Edição digital
Assine já
Empresas

Efacec: 220M€ em novos contratos em 2021

Os novos contratos assinados este ano abrangem a Europa, América Latina e Emirados Árabes Unidos ascendem a 220 M€, numa carteira global superior a 500M€ e representam um crescimento de 35M€ face ao período homólogo

CONSTRUIR
Empresas

Efacec: 220M€ em novos contratos em 2021

Os novos contratos assinados este ano abrangem a Europa, América Latina e Emirados Árabes Unidos ascendem a 220 M€, numa carteira global superior a 500M€ e representam um crescimento de 35M€ face ao período homólogo

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados

Com actuação nas áreas da Energia, Mobilidade e Ambiente, a Efacec reforçou este ano a sua presença em vários mercados internacionais, com novos contratos assinados em 2021 acima dos 220 milhões de euros, numa carteira global superior a 500 milhões de euros. Os resultados estão alinhados com o plano de negócio delineado para este período, inclusive superando, em mais de 35 milhões de euros, o período homólogo. Para a Efacec “os projectos comprovam a competitividade da empresa e o reconhecimento da sua excelência em território nacional e além-fronteiras”, referem em comunicado.

Em Espanha a empresa está presente há mais de 20 anos de forma significativa, com uma relevante quota de mercado junto das utilities espanholas, tendo sido responsável por contratos emblemáticos com as principais operadoras. Em curso, está o fornecimento e a instalação de dois transformadores de 165 MVA e 185 MVA 132/30 kV, destinados a um parque solar que vai beneficiar 50.000 famílias com energia limpa.

Ainda no mercado espanhol, a empresa tecnológica está a executar um contrato iniciado em 2021, associado ao fornecimento de vários transformadores de potência para uma das maiores empresas na área, perfazendo um total superior a 30 milhões de euros, a ser concluído até Dezembro de 2024. “Estes contratos de longa duração reflectem o reforço da confiança nas competências da marca Efacec, assim como na capacidade de entrega de equipamentos, factor crítico para a rede de energia do mercado espanhol”, sublinha a empresa.

Em França, onde está presente há mais de 30 anos, desenvolvendo progressivamente projectos nas áreas de Aparelhagem, Transformadores, Automação, Mobilidade Eléctrica e Service, a Efacec voltou a ser escolhida por uma empresa de referência para um novo contrato de fornecimento de transformadores de potência até 2027, que contabiliza um valor na ordem dos 100 milhões de euros.

Também no negócio dos transformadores, a empresa portuguesa estabeleceu contratos no Reino Unido, Holanda, e Portugal acima dos 30 milhões de euros. Estes projectos têm vários tempos de execução, desde 2023 a 2027.
Ainda na Europa, a Efacec estreou-se no mercado italiano com a execução de um contrato na área de Aparelhagem acima dos 20 milhões de euros e, em Portugal, fortalece a sua actuação no mercado da Automação com o fornecimento de sistemas de comando e protecção para a remodelação de subestações de energia. Ambos os contratos serão executados em 2022.

No âmbito da estratégia de exportação da área de Transformadores para os mercados da América Latina, onde a Efacec tem construído fortes relações com diversas utilities na Argentina, Colômbia, Chile e Panamá, a empresa portuguesa foi contratada para modernizar várias subestações da rede de distribuição até 2023.

No seguimento do recente lançamento da nova gama de soluções para mobilidade eléctrica, a Efacec reforça o seu lugar de referência no sector, com a assinatura de três novos contratos no Luxemburgo, Portugal e nos Emirados Árabes Unidos, com o fornecimento de produtos mais sustentáveis e preparados para a digitalização e indústria 4.0. Estas soluções são cruciais para um mundo mais sustentável e vão ao encontro das maiores exigências do mercado.
“Todos estes projectos são um orgulho para a empresa e reforçam a nossa presença em Portugal e no mundo. Comprovam o reconhecimento do nosso know-how junto dos maiores players nas áreas da Energia, Mobilidade e Ambiente e motivam-nos a trabalhar sempre para a excelência” Michael Silva, Chief Commercial Officer da Efacec

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

“Less is More” da OLI conquista terceiro prémio internacional

A OLI foi premiada em Milão com a placa de comando Less is More pelo “Archiproducts Design Awards”, prémio anual que celebra a excelência mundial em design

CONSTRUIR

A OLI foi premiada em Milão com a placa de comando Less is More pelo “Archiproducts Design Awards”, prémio anual que celebra a excelência mundial em design. O júri constituído por arquitectos, jornalistas, fotógrafos e directores criativos de todo o mundo, considerou a placa desenhada pelo arquitecto Alessio Pinto uma das melhores 750 propostas seleccionadas para a competição.

Este é o terceiro prémio mundial que a Less is More conquista este ano, depois de ter ganho o Red Dot Award 2021 e o iF Design Award 2021, considerado o ‘Óscar’ do design mundial. “Com esta tripla premiação, a OLI consolida o seu posicionamento como uma marca inovadora, à escala global, que tem investido no design e na tecnologia para tornar a casa de banho num lugar de beleza, conforto e sustentabilidade”, considera a empresa em comunicado.

A Less is More, fabricada em aço inox e inspirada na máxima “menos é mais” de Ludwig Mies van der Rohe (1886-1969), assume uma forte identidade eclética e funcional. Os tradicionais botões de acionamento da descarga de água do autoclismo dão lugar a dois cordões, que nos fazem recuar no tempo e visualizar os primeiros mecanismos sanitários da história.

Alessio Pinto quis também desenhar uma placa intuitiva e explica: “Num relance, percebemos o significado do mais e do menos da descarga de água. Os cordões – mais e menos curto – assumem a função de sinais analógicos para induzir uma ação clara e imediata. Aqui não há sinais ou símbolos a decifrar, há apenas uma escolha feita com o primeiro olhar. Acreditamos que esta compreensão instantânea torna esta placa muito original e empática”.

Nos últimos anos, a OLI tem intensificado a sua relação com a arquitectura ao criar parcerias com arquitectos de referência como Álvaro Siza Vieira (Prémio Pritzker 1992), Eduardo Souto de Moura (Prémio Pritzker 2011), Romano Adolini e, agora, Alessio Pinto, que aplicaram o seu talento na criação de peças únicas que transformam casas de banho de todo o mundo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Carmo Wood lança parques infantis para casas particulares

A empresa reforçou a sua gama de equipamentos lúdicos com duas propostas pensadas para servir o mercado particular mas que replicam as características da gama de mobiliário

CONSTRUIR

A Carmo Wood, empresa portuguesa líder em Portugal em parques infantis em madeira, acaba de reforçar a gama de equipamentos lúdicos com duas propostas pensadas para servir o mercado particular. Os novos modelos Medieval Park – Serpa e Évora – combinam design inovador, funcionalidade e dimensão reduzida, assumindo-se como equipamentos de eleição para casas com jardim, quintas, alojamentos locais ou casas de férias.

A experiência de mais de 40 anos da Carmo Wood na produção de parques infantis manifesta-se na segurança e durabilidade destes novos equipamentos, assim como na multiplicidade de actividades disponibilizadas para horas de diversão garantida, sempre em segurança e com garantia Carmo Wood.

As suas características únicas, como sejam a forte componente de madeiras, elevado enquadramento paisagístico e sobretudo com várias soluções de diversão para as crianças, ditaram o sucesso desta linha de produtos junto de municípios e juntas de freguesia de norte a sul do país e ilhas. Agora, os parques infantis Carmo Wood da gama Medieval chegam às casas particulares, com dois novos modelos e dimensões reduzidas.

Recorde-se que a Carmo Wood foi pioneira no design e produção de parques infantis e também na certificação dos mesmos. Os primeiros parques, totalmente em madeira, remontam à década de 80, tendo evoluído para sistemas policromáticos, com uma ampla oferta de materiais, capazes de assegurar a melhor relação estética-segurança e, ao mesmo tempo, o desenvolvimento e diversão dos seus utilizadores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Schneider Electric implementa sistema de gestão de edifícios em hotel de 5 estrelas no Dubai

O sistema irá ajudar o Hyatt Centric Jumeirah Dubai a “economizar energia, reduzir as emissões de CO2, diminuir os custos de manutenção e assegurar conforto e segurança aos hóspedes”

CONSTRUIR

A Schneider Electric foi escolhida para implementar um sistema completo de gestão de edifícios no hotel Hyatt Centric Jumeirah Dubai, anunciou a empresa. Através do sistema EcoStruxure Building Operation 3.0, será possível combinar a gestão de edifícios e gestão de quartos de hóspedes e controlar e monitorizar os subsistemas essenciais do edifício. Desta forma, “será possível reduzir o consumo total de energia do edifício, diminuir as suas emissões de carbono e minimizar os custos de manutenção operacional”.

O EcoStruxure Building Operation facilita a troca segura de dados, tanto da Schneider Electric como de sistemas de energia, iluminação, AVAC, segurança contra incêndios, gestão de escritórios e segurança de terceiros, ao mesmo tempo que tira partido da digitalização e do Big Data. O software e o harware capacitados por IP da Schneider Electric englobam todo o ecossistema dos edifícios, com uma fácil integração de dispositivos, outros sistemas de edifícios e serviços Cloud, garantindo a taxa de transferência de dados e o desempenho necessários, tanto para pequenos edifícios como para empresas grandes e complexas com várias instalações.

Localizado no Distrito 1 de Jumeirah, na área de La Mer Waterfront Beach, este hotel de cinco estrelas contará com sete andares acima do solo e dois outros no subsolo, totalizando 173 quartos e uma área bruta de 22.176 m². O hotel é gerido pela Hyatt Hotels Corporation.

Além do software EcoStruxure Building Operation 3.0, cada quarto será equipado com o controlador RP-C, atuadores de válvulas e um termostato TC907. Este hardware estará conectado ao EcoStruxure Building Operation 3.0 para oferecer uma visão completa sobre a configuração eléctrica e a utilização de energia de cada divisão.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

3º Edição Aicep Rede online

Até 16 de Dezembro será possível agendar reuniões online, com a duração de 25 minutos, com qualquer uma das 49 delegações internacionais da Aicep

CONSTRUIR

Até 16 de Dezembro será possível agendar reuniões, online, com qualquer uma das 49 delegações internacionais da Aicep. A 3º edição da Aicep Rede Online, está a decorrer desde 22 de Novembro.

Com a duração estimada de 25 minutos, o serviço online de reuniões com a rede de delegações da AICEP permite à empresa obter o aconselhamento de que precisa para exportar e/ou incentivar a internacionalização da empresa. Nestas reuniões de aconselhamento digital, os delegados prestam esclarecimentos sobre os mercados externos, com o necessário follow up.

A iniciativa apenas está disponível para empresas registadas na AICEP.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Estudo: Mais de 40% dos lares revela intenção de renovar as casas de banho

Estudo encomendado pela Geberit e realizado pelo instituto demoscópico Forsa, revela que 60% dos inquiridos gostariam de ter uma casa de banho “mais agradável e acolhedora”

CONSTRUIR

Desde 2020, a casa de banho transformou-se no centro das atenções de muitas casas. “A casa de banho hoje”, o inquérito da Forsa, realizado pelo Instituto demoscópico Forsa sobre uma amostra de 1.018 pessoas na Alemanha, entre Maio e Junho de 2021.encomendado pela Geberit, especialista em louça sanitária e tecnologia para a casa de banho, mostra a crescente importância que os consumidores dão à casa de banho nas suas casas.

Praticamente todos os inquiridos (98%) vêm a casa de banho como um lugar de higiene pessoal. Para quase metade (48%) é também um lugar de bem-estar, e cerca de um terço gosta de se refugiar na casa de banho para gozar de um pouco de tranquilidade. O estudo confirma a tendência para uma casa de banho acolhedora que proporciona um maior conforto para a higiene pessoal.

Na verdade, o estudo revela que 60% dos inquiridos desejam ter uma casa de banho mais agradável e acolhedora e que 43% dos lares gostaria de renovar a sua casa de banho e, inclusivamente, estariam dispostos a investir dinheiro nisso mesmo que a sua casa de banho ainda não necessite de uma renovação. Uma casa de banho mais espaçosa, com sanita suspensa e autoclismo de interior, com móveis que tenham grande capacidade de arrumação, e o duche ao nível do chão seriam as prioridades para 65% das pessoas inquiridas.

Para a maioria dos inquiridos, as cores harmoniosas, os móveis de casa de banho elegantes e os têxteis contribuem para criar um ambiente acolhedor na casa de banho. O estudo mostra, também, que as soluções com produtos inovadores têm uma procura cada vez maior, com quase metade (49%) dos inquiridos investiria numa divisão mais fácil de limpar.

“Este estudo confirma a crescente procura de casas de banho mais espaçosas, inovadoras e fáceis de limpar por parte do consumidor. Na Geberit, estamos totalmente preparados para dar resposta a esta procura com a nossa longa experiência em soluções embutidas, sanitas suspensas Rimfree, móveis de grande qualidade que têm muito espaço no seu interior e outras propostas inovadoras, como a nossa vasta gama de sanitas com sistema integrado de lavagem ou as engenhosas soluções para instalar duches ao nível do chão”,  afirma Alfredo Cabezas, director de Marketing e Comunicação da Geberit Iberia.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Verdelago Resort antecipa segunda fase [c/galeria de imagens]

Apenas quatro meses depois do lançamento comercial do empreendimento, 80% das primeiras 102 unidades residenciais turísticas estão vendidas ou reservadas, obrigando a acelerar o projecto localizado no sotavente algarvio

CONSTRUIR

Localizado entre Altura e a Praia Verde, no Concelho de Castro Marim, o Verde Lago Resort assume-se como um resort de natureza e de luxo, inserido numa área de 85 hectares, onde o índice de construção é de apenas 8.7%. “A sua localização extraordinária, a forte aposta na sustentabilidade, o facto de privilegiarmos a natureza ao estarmos inseridos numa propriedade com mais de 85 hectares de enorme biodiversidade e com um índice de construção de apenas 8,7% e as características únicas de arquitectura sustentável fazem deste projecto um caso único no mercado”, refere Paulo Monteiro, director-geral do Verdelago Resort.

Acresce o facto de estar a 500 metros da praia e ter uma frente de mar de mais de um quilómetro de extensão. Factores que ajudam a explicar que apenas quatro meses depois do lançamento comercial do empreendimento, 80% das primeiras 102 unidades residenciais turísticas estão vendidas ou reservadas (1ª e 2ª fases). “A primeira fase de construção foi iniciada no final de 2020 e é constituída por um conjunto de unidades de alojamento exclusivo, onde se incluem 57 unidades residenciais turísticas que estarão concluídas para entrega já em 2022, dividindo-se em 24 apartamentos (T1, T2 e T3), 26 townhouses (V2 e V3) e 7 villas (V4 +1). 45 novas unidades, que estarão prontas antes do Verão de 2023, viram o seu início de comercialização antecipado face à enorme procura registada na 1ª fase do resort. Este novo lançamento procurou dar resposta à lista de espera de dezenas de interessados para a realização de visitas e novas reservas que tiveram acesso privilegiado aos 29 apartamentos (T1, T2 e T3) e 16 Townhouses(V3), que compõem a 2ª fase de comercialização”, refere o empreendimento em comunicado. Os preços situam-se, neste momento, a partir dos 500 mil euros para os apartamentos, 820 mil euros para as townhouses e 1,750 milhões de euros para as villas, que voltarão a estar disponíveis numa fase posterior do projecto.
O investimento, estimado na ordem dos 270 milhões de euros, é o maior alguma vez realizado nesta zona do Algarve. No total, o Verdelago Resort terá 340 unidades residenciais turísticas e um hotel de cinco estrelas com 197 quartos.

As tipologias mais exclusivas, com maiores áreas interiores e exteriores e também mais caras são aquelas que registam maior procura nesta fase, como é o caso dos apartamentos T3 (esgotados) com preços a partir de 920 mil de euros e das townhouses V3, (mais de metade vendidas ou reservadas) com preços a partir de 820 mil euros. E os portugueses são os principais compradores. “Os portugueses rapidamente se deram conta deste produto e rapidamente perceberam que era uma oportunidade também rara, não só para investimento, como solução para uma segunda casa junto ao mar”, refere o responsável. Para além dos portugueses outras nacionalidades, como holandeses, franceses e ingleses se têm interessado e adquiriram as suas fracções na 2ª fase de vendas do Verdelago. “Notamos que os clientes, nacionais ou estrangeiros, procuram a envolvência da natureza, áreas generosas, espaços facilmente adaptáveis a uma eventual necessidade de teletrabalho e à possibilidade de passarem longas temporadas afastados das grandes cidades, num novo paradigma de turismo residencial acentuado pelo contexto pandémico”, sublinha Paulo Monteiro. “As pessoas que nos procuram valorizam também a rentabilidade que este projecto oferece, uma vez que asseguramos taxas garantidas de até 5% ao ano, permitindo que os clientes usufruam do activo durante algumas semanas ou meses, arredando-o o resto do ano.”

O Verdelago é o primeiro Resort Turístico no país a aderir à Certificação Green Globe desde a fase da construção, uma das mais exigentes certificações internacionais de turismo sustentável e membro afiliado da Organização das Nações Unidas para o Turismo (OMT).

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

PORTICO é o novo projecto da Vanguard

A Vanguard Propertie lançou a revista PORTICO, um projecto editorial, que irá tratar de temas ligados à arte, à sustentabilidade, design e arquitectura

CONSTRUIR

A Vanguard Propertie lançou a revista PORTICO, um projecto editorial, que irá tratar de temas ligados à arte, à sustentabilidade, design e arquitectura. Com uma imagem contemporânea, a publicação terá uma periodicidade bianual e será bilingue, em português e inglês.

A PORTICO tem a direcção editorial de Fernando Caetano e contará com a contribuição de um painel de colaboradores convidados, entre jornalistas, artistas ou fotógrafos e assenta em três grandes pilares: cultura, arte e sustentabilidade.

“A ideia desta revista surgiu através do nosso intrínseco desejo de continuar a surpreender subtilmente através de uma peça de comunicação que vá simultaneamente ao encontro da nossa estratégia e que que reflicta a nossa visão e posicionamento, tendo por base os três pilares que perpetuam desde a nossa génese – cultura, arte e sustentabilidade. Queremos surpreender mais uma vez ao fazer aquilo que aparenta ser o óbvio, mas de uma forma diferente e que reúna as áreas menos tangíveis do universo da Vanguard Properties”, refere José Cardoso Botelho, CEO da Vanguard Properties.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Technal lança o seu configurador de caixilharia de alumínio

A ferramenta de personalização permite que qualquer pessoa dê vida ao seu próprio projecto de renovação ou de construção. A solução está acessível gratuitamente no site da marca

CONSTRUIR

A Technal lançou o seu configurador de caixilharia de alumínio, uma ferramenta de personalização que permite a qualquer pessoa dar vida ao seu próprio projecto de renovação ou de construção e está acessível gratuitamente no site da marca.

Particularmente intuitivo, o configurador foi concebido para uma simulação simples e rápida a partir de uma fotografia de sua casa. A solução permite visualizar a escolha do design, cores, muletas e acessórios através de uma experiência de navegação imersiva. A gama de possibilidades é infinita e permite que qualquer pessoa crie o projecto em apenas alguns cliques.

Para tirar o máximo partido das muitas características do configurador, os utilizadores só precisam de seguir estes três simples passos: “Configurador”, “Resumo do meu projecto′′ e finalmente ′′Documentação e Orçamento′′ para conseguir personalizar detalhadamente qualquer projecto, obter as informações técnicas necessárias e solicitar orçamento a um membro da rede de fabricantes e instaladores homologados Aluminier TECHNAL.

A Technal é uma marca da empresa norueguesa Hydro, uma empresa global de alumínio integrada com actividades de produção, venda e comercialização em toda a cadeia de valor, desde bauxite, alumina, criação de energia até à produção de alumínio, produtos laminados, extrudidos e reciclagem.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Grupo Ramada cresce impulsionado pelo aço

Nos primeiros nove meses de 2021 o Grupo Ramada viu as suas receitas ascenderem a 102,6 milhões de euros, o que representa um crescimento de 37,1% face às receitas geradas em igual período do ano passado

CONSTRUIR

Nos primeiros nove meses de 2021 o Grupo Ramada viu as suas receitas ascenderem a 102,6 milhões de euros, o que representa um crescimento de 37,1% face às receitas geradas em igual período do ano passado.

De acordo com as informações apresentadas à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, no mesmo período os custos totais ascenderam a 86 milhões de euros, mais 30,6% que em 2020, e o EBITDA atingiu o montante de 15,7 milhões de euros, superior em 89,1% face ao registado no período homólogo de 2020. O resultado líquido consolidado do grupo no período foi superior a 10 milhões de euros.

A Ramada Investimentos é a sociedade-mãe de um conjunto de empresas que, no seu conjunto, exploram dois segmentos de negócio distintos: Indústria, que inclui a actividade dos aços especiais e trefilaria, e o imobiliário, vocacionado para a gestão de activos imobiliários. Grande parte do crescimento registado nos primeiros nove meses do ano está centrado no primeiro, período no qual “a actividade de aços registou um crescimento significativo comparativamente ao igual período de 2020, sendo relevante o contributo do sector da metalomecânica, que continua a destacar-se com índices de crescimento acentuados desde o início do ano”, reporta o grupo.

“A procura de aço mantém-se em alta, assim como se continuam a verificar constantes subidas de preços e escassez de materiais por parte de alguns fornecedores. A subida significativa da sucata e do minério de ferro que ocorreram a meio do primeiro semestre, o fecho das quotas de importação de países terceiros da União Europeia e as dificuldades, provocaram uma acentuada subida de preços de aço”, analisa a Ramada. A manterem-se estes factores “prevê-se que os preços de mantenham elevados e que persista a escassez de material nos próximos meses do ano”, vaticina o grupo.

Nos primeiros nove meses de 2021 as vendas de aço para o mercado externo representaram 9,2% do volume de negócios, registando um crescimento de 42% face a 2020. O crescimento das exportações tem sido gradual, sendo de salientar neste período a consolidação da presença do grupo no mercado espanhol.

O crescimento estendeu-se ainda à actividade de Trefilaria, em resultado de aumentos significativos de preços e do volume de produção. Maioritariamente vocacionada para o mercado externo, a operação de trefilaria representou 65,85 do volume de negócios, com as exportações deste sector a registarem um crescimento de 82%, face ao período homólogo. Espanha, Estados Unidos e França são os principais destinos.

Para o início de 2022 o grupo anuncia o arranque da produção do projecto Ramada Solar, justificado pelo impacto “significativo” que o aumento do preço da energia eléctrica e do gás natural terá na actividade do grupo. Mas já este ano, o grupo avançou com a instalação de uma central fotovoltaica de autoconsumo na Socitrel. A central iniciou a exploração no final do primeiro semestre. Contando com uma produção anual prevista de cerca de 1,2 GWh irá reduzir a factura energética da Socitrel em cerca de 7,2%.

Já no segmento imobiliário, o grupo registou um resultado líquido nos primeiros nove meses de 3,06 milhões de euros, registando um crescimento de 2%, relativamente ao período homólogo de 2020.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

CARI, dstgroup e IPCA lançam formação profissional para dar resposta ao mercado

Esta formação está vocacionada para actualização de conhecimentos de técnicos da indústria de construção civil e para o reforço de competências na utilização de ferramentas digitais

CONSTRUIR

A construtora CARI e a Escola Técnica Superior Profissional do IPCA lançaram a 1ª edição do Curso Técnico Superior Profissional em Preparação e Gestão de Obras, uma formação avançada direccionada para o contexto de trabalho que se destina a fazer face à escassez de profissionais e a promover a formação de técnicos altamente especializados. A iniciativa traduz a importância de fomentar a interacção entre instituições do ensino superior e o tecido empresarial.

O curso, distribuído por quatro semestres em horário pós-laboral, será realizado sob orientação do corpo docente do IPCA e de elementos dos quadros superiores da CARI e de empresas suas parceiras do dstgroup, como a bysteel, a dst e a BIM+, e também da zet gallery, garantindo assim a transferência de conhecimento e as melhores práticas designadamente no sector da construção civil.

Desenhado para proporcionar conteúdos alinhados com a necessidade do mercado de trabalho, esta formação está vocacionada para actualização de conhecimentos de técnicos da indústria de construção civil e para o reforço de competências na utilização de ferramentas digitais promovendo a digitalização do sector da construção.
No final do curso os formandos terão desenvolvido competências técnicas especificas na área da construção, capazes de os habilitar a desempenharem com sucesso funções de preparação de obra, de acordo com as melhores práticas aplicáveis à profissão, devidamente adaptadas ao contexto actual, nomeadamente ao nível do enquadramento tecnológico das ferramentas de trabalho disponíveis e em observância das exigências do mercado, em estreito alinhamento com a procura das empresas do sector da construção.

A par das componentes científicas e técnicas, o curso apresenta um curriculum diversificado, no qual se inclui módulos dedicados às áreas das Humanidades e da Cultura, que será ministrado nos três primeiros semestres. O quarto e último semestre decorre em contexto empresarial para aquisição e desenvolvimento de competências técnicas, relacionais e organizacionais, relevantes para a qualificação profissional a adquirir. O último semestre é realizado em contexto de trabalho, com um estágio curricular.

A primeira edição do Curso Técnico Superior Profissional Preparação e Gestão de Obras já está a decorrer, tendo sido preenchidas as 26 vagas disponíveis, com alunos com idades entre os 18 e os 53 anos. Fazem parte deste grupo de alunos alguns trabalhadores das empresas que participam no projecto, numa perspectiva de reforço de competências.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Toda a informação sobre o sector da construção, à distância de um clique.

Assine agora a newsletter e receba diariamente as principais notícias da Construção em Portugal. É gratuito e não demora mais do que 15 segundos.

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.