Ferrovia: Espanhóis da COMSA lideram consórcio para troço da ligação Évora Norte / Elvas

Por a 11 de Fevereiro de 2019


A Infraestruturas de Portugal adjudicou esta segunda-feira a empreitada para a construção do novo troço Évora Norte / Freixo, o primeiro de três da ligação Évora Norte / Elvas, no Corredor Internacional Sul, ao Consórcio liderado pela COMSA, de que fazem igualmente parte a Fergrupo e a Constructora San Jose, pelo valor de 46,6 milhões de euros e um prazo de execução de 540 dias. Esta acção integra a Ligação Sines-Elvas: Troço Évora-Caia e está inscrita no Programa Ferrovia 2020.
A obra, objecto do contrato agora adjudicado, caracteriza-se pela construção da plataforma de via-férrea, e respectivos caminhos paralelos de acesso e emergência, numa extensão total de 20,5 quilómetros, incluindo terraplenagem, drenagem longitudinal e transversal, bem como a construção de 13 obras de arte correntes e 6 obras de arte especiais e de uma estação técnica.
O contrato agora assinado consubstancia-se na primeira empreitada que assinalará o início dos trabalhos de construção da nova ligação ferroviária entre Évora Norte e Elvas, com uma extensão aproximada de 80 km que se divide em três troços Évora Norte/Freixo, Freixo/Alandroal e Alandroal/ Linha do Leste.
Este contrato será objecto de apoio da União Europeia através do programa Connecting Europe Facility (CEF), prevendo-se uma comparticipação financeira de 40%.
A 5 de Março de 2018, o primeiro-ministro António Costa e o então presidente do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, assinalavam, em Elvas, o início das obras do Corredor Ferroviário Internacional Sul, com o lançamento do concurso para o troço Évora-Elvas e o começo dos trabalhos no troço Elvas-Caia, na estação ferroviária de Elvas.
“É a maior obra de linha ferroviária nova dos últimos 100 anos”, dizia António Costa, sobre uma obra que integra o corredor ferroviário que tem como inicio Lisboa, Setúbal e Sines e como destino Badajoz, em Espanha, o que implica a construção de 105 quilómetros de via férrea entre Évora e a fronteira. A ligação, segundo o primeiro-ministro, vai “reduzir em 30% os custos” de quem recebe mercadorias, “reduzindo em 3h30 o transporte e vai encurtar a distancia em 140 quilómetros.”
O projecto insere-se no Plano Ferrovia 2020, que prevê, na globalidade, obras em 1200 quilómetros de via e um investimento superior a dois mil milhões de euros. Os investimentos principais estão a ser realizados nos corredores internacionais (Linha do Minho, da Beira Alta, da Beira Baixa, do Sul e do Leste) e incluem também a modernização e/ou electrificação nas linhas do Douro, Oeste, Algarve e Cascais.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *