Edição digital
Assine já
Empresas

Concreta, Export Home, IDF e Elétrica com novas datas

Ómicron obriga a Exponor a ajustar o seu calendário de feiras. As alterações abrangem algumas das feiras mais emblemáticas como a Concreta, a Export Home, a IDF e a Elétrica

CONSTRUIR
Empresas

Concreta, Export Home, IDF e Elétrica com novas datas

Ómicron obriga a Exponor a ajustar o seu calendário de feiras. As alterações abrangem algumas das feiras mais emblemáticas como a Concreta, a Export Home, a IDF e a Elétrica

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Lançado concurso público para reabilitar a EN114
Construção
ASAVAL organiza spring meeting internacional do Tegova em portugal
Imobiliário
Três cidades portuguesas na Missão Cidades
Imobiliário
Gyptec lança nova placa Gold
Savills e JLL comercializam edifício adquirido pela Incus Capital ao Santander
Imobiliário
Athena Advisers vende Palacete Benformoso por 3,4 M€
Imobiliário
A+A lança caderno de arquitectura de Carrilho da Graça
Arquitectura
MatosinhosHabit dá os primeiros passos para ser Positive Energy District
Imobiliário
Reabertura do troço Pocinho-Barca d’Alva em estudo
Construção
VIC Properties e Underdogs promovem novo circuito de arte no Prata Riverside Village
Imobiliário

“Salvaguardando as condições de segurança para todos os visitantes e expositores”, a Exponor ajustou o calendário de alguns dos seus eventos mais emblemáticos, designadamente a Concreta, a Export Home, a IDF e a Elétrica.
Nesse sentido, depois de ter sido agendada para de 21 a 24 de Abril, a Concreta foi agendada para 13 e 16 de Outubro. Também as datas para a participação no Prémio Under 40 by CIN foram ajustadas, com a possibilidade de apresentação das candidaturas (presencial e serviço postal) alargada até ao dia 23 de Setembro de 2022.
Aquela que será a 30ª edição da bienal Concreta – Feira de Arquitectura, Construção, Design e Engenharia “regressa à Exponor num formato já consolidado e prepara-se para apresentar novidades técnicas e tecnológicas, soluções e novos materiais com um olhar sobre as tendências da construção, da arquitectura, do design e da engenharia no contexto nacional”.

Outras das novidades é realização em simultâneo com a com a Concreta, da ELETRICA – Exposição de Material Elétrico e Eletrónica. Este certame é dedicado a soluções e sistemas de electricidade e energia, apresentando as novidades em sistemas, equipamentos e componentes eléctricos e electrónicos, iluminação, soluções para a indústria automóvel, electrónica de consumo, entre outros. “Dirigida aos profissionais da área eléctrica e electrónica, a exposição apresenta grandes inovações e soluções para uma adequação ao mercado e às exigências de sustentabilidade”, sublinha a Exponor. De referir que este é um dos sectores que mais tem reflectido o aumento da construção em Portugal, tanto no mercado da reabilitação como da construção nova.

À semelhança do que acontecerá com a Concreta, a exposição é pontuada por “Praças”, que apontam holofotes à inovação e tecnologia energética. “A Praça Tromilux, por exemplo, mostra aos visitantes a gama de projectos e soluções personalizadas desta empresa portuguesa, na área da iluminação técnica”, avança a organização.
“Apesar destes ajustes necessários, dado o contexto actual, estamos confiantes para 2022. Temos já previstos mais de 30 eventos, entre os de organização própria e os de terceiros. Sentimos uma grande apetência do mercado, tanto do lado dos expositores como dos visitantes, para o regresso à realização de eventos presenciais e queremos continuar a ser a plataforma facilitadora de negócios um barómetro de novidades, tendências e dinâmicas de mercado, que permitam, aos vários scetores da economia nacional em que actuamos, continuar a evoluir e a inovar”, sustenta Diogo Barbosa, director geral da Exponor.

Sobre os desafios previstos para a próxima temporada, o director geral da Exponor considera estarem num patamar de maturidade mais consolidado para lidarem com os imprevistos, com o digital a apresentar-se como uma solução preponderante. “Estamos mais preparados para estar ao lado dos nossos parceiros e clientes na promoção dos seus negócios e na geração de valor para os diversos sectores, seja pela força do contacto presencial, que já começou a regressar no final de 2021, seja pelo nosso investimento em novas soluções digitais que permitem optimizar a presença dos expositores e a experiência dos visitantes antes, durante e após cada certame”, esclarece Diogo Barbosa.

Expor Home e IDF – Spring Edition & Paper Show em Abril

Relativamente à Export Home – Feira Internacional de Design e Mobiliário, esta passa de 24 a 27 de Fevereiro para de 21 a 24 de Abril, com o prazo para recepção das candidaturas do Prémio Export Home Sustentabilidade e Inovação a ser alargado para dia 31 de Março de 2022.

Celebrando mais de 30 anos de existência, a Export Home designa a mais importante montra de marcas portuguesas de mobiliário e iluminação e promete, sob o mote “Reconnect”, voltar a transformar-se num palco de reconexão entre profissionais e marcas de todo o mundo.

Uma das inovações trazidas pela Export Home para esta edição é uma área dedicada à hotelaria, com a curadoria do experiente designer de interiores e mobiliário Fabián Pellgrinet Conte. Além disso, disponibiliza um Design Hub, especialmente pensado para designers e dedicado às novas ideias e o espaço Talk The Future, dedicado à descoberta, interacção e (re)conexão entre profissionais do sector, com um programa rico e diversificado de workshops e conferências.

Em simultâneo com a Export Home, a próxima edição da IDF Spring – Feira de Design e Decoração passa dos dias 24 e 27 de Fevereiro para 21 a 24 de Abril, levando ao público uma mostra de soluções das mais variadas vertentes dos sectores que abrange. Entre aqueles que estarão presentes no encontro, destacam-se os do têxtil-lar, cutelaria, loiça, cerâmica, mesa, cozinha e multipreço (Home Accessories); tecidos e revestimentos de decoração (Interior Fabrics) e decoração, fragância, flores e ilustração (Loving & Flowers).

Com duas edições asseguradas por ano, a IDF Spring pretende intersectar o talento e a criatividade da nova geração de criadores com a arte e a experiência das marcas tradicionais mais antigas – que se reinventam através de um design visionário – uma simbiose que escreve as novas tendências do sector.

A IDF afirma-se com a disponibilização de quatro espaços-tendência, adaptados aos diferentes públicos, que fazem, por um lado, uma homenagem ao legado deixado por marcas já bem consolidadas no mercado e que, por outro, se impõem como uma rampa de lançamento para a visibilidade da nova geração de criadores portugueses que revolucionam o mercado.

Em simultâneo decorre a Paper Show – Feira de Papelaria, Gift e Material de Escritório, que regressa à Exponor após a sua primeira edição em 2020, pronta para reunir o sector profissional da papelaria, gift e material de escritório. Ao longo de quatro dias, as empresas fornecedoras têm a oportunidade de apresentar os seus novos produtos, colecções e soluções aos profissionais, beneficiando da presença conjunta da comunidade deste sector e, assim, fomentarem novos negócios e contactos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Lançado concurso público para reabilitar a EN114
Construção
ASAVAL organiza spring meeting internacional do Tegova em portugal
Imobiliário
Três cidades portuguesas na Missão Cidades
Imobiliário
Gyptec lança nova placa Gold
Savills e JLL comercializam edifício adquirido pela Incus Capital ao Santander
Imobiliário
Athena Advisers vende Palacete Benformoso por 3,4 M€
Imobiliário
A+A lança caderno de arquitectura de Carrilho da Graça
Arquitectura
MatosinhosHabit dá os primeiros passos para ser Positive Energy District
Imobiliário
Reabertura do troço Pocinho-Barca d’Alva em estudo
Construção
VIC Properties e Underdogs promovem novo circuito de arte no Prata Riverside Village
Imobiliário
Empresas

IP com lucros de 14M€ em 2021

IP termina 2021 com resultado líquido de 14 milhões de euros e EBITDA positivo de 497 milhões de euros, o que reflecte a redução do impacto da covid-19 nas receitas de utilização das infraestruturas rodoferroviárias

CONSTRUIR

A Infraestruturas de Portugal (IP) registou em 2021 um resultado líquido positivo de +14 milhões de euros (2020: -56 milhões de euros) e um EBITDA de +497 milhões de euros verificando-se um aumento de 12% face ao valor registado em 2020 (+445 milhões de euros).

Esta evolução deveu-se principalmente “ao aumento do rendimento com as principais receitas, designadamente: da Contribuição do Serviço Rodoviário (+52 milhões de euros) e da Tarifa de Utilização da Infraestrutura Ferroviária (+5 milhões de euros)”. Segundo a empresa, “a redução do impacto da pandemia COVID-19 sobre o nível de utilização da infraestrutura rodoferroviária sob gestão da IP durante ano de 2021, face a 2020, foi determinante para o aumento daqueles rendimentos, apesar de ainda não se terem atingido os níveis de utilização de 2019”.

Já relativamente à receita de portagens, verifica-se uma diminuição de -5% (-15milhões de euros), apesar do aumento da utilização da infraestrutura, em resultado da introdução nas AE ex-SCUT, em 1 de Julho de 2021, do novo regime de descontos previsto nos artigos 425.º e 426.º da LOE (50% nas tarifas de portagem).

Destaque positivo para o facto da IP ter incrementado o nível de intervenções na infraestrutura face ao registado em 2020. Com efeito, em 2021, o gasto com as actividades de conservação das redes rodoviária e ferroviária ascendeu a 196 milhões de euros, mais 5% do que o registado em 2020.

Relativamente ao resultado financeiro verificou-se uma melhoria de 24 milhões de euros, cujo principal contributo se deve à redução de -21 milhões de euros na componente dos juros afectos às subconcessões, em virtude da descida do passivo associado, a que acresce a redução do impacto dos encargos financeiros associados à dívida sob gestão directa da IP em -5 milhões de euros. Esta evolução positiva apenas é contrariada pelo aumento dos outros gastos financeiros, de que se destacam os associados à obtenção de garantias bancárias para processos fiscais, em +2milhões de euros.

O resultado líquido da IP regressa assim a terreno positivo, fixando-se em +14 milhões de euros, reflectindo, fundamentalmente, a redução do impacto extraordinário, global e não previsível da COVID-19 face a 2020, e que contrasta com o resultado líquido negativo de -56 milhões de euros verificado nesse ano.

De destacar ainda o crescimento do investimento, com particular ênfase o desenvolvimento do programa Ferrovia 2020, e que permitiu atingir os 278 milhões de euros de execução no ano, significando um crescimento de 36% face a 2020, seguindo assim a forte tendência de crescimento já verificada nos anos anteriores.

A IP manteve, ao longo do ano, a aceleração da liquidação da respectiva facturação, sempre que possível. Esta medida veio permitir que em 2021, o prazo médio de pagamentos (PMP) da IP se tenha fixado em 15 dias.
Em 2021, assistiu-se à redução do stock de dívida financeira da IP em 640 milhões de euros, fixando-se este agregado no final de Dezembro de 2021 em 4.145 milhões de euros. As amortizações realizadas respeitaram essencialmente à amortização do Eurobond 0621 (500 milhões de euros) e às amortizações dos empréstimos contraídos junto do BEI (129 milhões de euros).

Por fim, destaca-se a manutenção da política de financiamento prosseguida pelo accionista de capitalização da Empresa através de operações de aumento de capital que, em 2021, ascenderam a 1.613milhões de euros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Sistema 38 PLUS da Ecosteel distinguida com Red Dot 2022

A OTIIMA foi distinguida com o prémio Red Dot 2022 na categoria Product Design, pelo seu sistema 38 PLUS, o qual voltou a apresentar-se a concurso com um novo conceito de design e um novo sistema de engenharia: o fecho oculto no perfil central

CONSTRUIR

Pela segunda vez, a Ecosteel vê a OTIIMA ser destacada com o prémio Red Dot 2022 na categoria Product Design, atribuído ao sistema 38 PLUS, o qual voltou a apresentar-se a concurso com um novo conceito de design e um novo sistema de engenharia: o fecho oculto no perfil central. Com uma linha de visão de apenas 22 mm, este perfil central, com fecho invisível, proporciona à janela uma essência ainda mais minimalista, oferecendo toda a protecção contra intrusão, bem como uma melhoria da acústica e da inércia do perfil.

O fecho encontra-se perfeitamente integrado na capa central, o que lhe confere um carácter invisível, salvaguardando assim a estética e o aspecto minimalista inerente às janelas OTIIMA. Esta inovação traduz-se também num conjunto de melhorias a nível dos fechos das capas centrais.

Como explica Ricardo Cortês, responsável do departamento de ID&T “este conceito, que já havia sido pensado entre portas, foi melhorado e posto funcional, o que lhe valeu um reconhecimento que veio reforçar a credibilidade da marca OTIIMA, a quem é atribuído pela segunda vez este prémio, depois de ter sido destacado em 2017.

38 PLUS é um sistema exclusivo minimalista, caracterizado por um sistema de correr inovador. Trata-se de uma tecnologia que proporciona aos painéis envidraçados uma estabilidade superior, utilizando rolamentos verticais, oferecendo também um excelente desempenho em impermeabilidade, permeabilidade ao ar e resistência a cargas de vento.

Equipado ainda com um inovador sistema anti-freeze exclusivo, este tipo de solução permite anular o processo de condensação nos painéis de vidro, potencia o descongelamento de qualquer formação de gelo no interior do sistema de calhas, proporcionando uma melhor drenagem de água, mesmo sob condições climáticas extremas.

Investigação Desenvolvimento & Tecnologia na Ecosteel

Constituído por uma equipa jovem, cujo foco é a inovação, o departamento de ID&T da ECOSTEEL tem objectivos claros para 2022: caminhar no sentido da optimização, desenvolvendo os mais variados projectos e prestando apoio no trabalho desenvolvido em obra, fábrica ou comercialmente. A principal missão do departamento de ID&T é pensar “fora da caixa”, criar o que não existe, o que também passa por agarrar uma ideia ou um projecto pensado anteriormente e transformá-lo num produto inovador. Ricardo Cortês, Mário Molho e André Almeida, que coordenam este departamento, sublinham que “desta forma, a carga de trabalho é maior do que se fosse algo construído de raiz, mas que o resultado final se revela recompensador. Foi seguindo esta linha de pensamento que nos levou a melhorar o sistema 38PLUS com o fecho oculto: uma ideia que conseguimos concretizar e que foi reconhecida com o Prémio Red Dot, na categoria Product Design”.

Os Prémios Red Dot Design são considerados um dos mais prestigiados concursos internacionais na área do design de produto. Em 2022, designers, escritórios de design e fabricantes de cerca de 60 países inscreveram os seus produtos nos Prémios Red Dot na categoria de Design de Produto. Sob o lema “Em busca do bom design e inovação”, os 48 membros internacionais do júri Red Dot avaliaram cada um dos produtos, tendo em conta, não só a funcionalidade e inovação dos mesmos, como também o design.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Epiroc apresenta a nova fresadora V

Com o seu design em V, a mais recente fresadora da Epiroc define um novo padrão em abertura de valas e pedreiras. Uma solução aparentemente simples com uma eficácia extraordinária que permite poupanças de energia até 40%

CONSTRUIR

“Os problemas de eficiência relacionados com a abertura de valas foram resolvidos com soluções avançadas, mas dispendiosas. Apresentamos uma alternativa que irá poupar tempo e dinheiro em praticamente todos os aspectos, do investimento à energia e ao desgaste da máquina portadora. E tudo é conseguido pelos ângulos do tambor”, explica Gordon Hambach, global business manager de acessórios hidráulicos na Epiroc.

