Edição digital
Assine já
Empresas

Hotel boutique no Reino Unido incorpora soluções Vicaima

The Heyford Hotel incorpora soluções Portaro nos seus corredores e quartos e Naturdor Stained para os revestimentos

CONSTRUIR
Empresas

Hotel boutique no Reino Unido incorpora soluções Vicaima

The Heyford Hotel incorpora soluções Portaro nos seus corredores e quartos e Naturdor Stained para os revestimentos

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Hotel Turismo da Guarda vai integrar rede de Pousadas de Portugal
Construção
PlanAPP mandatado para a realização de estudos sobre o mercado da habitação
Imobiliário
Grupo Altis Hotels celebra 50 anos com investimento de 26,5 M€
Construção
dstgroup distinguido internacionalmente como uma das melhores empresas para trabalhar
Empresas
‘Primeira Pedra’ encerra com evento de apresentação de livro comemorativo
Empresas
CIN devolve identidade ao Mercado do Bolhão
Empresas
Home Tailors Real Estate fecha 2022 com um volume de vendas de 92M€
Imobiliário
Risco de incumprimento do pagamento da renda é maior
Imobiliário
Revigrés distinguida com o prémio Good Design Award 2022
Empresas
Casa da Arquitectura antecipa documentário sobre a vida e obra do fotógrafo Luís Ferreira Alves
Arquitectura

Foi recentemente inaugurado em Oxfordshire, no sudeste do Reino Unido, o The Heyford Hotel, um hotel boutique com 18 quartos. Desenhado para promover “um saudável equilíbrio entre a zona rural em que se encontra inserido e o lazer e diversão do seu interior”, o projecto incorpora diversos produtos da Vicaima nos seus corredores e quartos.

O “requinte” dita a tónica dos quartos do The Heyford Hotel, que proporciona aos visitantes uma “experiência relaxante e diferenciadora”, numa pitoresca localização a cerca de 30 minutos da cidade de Oxford. Situado no coração de uma antiga base aérea militar e com um nítido vínculo à herança histórica americana, o hotel inclui uma pista de bowling e um bar temático.

Esta já não foi a primeira vez que a Dorchester Living, responsável por este projecto, recorreu aos produtos da Vicaima e, desta vez, foram as soluções Portaro as escolhidas para as portas de entrada dos quartos e dos corredores. Constituídas por porta, aro e acessórios numa peça única, estas “reflectem a harmonia entre a decoração contemporânea e o respeito pelo património histórico que caracteriza todo o espaço”.

No que concerne ao revestimento, o The Heyford Hotel encontrou na gama Naturdor Stained o match ideal. A escolha recaiu sobre o revestimento em folha natural de freixo figurada, com um tom Marina Grey. O resultado final espelha “a envolvente híbrida do espaço, em perfeita sinergia com a Natureza e as extensas áreas verdes em que encontra inserido”.

À vasta oferta de soluções e possibilidades de personalização, a Vicaima soma a preocupação com a sustentabilidade, ao disponibilizar todos os seus produtos com certificação FSC® (Forest Stewardship Council®).

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Hotel Turismo da Guarda vai integrar rede de Pousadas de Portugal
Construção
PlanAPP mandatado para a realização de estudos sobre o mercado da habitação
Imobiliário
Grupo Altis Hotels celebra 50 anos com investimento de 26,5 M€
Construção
dstgroup distinguido internacionalmente como uma das melhores empresas para trabalhar
Empresas
‘Primeira Pedra’ encerra com evento de apresentação de livro comemorativo
Empresas
CIN devolve identidade ao Mercado do Bolhão
Empresas
Home Tailors Real Estate fecha 2022 com um volume de vendas de 92M€
Imobiliário
Risco de incumprimento do pagamento da renda é maior
Imobiliário
Revigrés distinguida com o prémio Good Design Award 2022
Empresas
Casa da Arquitectura antecipa documentário sobre a vida e obra do fotógrafo Luís Ferreira Alves
Arquitectura
Empresas

dstgroup distinguido internacionalmente como uma das melhores empresas para trabalhar

O grupo de Braga conquistou o certificado de “Top Employer 2023”, atribuído pelo TOP Employers Institute, entidade internacional que avalia e auditoria as melhores práticas de RH nas organizações de todo o mundo. A distinção coloca as práticas de recursos humanos do grupo estão entre as melhores do mundo

Em Portugal, o leque de empresas certificadas no ano de 2023 é muito restrito, são apenas 37 as que comprovaram estar alinhadas com os mais exigentes padrões de avaliação. A nível mundial, sobem ao pódio 2.053 empresas o que reflecte o rigor do Programa de Certificação.

“O reconhecimento por parte do Top Employers Institute é importantíssimo pois demonstra que no dstgroup decidimos pelos trabalhadores e pelo valor do trabalho. Estamos focados no seu bem-estar e na construção dos seus sonhos. Desde o primeiro momento em que são acolhidos no grupo é feito um convite para entrarem no elevador social. Apoiamos os nossos trabalhadores no desenvolvimento de competências, estimulamos o pensamento criativo através da literatura, do teatro, das artes, da poesia e da filosofia. Promovemos investimento em hard e soft skills, apoiamos o desenvolvimento de carreira, desenvolvemos iniciativas tendo em vista o equilíbrio da vida pessoal e profissional dos trabalhadores com um enfoque nas trabalhadoras mães”, destaca José Machado, diretor de Recursos Humano do grupo.

O Top Employers Institute avaliou o dstgroup em categorias como Estratégia de Pessoas, Desempenho ou Diversidade e Inclusão, tendo ficado acima da média mundial em critérios como Aquisição de talento, Estratégia de Negócio, Ambiente de Trabalho e Employer Branding.

“Orgulhamo-nos de ter connosco melhores trabalhadores, mas também melhores pessoas. No dstgroup trabalhamos e investimos em parcerias com as melhores instituições de ensino, com o propósito de recrutar os melhores talentos. Investimos na especialização do mercado do trabalho através da criação de cursos próprios, como os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP). Oferecemos pós-graduações, mestrados e doutoramentos. Temos um plano de formação com mais de 43 mil horas anuais, que contempla áreas técnicas, mas acima de tudo áreas transversais ao desenvolvimento humano”, realça o mesmo responsável.

Recorde-se a este propósito que o dstgroup lançou recentemente a segunda edição do curso de Filosofia com a Universidade Católica de Braga, para mais de 500 trabalhadores, a par de cursos especializados em Primeiros Socorros em Saúde Mental e Neurociência.

“Receber esta distinção internacional, num leque muito restrito de empresas nacionais certificadas é para nós a prova de que o investimento no nosso capital humano é efectivamente distinto. Temos noção de que foram determinantes para esta distinção, as nossas políticas de inclusão e integração seja de refugiados, ex-reclusos e minorias étnicas; a nossa aposta na formação e na gestão de carreira; as condições de trabalho num complexo que está em constante evolução e processo de diferenciação; o salário emocional que oferecemos aos nossos trabalhadores, com mais de 70 benefícios, desde seguro de vida e de saúde, um centro de saúde com consultas de medicina geral, psicologia e dentista; um campus desportivo com inúmeros equipamentos e aulas ao ar livre, uma biblioteca e até uma discoteca; mas, acima de tudo, o que nos diferencia é a nossa cultura organizacional focada na literacia das artes, na importância da leitura e no valor da estética para “só estarmos bem onde não estamos” e para termos uma proposta de valor única no mercado”, conclui o responsável.

Também o crescimento do grupo foi crucial nesta avaliação. O dstgroup fechou 2022 com 2277 trabalhadores e as perspectivas para o ano de 2023 são de contínuo crescimento, face aos inúmeros projectos em carteira.

“Tempos excepcionais trazem à tona o melhor das pessoas e das organizações. E testemunhamos isso no nosso Programa de Certificação Top Employers deste ano: desempenho excepcional dos Top Employers certificados de 2023. Esses empregadores mostraram que se preocupam com o desenvolvimento e o bem-estar dos seus trabalhadores. Ao fazê-lo, enriquecem colectivamente o mundo do trabalho”, sublinha o CEO do Top Employers Institute, David Plink.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

‘Primeira Pedra’ encerra com evento de apresentação de livro comemorativo

Patente no Museu Nacional dos Coches desde 23 de Junho de 2022, a exposição agrega as 77 obras originais produzidas durante o programa em mármore, calcário, granito e também em xisto e ardósia, com representação das mais variadas regiões de Portugal

A exposição Primeira Pedra chega ao fim. Depois de visitada por mais de 100 mil visitantes, a exposição Primeira Pedra 2016/2022 em Lisboa fecha ao público no próximo dia 22 de Janeiro.

A finissage da exposição terá lugar esta terça-feira, dia 17 de Janeiro, com a apresentação do livro comemorativo Primeira Pedra 2016/2022, uma edição sobre os seis anos do programa, e um dos principais registos de todo o trabalho produzido em Portugal, reunindo economia e cultura num desafio internacional, e que deixará seguramente um entusiasmante legado para a posteridade.

O evento conta com presença e participação de Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República Portuguesa, Pedro Adão e Silva, ministro da Cultura e, ainda, muitos dos autores que integram a Primeira Pedra, entre os quais os arquitectos Eduardo Souto Moura e João Luís Carrilho da Graça, os artistas Vhils e Fernanda Fragateiro e os designers Pedro Falcão e R2, bem como vários dos empresários do sector e outros convidados do sector diplomático, económico e cultural nacional.

Durante seis anos do programa Primeira Pedra, a indústria nacional da pedra natural uniu-se para uma das maiores iniciativas de sempre no trabalho de promoção do sector da pedra natural português. Um programa que convocou o tecido económico e o sector cultural – a arquitectura, o design e as artes plásticas –  reunindo 36 autores de 14 países e 28 empresas nacionais em torno da pedra portuguesa.

Patente no Museu nacional dos Coches desde 23 de Junho de 2022, a exposição agrega as 77 obras originais produzidas durante o programa em mármore, calcário, granito e também em xisto e ardósia, com representação das mais variadas regiões de Portugal, apresentadas em diversos pontos do mundo, como Nova Iorque e São Paulo, Milão e Londres.

Existirá ainda um momento protocolar que assinala o depósito de duas das obras Primeira Pedra ao Museu Nacional dos Coches, a peça “Hell’s Kitchen Bench” da autoria de Álvaro Siza, 2019, e “Petra” da autoria de Alexandre Farto aka Vhils, 2022.

O Programa Primeira Pedra, cofinanciado pelo FEDER no âmbito do Compete2020/Portugal2020, foi promovido pela ASSIMAGRA, associação que representa a indústria portuguesa dos recursos minerais, e concebido pela experimentadesign.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

CIN devolve identidade ao Mercado do Bolhão

Depois da Estação de Santa Apolónia, do Teatro Nacional de São Carlos e da Ponte Luís I, a CIN contribuiu para a preservação da identidade do Mercado do Bolhão, no Porto

(Foto: Guilherme Oliveira)

A obra de reabilitação e modernização do Mercado do Bolhão, a cargo do arquitecto Nuno Valentim, demorou quatro anos até à sua conclusão, oferece agora 81 bancas, 10 restaurantes e 38 lojas. O novo espaço de lazer foi restaurado com soluções CIN.

Liliana Leis Soares, directora-adjunta de marketing da CIN explica que “este projecto foi particularmente relevante para a CIN por ser um dos mais emblemáticos da cidade do Porto. Por outro lado, e a nível técnico, foi uma obra desafiante pelas suas especificidades, nomeadamente no que se refere à protecção das estruturas metálicas: as soluções da CIN visam tanto a protecção anticorrosiva como a protecção passiva contra o fogo.”

As estruturas metálicas do Mercado do Bolhão foram protegidas com produtos de elevada performance, como: o C-POX PRIMER ZP160 FD, um primário epóxi pigmentado com fosfato de zinco; o C-POX PRIMER ZN800, um primário epóxi rico em zinco que proporciona excelente protecção catódica; o intermédio C-POX S150 FD, um revestimento epóxi multifuncional de secagem rápida; e dependendo do grau de brilho desejado, brilhante ou acetinado, foram utilizados dois esmaltes de poliuretano C-THANE S258 e C-THANE S610 SAT, respectivamente.

Para a protecção passiva contra o fogo, quando necessária, foi utilizado o revestimento intumescente de última geração, o C-THERM S100, um produto acrílico formulado para expandir quando exposto a elevadas temperaturas, produzindo uma espuma com muito baixa condutividade térmica, que resulta em excelentes propriedades isolantes, até 120 minutos.

Após o término da obra, o edifício centenário permite a acessibilidade a pessoas com mobilidade reduzida, a passagem por 12 elevadores, uma nova ponte de passagem sobre as bancas dos comerciantes e o acesso a uma cave logística. Este projecto possibilitou ainda a existência de uma passagem intermédia que atravessa e liga as ruas Alexandre Braga e Sá da Bandeira e uma nova entrada directa ao mercado a partir da estação do metro do Bolhão.

Liliana Leis Soares acrescenta que “é um enorme orgulho poder associar a marca CIN a estes projectos de enorme impacto cultural, sobretudo numa vertente com elevada exigência técnica”. Para além da intervenção na preservação da identidade do Mercado do Bolhão, no Porto, a marca de tinta e vernizes nacional e centenária participou no restauro e na manutenção de outras grandes obras do património português, como a Estação de Santa Apolónia, o Teatro Nacional de São Carlos e a Ponte Luís I.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Revigrés distinguida com o prémio Good Design Award 2022

O prémio internacional Good Design Award 2022, foi atribuído à Colecção OMNI, da Revigrés, na categoria de Revestimentos e Pavimentos. A colecção em grés porcelânico técnico destacou-se entre cerca de 4400 candidaturas de 50 nacionalidades, avaliadas de acordo com critérios como a inovação, design, funcionalidade e posicionamento sustentável

Disponível em seis cores, cinco formatos e quatro acabamentos, a colecção OMNI reflecte a aposta da Revigrés numa solução técnica muito completa, cuja versatilidade permite ir ao encontro das exigências dos grandes projectos de arquitectura.

A colecção em grés porcelânico técnico destacou-se entre cerca de 4400 candidaturas de 50 nacionalidades, avaliadas de acordo com critérios como a inovação, design, funcionalidade e posicionamento sustentável.

“É com imenso orgulho que vemos reconhecida, uma vez mais, a nossa aposta no design e na inovação com vista ao desenvolvimento de produtos diferenciadores que antecipam as tendências do mercado e respondem às necessidades de uma construção mais sustentável”, refere Victor Ribeiro, CEO da Revigrés.

Com esta distinção, a Colecção OMNI passa a integrar o Yearbook for Good Design Awards 2022 e estará em exposição no Good Design Show, patente no The European Centre for Architecture Art Design and Urban Studies, em Atenas, Grécia, a partir de 31 de Março de 2023.

Este é o segundo prémio Good Design conquistado pela Revigrés, depois da nomeação da colecção Cromática, juntando-se aos prémios internacionais IF Design Award, Red Dot Design Award, German Design Award e A’Design Award.

Criado em 1950, o Good Design Award é promovido pelo The Chicago Athenaeum Museum of Architecture and Design, em colaboração com o The European Centre for Architecture, Art, Design and Urban Studies.

Segundo a organização, este é um prémio que visa distinguir o design contemporâneo e a aposta das empresas na inovação e na criação de projectos e produtos relevantes para os utilizadores, clientes e sociedade.

Em 2022, o júri, constituído por prestigiados profissionais de design, especialistas de empresas líderes e representantes de órgãos de comunicação na área do design, premiou cerca de 1100 produtos e projectos gráficos de diversas áreas de negócio, de todo o Mundo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Catarina Pereira é Chief Happiness Officer na CBRE

Catarina Pereira é a nova Chief Happiness Officer da consultora, acumulando funções de Office Manager, com a responsabilidade de gestão dos espaços e necessidades dos escritórios da CBRE em Portugal

A CBRE, acaba de anunciar a nomeação de Catarina Pereira, que se encontrava como consultora sénior da área de Marketing e Comunicação, como chief happiness officer (CHO), acumulando funções de Office Manager, com a responsabilidade de gestão dos espaços e necessidades dos escritórios da CBRE em Portugal.

Esta nomeação encontra-se em linha com alguns dos objectivos e temáticas centrais da CBRE, como a preocupação crescente com o bem-estar e a saúde mental dos colaboradores, a vontade de tornar cada vez mais a empresa num dos melhores lugares para trabalhar, a ambição de atrair e reter talento e uma maior dinamização interna para quem trabalha no escritório.

“É com entusiasmo que tomámos a decisão de termos a Catarina Pereira como responsável pela felicidade dos colaboradores da empresa. O bem-estar das nossas pessoas é uma preocupação constante, pois queremos que se sintam realizados no seu trabalho diário. Vários estudos já provaram que os colaboradores são mais produtivos quando estão felizes”, afirma Francisco Horta e Costa, director-geral da CBRE.

“Foi com enorme satisfação que aceitei este desafio. O bem-estar das pessoas será a minha principal missão, numa fase de crescimento da equipa. Além disso, assumirei várias funções relacionadas com a gestão geral do escritório e sua curadoria, uma área que agora se destaca, uma vez que nos encontramos num processo de expansão do nosso escritório em Lisboa, que deverá estar concluído em março”, sublinha Catarina Pereira, chief happiness officer da CBRE.

Licenciada em Comunicação Social e Cultural pela Universidade Católica Portuguesa, Catarina Pereira conta ainda com uma Pós-Graduação em Comunicação e Gestão das Organizações, pelo Instituto Superior de Novas Profissões. Em 2021 frequentou o Programa Avançado em Comunicação Organizacional, também na Universidade Católica Portuguesa. No último ano obteve a certificação internacional de Chief Happiness Officer, pela Happiness Business School.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Grupel é marca Cinco Estrelas 2023

Pela 6ª vez consecutiva, a Grupel foi distinguida com o Prémio Cinco Estrelas 2023. Para a empresa este reconhecimento é o resultado “da confiança que os consumidores portugueses depositam na marca, já que é através da sua avaliação que é atribuído”

Após uma análise de mercado feita junto de um total de 2257 consumidores, o Prémio Cinco Estrelas 2023 distinguiu a empresa portuguesa, que se destacou em critérios como a satisfação, a intenção de compra ou a recomendação. Este reconhecimento “só é possível, graças ao empenho e dedicação dos colaboradores da marca, desde a concepção ao pós- venda, que a tornam cada vez mais próxima de clientes, não só em Portugal, como em mais de 70 países”, sublinha a marca em comunicado.

Na categoria “Geradores”, o galardão avaliou 6 marcas reconhecidas no mercado português, tendo em conta cinco variáveis: Satisfação pela experimentação; Relação Qualidade-Preço; Intenção de compra e recomendação; Confiança dos consumidores na marca; e inovação dos produtos. Na avaliação da Grupel, o indicador com a pontuação mais alta foi a intenção de recomendação, seguido da satisfação pela experimentação e da relação qualidade-preço.
A variável “satisfação pela experimentação” incluía 5 características: robustez, fiabilidade, nível de ruído / insonorização, consumo, e assistência técnica e garantia. A robustez dos geradores e o serviço de assistência técnica da marca foram as características com a melhor classificação entre as mencionadas, sendo que a Grupel obteve uma pontuação superior a 8 (de 0 a 10) em todas.

A avaliação demonstrou que 47% dos inquiridos associa a Grupel a “qualidade” e que 59% dos mesmos reconhece a marca graças à sua comunicação na web. A classificação global da Grupel, tendo em conta as variáveis mencionadas, foi de 8,18 (em 10), 3,8% acima da classificação da marca na edição anterior, e 8,4% face à primeira edição que venceu do Prémio (2018).

Para a empresa “vencer o Prémio Cinco Estrelas 2023, pelo 6º ano consecutivo, consolida a posição de destaque que a Grupel ocupa no mercado de fabrico e comercialização de grupos electrogéneos e soluções de engenharia eléctrica, em Portugal, considerando todas as fases dos projectos da marca, desde a concepção e desenho à assistência técnica e pós-venda”, refere a mesma nota.
“Continuaremos a trabalhar para ser uma marca inovadora, fiável e perfeitamente ajustada ao que o mercado procura”, sublinha a propósito Pedro Gonçalves, director de Marketing e Vendas

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

StartUp Barreiro e Atlantic Hub debatem sobre futuro das empresas e poder das marcas na sustentabilidade

A Conferência organizada pela Atlantic Hub, “Atlantic Talks Barreiro: O futuro das empresas e o poder das marcas na defesa da sustentabilidade”, em parceria com a Câmara Municipal do Barreiro e StartUp Barreiro discutirá os novos cenários para a procura de novos talentos e como as empresas podem contribuir para um mundo mais sustentável

CONSTRUIR

O evento vai decorrer no dia 24 de Janeiro nas instalações da Startup Barreiro, no Parque Empresarial da Baía do Tejo, Rua 2, Edifício n.º 23 do Barreiro. A abertura estará a cargo de, Eduardo Migliorelli, o CEO da Atlantic Hub, explicará a importância das missões empresariais antes de iniciar o seu negócio em Portugal como vantagem competitiva.

“O emprego mudou: quais os cenários para a procura de novos talentos?” é o segundo painel, às 16h50, que contará com as presenças da Coordinator da StartUp Barreiro, Nádia Leitão, como moderadora e Ariane Gomes (Business Developer da Growyx), Hugo Nunes (Founder e CEO da Cosmic Futures), Rodrigo Varela (Country Manager da Blend It) e André Pereira e Yola Goulart (CEO’s e Founders da The Pear Mkt) como oradores.

A última sessão, às 17h30, “Sustentabilidade – Como podem as empresas contribuir?”, terá Andreia Mourão (Entrepreneur com a empresa Momentum), Miguel Fernandes (Chief Technology Officer da Witseed), Patrícia Saldanha (Sustainability Director da Ecologika), Pedro Coelho (Managing Partner da INODEV) e Verónica Pimenta (Entrepreneur na StartUp Barreiro) como oradores e Nádia Leitão (Coordinator da StartUp Barreiro) como moderadora.

O Atlantic Talks é uma iniciativa organizada pela Atlantic Hub, com o apoio do Atlantic Station, para que todas as empresas instaladas na incubadora do Atlantic Station tenham oportunidade de promover e divulgar os seus negócios. Promover e identificar os pontos fortes de cada região portuguesa para integrar o seu negócio é outro elemento desta actividade.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Soluções da Saint-Gobain Portugal voltam a ser reconhecidas pelos portugueses

Prémio Cinco Estrelas 2023 incide sobre os produtos Glasroc X e o webercol flex lev

CONSTRUIR

Na edição deste ano do Prémio Cinco Estrelas, duas soluções das marcas Placo e Weber da Saint-Gobain Portugal, voltaram a ser reconhecidas “pela sua qualidade e excelência”, nas categorias placas de gesso e cimento-cola. Este prémio de grande importância para a insígnia, avaliado directamente pelos portugueses, incide nos produtos Glasroc X, vencedora pelo segundo ano consecutivo e no webercol flex lev, que arrecada o prémio pelo terceiro ano .

Decorridos vários meses de avaliação, durante os quais 325.400 consumidores testaram 1.081 marcas, produtos e serviços, segundo um processo rigoroso e exigente, a Placo e a Weber são agora reconhecidas, nas duas categorias acima referidas, entre as 147 marcas vencedoras do Prémio Cinco Estrelas 2023.

“Os consumidores estão cada vez mais exigentes nas suas escolhas. Acreditamos que estes prémios trarão uma confiança acrescida na hora de eleger as soluções Saint-Gobain, pela satisfação e benefício que os produtos aportam”, frisa Rita Bastos, directora de Marketing da Saint-Gobain Portugal.

A Glasroc X da Placo, trata-se de uma placa de gesso Laminado, reforçada com fibra de vidro, com excelente comportamento em zonas de elevada humidade e exteriores. Relativamente ao webercol flex lev da Weber é uma argamassa para colagem de cerâmica, pedra natural e mosaico hidráulico, aplicável em interior e exterior.  Trata-se da primeira argamassa com metade do peso para o mesmo rendimento, que facilita o transporte e reduz os seus custos.

Recorde-se que o Prémio Cinco Estrelas é “um sistema de avaliação que anualmente mede o grau de satisfação que os produtos, serviços e as marcas conferem aos seus utilizadores, tendo como critérios de avaliação as cinco principais variáveis que influenciam a decisão de compra dos consumidores: satisfação pela experimentação, relação preço – qualidade, intenção de compra ou recomendação, confiança na marca e Inovação”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Agendas do PRR para a inovação vão gerar quase 9 MM€ de riqueza e 18 mil empregos

As Agendas Mobilizadoras para a Inovação do Plano de Recuperação e Resiliência vão criar um valor quase três vezes superior ao investimento que vai se feito. A visita do Primeiro-Ministro, António Costa, à fábrica de componentes para produção de hidrogénio verde da Fusion-Fuel Portugal, em Benavente, integrou o roteiro “PRR em movimento”

CONSTRUIR

António Costa referiu que os produtos e serviços inovadores desenvolvidos a partir das Agenda Mobilizadoras vai gerar 8,7 mil milhões de euros de riqueza, para um investimento de 2,9 mil milhões de euros.

Com as 51 Agendas Mobilizadoras já aprovadas, a riqueza nacional “vai aumentar porque se, para alem de continuarmos a fazer o que já fazemos bem, fizermos coisas novas, vamos ter mais valor”, afirmou.

As 51 agendas mobilizadoras envolvem 1228 entidades, 900 das quais empresas, 114 entidades do sistema científico e tecnológico, e entidades da Administração Pública ou outras.

O Primeiro-Ministro sublinhou que as empresas portuguesas têm “conseguido ser das mais competitivas à escala mundial no hidrogénio verde2, o qual “vai ser um verdadeiro catalisador da criação de uma nova fileira industrial e para a reindustrialização de Portugal”. No seu conjunto, as Agendas Mobilizadoras criarão também 18 mil empregos, assinalou ainda.

A Fusion-Fuel Portugal é uma empresa de tecnologia de energia que desenvolveu um gerador fotovoltaico para produzir hidrogénio verde (através da quebra das moléculas de água), que reduz o preço de fabrico através da transformação inovadora dos métodos de produção de energia, e que já está em aplicação em Portugal e em instalação em Espanha, em Itália, em Marrocos e nos Estados Unidos.

A empresa integra o consórcio do Sines Green Hydrogen Valley para produção de hidrogénio verde, com componentes produzidas no país, que resultam de investigação e de patentes nacionais, destinando-se a servir a indústria nacional e a exportação.

O Sines Green Hydrogen Valley representa investimento total de 122 milhões de euros, 8,7 milhões dos quais destinados a investigação, inovação e desenvolvimento, tendo obtido um incentivo de 36 milhões de euros do PRR.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Produtos da CIN protegem Túneis de Águas Santas e Portagens no Nó de Ermesinde

A CIN é uma das marcas envolvidas nas obras de alargamento da A4 no sublanço Águas Santas/Ermesinde. Nesta intervenção, a CIN foi escolhida para responder às necessidades de reabilitação e conservação das infraestruturas já existentes (galerias central e sul), bem como de protecção das novas portagens, em ambos os sentidos

CONSTRUIR

Para esta obra da Brisa, a CIN forneceu produtos que permitem a protecção integral de estruturas de betão e a protecção anticorrosiva de estruturas metálicas. Para as primeiras foram utilizados dois produtos: C-POX W210 HB, revestimento epóxi aquoso com partículas cerâmicas especialmente desenvolvido para protecção de túneis e C CRYL S600 HB, revestimento acrílico mate com excelentes propriedades anti-carbonatação do betão. Para as estruturas metálicas, foram utilizados os produtos C POX PRIMER ZP230 FD, primário epóxi com fosfato de zinco e C-THANE® S350, esmalte de poliuretano alifático brilhante com excelente retenção de cor e brilho.

“Os principais desafios desta obra dividem-se em função do elemento a proteger: no caso dos túneis, o maior desafio foi o facto de ser necessário apresentar uma solução que não só protegesse estas infraestruturas de betão dos agentes agressivos a que são sujeitos, mas que também que tivesse um impacto positivo na segurança rodoviária, com características adequadas para o conforto visual dos usuários. No caso das estruturas metálicas, como habitual, há a preocupação de fornecer a solução tecnicamente mais adequada para que a protecção anticorrosiva dessas estruturas seja assegurada para o prazo de vida útil estimado”, explica Inês Martins, Head of Business Development da CIN Performance Coatings.

Acabada a empreitada, o sublanço da A4 entre Águas Santas (Maia) e Ermesinde (Valongo) terá duas faixas de rodagem com quatro vias de circulação em cada sentido: quatro vias na galeria Norte em ambos os sentidos; duas vias de circulação na galeria Sul no sentido Porto/Ermesinde; e duas vias de circulação na galeria Central no sentido Matosinhos/Ermesinde.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.