Câmara e Dolce Vita lançam metro de superfície que ligará o shopping ao metropolitano de Lisboa

Por a 20 de Setembro de 2010

O MetroBus, um metro rodoviário de superfície que ligará o centro comercial Dolce Vita e o metropolitano de Lisboa, deve entrar em funcionamento dentro de um ano, anunciou a Câmara da Amadora.

A primeira fase do MetroBus, um metro de superfície que em vez de circular sobre carris tem pneus, fará a ligação entre o futuro interface da CP/Metropolitano da Reboleira e o Dolce Vita Tejo, sendo que o seu traçado atravessará as freguesias da Venda Nova, Falagueira (estação de metro Amadora-Este), Mina, São Brás e Brandoa, numa extensão de cerca de sete quilómetros.

O vereador dos transportes da Câmara da Amadora, Gabriel Oliveira, avançou que são esperadas entre 5 000 a 10 000 pessoas diariamente no transporte.


“O objectivo é que o MetroBus funcione como um transporte normal, não que encha o Dolce Vita, já que não é uma linha para o Centro Comercial. É para toda a gente, que o possa a vir usar para o trabalho, para a escola e até para chegar a Lisboa”, disse Gabriel Oliveira.

O vereador disse ainda que o “Dolce Vita pode ser transformado num interface de transportes, já que, com os 9 000 lugares de estacionamento gratuitos, as pessoas vão poder deixar os seus carros no shopping e usar o transporte público até Lisboa”

A solução nasce de um protocolo da Câmara da Amadora com a CP, o Metropolitano de Lisboa, da Autoridade Metropolitana de Transportes e do Dolce Vita Tejo.

Nesta primeira fase, a infra-estrutura viária foi elaborada pela Câmara da Amadora e o investimento, de cerca de cinco milhões de euros, ficará praticamente ao cargo da Chamartín, já que a empresa que detém o shopping vai financiar 4,45 milhões de euros da obra.

Gabriel Oliveira negou que a participação da empresa estivesse relacionada com contrapartidas pela construção do shopping, justificando a parceria apenas com a “necessidade de fazer chegar mais pessoas ao Dolce Vita”.

Já a aquisição do material circundante será decidida através de concurso público, já que “a autarquia não quer explorar a circulação”, disse o vereador.

O financiamento ficará a cargo da Câmara e de fundos comunitários.

Gabriel Oliveira afirmou que em “sete, oito meses” as obras avançam e que no início de 2013 o MetroBus iniciará a circulação.

Numa segunda fase do MetroBus, está prevista um segundo troço fazendo a ligação entre o Dolce Vita Tejo e Odivelas, num investimento estimado de cerca de 12 milhões de euros, que, segundo o vereador da Amadora, “necessitará do apoio do Governo”.

O projecto é apresentado publicamente na terça feira, pelas 11:00, no Dolce Vita Tejo.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *