Pavilhão de Portugal acolhe “maior exposição efémera de cortiça”

Por a 19 de Junho de 2017
archi
O Pavilhão de Portugal vai ser o palco da “maior exposição efémera de cortiça alguma vez feita no mundo”, um projecto que irá envolver cerca de 5 mil blocos de aglomerado negro de cortiça 100% natural, assumindo “uma clara manifestação pela preservação do meio ambiente e do próprio sobreiro, a Árvore Nacional de Portugal”. A instalação acontece no âmbito do Archi Summit 2017.

 Os autores desta mega estrutura são o gabinete de Manuel Aires Mateus e o colectivo SAMI, que traçaram um objectivo ambicioso: cobrir 2 mil metros quadrados, precisamente a totalidade da área exterior do Pavilhão de Portugal, com cortiça – esta área corresponde à conhecida “pala” do Pavilhão de Portugal, uma obra projectada pelo galardoado Álvaro Siza Vieira para a Expo 98.
No total, explica a organização do Archi Summit, a intervenção ultrapassa os 760 metros cúbicos de cortiça, o que a torna a maior de sempre feita à escala mundial. O material seleccionado para este projeto de grande escala – a cortiça – “deveu-se à portugalidade do mesmo, enquadrando-se no evento na perfeição, já que a sua organização é 100% portuguesa (embora acolha visitantes de várias nacionalidades) e decorre num edifício projectado por um dos maiores arquitectos portugueses”, refere a mesma fonte.
Para além da cortiça, outros materiais foram utilizados para representar a história e a cultura portuguesa como, por exemplo, as cerâmicas da Margres (o main sponsor do evento) e da Love Tiles, ambas marcas líderes no fabrico de grés porcelânico em Portugal. Esta exposição encontra-se “no coração” da instalação de cortiça, o que, segundo Bruno Moreira, responsável pela organização do Archi Summit, “a torna ainda mais interessante, multifacetada e apelativa”.
Para o fornecimento da matéria-prima nada melhor do que a portuguesa Corticeira Amorim, líder mundial no setor da cortiça. A empresa – que também patrocina o evento – prepara já uma mega operação logística para viabilizar a entrega do material, o que implica a mobilização de infra estruturas, contingente humano e dezenas de camiões durante vários dias para o efeito.
Toda esta dinâmica partiu da organização do Archi Summit 2017 – o único summit de arquitetura em Portugal – e é processada sob a sua alçada. O evento vai já na 3.ª edição e decorre no Pavilhão de Portugal a 6 e 7 de julho, marcando o regresso de Álvaro Siza Vieira às conferências, bem como a visita de grandes nomes da arquitetura mundial como, por exemplo, Valério Olgiati.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *