Edição digital
Assine já

Farto do barulho dos seus vizinhos?

Com a vida das pessoas centrada nas cidades é inevitável que os ruídos sejam uma constante na rotina do dia-a-dia. Há tantas fontes de ruído que o silêncio é hoje visto quase como um luxo. Mas não tem que ser assim, aliás não deve ser assim. O direito ao conforto é um direito constitucional descrito… Continue reading Farto do barulho dos seus vizinhos?

CONSTRUIR

Farto do barulho dos seus vizinhos?

Com a vida das pessoas centrada nas cidades é inevitável que os ruídos sejam uma constante na rotina do dia-a-dia. Há tantas fontes de ruído que o silêncio é hoje visto quase como um luxo. Mas não tem que ser assim, aliás não deve ser assim. O direito ao conforto é um direito constitucional descrito… Continue reading Farto do barulho dos seus vizinhos?

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Grupo Preceram

Grupo Preceram

Veja mais
Artigos relacionados
Carmo Wood reforça aposta no mercado espanhol
Empresas
Efacec finaliza novos projectos de mobilidade na Noruega e Espanha
Empresas
Estudo anual sobre Ética e Trabalho Híbrido em Portugal em discussão na Católica Porto Business School
Empresas
Prime Yield inaugura novo escritório em Lisboa
Empresas
Porto, Gaia, Matosinhos e Maia debatem habitação no arranque da X Semana da Reabilitação Urbana
Imobiliário
Prémios CONSTRUIR 2022 vão ser entregues esta segunda-feira
Construção
A lista de nomeados dos Prémios CONSTRUIR 2022 em destaque na edição 470
Edição Digital
Cleanwatts lança academia de investigação
Empresas
Lagos vai ter dois novos hotéis Hilton
Construção
STET representa a Pronar em Portugal
Empresas

Com a vida das pessoas centrada nas cidades é inevitável que os ruídos sejam uma constante na rotina do dia-a-dia. Há tantas fontes de ruído que o silêncio é hoje visto quase como um luxo. Mas não tem que ser assim, aliás não deve ser assim.

O direito ao conforto é um direito constitucional descrito na Constituição Portuguesa.

“Todos têm direito, para si e para a sua família, a uma habitação de dimensão adequada, em condições de higiene e conforto e que preserve a intimidade pessoal e a privacidade familiar.” (Artigo 65º da Constituição Portuguesa)

E o barulho NÃO traz conforto.

Mas afinal o que é o ruído? É um som sem interesse ou desagradável para quem ouve, que pode ser mais ou menos intenso e a sua propagação varia consoante o meio. Os sons são variações de pressão que podem ser detetadas pelo ouvido humano. O número de variações da pressão por segundo traduz a frequência do som e é expressa em Hertz (Hz). A gama audível pelos humanos é entre os 20Hz e 20000Hz.

Há muitos tipos de ruído, ruido ambiental (tráfego rodoviário, ferroviário, aéreo), ruídos associado a lazer (festivais musicais, fogo de artifício, etc.), ruídos associados a obras, ruídos de ocupação (cuja fonte é no interior das habitações), ruídos associados a situações profissionais e muitos outros… Mas todos causam incómodo.

Aliás, os impactos de alguns ruídos na saúde das pessoas, nomeadamente ao nível de distúrbios do sono, efeitos cardiovasculares nocivos, problemas ao nível da saúde mental, irritabilidade, dificuldades de compreensão e até aprendizagem são conhecidos e preocupantes. Em Portugal não se tem dado muita atenção a esta problemática ao contrário de outras, como a eficiência energética, que sido muito discutida e legislada. A dúvida coloca-se:

Será a energia mais importante que a saúde?

O impacto do ruído é grande na vida, conforto e saúde das pessoas.

Agora que já foi descrito o que é o som e o ruído, e quais alguns dos seus impactos é importante perceber como o som se propaga. Ou seja, as várias formas que o barulho tem para chegar até nós…

Afinal o que realmente podemos fazer para não ouvir mais os barulhentos vizinhos do andar de cima?

E… Não! Bater à porta do vizinho pela 10ª vez na mesma semana não é solução.

Só percebendo como se propaga o som, podemos evitar que este chegue até nós e nos incomode.

O som pode propagar-se de forma livre (sem obstáculos), e com a distância vai perdendo intensidade, ou propagar-se na presença de obstáculos. Quando existem obstáculos, como nas nossas habitações, o som divide-se em várias partes: uma parte é refletida, outra é absorvida e a outra atravessa a superfície e é transmitida.

 A reflexão numa superfície é diretamente proporcional à dureza do material dessa superfície.

Por exemplo em paredes de cimento, mármore, azulejos ou vidro o som refletido é quase 100% do som que incide na superfície. Assim, em locais com muita reflexão sonora é difícil entender as palavras que são pronunciadas, o que acontece por vezes em grandes igrejas ou salões.

 A absorção é a propriedade de alguns materiais em não permitir que o som seja refletido por uma superfície.

O som absorvido por uma superfície é a quantidade de som dissipado (transformado em calor). A dissipação da energia sonora por materiais absorventes depende fundamentalmente da frequência do som: normalmente, é grande para altas frequências, e pequeno no caso de baixas frequências.

Transmissão é a propriedade sonora que permite que o som passe de um lado para o outro de uma superfície continuando a propagar-se.

Fisicamente, o som ao atingir uma superfície faz com que ela vibre, transformando-a numa fonte sonora; assim, a superfície vibrante passa a gerar som na sua outra face e, portanto, quanto mais rígida e densa (pesada) for a superfície menor será a energia transmitida.

Este tipo de transmissão designa-se por transmissão por percussão (envolve elementos sólidos que permitem a transmissão). No entanto, também existe a transmissão de sons aéreos, nesse caso o som propaga-se pelo ar. A forma como isolamos acusticamente um edifício a estes dois tipos de transmissão é diferente.

Quando o som chega a nossa casa devemos preocupar-nos com a transmissão e absorção. Neste caso o objetivo é diminuir a componente transmitida e aumentar a parte do som absorvida.

É aqui que entram os materiais com propriedades acústicas. Estes materiais de elevado desempenho, se aplicados nos locais corretos, permitem reduzir significativamente os ruídos que chegam por transmissão (área e precursão).

A esta altura deverá estar a pensar, pois, pois…

Mas como é que eu resolvo a questão do barulho do vizinho do andar de cima?

Compreendendo o fenómeno de propagação é fácil perceber que o som passa pelos elementos estruturais e outros (como condutas, portas, etc.) e pelo ar.

Este é um caso difícil de resolver, pois os elementos de propagação não existem só no teto ou na parede…eles rodeiam a sua habitação.

Utilizar uma lã mineral (material absorvente) revestida com uma placa de gesso é provavelmente a melhor solução, já que permite a combinação dos dois produtos com desempenhos acústicos e a placa de gesso ainda permite fazer o acabamento final de forma simples.

A lã mineral é um dos isolamentos acústicos mais eficiente, pois tem um ótimo coeficiente de absorção sonora para frequências entre os 100Hz e 5000Hz que cobrem grande parte do som audível. Por outro lado, a estrutura e características, da placa de gesso permitem isolar os sons aéreos, refletindo-os.

Se precisar de ajuda contacte-nos. Podemos ajudar a identificar a fonte de ruído e apresentar uma solução de intervenção.

Não precisa de mudar de casa…

Artigos relacionados
Carmo Wood reforça aposta no mercado espanhol
Empresas
Efacec finaliza novos projectos de mobilidade na Noruega e Espanha
Empresas
Estudo anual sobre Ética e Trabalho Híbrido em Portugal em discussão na Católica Porto Business School
Empresas
Prime Yield inaugura novo escritório em Lisboa
Empresas
Porto, Gaia, Matosinhos e Maia debatem habitação no arranque da X Semana da Reabilitação Urbana
Imobiliário
Prémios CONSTRUIR 2022 vão ser entregues esta segunda-feira
Construção
A lista de nomeados dos Prémios CONSTRUIR 2022 em destaque na edição 470
Edição Digital
Cleanwatts lança academia de investigação
Empresas
Lagos vai ter dois novos hotéis Hilton
Construção
STET representa a Pronar em Portugal
Empresas

(na imagem:Jorge Milne e Carmo, Presidente Carmo Wood)
“O mercado espanhol é um mercado muito interessante para a Carmo Wood, particularmente no que respeita ao sector da Construção que continua a crescer exponencialmente, com uma aposta clara na madeira como material privilegiado tanto para estruturas como para revestimentos”, refere Jorge Milne e Carmo, Presidente Carmo Wood. “A presença na Construtec é uma oportunidade fantástica para dar a conhecer a capacidade das nossas equipas para a edificação de grandes obras em madeira”, acrescenta.

Recorde-se que a Carmo Wood, através da Carmo Estruturas em Madeira, detém já uma obra emblemática em território espanhol, o Centro de Acolhimento a Visitantes do Caminito del Rey, a famosa passagem de 3km nas paredes dos desfiladeiros de Chorro e Gaitanejo, a norte de Málaga, que todos os anos é visitada por milhares de turistas de todo o mundo. O edifício, totalmente realizado em madeira de lamelado colado em pinho Douglas, sem borne, tem um total de 550m2 e é composto por 70m3 de madeira Carmo Wood.

Ao longo de todo o ano de 2022, a Carmo Wood apostou fortemente na presença em feiras internacionais, em diferentes mercados e geografias, com vista a dar a conhecer ao mundo a qualidade e diversidades dos seus produtos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Efacec finaliza novos projectos de mobilidade na Noruega e Espanha

Após a conclusão do metro de Odense, na Dinamarca, foi inaugurado em final de Outubro o Metro Ligeiro de Cádiz, em Espanha, e em 18 de Novembro a Linha 2 do Metro Ligeiro de Bergen, na Noruega

A Efacec finalizou nas últimas semanas dois novos projectos internacionais de metros ligeiros na Noruega e em Espanha. Após a conclusão do metro de Odense, na Dinamarca, aberto ao público em Maio deste ano, foi inaugurado em final de Outubro o Metro Ligeiro de Cádiz (Espanha) e em 18 de Novembro a Linha 2 do Metro Ligeiro de Bergen (Noruega).

Iniciada em 2017, a participação da Efacec na construção da nova extensão do sistema do Metro Ligeiro de Bergen surgiu na sequência dos trabalhos desenvolvidos pela empresa nas Fases 2 e 3 deste mesmo projecto, iniciado em 2011. O desenvolvimento desta rede de metro tem permitido reduzir o congestionamento rodoviário e aumentar a eficiência do sistema de transporte alternativo às viagens de automóvel na segunda maior cidade da Noruega, com uma população de cerca de 260 mil pessoas.

Mais a Sul, o projecto de Cádiz “é outro exemplo da capacidade da Efacec de realizar projectos complexos no âmbito do transporte urbano ferroviário”. Nesta cidade da Andaluzia, a Efacec finalizou o projecto do novo metro, com uma extensão total de 14 km, que permite a ligação das cidades de Cádiz, São Fernando e Chiclana de la Frontera, num percurso urbano e suburbano, que integra 17 estações de superfície, quatro subestações de tracção e um centro de comando.

“São projectos estruturantes e mobilizadores que tiveram na base a experiência da Efacec de mais de 25 anos no fornecimento de sistemas electromecânicos para metros e metros ligeiros e que elevam a engenharia e a tecnologia da empresa ao nível do que de melhor é feito mundialmente. Ao longo de mais de duas décadas temos desenvolvido vários projectos nesta área, demonstrando a mais-valia das nossas soluções técnicas nas áreas da sinalização, telecomunicações e energia”, afirma Pedro Pinto, director da Unidade de Transportes da Efacec.

Em 1997, a Efacec teve uma participação muito significativa na construção da rede do Metro do Porto, que este ano celebra 20 anos de início de operação, projecto ao qual se seguiram múltiplos outros semelhantes em diversas geografias: Messina (Itália), Tenerife e Cádiz (Espanha), Argel, Oran e Constantine (Argélia), Nottingham (Reino Unido), Rio de Janeiro (Brasil), Bergen (Noruega) e Dublin (Irlanda).

Adicionalmente à conclusão destes projectos, a Efacec está a participar, actualmente, na construção da Linha Sydavnen do Metro de Copenhaga (Dinamarca) e da extensão da Linha Amarela e nova Linha Circular do Metro do Porto (Portugal).

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Estudo anual sobre Ética e Trabalho Híbrido em Portugal em discussão na Católica Porto Business School

Até 2030 metade das pessoas passarão a trabalhar a partir de casa, alterando as interacções dos trabalhadores nas empresas. Isto é o que revela o estudo anual do Fórum de Ética da Católica Porto Business School sobre “Ética e Trabalho Híbrido” que será apresentado amanhã, 22 de Novembro

As interacções entre os membros das empresas irão sofrer alterações nos próximos anos. A verdade é que já temos vindo a assistir a algumas dessas alterações desde o início da pandemia, no entanto, segundo este estudo anual, sob o mote “Ética e Trabalho Híbrido” “pensa-se que, até 2030, metade das pessoas trabalharão a partir de casa e, por isso, as interacções entre os membros da organização mudarão em frequência, tempo e método, o que terá implicações profundas na gestão da ética e da compliance”, como refere Helena Gonçalves, coordenadora do Fórum de Ética da Católica Porto Business School.

A especialista salienta ainda que “embora sendo um estudo exploratório, há algumas certezas: 4 em cada 5 pessoas trabalharão a partir de casa numa parte de semana; a autenticidade nas relações laborais estimulará a produtividade e o bem-estar, mas com impacto desigual na prosperidade ou sobrevivência das pessoas, dependendo do tipo de trabalho, idade ou situação familiar; um dos mais fortes preditores comprovados da eficácia das equipas, a segurança psicológica, terá de ser repensado”.

Após análise dos mais de 1200 inquéritos respondidos, anonimamente, serão apresentados na conferência no próximo dia 22 de Novembro, na Católica porto Business School, os principais resultados deste estudo, que ficam registado num livro colectivo e num inquérito, complementados também com reflexões e testemunhos académicas e empresariais. “A realização do inquérito, “Ética e Trabalho Híbrido: no Rescaldo da Pandemia”, permitiu obter dados importantes e interessantes sobre o nível satisfação com o modelo de trabalho híbrido, sobre as principais motivações, dificuldades e oportunidades subjacentes à adopção deste modelo. Quando confrontados com a questão sobre o impacto do modelo de trabalho nas dimensões da saúde e bem-estar, verifica-se que, num universo de 1226 respondentes, há uma percepção de melhoria muito mais significativa nos que estão a trabalhar em modo híbrido. De facto, cerca de 70% dos que estão em trabalho híbrido percepcionaram melhorias a nível financeiro, mental e físico em comparação com apenas cerca de 20% dos que estão em modo presencial. Na dimensão social as diferenças não são tão significativas (54% vs 38%)” sublinha Helena Gonçalves.

A conferência contará com a presença de Rui Sousa, Dean da Católica Porto Business School; Helena Gonçalves, Helena Gil da Costa, Henrique Manuel Pereira e Susana Magalhães, coordenadores do Estudo e Inquérito Ético e Trabalho Híbrido: no Rescaldo da Pandemia”.

Haverá ainda espaço para uma mesa-redonda sobre “Ética e Trabalho Híbrido: Perspectivas em Diálogo com moderação de Sofia Salgado Pinto, docente da CPBS e Administradora Independente em empresas cotadas que contará com as presenças de Gonçalo Quadros, Fundador e Chairman da Critical Software; José Teixeira, Presidente do Conselho de Administração do dstgroup; Maria Manuel Araújo Jorge, Investigadora no Instituto de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto e Sofia Reis Jorge, Administradora da ALTRI.

O Fórum de Ética tem como principais objectivos desenvolver e apoiar a reflexão sobre ética empresarial; promover a troca de experiências entre organizações; criar conhecimento no domínio da ética no contexto português e apoiar a gestão do desempenho ético por parte das empresas
A conferência decorre a 22 de Novembro.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO – GRUPO Prime Yield

Empresas

Prime Yield inaugura novo escritório em Lisboa

A empresa transferiu-se para um novo piso do edifício Pórtico, na zona da Praça da Espanha, com vista a adaptar as suas instalações à realidade das novas formas de trabalho híbrido

Com o objectivo de melhorar a experiência dos seus colaboradores, a Prime Yield mudou de instalações em Lisboa, investindo num novo espaço de escritórios adaptado de raiz à realidade das novas formas de trabalho híbrido. A empresa especialista em avaliações e consultadoria imobiliária continua a ter morada no edifício Pórtico, no nº75 da Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, onde passa agora a ocupar o 9º piso.

Com uma equipa fixa de 30 profissionais alocados à sua sede em Lisboa, no início de 2022 a Prime Yield ofereceu aos seus colaboradores a opção de adoptar um regime de trabalho híbrido, com a possibilidade de trabalhar dois dias da semana remotamente e os restantes três a partir do escritório da empresa. Consciente da importância do escritório como espaço de produtividade para o trabalho colaborativo e de ponto de encontro e partilha entre as equipas, este investimento surge no seguimento desta estratégia, materializando a aposta da consultora na melhoria do bem-estar e satisfação da sua equipa.

Tratando-se de uma zona bastante central da cidade, bem servida ao nível de comércio e serviços e de fácil acesso quer por transportes públicos quer por automóvel, a opção da empresa recaiu por manter a morada, mudando apenas de piso.

“A pandemia veio acelerar uma enorme mudança no mundo corporativo, comprovando que o regime de trabalho híbrido é um modelo que funciona, com claras vantagens do ponto de vista da satisfação dos colaboradores sem perda de produtividade. Após termos adoptado este regime em definitivo nos nossos escritórios em Lisboa, ficou evidente a necessidade de os adaptarmos a esta nova realidade o que, no nosso caso, implicou uma mudança de pisos para podermos fazer uma total reformulação da forma como ocupávamos o espaço. Adoptámos um layout totalmente diferente, com espaços distintos vocacionados para trabalho colaborativo e trabalho imersivo, ao mesmo tempo que proporciona à nossa equipa uma experiência com valor-acrescentado e totalmente diferenciada daquela que têm ao trabalhar remotamente”, justifica Nelson Rêgo, CEO da Prime Yield.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Porto, Gaia, Matosinhos e Maia debatem habitação no arranque da X Semana da Reabilitação Urbana

A X Semana da Reabilitação Urbana do Porto arranca amanhã, 22 de novembro, e decorre até dia 24

A X Semana da Reabilitação Urbana do Porto realiza-se de 22 a 24 de Novembro no Palácio da Bolsa e apresenta uma ampla programação que integra conferências, workshops e seminários. Ao todo são 12 sessões plenárias, a decorrer no Pátio da Nações, no Palácio da Bolsa, a que acrescem três seminários jurídicos e outras sessões paralelas, envolvendo mais de 100 oradores ao longo de três dias.

Entre os temas centrais da edição deste ano da Semana da Reabilitação Urbana do Porto destacam-se o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), o acesso à habitação, a habitação multifamiliar para arrendamento ou built to rent, mas também dinâmicas de mercado tão importantes para a cidade, e para o país, como são o turismo e o investimento imobiliário.
No palco da Semana da Reabilitação Urbana do Porto estará também de forma transversal o tema da sustentabilidade e da energia com foco, nomeadamente, no desafio que representam os edifícios NZEB e no potencial da estratégia do Porto “Pacto do Porto para o Clima”. Incluem-se também vários temas da tecnologia, desde logo o potencial do BIM (Building Information Modeling), da construção modular e dos novos materiais.

A realidade e futuro da região do Grande Porto marcam igualmente a agenda do evento, que integra um debate sobre a Estratégia de Desenvolvimento Económico do Porto – Pulsar, reunindo Municípios, promotores, investidores numa reflexão ampla e aberto à cidade. Outro destaque na programação será a apresentação da intervenção de reabilitação e modernização do Mercado do Bolhão.

A actual edição marca o 10º aniversário da Semana da Reabilitação Urbana. Os eventos da Semana da Reabilitação Urbana mantêm a sua filosofia de acesso livre e gratuito (sujeito a registo), dirigindo-se a todos os stakeholders da cidade e da indústria do imobiliário.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Prémios CONSTRUIR 2022 vão ser entregues esta segunda-feira

A lista de nomeados reflecte a transversalidade dos prémios, e distingue igualmente promotores e profissionais que, pela sua actividade, pelo seu trabalho, pelo resultado da obra, se destacam de forma significativa dentro da sua área. Os galardões serão entregues esta segunda-feira, no Capitólio, em Lisboa

Terminada a votação e apurados os resultados, chegou a hora de revelar quem são os melhores do ano. A partir das 21h, no emblemático e renovado Cine Teatro Capitólio, no Parque Mayer, em Lisboa, vão passar pelo palco os vencedores de cada uma das 18 categorias que estiveram a votação, repartidas pelas áreas de Arquitectura, Engenharia, Construção e Imobiliário.

Estas quatro áreas têm nomeadas obras e empresas que se destacaram pelo trabalho desenvolvido ao longo do período em apreciação; capacidade de inovação, visibilidade mediática, distinções nacionais e/ou internacionais, dados estatísticos oficiais, entre outros; Obra pública, obra privada, Internacionalização, Reabilitação, Sustentabilidade são apenas algumas das áreas que os leitores do jornal CONTRUIR puderam reconhecer.

Recorde-se que os vencedores resultam de uma média ponderada entre os votos dos assinantes da newsletter do CONSTRUIR (40%) e dos votos dos assinantes do CONSTRUIR na versão impressa (60%). A lista de nomeados reflecte a transversalidade dos prémios, e distingue igualmente promotores e profissionais que, pela sua actividade, pelo seu trabalho, pelo resultado da obra, se destacam de forma significativa dentro da sua área. São nomeadas empresas, ou obras, que representam algo de diferenciador para as envolventes, que reflictam uma lógica de trabalho própria, o respeito pela reabilitação e pelo existente, a importância para a zona, a sustentabilidade e eficiência energética ou o rasgo com o existente, e naturalmente o mediatismo, próprio de quem tem de fazer do acompanhamento do sector uma ferramenta de trabalho.

Os Prémios CONSTRUIR 2022 contam com a Ledvance como mainsponsor. Bosch, Cimpor, Efaflu, Jung, KNX, OLI, Otis, Recer, Saint-Gobain, Umbelino Monteiro e Victoria Seguros são os patrocinadores da edição deste ano dos prémios que distinguem os melhores de 2022 naquela que é a única iniciativa a reconhecer as principais áreas da Fileira da Construção.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Edição Digital

A lista de nomeados dos Prémios CONSTRUIR 2022 em destaque na edição 470

A lista completa dos candidatos a melhor do ano na gala de Prémios CONSTRUIR 2022 numa edição que conta com suplemento dedicado à reabilitação. Mas há muito mais para ler nesta edição

CONSTRUIR

Crescimento na Construção abranda
em 2023, segundo consultora

Crescimento global do sector deverá desacelerar de 6,1%, em 2021, para 3,6% em 2022 e
2023 devido aos efeitos da pandemia da COVID-19. Segundo um estudo da Deloitte, as maiores
empresas de construção do Mundo geraram receitas superiores a 1,819 biliões de dólares em 2021,
representando um aumento de 14,1%

A modularidade ou a inversão do processo
criativo da arquitectura

A construção modular ganha protagonismo no trabalho desenvolvido pelo
gabinete de arquitectura Summary, onde a forma e a função são não o fim, mas o princípio
de tudo. Paradinha, Creches de Lisboa ou o Centro Desportivo de Aveiro são três exemplos da
arquitectura despojada e pragmática deste atelier que ousou romper com o tradicional processo
criativo do arquitecto

Palbit está a desenvolver
ferramentas mais sustentáveis

Em conjunto com a universidade de Aveiro, a metalúrgica está a desenvolver um projecto tecnológico de I&D
que permite reduzir o impacto ambiental nos processos de maquinação, através do desenvolvimento
de ferramentas de metal duro com revestimento de diamante

A versão completa desta edição é exclusiva para subscritores do CONSTRUIR. Pode comprar apenas esta edição ou efectuar uma assinatura do CONSTRUIR aqui obtendo o acesso imediato.

Para mais informações contacte: Graça Dias | [email protected] | 215 825 436

Nota: Se já é subscritor do CONSTRUIR entre no site com o seu Login de assinante, dirija-se à secção PLUS – Edição Digital e escolha a edição que deseja ler

ACEDA AQUI À VERSÃO DIGITAL DA EDIÇÃO IMPRESSA DO SUPLEMENTO RECONSTRUIR

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Cleanwatts lança academia de investigação

Através da Cleanwatts Academy candidatos europeus a mestrado e doutoramento podem realizar projectos de tese ou estágios sobre temas inovadores e disruptivos relacionados com a transição energética

CONSTRUIR

Com o objectivo de promover “a inovação no sector da energia e formar os novos líderes verdes do futuro”, a Cleanwatts lançou um novo programa de investigação. A Cleanwatts Academy oferecerá oportunidades para que candidatos europeus a mestrado e doutoramento realizem projectos de tese ou estágios sobre temas inovadores e disruptivos relacionados com a transição energética.

A Cleanwatts Academy será liderada por Andreia Carreiro, directora de Estratégia de Inovação da Cleanwatts, e vencedora do prémio “Women in Energy” 2022 dos European Sustainable Energy Awards, da Comissão Europeia.

“Nunca houve tanta procura de jovens investigadores talentosos que se dediquem a resolver um dos desafios mais urgentes do nosso tempo: acelerar a mudança para tecnologias verdes. A Cleanwatts Academy irá orientar e apoiar os líderes verdes do futuro, dando-lhes experiência em I&D, em primeira mão, e a oportunidade de trabalhar ao lado de especialistas numa das principais empresas de tecnologia climática da Europa”, afirmou Andreia Carreiro.

A Cleanwatts Academy vai, ainda, procurar parcerias estratégicas com as principais entidades de I&D para desenvolver novos projectos que apoiem o desenvolvimento de comunidades de energia renovável (REC).

Os projectos de investigação elegíveis serão concluídos num período de, pelo menos, três meses. As inscrições podem ser feitas através do site da Cleanwatts Academy.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Lagos vai ter dois novos hotéis Hilton

O Lagos Marina Hotel, Curio Collection by Hilton e o Hilton Garden Inn Lagos serão construídos junto à marina da cidade Algarvia. O projecto de reabilitação urbana representa um investimento de 107,8 M€ do grupo Mercan Properties. Os dois novos hotéis com assinatura Hilton deverão abrir no Verão de 2024

CONSTRUIR

O empreendimento hoteleiro de aproximadamente 23.000 m2 de área bruta de construção, integra dois hotéis com conceitos distintos. O Lagos Marina Hotel, Curio Collection by Hilton terá 180 quartos, distribuídos por 4 pisos, numa área bruta total de 14.776 m2. O Hilton Garden Inn Lagos irá dispor de 90 quartos, 27 dos quais a serem convertidos em apartamentos com kitchenette, entre os 7.505 m2 de área bruta total.

O projecto de reabilitação urbana representa um investimento de 107,8 milhões de euros do Grupo Mercan Properties, deverá permitir a criação de cerca de 150 postos de trabalho, durante a fase de construção, e cerca de 200 postos de trabalho na fase de operação. O acordo celebrado é o terceiro entre o Grupo Mercan Properties e a Hilton, após a recente abertura do Sé Catedral Hotel Porto, Tapestry Collection by Hilton e a futura abertura do Hilton Garden Inn Évora.

“O acordo agora assinado com a Hilton é um sinal do desenvolvimento e interesse que a cidade de Lagos tem suscitado, afirmando-se cada vez mais como um local distinto, capaz de conjugar paisagens naturais soberbas com um rico património histórico e cultural. Este projecto representa também uma aposta vencedora para o Grupo Mercan Properties, muito alinhado com os nossos valores, já que concedemos à cidade um espaço de conforto e bem-estar, capaz de dinamizar ainda mais a marina e todos os serviços e espaços ao seu redor”, sublinhou Jordi Vilanova, Presidente da Mercan Properties.

Ambos os espaços de hotelaria estão inseridos no ambiente envolvente através de uma composição arquitectónica de linhas delicadas e cuidadas, pensada ao detalhe sempre com o conforto e bem-estar de um estilo de vida exclusivo em mente. Com a beleza natural de Lagos em mente, quartos e restaurantes foram desenhados com terraços, sunken gardens e varandas, para que os hóspedes possam aproveitar ao máximo o calor algarvio e a costa atlântica. Os hotéis oferecem ainda espaços para reuniões, assim como mais de 160 lugares de estacionamento repartidos entre ambos.

assinalou que “Tendo em conta a presença da Hilton no incrivelmente popular Algarve, estamos entusiasmados por nos aliar ao Grupo Mercan Properties para fazer a nossa estreia em Lagos. Falésias estupendas, praias pitorescas e uma cultura vibrante fazem deste altamente desejado destino turístico a localização ideal para o nosso Curio Collection by Hilton e para a marca Hilton Garden Inn. Este anúncio fortalece o nosso compromisso com Portugal enquanto mercado estratégico para a Hilton, com planos para mais do que duplicar o nosso portfólio nos próximos anos”, referiu Carlos Miro, director-geral de Desenvolvimento para Espanha e Portugal da Hilton.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

STET representa a Pronar em Portugal

A marca de origem polaca oferece um vasto leque de soluções para o sector da reciclagem, respondendo às crescentes necessidades da sociedade actual

CONSTRUIR

A STET o mais recente distribuidor de equipamentos da Pronar em Portugal. A marca de origem polaca e de abrangência internacional, oferece um vasto leque de soluções para o sector da reciclagem, respondendo às crescentes necessidades da sociedade actual, garantindo a sustentabilidade e apoiando os seus clientes no cumprimento das normas europeias.

O seu portfólio de soluções inclui máquinas para aplicações agrícolas, florestais, de reciclagem e construção.

A linha de equipamentos da Pronar é fabricada com a mais alta tecnologia do mercado, com uma gama completa de crivos trommel sobre rodas e equipamentos móveis de trituração/destruição de resíduos, prensas de enfardamento, revolvedores de composto e prensas de enfardamento.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.