Graças ao design em V, que permite um corte com uma base plana, nenhum material é deixado intocável entre os tambores. Uma fresadora de tambor regular tem de deslocar-se lateralmente para criar uma vala uniforme, uma abordagem que causa desgaste adicional no braço da máquina portadora, o VC 2000 pode atingir o mesmo resultado simplesmente a direito. Basicamente, funciona como um balde, o que facilita a sua utilização, é mais agradável para a máquina portadora e é necessária menos energia e tempo. Tendo em conta a redução dos períodos de inactividade e da manutenção, os cálculos são ainda mais atractivos.

As características distintivas das fresadoras de tambor Epiroc clássicos, como as engrenagens rectas robustas, o motor de engrenagem de binário elevado adaptável e o sistema de retenção QuickSnap para uma troca rápida e fácil, podem ser encontradas no nova VC 2000. Também está equipado com o suporte Pro, que conduz todas as mangueiras hidráulicas através do centro da lança e para locais seguros, como padrão. Também estão disponíveis suportes mecânicos e hidráulicos giratórios, bem como um sistema de pulverização de água que previne as poeiras. O sistema HATCON que monitoriza as horas de funcionamento, a localização e os intervalos de assistência e apresenta esses dados em praticamente qualquer ecrã através de My Epiroc é outra opção que aumentará a eficácia geral.

“O fornecimento de soluções que podem ajudar os nossos clientes a atingir novos níveis é gratificante, não menos importante no que diz respeito à poupança de energia e à sustentabilidade. Inspiram-nos a repensar constantemente todos os aspectos da nossa oferta, e VC 2000 é certamente o resultado disso”, conclui Gordon Hambach.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Instituto de Formação Vulcano estreia curso de instalação e manutenção de ar condicionado

Com a duração de dez dias, a formação será ministrada nos centros de Formação de Aveiro, em 2 a 31 de Maio, e em Lisboa, em duas sessões, de 23 a 31 de Maio e de 6 a 28 de Junho

CONSTRUIR

O Instituto de Formação Vulcano (IFV), espaço de formação e certificação nas áreas de água quente, energia solar térmica e climatização, estreia o curso de Instalação e Manutenção de Ar Condicionado. Com a duração de dez dias, a formação será ministrada às segundas e terças-feiras nos centros de Formação de Aveiro e Lisboa. A sessão em Aveiro terá lugar de 2 a 31 de Maio. Em Lisboa, o curso irá decorrer de 23 a 31 de Maio e de 6 a 28 de Junho. Destina-se a instaladores, recém-licenciados, e técnicos que tencionam dar os primeiros passos na área ou aprofundar conhecimentos.

Com uma duração de 80 horas, este curso irá proporcionar aos formandos várias aprendizagens, como: conceitos básicos de termodinâmica, princípios da climatização e refrigeração, componentes dos sistemas de ar condicionado e também procedimentos de instalação, funcionamento e manutenção. Os inscritos ficarão capacitados para compreender conceitos fundamentais como circuito frigorífico, e diagrama psicométrico, assim como identificar, seleccionar e instalar o equipamento mais adequado de acordo com o perfil do consumidor e a legislação vigente. Além disto, os formandos irão desenvolver aptidão para executar os procedimentos de funcionamento e manutenção de ar condicionado e ainda adquirir conhecimentos úteis para colocar em prática uma negociação de sucesso.

O Curso de Instalação e Manutenção de Ar Condicionado comporta conteúdos programáticos com base teórica, apresentando em simultâneo uma componente prática. Mais informações aqui

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

“Lisboa Circular” da Roca reflecte sobre Energia

Focado numa Lisboa mais sustentável, o Roca Lisboa Gallery lança a 5ª e última sessão do workshop ligado a esta área. O tema deste mês é a Energia

CONSTRUIR

O Roca Lisboa Gallery lança a sua última sessão do Workshop “Lisboa Circular.” O tema será a energia e terá lugar no dia 3 de Maio no Roca Lisboa Gallery. “A energia é um recurso utilizado por todos nós mas nem sempre valorizado e reconhecido. O crescimento populacional contínuo e a maior procura de recursos, assim como os agravantes efeitos das alterações climáticas, exigem novas abordagens para as cidades com foco numa gestão de energia mais eficiente e sustentável”, justifica a empresa em comunicado.

Nesta sessão será analisado o sistema de energia da cidade, de forma holística, apresentando soluções sustentáveis e regenerativas, que possam contribuir para a descarbonização energética. Este workshop colaborativo contará com a presença de especialistas da área que irão apresentar projectos de referência, comunitários e de maior escala na cidade Lisboa.

A sessão dedicada ao tema da Energia vai contar com o contributo de Gonçalo Correia, da Sustainable Energy Youth Network (SEYN), e de Sara Freitas, da Lisboa E-Nova – Agência de Energia e Ambiente de Lisboa.

Organizado por Laura Korčulanin, consultora e fundadora do “Give a Shit Project”, “Lisboa Circular” é um ciclo composto por cinco workshops dedicados a temas essenciais da cidade e que definem o bem-estar para todos os cidadãos. O Roca Lisboa Gallery já contou com quatro sessões, a primeira focada no tema dos Resíduos Urbanos e a segunda na Mobilidade, Fevereiro foi o mês de falar na Alimentação, Março na Água e agora, por último, em Maio o foco é a Energia.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

CLS iMation optimiza processos intralogísticos

Simulation as a Service é o novo serviço da CLS iMation que permite, através da simulação, avaliar as condições existentes no ambiente industrial e apresentar soluções que permitem optimizar a fluidez dos processos

CONSTRUIR

A CLS iMation introduziu mais uma adição ao seu portfólio de Soluções Inteligentes para a Automatização Logística. Trata-se do iMation SaaS (Simulation as a Service), um serviço que permite à CLS avaliar as condições existentes no ambiente industrial do cliente, a fim de apresentar, através do potencial da simulação, aspectos e soluções que podem ser optimizados para melhorar a fluidez dos processos.

A simulação é uma parte importante das soluções CLS para avaliar a interacção entre os sistemas existentes e os benefícios que podem ser obtidos pela introdução de soluções automatizadas, no caso dos armazéns tradicionais, ou pela reorganização dos fluxos de trabalho para uma optimização efectiva das tarefas e da produtividade.

Graças às possibilidades oferecidas pela simulação a CLS é capaz de apresentar uma “antevisão” de aspectos, soluções de armazém e processos optimizáveis. Ao analisar dados e variáveis, é possível avaliar a interacção entre os sistemas existentes e dispor de cenários e soluções alternativas desde as fases iniciais de desenvolvimento.
Este serviço de simulação, desenvolvido pela CLS iMation, acrescenta valor ao projecto do ponto de vista da consultoria e é, simultaneamente, integrador de sistemas especializado na optimização de processos de intralogística, o que permite desenvolver propostas flexíveis, modulares e escaláveis.

Desde a concepção de novas instalações de produção, à reengenharia de um ambiente existente, a CLS é capaz, através da definição de parâmetros e análises extremamente detalhadas, de mostrar concretamente como é possível digitalizar e automatizar os próprios processos da forma mais eficiente, integrando-os mesmo com sistemas ou máquinas tradicionais, de acordo com os inputs e necessidades reais do cliente, que é acompanhado passo a passo durante todas as fases de análise e consultoria.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Ministro da Economia e do Mar ouve vários sectores da economia portuguesa

António Costa Silva reuniu com empresários para ouvir os diferentes sectores sobre a questão da diversificação dos instrumentos de capitalização das empresas e os problemas que se colocam ao seu desenvolvimento

CONSTRUIR

O Ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, reuniu esta semana com os representantes de vários sectores da economia portuguesa. Os encontros de trabalho, realizados no norte do País, tiveram por objectivo ouvir sectores como a metalurgia e metalomecânica, passando pela fundição, indústria automóvel, sector eléctrico, cortiça, indústria extractiva, moldes, calçado, cerâmica e conservas de peixe.

Numa altura em que as empresas portuguesas enfrentam várias dificuldades, decorrentes do aumento dos preços da energia, o Ministro da Economia e do Mar quis ouvir os diferentes sectores sobre a questão da diversificação dos instrumentos de capitalização das empresas, os problemas de cada sector que se apresentem como entraves ao crescimento e ao aumento das exportações e os impactos da subida da energia nos custos de produção das empresas nacionais.

António Costa Silva encontrou agentes motivados, mas apreensivos com o actual contexto económico, tendo demostrado o total apoio do Governo em promover uma economia mais capacitada e resiliente, capaz de fazer face aos principais factores que preocupam as empresas nacionais.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

OBO Bettermann lança novo portfólio FireBox

Estruturado em seis grupos de produtos, para diversos casos de aplicação, o novo portfólio simplifica a selecção da FireBox necessária

CONSTRUIR

A OBO Bettermann lança o novo portfólio FireBox. O objectivo é uma maior “versatilidade de utilização e mais facilidade na sua selecção”.

Com o novo portfólio, a marca oferece variantes para cada área de aplicação e todas as ligações testadas contra incêndio para a manutenção de funções. A base para isto é o coração da FireBox: o borne de ligação cerâmico. Este é constituído por materiais cerâmicos resistentes a elevadas temperaturas, estando disponível como borne individual e duplo, bem como para redes de dados. Em combinação com a caixa termoplástica, forma um sistema de protecção contra incêndios comprovado.

Claramente estruturado em seis grupos de produtos, para diversos casos de aplicação, o novo portfólio simplifica a selecção da FireBox necessária. Os tamanhos de caixas disponíveis estão perfeitamente adaptados às secções transversais nominais dos bornes incluídos: a FireBox T100 para uma secção transversal de cabo de 6 mm², T160 para 10 mm² e T250 para 16 mm². A variante vazia da FireBox T350 oferece ainda mais espaço para equipar com diferentes bornes até 16 mm².

Através das unidades de bornes montadas na diagonal existe sempre espaço suficiente para cablagens. A versão como borne duplo possibilita, caso seja necessário, a ramificação de diversas secções transversais de cabos. Uma tal ramificação pode ser protegida por um porta-fusíveis separado.

Práticas fixações exteriores, bucins cónicos macios pré-montados e uma vasta gama de acessórios possibilitam uma montagem das FireBoxes rápida, simples e de acordo com as normas. As versões lisas com fixações VA oferecem a possibilidade de uma configuração livre.

O material da FireBox, livre de halogéneos, impede que em caso de incêndio surjam gases nocivos, de tal modo que danos pessoais e materiais são reduzidos ao mínimo.

Com o novo portfólio FireBox são ligados cabos e fios elétricos relevantes para a segurança à prova de fogo

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Casavo vai reforçar a sua equipa em Portugal até ao final do ano

Até ao final do ano, a proptech pretende chegar às 20 pessoas em Lisboa. A plataforma adoptou um novo modelo de cultura corporativa baseado na retenção de talento através da valorização do capital humano

CONSTRUIR

A Casavo, plataforma digital para o mercado residencial, que chegou a Lisboa em Janeiro deste ano, prepara-se para reforçar a sua equipa local com novas contratações para atingir as 20 pessoas até ao final do ano. Com o objectivo de consolidar a sua missão de redesenhar a experiência de compra e venda de casas na Europa, a plataforma que opera em Itália, Espanha e Portugal está à procura de profissionais empreendedores, motivados e com boa capacidade de comunicação, que queiram aceitar o desafio de integrar a sua equipa no escritório português.

Para acompanhar as mudanças que a pandemia impulsionou na forma como as pessoas se relacionam com o trabalho e atrair e manter colaboradores, a Casavo assentou recentemente a sua cultura corporativa num modelo disruptivo de retenção de talento com base na prevenção. Este modelo consiste numa estratégia proactiva de valorização contínua dos colaboradores, de forma a mantê-los motivados e integrados nas equipas. Para este efeito, a empresa aposta na formação contínua, na flexibilidade horária e na autonomia das suas equipas para que estas possam escolher de que forma querem atingir os objectivos comuns.

