/MAX Collection promove oito novos empreendimentos

Para a CEO da RE/MAX Collection, Beatriz Rubio, “ao nosso portefólio, que dispõe de uma vasta carteira de empreendimentos de luxo, entre os quais novas construções exclusivas, juntam-se agora mais oito projetos imobiliários verdadeiramente diferenciadores”

CONSTRUIR

A RE/MAX Collection, imobiliária especializada no segmento de luxo, apresenta oito novos empreendimentos residenciais premium, localizados na região da Grande Lisboa. São eles o Edifício Heritage 52, Linea Residences, NooBa, Gestilar Residences Miraflores, Villas do Carmo, empreendimento Aurya, Montisnávia e Bom Sucesso.

A mediadora imobiliária, que dispõe atualmente de 979 consultores certificados neste segmento, junta assim ao seu portefólio oito empreendimentos de caraterísticas únicas como o Edifício Heritage 52, em Lisboa, na Avenida Miguel Bombarda, com sete frações T2, T4 e T5, uma por piso entre 260m2 a 300m2 e jardim privativo comum a todas as frações. Outro dos destaques é o Linea Residences, edifício focado na sustentabilidade e eficiência energética, localizado nas Avenidas Novas, em Lisboa, que conta com 36 apartamentos de tipologias T1 a T4 duplex, duas Urban Villas com piscina e terraço exclusivos e ainda duas lojas.

Já no Barreiro, na margem sul do Tejo, destaca-se o NooBa, um novo e moderno empreendimento habitacional com apartamentos à beira-rio, com tipologias que variam de T1 a T5 duplex e uma piscina no topo do edifício. Um outro edifício que se junta ao portefólio da RE/MAX Collection é o edifício residencial Gestilar Residences Miraflores, situado em Oeiras, próximo do Parque Urbano de Miraflores e do Parque Florestal de Monsanto, composto por 111 apartamentos, de tipologias T2, T3 e T4.

Em destaque outro empreendimento, Villas do Carmo, um condomínio privado de luxo, que contará com quatro imóveis denominados de “Villas” e que se situa nas Avenidas Novas, em Lisboa. Villa Pombal é um desses quatro imóveis, sendo composto por 46 apartamentos, com áreas privativas de 53 a 118m2 no caso dos T1, de 89 a 122m2 no caso dos T2 e de 167 a 196m2 no caso dos T3, e ainda quatro espaços de comércio de 37m2 a 57m2. Em evidência também o Aurya, um novo empreendimento que irá nascer na Quinta do Conventinho em Loures e que irá dispor de apartamentos com duas tipologias de apartamentos, T2 e T3.

Foram ainda apresentados outros dois empreendimentos, um deles o edifício Montisnávia, situado na zona de Alcântara, em Lisboa, e que nasce da união e restauro de uma casa e uma antiga fábrica, dispondo de apartamentos T1 a T4, todos com terraço ou jardim privativo. O outro imóvel designa-se por Bom Sucesso, localiza-se também em Lisboa, concretamente em Belém, agrega um conjunto de quatro edifícios e contempla apartamentos T1 a T5.

Para a CEO da RE/MAX Collection, Beatriz Rubio, “ao nosso portefólio, que dispõe de uma vasta carteira de empreendimentos de luxo, entre os quais novas construções exclusivas, juntam-se agora mais oito projetos imobiliários verdadeiramente diferenciadores. A relação entre a qualidade do nosso portefólio e a formação especializada dos agentes da RE/MAX Collection tem justificado a confiança de quem nos procura, sejam eles investidores nacionais ou internacionais, pelo que acreditamos que estes novos ativos imobiliários representam um investimento seguro, e que, por certo, serão sinónimo de grande procura.”

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Bonjardim comercializa espaços comerciais

São 16 os espaços comerciais inseridos no condomínio residencial, que já se encontra em fase de construção. Com promoção da Avenue, a comercialização está a cargo da Predibisa e da JLL

CONSTRUIR

Localizado no centro da cidade do Porto, entre a Avenida dos Aliados e a Rua Sá da Bandeira, o Bonjardim – City Center Living prossegue este mês com a comercialização da área desenvolvida para o sector do retalho, composta por 16 espaços comerciais inseridos no condomínio residencial, já em fase de construção.

Com 93 apartamentos, onde se inclui também um hotel, um coworking, um supermercado e um parque de estacionamento, o Bonjardim – City Center Living, é um projecto da autoria da Promontório. A promoção está a cargo da Avenue e a comercialização é da Predibisa e da JLL.

“Pensamos na concepção de espaços amplos e luminosos, facilmente adaptáveis à realidade de cada negócio na área da restauração, comércio ou até mesmo serviços pelas facilidades de acesso, através das ruas circundantes e da praça central do empreendimento, que convidará certamente a muitos momentos de lazer, compras ou a simplesmente tomar um café e a aproveitar a descontracção das esplanadas. No piso térreo, o jardim será aberto à comunidade”, explica Aniceto Viegas, CEO da Avenue.

Também segundo João leite Castro, director corporate da Predibisa, “este é um novo ponto de destaque no centro da cidade do Porto, pela localização singular e diferenciada, especialmente para marcas de referência, novas ou já consagradas, que se querem reafirmar e/ou lançar, até porque as diferentes frentes de rua, a praça central e a permeabilidade permitida pelo conceito desenvolvido encontram-se muito próximas dos mais importantes espaços culturais da cidade”.

De salientar, ainda, que o projecto Bonjardim é representativo de um “encontro único entre a inspiração clássica e a arquitetura contemporânea”, através da reabilitação das fachadas do século XIX, existentes na Rua Sá da Bandeira, onde os pormenores arquitectónicos de época se fundem com o “tawny” das novas fachadas em construção para uma harmonia de contrastes, que aspiram a uma nova existência desta nova zona comercial, que já começa a ganhar vida no centro da cidade.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Smartfrius é o novo inquilino do Parque Verde

Empreendimento, localizado no Parque das Nações, é gerido pela Norfin e contou com a comercialização da Worx Real Estate Consultants e da JLL

CONSTRUIR

A Smartfrius, empresa especializada em soluções de refrigeração, presente em Portugal e Angola, é o novo inquilino do empreendimento Verde Parque, gerido pela Norfin, e localizado na zona norte do Parque das Nações. A comercialização foi atribuída à Worx Real Estate Consultants e à JLL.

O Verde Parque é um empreendimento de escritórios novo, com excelentes condições e infraestruturas, estacionamento e muita luz natural. Com preços de renda muito competitivos, junto ao Parque das Nações e com rápidos acessos ao IC2, razões pelas quais esta acabou por ser uma opção que se destacou na procura de um novo espaço pela Smartfrius. Também a zona envolvente é uma mais-valia neste activo, pelos seus amplos espaços verdes e ajardinados, diversos restaurantes e pela existência de um Pingo Doce. Além disso, existe também um parque de bicicletas Gira mesmo em frente ao edifício, em linha com as novas tendências de estilos de vida.

“O edifício Verde Parque é uma excelente opção para empresas que procurem um edifício moderno e de elevada qualidade, pelo que foi uma escolha natural a SmartFrius ter optado por este edifício”, refere Bernardo Zammit e Vasconcelos, head of Agency da Worx Real Estate Consultants, que colaborou na promoção deste empreendimento gerido pela Norfin.

“A relação e a comunicação com a equipa da Norfin tem corrido muito bem, valorizámos muito a flexibilidade e o cuidado da Norfin em ir ao encontro das nossas expectativas. O nosso escritório está excepcional e ficámos muito satisfeitos com o resultado do seu fit-out.”, afirmou José Carlos Simão, director comercial da Smartfrius.

O empreendimento Verde Parque é composto por dois edifícios. Localizado no Lote 2, o primeiro edifício, conta com três pisos e tem uma área total de 3.700m2, sendo o piso 0 ocupado por um supermercado. O segundo edifício, localizado no Lote 3, conta com cinco pisos acima do solo e oferece uma área toral de 6.300m2. Ambos os edifícios apresentam espaços para escritórios a partir de 350 m2 e até cerca de 1.200 m2, com espaços exteriores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

ERA Arca d’Água comercializa Edifício La Lys no Porto

Promoção está a cargo da Right Two Invest, que aponta a conclusão da obra para Dezembro de 2023. Com um total de 10 apartamentos, de tipologia T1 a T2, metade das unidades “foram vendidas logo após o lançamento do empreendimento”

CONSTRUIR

A ERA Arca d’Água está a comercializar, em exclusivo, o Edifício La Lys, um novo empreendimento no distrito do Porto, localizado na Rua 9 de Abril. Com um total de 10 apartamentos, de tipologia T1 a T2, metade das unidades “foram vendidas logo após o lançamento do empreendimento”, indica a mediadora.  A construção do edifício está a cargo do promotor Right Two Invest, cuja conclusão está prevista para Dezembro de 2023.

Esta comercialização “vem reforçar a aposta da ERA no programa Obra Nova”, que pretende identificar as melhores oportunidades de construção para promotores e construtores imobiliários de todo o País, “contribuindo para um rápido crescimento dos negócios, ao mesmo tempo que oferece as melhores oportunidades do sector imobiliário ao cliente”, refere a empresa.

Situado junto ao Jardim de Arca d’Água, o novo empreendimento destaca-se por uma fachada em mármore e pelo aproveitamento da luz natural, uma vez que todos os vãos exteriores acedem às varandas privativas de cada divisão com guardas em vidro. O Edifício La Lys é uma combinação entre os conceitos de funcionalidade e modernidade.

As unidades do empreendimento oferecem ainda amplas salas com península na área da cozinha, permitindo a sua utilização como zona de refeição, sendo equipadas com electrométricos Siemens. Na área dos banhos, encontramos móveis com desenhos personalizados, louças sanitárias da Valadares, assim como colunas de hidromassagem nos duches.

Além dos estacionamentos privativos e dos fáceis acessos ao centro da cidade do Porto e às vias de acesso, este edifício habitacional localiza-se apenas a 15 minutos a pé da estação de Metro do Polo Universitário. O empreendimento torna-se na solução ideal para quem pretende viver perto de todo o tipo de comércio e serviços, centro de saúde e principais escolas da zona.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Escritórios em Lisboa e Porto mantêm tendência de crescimento

O mercado de escritórios de Lisboa mantém o ritmo de crescimento, com Maio a apresentar terceiro melhor resultado do ano. O Porto segue trajectória de recuperação

CONSTRUIR

O mercado de escritórios de Lisboa registou um volume de absorção acumulado entre Janeiro e Maio de 2022 de 146.992 m2 , num total de 86 operações. Os negócios que exerceram maior expressividade no volume de absorção, durante o mês de Maio, disseram respeito à ocupação do Novo Banco no Corredor Oeste (zona 6), de 8.233 m2 e da SGS Portugal para o Polo Tecnológico de Lisboa (outras zonas) ocupando uma área de 4.163 m2 .

Seguindo a tendência que se tem registado durante este ano, os resultados relativos a estes cinco primeiros meses encontram-se substancialmente acima dos registados no mesmo período de 2021 e 2020, o que atesta a recuperação a bom ritmo do mercado de escritórios de Lisboa.

“O mercado de escritórios de Lisboa mantém o sentido de crescimento. O mês de Maio foi o terceiro melhor de 2022 em termos de absorção, estando 44% acima do resultado de 2019 e consideravelmente acima de 2020 e 2021. Considerando o período acumulado entre Janeiro e Maio dos últimos 3 anos, facilmente percebemos que a recuperação veio mesmo para ficar, muito alicerçada em operações de relocalização de empresas” aponta Alexandra Portugal Gomes, head of research & communications da Savills Portugal.

Até ao final de Maio concluíram-se 86 operações, mais 40 em comparação ao mesmo período de 2021. O Corredor Oeste (Zona 6) registou 22% das operações, seguida pela Prime CBD (zona 1) com 20 % e CBD (zona 2) com 17%. A mudança de instalações foi responsável por 72% dos negócios, seguida pela expansão de área (19%) e o estabelecimento de novas empresas na cidade de Lisboa (9%).

Analisando o volume de absorção por zona de mercado, confirma-se que o Parque das Nações e Novas Zonas de Escritórios lideram, com 33% e 26%, respectivamente. Quanto à absorção por sector de actividade, os sectores dos Serviços Financeiros e dos Serviços a Empresas foram responsáveis por 74% (53% e 20%, respectivamente).
No que se refere à ocupação por intervalo de área, o intervalo mais representativo é o acima dos 5.000 m2, (62% do total), apesar de, no mês de Maio, não se ter registado qualquer operação relativa a este intervalo.

No que se refere ao mercado de escritórios do Porto, até ao final de Maio de 2022, registou um volume de absorção total de 23.524 m2, resultante da conclusão de 32 negócios, reforçando o desempenho em comparação com mesmo período de 2021.

Após um mês de Abril que obteve um volume de absorção 52% acima do registado no primeiro trimestre do ano, o mês de maio ultrapassou ligeiramente (1%) o resultado de Abril, apesar de ter registado um menor número de operações. As zonas Out of Town e CBD Baixa foram as mais activas em termos de volume de absorção, correspondendo a cerca de 43% e 30%, respectivamente, do total do mercado.

Neste período, os negócios de maior relevo, foram a mudança de instalações de duas empresas, nomeadamente a Saltpay, correspondendo a 3.750 m2 e a Sodecia, ocupando mais de 1.324 m2.

“O mês de Maio obteve um comportamento muito semelhante ao mês de Abril, estando ainda sensivelmente acima, o que na generalidade concede um resultado muito positivo ao mercado de escritórios do Porto, reforçando o seu crescimento”, explica Alexandra Portugal Gomes.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Casas: Preços de venda crescem 2,5% em Maio

Em resultado do ritmo intenso de aumentos mensais verificado nos últimos meses, o preço das casas evidencia já um crescimento de cerca de 10% no acumulado de 2022, até Maio

CONSTRUIR

O preço de venda das casas em Portugal (Continental) aumentou 2,5% em Maio face ao mês anterior, de acordo com o Índice de Preços da Confidencial Imobiliário. A variação mensal registada em Maio dá continuidade à trajectória de forte crescimento dos últimos meses e é uma das mais robustas dos últimos quatro anos. Ao longo desse período, apenas precisamente há um ano e no final de 2018 se observaram variações mensais idênticas.

Em resultado do ritmo intenso de aumentos mensais verificado nos últimos meses, o preço das casas evidencia já um crescimento de cerca de 10% no acumulado de 2022, até Maio. Em termos homólogos (Maio 2022 vs Maio 2021), o incremento é de 17,6%, uma valorização que iguala a marca máxima alcançada por este indicador no pré-Covid.

As vendas de habitação alcançaram, assim, um preço médio de 2.007€/m 2 no país em Maio, considerando um acumulado de três meses, de acordo com os dados mais recentes do SIR-Sistema de Informação Residencial. Este é já o terceiro trimestre em que as transacções se realizam por valores superiores a 2.000€/m 2 , algo que aconteceu, pela primeira vez, no período final de 2021, confirmando-se nos primeiros três meses de 2022 e agora novamente.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Mexto Property anuncia investimento superior a 100 M€ na Suíça

Investimento permitiu a aquisição de um conjunto de terrenos, com localização na região de ”Unterseen/Interlaken“, no cantão de Berna. Com aproximadamente 20 mil m2 de ABC, 50% das unidades serão destinados ao mercado de arrendamento, enquanto que os restantes 50% serão apartamentos para venda e para compradores finais

CONSTRUIR

A Mexto Property Investment, promotora imobiliária focada no segmento de luxo, acaba de anunciar um novo investimento através da sua subsidiaria suíça. Trata-se da aquisição de um conjunto de terrenos, com localização privilegiada na região de ”Unterseen/Interlaken“, no cantão de Berna, na Suíça.

Estes activos servirão para desenvolver um projecto residencial com aproximadamente 150 unidades de apartamentos de tipologias T2 a T4. A área bruta de construção é de aproximadamente 20 mil m2 e 50% das unidades serão destinados ao mercado de arrendamento, enquanto que os restantes 50% serão apartamentos para venda e para compradores finais. O investimento global para a realização deste projecto ultrapassa as 100 milhões de euros e levará entre quatro a cinco anos a ficar concluído.

Com uma actividade imobiliária desenvolvida maioritariamente em Portugal e em Espanha, a promotora pretende também afirmar-se no mercado imobiliário suíço, “onde tem previstos outros investimentos e projetos que serão anunciados para breve”.

“Além de Portugal e de Espanha, onde estamos a crescer de forma consolidada, o mercado Suíço é também um mercado prioritário para os nossos investimentos. Queremos crescer em várias geografias, com projectos sustentáveis e emblemáticos, como os que temos desenvolvido em Lisboa e, neste caso, apostar no mercado de arredamento, segmento em que a Suíça é muito forte. Acreditamos muito neste mercado e nas oportunidades de investimento que vai permitir”, segundo Tomas Suter, senior advisor & partner da Mexto.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

CBRE vende activos industriais no polo Efacec na Maia

A consultora actua em nome do proprietário que detém os dois activos, o lote 2 e o lote 8, ambos em bom estado de conservação

CONSTRUIR

A CBRE foi instruída, em regime de exclusividade, para a venda de dois activos industriais no Polo Efacec, na zona industrial da Maia. Nesta operação, a consultora actua em nome do proprietário que detém os dois activos, o lote 2 e o lote 8, ambos em bom estado de conservação.

O lote 2 beneficia de um terreno com 18.150 metros quadrados (m2), uma área bruta de construção de 12.164 m2 num edifício independente com logradouro. No caso do lote 8, o terreno oferece 17.926 m2 e uma área bruta de construção de 3.261 m2, igualmente num edifício independente com logradouro, e com um pé direito entre 8 e 21 metros de altura.

“Esta é mais uma importante operação para a equipa de Industrial e Logística da CBRE, que tem agora a oportunidade de ser a responsável pela venda destes dois activos com bastante potencial de investimento. Estes têm ainda a vantagem estratégica de speed to market, dispensando os potenciais compradores de encargos com os preços de construção, processos de licenciamento lentos, escassez de terrenos industriais, entre outras burocracias associadas aos projectos especulativos e BTS (Build to Suit)”, sublinha Michael Costa Gabriel, consultant Industrial & Logistics – Advisor & Transaction Services da CBRE Portugal.

Considerada um “condomínio industrial de eleição”, a zona industrial da Maia encontra-se numa localização de “excelência” de ponto de vista logístico, com bons acessos aos principais eixos rodoviários do Porto e zona Norte, através da A41 – CREP, e acesso ao Metro do Porto, “o que a torna ainda mais atractiva do ponto de vista de investimento e estabelecimento de negócios para várias empresas”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

CTT estão a negociar a criação de uma sociedade para gerir património imobiliário

Em comunicado enviado à CMVM, os CTT informaram que “entraram em negociações exclusivas com uma terceira parte com vista à criação de um veículo especial para deter e gerir o portefólio de retalho e logística dos CTT”, avaliado em 134M€

CONSTRUIR

Os CTT – Correios de Portugal estão em negociação com um investidor com vista à criação de uma estrutura para gerir o portfólio imobiliário, de retalho e logístico, detido pela empresa. Em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, CMVM, os CTT informaram que “entraram em negociações exclusivas com uma terceira parte com vista à criação de um veículo especial para deter e gerir o portefólio de retalho e logística dos CTT”. A empresa sublinha que o a maioria do capital da nova sociedade será detido maioritariamente pelos CTT. “A terceira parte, a quem foi concedido o período de negociação exclusiva, irá co-investir no veículo em conjunto com investidores adicionais”, refere a nota enviada.

Os activos imobiliários dos CTT são compostos por duas carteiras com características diferentes. A primeira, classificada de “portfólio de rendimento” compreende os pontos de presença CTT, em especial as lojas próprias, as quais estão situadas normalmente no centro das localidades, em todo o território nacional, e os armazéns e centros de logística / distribuição que são parte essencial da rede de logística dos CTT em Portugal”.

Este portfólio compreende cerca de 400 imóveis, distribuídos pelo país, avaliados em cerca de 110 milhões de euros e que compreendem uma área bruta locável de cerca de 240 mil m2. “Aqui se incluem ainda potenciais oportunidades de expansão, nomeadamente na rede logística, em Portugal e Espanha (oportunidades de expansão build-to- suit)”.
A segunda carteira, denominada “Portefólio de Desenvolvimento”, compreende imóveis localizados em áreas com potencial para projectos de desenvolvimento de uso misto e que podem vir a tornar-se, num futuro próximo, não essenciais para as redes de logística dos CTT.

Esta carteira é constituída por 10 imóveis, localizados em Portugal, e que têm um valor contabilístico líquido de 24 milhões de euros.

“Cada um dos imóveis do Portefólio de Desenvolvimento será considerado autonomamente, com base no calendário para vir a tornar vagos os activos, nas potenciais oportunidades de desenvolvimento que possam existir ou surgir, e nas características específicas de cada imóvel”, refere o comunicado enviado à CMVM

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Mercan Properties avança com novo projecto hoteleiro em Évora

O Holiday Inn Express deverá abrir em 2023, resultado de um investimento de 16,8 M€ da Mercan Properties, em parceria com a IHG Hotels & Resorts

CONSTRUIR

A cidade histórica de Évora, no Alentejo, receberá um hotel Holiday Inn Express em 2023, resultado de um projecto de investimento de 16,8 milhões de euros da Mercan Properties, em parceria com uma das principais empresas hoteleiras mundiais, a IHG Hotels & Resorts (IHG).

“O Holiday Inn Express Évora tem uma localização privilegiada dentro de uma área de grande riqueza histórica e cultural. O projevto de renovação, e subsequente investimento, demonstra a crescente procura turística em Évora e a confiança da Mercan em Portugal, na sua generalidade. Estamos encantados por acrescentar esta marca hoteleira de renome mundial ao nosso portfólio”, afirmou Jordi Vilanova, presidente da Mercan Properties.

O empreendimento criará cerca de 100 postos de trabalho, 70 destes durante a fase de construção, e mais 30 postos de trabalho permanentes, a serem criados assim que o hotel abrir.

O hotel preservará uma fachada clássica, em linha com o património envolvente, mas terá um interior moderno e sofisticado, oferecendo 76 quartos, uma piscina, restaurante, lounge bar e salas de reuniões. A propriedade destina-se, idealmente, para viajantes de lazer, como para viajantes de negócios, que queiram desfrutar da história e cultura de Évora.

Este é o segundo projecto da Mercan Properties em Évora, após o Hilton Garden Inn Évora, cuja primeira pedra foi colocada em 2021.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.