Edição digital
Assine já
    PUB
    Imobiliário

    Zome inaugura hub no metaverso

    “Sabemos que o metaverso fará parte do futuro, e é lá que queremos estar, sempre em conjunto com todos os nossos parceiros, para proporcionarmos mais conveniência aos clientes e um serviço único a quem nos procura”, justifica Patrícia Santos, CEO da Zome

    CONSTRUIR
    Imobiliário

    Zome inaugura hub no metaverso

    “Sabemos que o metaverso fará parte do futuro, e é lá que queremos estar, sempre em conjunto com todos os nossos parceiros, para proporcionarmos mais conveniência aos clientes e um serviço único a quem nos procura”, justifica Patrícia Santos, CEO da Zome

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    Savills e Cushman & Wakefield comercializam centro logístico Panattoni Park Lisbon-City
    Imobiliário
    Dubai Wood Show 2024 recebe empresas portuguesas
    Empresas
    Ano arranca “estável” relativamente a preços de venda de casas
    Imobiliário
    Mais de 80% das transacções da Remax em 2023 foram de habitação
    Empresas
    Recém inaugurada Ala Álvaro Siza recebe primeiras exposições
    Arquitectura
    Alerta de crise na Construção na Alemanha
    Construção
    Escritórios: O regresso das grandes operações a Lisboa
    Imobiliário
    Câmara de Oliveira do Hospital investe 2,5M€ em Centro de Saúde com recurso ao PRR
    Construção
    MAP Engenharia adere ao Business Council for Sustainable Development
    Construção
    Forbes Global Properties realiza parceria exclusiva com Quinta do Lago  
    Imobiliário

    A Zome, anunciou a abertura do primeiro hub no metaverso, tornando-se na primeira mediadora imobiliária portuguesa a ter uma unidade de negócio nesta plataforma de realidade virtual. Para visitar o novo hub, os clientes poderão utilizar um browser à disposição nas Experience Zone, zonas criadas para este efeito, e assim visitar um imóvel no mundo virtual sem precisarem de sair da loja.

    O anúncio foi feito no primeiro dia do evento anual Zome Summit 2023, no Grande Real Santa Eulália Resort & Hotel Spa, em Albufeira, que todos os anos reúne os colaboradores da empresa para partilha de resultados, conquistas e objectivos.

    “A chegada ao metaverso vem reforçar a nossa vontade de estar na vanguarda das tendências do sector, e como é sempre nossa prática, ter a honra de poder anunciá-lo a todos os colaboradores da Zome em Portugal e Espanha, pois são as nossas equipas que nos motivam a continuarmos a evoluir. Sabemos que o metaverso fará parte do futuro, e é lá que queremos estar, sempre em conjunto com todos os nossos parceiros, para proporcionarmos mais conveniência aos clientes e um serviço único a quem nos procura”, sublinha Patrícia Santos, CEO da Zome.

    Desde a sua fundação em 2019, a Zome tem tirado partido da tecnologia para acompanhar as tendências do sector. Em Maio de 2022, lançou o Cryptohouses, o primeiro portal de uma rede imobiliária a listar imóveis integralmente em criptomoeda.

    A construção do hub da Zome no metaverso arrancou em 2022 e contará com novas fases de aperfeiçoamento. Com o desenvolvimento desta funcionalidade, a Zome pretende que seja possível a entrada de multiutilizadores com recurso a avatares e, através de um novo site que será lançado ainda em 2023, os clientes poderão visitar o hub da Zome a partir de qualquer lugar, desde que disponham de uns óculos de Realidade Virtual (VR).

    “Queremos estar na vanguarda e proporcionar novas experiências aos nossos clientes, dando-lhes a oportunidade de explorar este novo mundo de realidade virtual que é o metaverso, num formato altamente conveniente. No futuro, queremos conectar-nos com outros parceiros nesta plataforma, nomeadamente da área da banca, criando uma experiência que se possa assemelhar a uma ida ao shopping, onde os clientes poderão entrar e sair de umas lojas para as outras de forma ininterrupta e fluída”, detalha Carlos Santos, Chief Technology Officer da Zome.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    Savills e Cushman & Wakefield comercializam centro logístico Panattoni Park Lisbon-City
    Imobiliário
    Dubai Wood Show 2024 recebe empresas portuguesas
    Empresas
    Ano arranca “estável” relativamente a preços de venda de casas
    Imobiliário
    Mais de 80% das transacções da Remax em 2023 foram de habitação
    Empresas
    Recém inaugurada Ala Álvaro Siza recebe primeiras exposições
    Arquitectura
    Alerta de crise na Construção na Alemanha
    Construção
    Escritórios: O regresso das grandes operações a Lisboa
    Imobiliário
    Câmara de Oliveira do Hospital investe 2,5M€ em Centro de Saúde com recurso ao PRR
    Construção
    MAP Engenharia adere ao Business Council for Sustainable Development
    Construção
    Forbes Global Properties realiza parceria exclusiva com Quinta do Lago  
    Imobiliário
    PUB
    Imobiliário

    Savills e Cushman & Wakefield comercializam centro logístico Panattoni Park Lisbon-City

    Com 85 mil m2, distribuídos por diversos espaços de armazém e de escritórios, o projecto visa “responder à actual necessidade logística” e significa a expansão do operador no mercado português

    CONSTRUIR

    É em Santa Iria da Azóia que irá nascer o Panattoni Park Lisbon-City, um dos maiores projectos logísticos da Grande Lisboa e que se encontra em comercialização pelas consultoras Savills e Cushman & Wakefield.

    Com conclusão prevista para o final de 2025, o Panattoni Park Lisbon-City, em Loures, visa responder à actual necessidade logística que o País atravessa, oferecendo uma área de 85 mil metros quadrados (m2), distribuídos por diversos espaços de armazém e de escritórios.

    “Estamos muito satisfeitos em anunciar a nossa expansão no mercado português. Portugal oferece excelentes condições de investimento no nosso sector e crescer lado a lado com as empresas locais e internacionais que operam em Portugal. O Panattoni Park Lisbon City é a demonstração de um claro compromisso em continuar a crescer nos diferentes mercados da Península Ibérica, com um forte foco em Portugal nos últimos anos,” afirma Gustavo Cardozo, director-geral da Panattoni para Espanha e Portugal.

    Localizado numa zona que integra um dos mais importantes eixos logísticos, este activo encontra-se localizado às portas da cidade e contará com diversas unidades de armazéns para operações de cross-docking e logística com diversas opções de áreas disponíveis.

    O parque logístico terá uma área de escritórios total de cinco mil metros quadrados e 122 cais de carga e descarga, distribuídos pelos quatro edifícios, enquanto os armazéns terão um pé direito mínimo de 10,5 metros, nível de risco de incêndio 2, sprinklers e uma sobrecarga de laje de 6T/m2. Este complexo logístico terá, também, uma área total de estacionamento destinada a mais de 300 veículos e furgões, carregadores para veículos eléctricos e parque para bicicletas em cada um dos quatro armazéns.

    Em linha com a estratégia de sustentabilidade da Panattoni “Go Earthwise with Panattoni”, o projecto terá, ainda, o certificado de construção sustentável BREEAM “Excellent”, que garante o cumprimento dos mais elevados padrões de sustentabilidade.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Ano arranca “estável” relativamente a preços de venda de casas

    Em Janeiro, os preços de venda das casas em Portugal Continental registaram uma variação de 0,9% face a Dezembro de 2023, dando, assim, continuidade ao ciclo que predominou na segunda metade do ano passado, segundo os dados apurados pela Confidencial Imobiliário

    CONSTRUIR

    Em Janeiro, os preços de venda das casas em Portugal Continental registaram uma variação de 0,9% face a Dezembro de 2023, dando, assim, continuidade ao ciclo de valorizações mensais suaves que predominou na segunda metade do ano passado.

    Os dados são apurados pela Confidencial Imobiliário no âmbito do Índice de Preços Residenciais, o qual acompanha a evolução dos preços de transacção de habitação no território continental.

    Em termos homólogos, os preços apresentam um crescimento de 12,1% de Janeiro, mantendo os níveis de valorização neste horizonte temporal estáveis em torno dos 12,0%.

    Relembre-se que em Dezembro de 2023, a taxa de variação homóloga foi de 11,8%, coroando um ano marcado pelo abrandamento no ritmo de subida dos preços da habitação. Em resultado desse arrefecimento, a valorização homóloga registada no último mês de 2023 ficou 6,9 pontos percentuais abaixo da observada no final de 2022 (18,7%).

    De acordo com os dados do SIR-Sistema de Informação Residencial, as casas foram transaccionadas em Portugal Continental por um preço médio de 2.396€/m2 em Janeiro de 2024, considerando um período acumulado de três meses. Os fogos novos atingiram um valor médio de 3.656€/m2 nas transacções realizadas nesse período, enquanto nos fogos usados o valor foi de 2.243€/m2.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Escritórios: O regresso das grandes operações a Lisboa

    Mais de 70% do take-up mensal na capital está concentrado em três transacções com mais de 1.000 m2, apura a JLL no Office Flashpoint de Janeiro. Apesar do take-up apresentar um volume pouco robusto face aos registos mensais nos anos mais fortes do mercado, é indicador de uma retoma importante da actividade

    CONSTRUIR

    A consultora imobiliária JLL acaba de divulgar os resultados do seu boletim mensal dedicado ao desempenho do mercado de escritórios, concluindo que Janeiro foi um mês de recuperação da ocupação em Lisboa, com reactivação das operações de grandes áreas. No primeiro mês do ano, foram ocupados 6.800 m2 de escritórios na capital, dos quais 72% estão concentrados em três negócios que envolvem a tomada de áreas superiores a 1.000 m2. No total, estas operações somam 4.800 m2, a maior das quais ascende a cerca de 2.400 m2, outra a 1.400 m2 e uma outra a 1.000 m2. De realçar ainda que o volume total mensal apresenta um crescimento da ordem dos 73% face ao mês homólogo.

    “Pese embora o take-up de Janeiro apresentar um volume pouco robusto face aos registos mensais nos anos mais fortes do mercado, é indicador de uma retoma importante da actividade. Obviamente tem de ser visto à luz de um mês de arranque de ano, naturalmente menos forte, mas abre perspectivas positivas para 2024 não só pelo crescimento de 70% face ao ano passado, mas também pelo regresso das operações a envolver grandes áreas”, começa por comentar Sofia Tavares, Head of Office Leasing da JLL.

    A mesma responsável acrescenta ainda que “a melhoria das expectativas relativas à inflação e às taxas de juro faz-nos acreditar que a procura que adiou as suas decisões devido à incerteza macroeconómica, voltará ao mercado mais activamente. Além disso, começam a surgir também mais espaços adequados aos novos requisitos das empresas em termos de adaptação aos modelos de trabalho, sustentabilidade e modernidade. Isso vai também reactivar procura que não estava a encontrar resposta para as suas necessidades”.

    No mês de Janeiro, foram concretizadas 12 operações em Lisboa, sendo o total da área tomada para ocupação imediata. O Prime CBD foi a zona mais dinâmica, com uma quota de 45% do take-up, enquanto as empresas de TMT’s & Utilities foram as mais dinâmicas, gerando 44% da ocupação.

    No Porto, Janeiro foi um mês brando, com 1.300 m2 de ocupação no total de quatro transacções. Este volume está 59% abaixo de Janeiro de 2023 e foi maioritariamente (70%) colocado na zona do CBD Boavista. Também no Porto foram as empresas de TMT’s & Utilities que se mostraram mais dinâmicas, com 70% do take-up mensal. Nota destaque para o facto de a totalidade das operações ter sido para ocupação imediata.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Forbes Global Properties realiza parceria exclusiva com Quinta do Lago  

    Desta forma, as propriedades desta zona do Algarve vão começar a ser comercializadas na plataforma de imobiliário de luxo. Uma parceria que realça a “confiança da Quinta do Lago na experiência da Forbes, reforçando a posição no sector imobiliário de luxo na Europa”, segundo Sean Moriarty, CEO do resort

    CONSTRUIR

    A Forbes Global Properties em Portugal acabou de concluir o negócio de parceria com a Quinta do Lago Real Estate. Esta parceria reúne o “reconhecimento global” e o “prestígio” da Forbes Global Properties com o conhecimento local da Quinta do Lago Real Estate. Desta forma, as propriedades de luxo desta zona do Algarve vão começar a ser comercializadas na plataforma de imobiliário de luxo.

    De referir que no início deste ano, a Forbes Global Properties expandiu a sua presença internacional a Portugal, através da Modern, uma agência imobiliária focada em serviços de aconselhamento a indivíduos e promotores imobiliários no segmento residencial de luxo. Concentrando-se especificamente no 1% mais alto do mercado, a Forbes Global Properties representa as propriedades mais cobiçadas em Portugal, nomeadamente em zonas como Cascais, Comporta e Quinta do Lago.

    De acordo com Sean Moriarty, CEO da Quinta do Lago, “esta parceria com a Forbes é a prova do nosso compromisso inabalável com o luxo, com a exclusividade e com a oferta de propriedades sem paralelo. A reputação da marca e o grau de exigência dos clientes high end da rede Forbes alinham-se na perfeição com a nossa visão de lifestyle”.

    O responsável acrescenta, ainda, que “esta parceria realça a confiança na nossa experiência, reforçando a nossa posição no sector imobiliário de luxo na Europa. Juntos, estamos preparados para redefinir o estilo de vida no Algarve e elevar a Quinta do Lago a novos patamares de reconhecimento global.”

    Para Pedro Teixeira Santos, representante da Forbes Global Properties em Portugal, “a Quinta do Lago é dos melhores resort da Europa, onde clientes locais e internacionais são atraídos pela qualidade das propriedades e pelo estilo de vida exclusivo proporcionado pelo resort”.

    Com um mercado imobiliário em contínuo desenvolvimento, a Quinta do Lago apresenta uma variedade de propriedades de luxo, que incluem não só revendas, mas também novos empreendimentos, com comodidades de topo de gama e interiores de alta qualidade, mantendo-se destacada no topo das prioridades de interesse imobiliário no Triângulo Dourado do Algarve.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Hipoges lança método “inovador” de comercialização de activos imobiliários

    O “Faz a tua oferta” parte da área de Real Estate e visa colocar na mão do comprador a oportunidade de propor à Hipoges um valor que considere justo por um determinado imóvel

    CONSTRUIR

    A servicer especialista em Asset Management, Hipoges, acaba de anunciar um método que convida os seus clientes e investidores a fazer uma proposta personalizada para alguns dos activos imobiliários que o Grupo está a comercializar em Portugal.

    O “Faz a tua oferta” parte da área de Real Estate e visa colocar na mão do comprador a oportunidade de propor à Hipoges um valor que considere justo por um determinado imóvel.

    “O mercado imobiliário está cada vez mais exigente e é preciso encontrar formas diferentes e inovadoras de chegar ao comprador. Foi todo este contexto que nos levou a desenvolver o “Faz a tua oferta”, em que permitimos que seja o comprador a propor-nos um preço, em vez de sermos nós a defini-lo”, explica Rui Rocha, associate director, Sales & Closing da Hipoges em Portugal. “Já tínhamos testado este mesmo método em Espanha e o resultado não podia ser mais positivo, pelo que decidimos alargá-lo ao mercado português”.

    Para lançar esta campanha, o Grupo disponibilizou mais de 100 imóveis distribuídos por todo o País que podem ser comercializados com base neste método. Entre os activos disponíveis, encontram-se apartamentos, moradias, garagens, lojas, terrenos e edifícios.

    No site da campanha, a Hipoges explica que, se o comprador quiser adquirir um destes imóveis, deve seleccionar um dos activos disponíveis e, através do formulário aí disponibilizado, enviar uma proposta com o preço que quer pagar pelo mesmo. A proposta será depois avaliada pelo departamento competente. Entretanto, o comprador poderá marcar uma visita para ver o imóvel e, se a resposta do grupo for afirmativa, depois terá só de formalizar a proposta com uma oferta final.

    Com este método “inovador”, a Hipoges espera atrair um maior número de interessados e alcançar novas franjas de compradores que, de outra forma, não teriam possibilidade de adquirir estes activos.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Remax Collection comercializa Villa Sol Tejo em Loures

    Este empreendimento, que combina “sofisticação arquitectónica, conforto e uma localização estratégica”, próximo a Lisboa, representa uma oportunidade única de investimento, dado o potencial de crescimento e valorização imobiliária desta zona”, destaca Beatriz Rubio, CEO da Remax Collection

    CONSTRUIR

    O empreendimento Villas Sol Tejo, em Loures, actualmente em construção, encontra-se a ser comercializado pela Remax Collection, a imobiliária direccionada para o segmento de luxo. A sua conclusão está prevista para 2025.

    Este empreendimento, que combina “sofisticação arquitectónica, conforto e uma localização estratégica”, próximo a Lisboa, representa uma oportunidade única de investimento, dado o potencial de crescimento e valorização imobiliária desta zona”, destaca Beatriz Rubio, CEO da Remax Collection.

    O empreendimento Villas Sol Tejo contempla 39 moradias, com tipologia V3, cada uma com uma área privativa de 238 metros quadrados (m2) e composta por três pisos, incluindo uma garagem no piso -1, com a possibilidade de instalação de elevador com ligação ao 1º andar.

    Com uma arquitectura contemporânea e acabamentos de luxo, o layout de cada moradia foi pensado para promover o “conforto e o bem-estar”, com a ligação entre o hall de entrada e a área social, e com acesso directo ao terraço, este desenhado como “uma extensão e espaço de convívio”.

    O primeiro piso é composto por dois quartos e uma suite espaçosa, todos com roupeiros embutidos, garantindo a máxima privacidade e proporcionando uma atmosfera sofisticada e acolhedora. Existe, ainda, a possibilidade de aproveitamento do sótão, com janelas de telhado tipo Velux, para a criação de quartos adicionais.

    Adicionalmente, cada moradia beneficia de uma garagem com capacidade para quatro carros e pré-instalação para carregamento de veículos eléctricos.  Conta, ainda, com uma área adjacente à garagem, que oferece “flexibilidade” para criar ambientes personalizados, como home cinema, lavandaria ou escritório.

    Localizado a menos de 1 km do Parque das Nações, o empreendimento Villas Sol Tejo goza de uma localização privilegiada, com bons acessos e transportes públicos, próxima de serviços, comércio e outras comodidades essenciais, combinando tranquilidade e espaços verdes.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO – GRUPO Prime Yield

    Imobiliário

    Oger prepara-se para novos investimentos

    Fundada há 15 anos, a gestora de investimentos prepara-se para entrar numa nova fase do negócio, passando a actuar também como coinvestidora nas suas áreas estratégicas. Nelson Rêgo assume a direcção da gestão da Oger neste que é um momento crucial para a holding

    CONSTRUIR

    Nelson Rêgo, com um percurso de mais de duas décadas na gestão de empresas com especial foco no setor imobiliário, assume o cargo de CEO da gestora de investimentos Oger, da qual foi também fundador há 15 anos. Regressando às funções executivas, Nelson Rêgo vai liderar activamente o negócio da holding, que se prepara para entrar numa nova fase da sua política de investimento.

    A Oger gere e realiza investimentos nas áreas de desenvolvimento imobiliário, imobiliário de rendimento, proptech e de carteiras de crédito malparado (NPL&REO), preparando-se para diversificar os modelos de investimento com que aborda estes mercados. Focada numa estratégia com perfil de risco dinâmico para maximizar a valorização do capital investido, a Oger pretende agora adoptar estruturas de coinvestimento.

    “A nossa visão é ter um envolvimento muito activo e presente nos investimentos que realizamos e gerimos”, começa por comentar Nelson Rêgo, o CEO & Founder da OGER. “Mantemos esta estratégia, mas queremos diversificar as formas de exposição aos projectos e investimentos e, por isso, além dos investimentos directos que fazemos, estamos muito atentos a oportunidades de investimentos colaborativos. Este é um modelo especialmente interessante para a nossa área de negócio de proptech, mas que acrescenta também muito valor noutras áreas, como é o caso do investimento em desenvolvimento imobiliário”, diz o responsável.

    “Estamos muito empenhados em dinamizar novos investimentos e capitalizar o valor das nossas carteiras de projectos e investimentos já consolidados, e para isso temos que olhar para o futuro e abrir as perspectivas na forma como abordamos os negócios e os parceiros”, comenta Nelson Rêgo.

    Fundada em 2008, a OGER opera há mais de 15 anos no mercado através de aquisições, investimentos imobiliários e soluções de gestão de crédito, com projectos que já se estendem a mercados na Europa, África e América do Sul.

    Actualmente, a holding centra a sua actividade no investimento em quatro áreas centrais. Desde logo, no desenvolvimento imobiliário, para o qual tem uma estratégia de abordagem integral dos projectos, com envolvimento desde a aquisição do terreno à venda do empreendimento. Nesta área evidenciam-se os investimentos em projectos de habitação premium no Algarve e na região da Grande Lisboa.

    No Imobiliário de rendimento, com geração de retorno em imóveis consolidados nos sectores residencial e comercial, adoptando uma estratégia core plus e o conceito chave-na-mão. Destacam-se os investimentos nos projectos Imoslen, marca de build-to-rent para habitação e serviços activa nos concelhos de Oeiras, Lisboa e Porto; e CityOffice, marca de espaços de escritórios com serviços associados, presente em Angola e Moçambique, com expansão marcada para Portugal, Grécia e Espanha.

    Ao nível do segmento NPL&REO, investimento no sector das carteiras de crédito em incumprimento e activos imobiliários colaterizados. Capitalização do know how adquirido através de empresas participadas cuja actuação abrange a totalidade do ciclo de gestão de risco de crédito.

    Outro das áreas de actuação da holding é ao nível do investimento em projecto de I&D para a área imobiliária, de que se destacam o software Mister ou a app iPY, plataformas de aposta na digitalização de processos.

    Nelson Rêgo possui mais de duas décadas de experiência em investimento, desenvolvimento e consultoria imobiliária, integrando ao longo do seu percurso empresas como a ABN Souza, a Krata, Tinsa e a Prime Yield, que criou e liderou durante quase 20 anos. Trabalhou com todos os principais bancos e investidores que operam na Europa, África e América Latina em consultoria imobiliária, avaliação e projecto de desenvolvimento imobiliário. Desde 2010 que colabora com os mais importantes fundos de private equity, tanto para buy side quanto para sell side, em operações de NPL&REO. Possui uma licenciatura em Gestão Imobiliária, bem como diversas outras pós-graduações pela Salford-Manchester, AESE Lisboa, IESE Madrid/Barcelona e Secovi-São Paulo. É Membro do RICS (FRICS) desde 2007.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Anúncios de nova construção a crescer há 3 meses

    De acordo com um estudo hoje divulgado pelo portal Imovirtual os anúncios de imóveis de nova construção aumentaram cerca de 36% nos últimos 3 meses. Em comparação com os imóveis usados, em termos de preço, a nova construção custa, em média, mais 395 000€

    CONSTRUIR

    A análise, focado na nova construção e na evolução da procura e oferta no portal, contempla o número de anúncios de novos imóveis, as regiões mais procuradas, preços, tipologia e outras informações, durante o período de Novembro, Dezembro de 2023 e Janeiro de 2024 e o período homólogo.

    Nos últimos 3 meses, o portal teve em média 12 279 anúncios activos de nova construção por mês, o que representa um crescimento de 36% face ao período homólogo onde estavam activos uma média de 9 015 anúncios por mês. Em relação aos preços da nova construção, estes também aumentaram, à semelhança do que tem vindo a acontecer em todas as categorias de imóveis. No período em análise, comprar uma casa de nova construção custava, em média, 565 000€, uma diferença de 65 000€ face ao período homólogo, no qual o preço médio rondava os 500 000€.

    Contudo, comparativamente com os imóveis usados, durante o mesmo período, verificou-se que estes custavam em média 170 000€, uma diferença de 395 000€ (-232%) em relação aos de nova construção.

    Quando analisada a categoria das casas, verificou-se uma maior oferta de anúncios para apartamentos, no qual representa 94% dos imóveis novos, enquanto as moradias são apenas 6%.

    Relativamente ao preço dos apartamentos de nova construção, aumentou de 485 000€ para 550 000€, o que representa uma subida de 13%. Também no que toca às moradias, os preços da nova construção aumentaram de 950 000€ para 988 500€.

    Lisboa foi a região onde se verificou um maior número de anúncios de imóveis pertencentes à categoria da nova construção com 39% da oferta de todo o país. Seguindo-se, neste top 3, Porto (22%) e Faro (19%). Setúbal e Ilha da Madeira completam o top 5.

    Para Sylvia Bozzo, Marketing Manager do Imovirtual, “em relação à procura, é interessante constatar que, mesmo com mais ofertas em Lisboa do que no Porto, é esta última região que lidera o número de pesquisas para imóveis de nova construção.”

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Pipedrive anuncia a abertura de um novo escritório em Lisboa

    A Pipedrive, a plataforma de CRM que está presente em Portugal desde 2017, anuncia um novo escritório em Lisboa para acolher a sua equipa internacional. Com cerca de 200 colaboradores, o escritório da capital portuguesa é o segundo maior da Pipedrive a nível global

    CONSTRUIR

    A Pipedrive passa a ocupar um novo edifício localizado na Casal Ribeiro 16, perto do Saldanha, em Lisboa. O novo espaço foi projectado para proporcionar um ambiente de trabalho amplo, confortável e moderno, estrategicamente pensado para melhorar os níveis de satisfação e produtividade. O edifício é composto por cinco pisos no total, sendo que quatro serão de uso exclusivo da Pipedrive. Um outro piso inclui áreas comuns a todos os outros trabalhadores do edifício. O escritório tem 1.760 m2, incluindo uma zona de ginásio e balneários, uma cozinha partilhada, postos de café e snacks, zonas pet-friendly, um terraço com um pequeno jardim e um parque para bicicletas. Com uma localização privilegiada em termos de acessos, serviços e transportes públicos, o Saldanha está no coração de Lisboa e é um bairro de referência para o sector empresarial.

    Com cerca de 200 colaboradores, o escritório da capital portuguesa é o segundo maior da Pipedrive a nível global e pretende celebrar a diversidade e a inclusão, dois dos valores mais importantes da empresa. Aproximadamente metade da equipa do novo escritório é composta por mulheres, com mais de 50 nacionalidades a trabalhar em conjunto globalmente.

    “Este ano, a Pipedrive celebra o seu 7.º aniversário em Portugal. Agora, com o nosso segundo maior escritório, a nova e vibrante área de trabalho é a manifestação física de valores como: colaboração, a cultura e a inovação, tanto para a nossa equipa como para os nossos valiosos clientes. O que torna o escritório especial é o facto de ter uma representação de todos os departamentos da empresa. Isto reflecte uma grande oportunidade para os membros da equipa, que podem aprender mutuamente, compreender melhor o negócio e obter informações preciosas sobre todas as funções e departamentos” afirma Zahra Jivá, directora de Estratégia Global de Vendas da Pipedrive.

    O novo escritório em Lisboa é a prova da evolução e investimento da marca em Portugal, o que demonstra a determinação da empresa em atingir os objectivos a que se propõe. Esta mudança foi concebida para melhorar a qualidade de vida de toda a equipa, que inclui profissionais de diferentes áreas, desde a engenharia ao customer service e até ao marketing.

    Com as novas instalações em Lisboa, a Pipedrive está numa posição privilegiada para acolher eventos, cursos ou workshops, proporcionando assim um ambiente de trabalho ainda mais atractivo para o crescimento e captação de talento.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    MVGM lança app para garantir “uma gestão ainda mais eficiente”

    Esta aplicação encontra-se em fase de implementação no Centro Via Rápida, Porto e será pioneiro em Portugal. Implementada com sucesso em Espanha, há pouco mais de um ano, esta plataforma oferece uma “gestão inovadora” de activos imobiliários

    CONSTRUIR

    A MVGM aposta na inovação com o recente lançamento em Portugal da app AXSET. Projectada para oferecer uma experiência diferenciada facilitando a gestão diária dos clientes, inquilinos, lojistas e outros utilizadores.

    Esta aplicação encontra-se em fase de implementação no Centro Via Rápida, Porto e será pioneiro em Portugal. Implementada com sucesso em Espanha, há pouco mais de um ano, esta plataforma oferece uma “gestão inovadora” de activos imobiliários.

    Organizada em três módulos fundamentais: Comunidade/Social, Controlo e Business Intelligence (BI), a plataforma oferece um sistema simples para controlar o acesso e fazer reservas de espaços, bem como para se inscrever em eventos realizados no próprio ativo. Para além disso, inclui um Gateway de pagamento que permite a comercialização de serviços através da integração com Paypal ou Stripe.

    Ana Santos, directora de Operações da MVGM em Portugal, enfatiza o compromisso da empresa com a inovação, afirmando que a empresa está dedicada a “impulsionar a inovação na gestão de activos” e, nesse sentido, desenvolveu esta ferramenta que permite aos proprietários tomar “decisões informadas baseadas em dados reais, facilita os inquilinos no reporte de incidências e permite aos Property Managers e fornecedores saber em tempo real a existência  das mesmas possibilitando uma célere gestão/resolução”.

    O desenvolvimento da app, foi liderado por uma equipa multidisciplinar composta por profissionais experientes de diversos departamentos, incluindo Inovação e Análise de Dados, Marketing e Experiência do Utilizador, bem como gestores de activos. Esta colaboração transversal garantiu a funcionalidade da aplicação, validando processos quer para os gestores, quer utilizadores finais.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.