Edição digital
Assine já
Empresas

Concurso Internacional de Arquitectura Saint-Gobain 2023 terá Lisboa como alvo

A Saint-Gobain apresentou hoje em Lisboa a 18ª edição do concurso “International Saint-Gobain Architecture Student Contest”. Lisboa é a cidade escolhida para acolher o desafio de projecto arquitectónico a propor aos concorrentes na fase final do concurso

CONSTRUIR
Empresas

Concurso Internacional de Arquitectura Saint-Gobain 2023 terá Lisboa como alvo

A Saint-Gobain apresentou hoje em Lisboa a 18ª edição do concurso “International Saint-Gobain Architecture Student Contest”. Lisboa é a cidade escolhida para acolher o desafio de projecto arquitectónico a propor aos concorrentes na fase final do concurso

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Mapei adquire a Profilpas
Empresas
Garcia Garcia amplia unidade industrial da Finieco
Construção
Norfin lança futuro Oriente Green Campus
Imobiliário
YARD Properties faz a estreia em Portugal
Imobiliário
Iberis entra no capital da Carmo Wood
Empresas
Sani/Ikos Group celebra novo acordo de parceria estratégica com a GIC
Imobiliário
Schindler Ahead Conecta: A tecnologia revolucionária para resolução remota de avarias em transporte vertical
Os projectos em carteira da Room007, emprego na Construção, os planos de Coimbra para o Mosteiro de Santa Cruz em destaque no CONSTRUIR 467
Edição Digital
Mais de 10M€ foi quanto custaram duas penthouses do Promenade
Imobiliário
Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública
Construção

(Créditos Imagens: Carlos Morais da Silva/DMCom/CML)

O evento de apresentação contou com a presença do presidente da Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, com José Martos, CEO da Saint-Gobain em Portugal, e com uma mesa-redonda de personalidades ligadas à arquitectura, à Saint-Gobain e à Câmara Municipal de Lisboa.

A competição assenta na realização de um projecto concreto realizado por equipas de estudantes de todo o mundo, idealizado para um terreno real, incluído no Plano de Pormenor do Aterro da Boavista, perto do Ascensor da Bica. O desafio colocado aos concorrentes tem como premissa global a sustentabilidade dos edifícios projectados e a criação de condições de bem-estar para os utilizadores, com impacto nas pessoas e no planeta.

“Seguindo os passos da Nova Bauhaus Europeia, tão estimulada pela Presidente da Comissão Europeia, este concurso dirigido aos estudantes de arquitectura liga vectores que nos são muito caros: a ciência e tecnologia à arte e cultura, a mistura da tradição com a modernidade, pensando novos usos para velhos espaços abandonados. Mais do que estudantes, os concorrentes serão inovadores que poderão deixar a sua marca em Lisboa”, sublinhou Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

Apresentação Concurso Arquitectura

O concurso está dividido em duas fases: uma primeira fase nacional, em que cada país selecciona o projecto que o irá representar na fase internacional. “Em 2023, a fase internacional terá lugar em Portugal, e não podemos estar mais satisfeitos por Lisboa ser a cidade escolhida para acolher esta 18ª Edição. Contamos desde o início com o inestimável contributo da Câmara Municipal de Lisboa para tornar este evento possível e estamos certos de que estes projectos arquitectónicos alicerçados na sustentabilidade, ajudarão também a pensar socialmente e culturalmente a cidade”, referiu José Martos, CEO da Saint-Gobain em Portugal.

A competição internacional essencialmente dedicada a estudantes de arquitectura, design e engenharia foi concebida para destacar os conhecimentos dos estudantes em torno de um projecto baseado nas reais necessidades da cidade, usando a abordagem de construção sustentável da Saint-Gobain para criar espaços para a comunidade que respeitem o planeta e o bem-estar dos residentes.

A proposta vencedora receberá um prémio monetário e a publicação em meios especializados de arquitectura. A selecção da equipa vencedora será feita por um Júri Internacional, bem como a atribuição de outros prémios secundários, para os quais haverá também o contributo do universo dos estudantes finalistas participantes. Todos os premiados receberão amplo destaque nos meios próprios do Grupo Saint-Gobain.

Espera-se que a fase internacional desta edição possa acolher cerca de 100 estudantes, de 50 universidades de outros tantos países, estimando-se ainda acolher na fase nacional, em Portugal, propostas de várias escolas de arquitectura espalhadas pelo país. O vencedor será anunciado em Junho de 2023, na cidade de Lisboa.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Mapei adquire a Profilpas
Empresas
Garcia Garcia amplia unidade industrial da Finieco
Construção
Norfin lança futuro Oriente Green Campus
Imobiliário
YARD Properties faz a estreia em Portugal
Imobiliário
Iberis entra no capital da Carmo Wood
Empresas
Sani/Ikos Group celebra novo acordo de parceria estratégica com a GIC
Imobiliário
Schindler Ahead Conecta: A tecnologia revolucionária para resolução remota de avarias em transporte vertical
Os projectos em carteira da Room007, emprego na Construção, os planos de Coimbra para o Mosteiro de Santa Cruz em destaque no CONSTRUIR 467
Edição Digital
Mais de 10M€ foi quanto custaram duas penthouses do Promenade
Imobiliário
Oposição na Câmara de Lisboa chumba venda de três terrenos em hasta pública
Construção
Empresas

Mapei adquire a Profilpas

“Com a nossa entrada no grupo Mapei, estamos convencidos de que se abrirão novas oportunidades de crescimento e desenvolvimento

CONSTRUIR

A Mapei anunciou esta terça-feira que chegou a acordo para a aquisição da Profilpas que, assim, passa a integrar o grupo da empresa , especialista na área de adesivos, impermeabilizantes e produtos químicos para a construção.

A lógica desta operação é entendida, pelos responsáveis da companhia com “a sua estratégia de crescimento e com o objetivo de expandir a sua gama de produtos e soluções para a indústria da construção em benefício dos seus cliente”. Já no entender dos responsáveis da Proflpas, A Profilpas é hoje uma empresa multinacional com mais de 160 empregados, especializada na produção e venda de perfis para revestimentos de pavimentos e parede e acessórios de assentamento.

O grupo Profilpas produz em Itália e Polónia nas suas duas fábricas de Cadoneghe e Kutno e tem filiais come rciais em França, Espanha, Portugal, Alemanha, República Checa, Rússia e Emirados
Árabes Unidos.

Marco Squinzi, administrador-delegado da Mapei, defende que a gama exclusiva de produtos, a Profilpas, que inclui perfis técnicos e de acabamento, ralos de duche, espaçadores e sistemas de nivelamento para pavimentos e paredes, a Mapei amplia a sua oferta, tornando-se ainda mais um
ponto de referência para projetistas, aplicadores e distribuidores”.

Barbara e Marco Pasquali, diretores da Profilpas, declaram que “com a nossa entrada no grupo Mapei, estamos convencidos de que se abrirão novas oportunidades de crescimento e desenvolvimento. O osso objetivo é levar a marca e as tecnologias Profilpas para o mundo”.
Veronica Squinzi, administrador-delegado da Mapei, conclui que “a aquisição da Profilpas e das suas filiais está em linha com a nossa estratégia de crescimento, também através de aquisições específicas que reforçam o nosso grupo em termos de mercados e produtos. Em particular, com a adição de duas fábricas em Itália e na Polónia e com a presença de empresas locais, estamos a aumentar a nossa capacidade de responder às necessidades do mercado e de estar cada vez mais perto dos nossos clientes”.

Graças a esta aquisição, a Mapei reforça a sua presença interrnacional e está agora presente, a nível mundial, com 100 filiais distribuídas por 57 países e 86 fábricas, para um total de mais de 11.000 empregados.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Iberis entra no capital da Carmo Wood

A gestora de fundos de private equity e venture capital, Iberis Capital, passou a deter, em conjunto com um co-investidor, 20% do capital da empresa. Objectivo passa por reforçar investimento em novas aquisições e na internacionalização da empresa

CONSTRUIR

A gestora de fundos de private equity e venture capital, Iberis Capital, passou a deter, em conjunto com um co-investidor, 20% do capital da empresa Carmo Wood, especialista europeia no segmento das madeiras tratadas.

Fundada pela família Milne e Carmo que mantém o controlo maioritário da companhia, com 80% do capital, a Carmo Wood entra agora num novo estágio de expansão, focado no investimento de novas aquisições que permitam acelerar o crescimento sustentado da empresa.

A nova estrutura accionista da Carmo Wood pretende também dinamizar o estágio de crescimento da empresa através do reforço da actividade internacional e da diversificação dos canais de distribuição. Com exportações para 40 países, a facturação da Carmo Wood deverá atingir os cem milhões de euros em 2022, o que representa um crescimento homólogo de 15%.

Com esta operação, a Carmo Wood reforça ainda a aposta em I&D, com um investimento adicional de quatro milhões de euros, alavancado no Fundo Bluetech, gerido pela Iberis Capital. As competências da Iberis Capital nos domínios de I&D foram reconhecidos pela Agência Nacional da Inovação, factor determinante para a concretização da operação.

A entrada dos novos sócios no capital da Carmo Wood, que emprega 400 colaboradores e tem quatro unidades fabris em Pegões, Almeirim e Oliveira de Frades, vai determinar a implementação de um novo sistema de Governance, desenhado de acordo com as melhores práticas e que alinha os acionistas, a gestão e os restantes stakeholders para o desenvolvimento futuro da Carmo Wood.

Para Luís Quaresma, sócio da Iberis Capital, “a Carmo Wood é a maior empresa europeia em soluções de exterior e de interior de madeira tratada. Em conjunto com os novos accionistas, pretendemos reforçar a sua posição de líder nos 40 mercados em que opera e conquistar novas geografias, um trabalho alavancado na estratégia da actual gestão”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

BERD recebe prémio especial European Steel Bridge Awards

O projecto que compreendeu a construção de 145 pontes modulares para o ministério dos Transportes do Perú, valeu à empresa portuguesa de engenharia de pontes a distinção internacional na EECS European Steel Bridge Awards 2022

CONSTRUIR

O projecto português que ajudou a recuperar a destruição do “El Ninõ” no Peru, aliando inovação à engenharia de pontes, venceu o prémio especial internacional de uma das mais importantes instituições na área das estruturas e engenharia de pontes, a EECS European Steel Bridge Awards 2022. A atribuição do prémio já tinha sido anunciada em Julho, tendo a empresa portuguesa sido a escolhida entre os 23 projectos europeus a concurso. A cerimónia foi realizada, esta semana, em Istambul, no âmbito da 10ª edição do International Symposium for Steel Bridges for a Green Planet.

“Este prémio especial da EECS representa para a BERD o reconhecimento da actividade que temos desenvolvido, bem como do investimento em I&D. A inovação está no ADN da Berd. A aposta em I&D está na génese da empresa, dado que o negócio original da empresa está assente na exploração no mercado de uma patente sua. Ao longo destes 16 anos conseguimos afirmar-nos como uma marca premium a nível mundial, conquistamos a liderança a nível da Europa no segmento de cimbres autolançáveis e asseguramos a nossa posição, neste segmento, no TOP 2 mundial”, sustenta Pedro Pacheco, Ceo da BERD.

As pontes modulares da Berd no Peru foram destacadas por representarem uma grande evolução ao nível da engenharia, com uma poupança de 20% no consumo de aço face aos projectos convencionais, com uma redução da pegada de carbono, tendo sido emitida menos 3.240 toneladas de CO2 comparativamente à média dos projectos tradicionais, a par de uma grande evolução estética. O projecto potenciou ao Ministério dos Transportes e Comunicações Peruano uma redução de custos na ordem dos três milhões de euros.

A inovação é muito significativa nas pontes modulares da BERD, aportando valor ao conceito base criado por Donald Bailey na Segunda Guerra Mundial. Durante várias décadas este conceito foi mantido e utilizado com pequenas alterações por todos os construtores internacionais na área das pontes modulares.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Especialistas debatem actuais desafios da gestão de edifícios

O impacto da transição digital no sector, a importância da tecnologia, os desafios e o papel de um gestor de edifícios serão abordados na conferência, promovida pela F3M, a 27 de Setembro, nas instalações da empresa, em Braga

CONSTRUIR
tagsF3M

Com o objectivo de encontrar soluções e debater como as soluções tecnológicas podem apoiar a função do Gestor de Edifícios, a F3M promove, na próxima terça-feira, 27 de Setembro, em Braga, um encontro que pretende juntar especialistas nesta área.

Os profissionais irão abordar tópicos como o impacto da transição digital no sector, a importância da tecnologia, os desafios e o papel de um gestor de edifícios. Com esta iniciativa de participação livre, que tem início marcado para as 14h30, nas instalações da empresa, a tecnológica pretende impulsionar e acelerar a transformação digital daquela que é uma das áreas primordiais para qualquer empresa ou organização.

“O desafio da transformação digital na manutenção de equipamentos e instalações” será, assim, o tema da sessão, de acesso livre, que irá contar com a presença de Pedro Cardoso, consultor e gestor de edifícios, com uma vasta experiência em gestão e consultoria a empresas e entidades, e de António Rocha, responsável pela direcção e coordenação estratégica da área de software de gestão de empresas da F3M.

Além da partilha de conhecimento e experiências relacionadas com a função de gestão e manutenção de equipamentos e instalações, será ainda destacada a importância da tecnologia e o impacto de softwares especializados nos processos de manutenção.

Fundada em 1987, a F3M está ligada à concepção, investigação, desenvolvimento, produção e implementação de software para mercados verticais (tais como Economia Social, Óticas, Têxtil e Saúde), complementando a sua oferta com o fornecimento de alguns dos principais ERP’s (Primavera e Sage), serviços de consultoria, formação certificada, soluções de infraestrutura TI, cibersegurança e telecomunicações.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Sanindusa apresenta novidades na Idéobain 2022 em Paris

Num stand especialmente projectado para a ocasião e subordinado ao tema “Marcher vers le futur”, a marca apresentará novos produtos, novas cores, novos acabamentos e novos materiais

CONSTRUIR

Depois de Milão é agora a vez de Paris receber novidades com a marca Sanindusa. De 3 a 6 de Outubro a empresa marcará presença na Idéobain 2022 que acontecerá na capital francesa, no Parque de Exposições Porte de Versailles.

Esta feira, de cariz internacional, é especializada em materiais e equipamentos de casa de banho e reúne as últimas tendências de estilo e design do sector. É igualmente a oportunidade perfeita para firmar negócios e parcerias com profissionais das áreas de arquitectura, construção, instalação e distribuição.

Durante quatro dias a Sanindusa apresentará as suas inovações em primeira mão num stand especialmente projectado para a ocasião e subordinado ao tema “Marcher vers le futur”. Neste espaço próprio, com 54 m2, promoverá novos produtos, novas cores, novos acabamentos e novos materiais.

Bases de chuveiro e lavatório em solid surface, divisórias para duche, mobiliário de casa de banho e louça sanitária em cerâmica estarão entre os destaques da participação deste ano. De salientar ainda a presença no stand da sanita suspensa texturada da colecção Sanlife recentemente distinguida com 3 prestigiados prémios internacionais de design.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Indústria da Pedra Natural portuguesa apresenta-se na Marmo+Mac 22

Aquele que é “o maior certame internacional direccionado para a indústria da pedra” realiza-se em Verona, Itália, de 27 a 30 de Setembro

CONSTRUIR

A Marmo+Mac 2022 está de volta a Verona, em Itália, entre os próximos dias 27 e 30 de Setembro, feira onde empresas e profissionais da indústria da pedra se reúnem, para aquele que é o maior certame internacional direccionado para o sector e que este ano contará com a presença do secretário de Estado da Economia, João Neves.

Nesta que é a 56ª edição do evento, Portugal destaca-se como sendo a quarta maior participação, com um total de 65 empresas, 46 das quais participam através dos Projectos Conjuntos de Internacionalização das Associações Sectoriais Nacionais – Assimagra e a AEP/ANIET – cofinanciados pelo Compete 2020/Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER.

Com esta presença as empresas pretendem reforçar o seu posicionamento mundial, alicerçado sobretudo na qualidade dos seus produtos e na arte do saber-fazer português, consubstanciado pelas linhas estratégicas que têm orientado o sector: inovação e sustentabilidade.

A participação nacional, organizada pela Associação Empresarial de Portugal (AEP, em parceria com a ANIET – Associação Nacional da Indústria Extractiva e Transformadora, no âmbito do Projecto BOW, é constituída por 17 empresas expositoras.

Para Luís Miguel Ribeiro, presidente da AEP, “a participação portuguesa no maior evento internacional dedicado à pedra natural, tecnologias de processamento, tecnologias para aplicações de pedra em arquitetura e design e formação é uma oportunidade muito importante para alavancar novos negócios para as empresas do setor em Portugal”. “Este é um certame de referência para as empresas nacionais e uma plataforma de apresentação dos seus mais recentes desenvolvimentos na área”, complementa.

O ano passado, o projecto BOW – Business on the Way promoveu a participação de mais de 100 empresas em 17 acções, entre feiras internacionais, missões empresariais (virtuais, físicas e inversas), em 22 mercados distintos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Sea’Ya Thoughtful Stays cresce em Cascais

Marca de alojamento local para famílias tem nova imagem e novos espaços. Hoje soma cinco unidades, todas na região que envolve a Praia do Guincho, e apresenta um novo logo e uma nova assinatura que preparam a marca para as ambições do futuro

CONSTRUIR

Abriu em 2019 com a criação de três unidades de alojamento local em Cascais e a missão de criar uma marca de turismo de qualidade para descomplicar as férias das famílias e dos amantes de surf. Hoje, o Sea’Ya Thoughtful Stays soma cinco unidades, todas na região que envolve a Praia do Guincho, e apresenta um novo logo e uma nova assinatura que preparam a marca para as ambições do futuro.

As novas villas seguem os mesmos princípios que norteiam a marca desde a sua origem: máximo conforto, uma decoração diferenciadora, estreita ligação com a região e a comunidade local, proximidade à Praia do Guincho, concelho de Cascais, produtos sustentáveis e locais e, claro, os melhores equipamentos para crianças e para surfistas.

“Abrimos em ano de pandemia e contra tudo o que esperávamos, estivemos sempre em funcionamento e com taxas de ocupação acima dos 80%”, referem António Monteiro e Maria Saldanha, proprietários do Sea’Ya Thoughtful Stays. “Em 2022, com a marca a crescer de dia para dia, sentimos a necessidade de ter no nosso portfolio novas unidades, com tipologias diferentes, para dar resposta à procura que temos e que muitas vezes suplanta a oferta”, acrescentam.

Para 2023, a marca Sea’Ya Thoughtful Stays tem já prevista a abertura de mais duas unidades na mesma região. O objectivo é manter um crescimento sustentado da marca, promovendo a região de Cascais e do Guincho sem nunca a descaracterizar. “Procuramos casas de aldeia, de traça antiga, e que estejam inseridas num ambiente familiar pois só assim conseguimos proporcionar aos nossos hóspedes experiências autênticas, integradas na comunidade local e que beneficiem o comércio local”.

A marca lançou, recentemente, um novo website, um novo logo e nova assinatura. “Somos atenciosos e cuidadosos em tudo o que fazemos, desde o serviço que prestamos ao cuidado e atenção aos mínimos detalhes. Promovemos o espírito (por vezes perdido) de “guesthouse” na medida em que estamos disponíveis 24h e fazemos de tudo para que se sintam em casa. Somos igualmente conscientes face ao impacto da nossa actividade no ambiente e na região que nos acolhe. São estes os valores que os nossos hóspedes valorizam, razão pela qual acreditamos que devem estar espelhados na nossa identidade”, explicam os proprietários.

O novo posicionamento pretende ainda diferenciar o projecto no mercado nacional e despertar a atenção dos hóspedes que os visitam. Os principais mercados da marca são Alemanha, Holanda, França, Reino Unido e Estados Unidos da América.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Ecosteel abre portas para receber a 2ª Edição da [email protected]

A [email protected] é uma iniciativa da Agência Nacional de Inovação (ANI) que dá a conhecer as últimas novidades e tendências sobre transferência de tecnologia na energia e nos materiais

CONSTRUIR

A Ecosteel abre portas para receber a 2ª Edição da [email protected], subordinada ao tema “Start Engines for Innovative Materials and Energy”. Através do “Dia Aberto Ecosteel”, a empresa apresenta alguns dos mais inovadores projectos desenvolvidos no seu departamento de ID&T, como seja a tecnologia “Fusion 2.0” e o “Fecho Oculto – Prémio Red Dot”.

Além de uma visita guiada às instalações, o programa inclui ainda uma palestra subordinada ao tema “A sua casa já foi ao médico?”. Com a participação do Imunoalergologista, Pedro da Mata, fundador e diretor clínico do Instituto Clínico de Alergologia (ICA), estarão em debate questões relacionadas os Edifícios Saudáveis e Sustentáveis. A qualidade do ar no interior dos edifícios é hoje uma das maiores preocupações da indústria da construção. Segundo um estudo levado a cabo pelo Imunoalergologista Pedro Mata sobre a qualidade do ar que respiramos dentro das nossas casas, estas são, muitas vezes, focos de agudização de alergias provocadas por ácaros do pó doméstico.

“Atendendo ao importante papel que as questões de saúde acabam por ter na criação e renovação de novos espaços, o departamento de ID&T da Ecosteel tem procurado encontrar soluções de que se revelem não só sustentáveis a longo prazo, mas também promovam a construção de espaços mais saudáveis, seja através de soluções que permitam a renovação automática do ar ou através de sistemas tecnológicos que, incorporados nas construções, garantam um excelente desempenho térmico, como é exemplo a tecnologia “Fusion 2.0″”, refere a empresa.

As [email protected] são promovidas no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Transferência de Conhecimento Científico e Tecnológico, TECH4INNOV. Realizam-se durante uma semana, a cada quatro meses, com o objetivo de reunir os principais atores do Sistema Nacional de Inovação (SNI) em torno de uma temática.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

TK Elevator recebe estatuto EcoVadis Gold

A empresa recebe estatuto ouro na primeira avaliação do rating de sustentabilidade EcoVadis, colocando-a no top 5% de todas as empresas actualmente avaliadas pela EcoVadis

CONSTRUIR

A EcoVadis avalia anualmente as empresas com base no seu desempenho em sustentabilidade nas categorias “Meio Ambiente”, “Trabalho e Direitos Humanos”, “Ética” e “Compras Sustentáveis”. O desempenho da TK Elevator foi muito bom em todas as áreas, com principal destaque para as boas práticas na gestão de carbono.

Desde que se tornou independente em 2020, garantir a sustentabilidade da empresa tem sido um objectivo constante. Um caminho que está a dar frutos, tendo obtido nos últimos dois anos a classificação “A” para protecção climática no maior ranking climático do mundo, promovido pela organização de classificação CDP, e superou o ranking global Sustainalytics ESG na indústria de máquinas em 2021. Em Maio deste ano, a empresa publicou seu primeiro Relatório de Sustentabilidade e anunciou novas metas de redução de emissões que foram validadas pela iniciativa Science Based Targets.

“Enquanto uma das líderes de mercado do sector, estamos cientes da nossa responsabilidade, por isso trabalhamos diariamente para garantirmos que a sustentabilidade é uma das nossas prioridades em todas as áreas. A recente classificação Gold da EcoVadis é mais uma confirmação e um incentivo para continuarmos a trabalhar, de modo a alcançarmos os nossos esforços de sustentabilidade.”, refere Paula Casares, responsável ESG da TK Elevator.

Usando a sua própria metodologia de avaliação, que se baseia em padrões internacionais de sustentabilidade, incluindo a Global Reporting Initiative, o Pacto Global das Nações Unidas e a ISO 26000, a EcoVadis já avaliou mais de 90.000 empresas em mais de 160 países no que diz respeito à integração da sustentabilidade e princípios de RSE nos seus sistemas de gestão.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

dstgroup oferece mestrados e doutoramentos aos trabalhadores

À semelhança do que aconteceu em outros anos lectivos anteriores, dstgroup volta a reforçar a aposta na educação e formação dos seus trabalhadores, disponibilizando, gratuitamente, mestrados e doutoramentos especializados, em diferentes áreas

CONSTRUIR

A aposta na formação e captação de talento não se cinge aos trabalhadores do grupo, já que os diversos protocolos estabelecidos entre o grupo e várias instituições de ensino tem como objectivo contribuir para profissionalizar o mercado em diversas áreas de especialidade.

“Consideramos que a educação e a formação são um investimento capaz de impulsionar a nossa actividade económica e competitividade no mercado. por isso, disponibilizamos formação em áreas core, como a engenharia, a gestão, a economia, mas também focada nas soft skills e áreas técnicas complementares inseridas no plano anual de formação, diversificadamente enriquecedoras do ponto de vista social e intelectual, como é o caso da filosofia, da neurociência e da saúde mental”, destaca José Machado, director de Recursos Humanos.

O grupo estabeleceu parcerias com o Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA), Universidade do Minho e Universidade Católica Portuguesa. Numa aposta a longo prazo, o objectivo do dstgroup é prolongar as parcerias e cursos para que a formação chegue ao maior número de trabalhadores possível.

“Um dos protocolos que mais se tem desenvolvido é o que mantemos com o IPCA desde 2018. Já contabilizamos quatro edições do curso de soldadura avançada e, em 2021, iniciámos a primeira edição do curso técnico superior profissional de preparação e gestão de obra”, acrescenta José Machado. Aos seus colaboradores o dstgroup paga integralmente o valor das propinas, mas os cursos podem ser frequentados por outros profissionais.

Com o arranque do novo ano lectivo o grupo de Braga dá a conhecer a nova oferta. Em Outubro arrancam novas edições dos cursos que registaram mais procura por parte dos trabalhadores. Entre eles o curso filosofia, que vai iniciar a segunda edição de “Filosofia para o Novo Século”, com duração de três anos, assim como da área de saúde mental, que promove a quarta edição do curso “Primeiros Socorros para Doença Mental”. Para além disso, destacam-se outras propostas formativas do grupo, no que diz respeito a mestrados profissionais, cursos técnicos superiores profissionais e formações especializadas.

Em Novembro arrancam os mestrados profissionais. Com a chancela do IPCA, estes mestrados são constituídos por um semestre curricular e um semestre de estágio/projecto e aplicam-se a trabalhadores licenciados com mais de 5 anos de experiência na área de especialização. Abrangem os cursos de gestão fiscal, gestão de operações, gestão para executivos, logística e gestão de cadeia de abastecimento, modelação 3D, fabrico aditivo e tecnologias de apoio à educação Steam.

Ainda no âmbito da parceria estabelecida com o IPCA vão ter início em Outubro os cursos técnicos superiores profissionais nas áreas de energias renováveis e sistemas sustentáveis, gestão de redes e telecomunicações avançadas, soldadura avançada e preparação e gestão de obras. Estes cursos têm a duração de dois anos, as aulas são em regime pós-laboral e conferem um diploma de nível 5. A parceria concretiza ainda o acolhimento dos alunos, no final do curso, para a realização de um estágio de seis meses.

Juntamente com a Aliança de Pós-Graduação da Universidade do Minho, o dstgroup lançou este ano um curso de formação especializada em “tecnologia de fachadas e envolvente de edifícios”. Lesionado por especialistas da bysteel fs, empresa do dstgroup especializada nesta área, e por professores da Escola de Engenharia e da Escola de Arquitectura, Arte e Design da Universidade do Minho, a formação abrange desde os aspectos legais até à manutenção de fachadas e envolventes, passando pelos materiais e pelo fabrico. Conta ainda com a participação na partilha de conhecimento de várias entidades do tecido empresarial e de associações com diferentes posicionamentos da cadeia de valor.

“Estarmos próximos das instituições de ensino faz parte da nossa estratégia. Apenas criando um ecossistema de partilha de conhecimento e recursos é que conseguiremos dar resposta às necessidades do mercado de trabalho e formar um clima de inovação que potencie a criação de novos produtos e serviços.”, comenta Ricardo Portela, administrador da bysteel.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.