“Lisboa é a nossa porta de entrada e primeiro investimento no mercado português e estamos muito satisfeitos por trazer não só a nossa missão, mas também a nossa cultura corporativa. Somos uma empresa sólida que acredita na valorização das pessoas e do seu talento, trabalhando diariamente para melhorar a satisfação daqueles que fazem parte do nosso projecto nos diferentes países”, explica Duarte Ferreira dos Santos, vice president of investments da Casavo em Lisboa. “Na Casavo, procuramos que as equipas cresçam a nível pessoal e profissional, tentando sempre compreender as suas motivações e ambições de forma a ir ao encontro das suas expectativas. O capital humano é um dos aspectos que mais valorizamos, e queremos apostar no talento português”, acrescenta.

Para responder às novas exigências do mercado, em 2021, a Casavo expandiu a sua equipa para 328 colaboradores em todas as cidades onde opera. Até ao final do ano, a plataforma planeia contratar mais 150 pessoas para os seus escritórios em Portugal e Espanha.

Fundada em 2017, em Milão, a Casavo é uma plataforma para o mercado residencial que apresenta propostas em 48 horas e compra casas directamente aos vendedores em apenas alguns dias, renova-as e encontra os compradores finais. Até à data, já realizou mais de 166.000 avaliações de imóveis através do seu website, concretizou mais de 2.300 transacções com um valor superior a 700 milhões de euros e angariou mais de 450 milhões de euros em equity e dívida. Actualmente, opera em Milão, Roma, Turim, Florença, Bolonha, Madrid, Barcelona, Sevilha, Málaga e Lisboa, planeando expandir-se para outros mercados europeus em breve.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Challenge LG Recicl’Arte vai premiar obras com objectos em fim de vida

Sob o conceito geral REPLAY, esta acção combina música e sustentabilidade inspirando-se nos três Rs – Reduzir, Reutilizar e Reciclar. As inscrições estão abertas até ao dia 3 de Maio

CONSTRUIR

A empresa tecnológica LG acaba de lançar o Challenge LG Recicl’arte que vai desafiar os jovens artistas portugueses a criarem obras artísticas interventivas e disruptivas, tendo como base resíduos de lixo, desperdício e equipamentos eletrónicos danificados.

Este desafio surge no âmbito da presença da LG nos festivais de Verão, tais como o Palco LG nos festivais Super Bock Super Rock e MEO Sudoeste, através de acções estratégicas que têm vindo a dar palco aos talentosos artistas emergentes do país ou o concurso #onestepformusicfest, cuja banda vencedora sobe ao Palco LG na Zambujeira do Mar.

Assim, o Challenge LG Recicl’arte vem desafiar os artistas, alunos de artes plásticas e de design e alunos de artes de escolas secundárias (com idades superiores a 16 anos) a darem uma nova vida aos objectos em fim de vida. Para tal, deverão utilizar, com originalidade e sentido estético, resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos e lixo recolhido do mar, praias, florestas e campos. Tendo em conta o perfil da LG, a sustentabilidade, tecnologia e inovação serão características altamente valorizadas na avaliação das obras artísticas.

“Sob o conceito geral REPLAY, esta acção combina música e sustentabilidade inspirando-se nos três Rs – Reduzir, Reutilizar e Reciclar. Tal como fazemos REPLAY na música de que mais gostamos, queremos também fazer REPLAY aos objetos em fim de vida. Por essa razão, desafiamos os jovens a Reciclar com Arte, Reciclar criando Arte ou seja, RECICL’ARTE!”, conclui Hugo Jorge, marketing director da LG Portugal.

As inscrições estão abertas até ao dia 3 de Maio e os 10 trabalhos finalistas, apurados por um júri, serão apresentados na conferência de imprensa dos palcos LG dos festivais de música Super Bock Super Rock e MeO Sudoeste, no dia 10 de Maio, em Lisboa. O grande vencedor será decidido até ao dia 14 de junho por voto do público.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.