Marvão investe 1M€ na requalificação de bairro fronteiriço

Por a 7 de Março de 2018

A Câmara de Marvão vai investir perto de um milhão de euros nos trabalhos de requalificação e adaptação da antiga Estação Transfronteiriça de Porto Roque – Galegos para instalação do Centro de Inovação Turística do Tejo Internacional, uma intervenção para transformar aquela área na “porta de entrada” na região do Tejo Internacional, e potenciar estratégicas turísticas diferenciadoras e produtos turísticos inovadores.

Ao CONSTRUIR, fonte da autarquia adianta que a ideia é aliar a recuperação do património construído, à divulgação do património gastronómico da raia, através de um modelo de gestão sustentável, que reforce a coesão territorial e aumente os fluxos turísticos com origem na Extremadura Espanhola. Estas duas intervenções, juntamente com a requalificação das infra-estruturas de apoio às habitações do bairro residencial de Porto Roque, implicam um investimento de cerca de um milhão de euros, prevendo-se que, no Verão de 2019, as obras estejam totalmente concluídas. Inaugurado em 1972, o Bairro da Fronteira de Galegos era constituído por 20 fogos e 16 edifícios com uma área coberta de 3450m2, em 20 hectares de terreno. O edifício do antigo posto da Guarda-fiscal ainda foi transformado em Posto de Turismo em 1997, mas 10 anos depois deixou de funcionar por falta de condições.
Apesar de ser a porta de entrada em Portugal, para quem vem de Espanha, desde a abolição das fronteiras (1 de Janeiro de 1993), data em que foram desactivados os serviços que funcionavam na fronteira de Galegos, todo o património ficou praticamente ao abandono, com poucas casas ocupadas e edifícios em avançado estado de degradação.
Em 2015, o Município chegou a acordo com a Direcção Geral do Tesouro e Finanças para a aquisição dos imóveis da antiga estação fronteiriça e bairro residencial na fronteira de Galegos. Os imóveis, propriedade do Ministério das Finanças, foram adquiridos por cerca de 700 mil euros.

Restaurante concessionado a privados
Posteriormente, o Município de Marvão vai também requalificar e concessionar a privados o restaurante desactivado, que se encontra na ala noroeste do Edifício Central da Fronteira. Esta intervenção faz parte de um plano estruturado que vai permitir a revitalização e dinamização de todo o conjunto histórico-arquitectónico.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *