FAUL debate qualidade da habitação nas margens urbanas de Luanda e Maputo

Por a 3 de Maio de 2019


As margens urbanas de Luanda e Maputo serão o principal tema em debate do seminário que juntará a Faculdade de Arquitectura de Lisboa, a Faculdade de Engenharia, da Universidade Agostinho Neto, de Angola, e a Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico, da Universidade Eduardo Mondlane FAPF-UEM, de Moçambique. O seminário “Africa Habitat: da sustentabilidade do habitat à qualidade do habitar nas margens urbanas de Luanda e Maputo” acontecerá nos dias 7 e 8 de Maio, na Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa.

Depois das catástrofes climáticas causadas pelos ciclones Idai e Kenneth, em Moçambique, o Grupo de Estudos Sócio-Territoriais, Urbanos e de Acção Local (Gestual), do Centro de Investigação em Arquitectura, Urbanismo e Design (CIAUD) quer discutir como melhorar a qualidade de habitar nos bairros suburbanos de Luanda e Maputo. Segundo a organização, é urgente combater a pobreza urbana e as alterações climáticas e alterar as políticas urbanas e habitacionais. 

O arquitecto Allan Cain, há 40 anos anos a trabalhar em Angola e director da Development Workshop Angola (DW), falará sobre a experiência no combate à pobreza urbana em Luanda. Quatro professores da FAPF-UEM (Carlos Serra, Domingos Macucule, João Tique e Luís Lage) falarão sobre o modo como as alterações climáticas e os desastres naturais – como os recentes ciclones – afectam as medidas de prevenção do ponto de vista jurídico e urbanístico e a resiliência das construções em zonas de risco.

O balanço do seminário será feito pelo brasileiro Humberto Kzure-Cerquera, professor na UFRRJ, que contribuirá com a sua larga experiência sobre o combate à precariedade urbana e habitacional nos subúrbios brasileiros.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *