Sonae Capital: a aposta na Hotelaria e a liquidez no Imobiliário

Por a 24 de Fevereiro de 2020


A Sonae Capital anunciou a construção de uma nova unidade hoteleira, a quarta, na cidade do Porto, com uma localização privilegiada na Avenida dos Aliados. Uma expansão que se enquadra na sua estratégia de crescimento que prevê um aumento do número de unidades hoteleiras em exploração, o que lhe irá permitir potenciar sinergias e efeitos de rede na operação.

Com abertura prevista para o primeiro semestre de 2021, a nova unidade contará com 70 quartas e apresentará infraestruturas de referência. “Os nossos objectivos de crescimento têm privilegiado a selecção de localizações prime, sendo o projecto na Avenida dos Aliados mais um importante passo na concretização dessa estratégia. Com a abertura desta quarta unidade no Porto vamos consolidar a nossa presença neste destino e ampliar a nossa escala”, refere Pedro Capitão, CEO da unidade Hotelaria da Sonae Capital.

Actualmente, o negócio de Hotelaria da Sonae Capital tem sob exploração seis unidades, três no Porto (Porto Palácio Hotel, The Artist e The House), duas em Tróia (Aqualuz Tróia e Tróia Residence) e o Aqualuz Lagos, no Algarve. Em curso está já uma nova unidade em Lisboa, no edifício da Estação Ferroviária de Santa Apolónia, cuja inauguração deverá ocorrer no segundo semestre de 2021.

O negócio de Hotelaria da Sonae Capital registou um aumento de 16,4% do seu volume de negócios em 2019, atingindo os 27,7 milhões de euros. Um acrescimento que foi acompanhado também por uma maior rentabilidade dos activos tendo o EBITDA aumentado 56,1%, para 6,7 milhões de euros e o EBIT ascendeu ao valor recorde de 1,7 milhões de euros, mais do que duplicando face ao valor de 0,6 milhões de euros gerados em 2018.


Em 2019 o investimento desta área de negócio ascendeu a 1,5 milhões de euros, em grande parte aplicados na renovação do Porto Palácio Hotel e no início do projecto da Estação de Santa Apolónia, em Lisboa.

Imobiliário gera liquidez

O crescimento de dois dígitos na Hotelaria e no Fitness e de três dígitos no segmento de Energia, foram os principais responsáveis por um volume de negócios das Unidades de Negócio na ordem dos 269 milhões de euros, valor que traduz um aumento de 46,5% em relação ao ano anterior. Na unidade de Activos Imobiliários destaque para o crescimento de 12,6% do Tróia Resort, que reforça o crescimento de 7,4% verificado nas Operações de Tróia. Já o volume de negócios consolidado da Sonae Capital foi de de 300 milhões de euros em 2019, o que representa um crescimento de 27,3% face ao ano anterior.

Em termos operacionais o EBITDA das Unidades de Negócio cresceu 8,9%, para 35,3 milhões de euros e na Unidade de Activos Imobiliários aumentou 17,3%, para 10,1 milhões de euros, traduzindo-se num EBITDA consolidado de 38,1 milhões de euros, o qual representou um crescimento de 9,9% face a 2018.

Contudo, tal não impediu a evolução negativa do resultado líquido, impactado pelo reconhecimento de uma menos valia com a alienação da RACE e pela ausência de vendas significativas de Activos Imobiliários, sobre os quais a empresa mantém boas perspectivas de curto-prazo. “Na Unidade de Activos Imobiliários concluímos escrituras de compra e venda no valor de 33 milhões de euros e detemos ainda em carteira reservas e contratos promessa de compra e venda de idêntico montante. Este desempenho é particularmente importante no que à geração de liquidez diz respeito. Em 2019, esta unidade gerou mais de 43 milhões de euros de liquidez, fundamental para manter um balanço saudável, ai mesmo tempo que continuámos a investir no nosso portefólio”, sublinhou Miguel Gil Maia, CEO da Sonae Capital.


Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *