Edição digital
Assine já
    PUB
    Imobiliário

    Golden Place com 43 apartamentos em construção na Maia

    Com 43 apartamentos o novo edifício habitacional e comercial está localizado no Parque da Pícua, em Águas Santas A construção arrancou neste mês de Agosto, estando a conclusão prevista para o quarto trimestre de 2024

    CONSTRUIR
    Imobiliário

    Golden Place com 43 apartamentos em construção na Maia

    Com 43 apartamentos o novo edifício habitacional e comercial está localizado no Parque da Pícua, em Águas Santas A construção arrancou neste mês de Agosto, estando a conclusão prevista para o quarto trimestre de 2024

    CONSTRUIR
    Sobre o autor
    CONSTRUIR
    Artigos relacionados
    BOMO Arquitectos assinam reconversão de casa rural em Silves (c/ galeria de imagens)
    Arquitectura
    O expectável aumento do volume de investimento na hotelaria europeia
    Imobiliário
    Roca apresenta “Sparking Change” na Fuorisalone
    Empresas
    Habitação: Câmara de Lagos aprova investimento de 9,4M€ na compra de terrenos
    Construção
    Vila Galé inaugura hotéis na Figueira da Foz e Isla Canela
    Imobiliário
    Prémio Nacional do Imobiliário 2024 distingue empreendimentos do sector
    Imobiliário
    DS Private reforça rede
    Empresas
    Salto Studio ganha concurso para antiga Colónia Balnear da Areia Branca
    Arquitectura
    Município de Esposende investe 3,6M€ na construção de residência de estudantes
    Construção
    Weber lança novo acabamento para fachadas
    Empresas

    “Golden Place” é o nome do novo edifício habitacional com 43 apartamentos e quatro lojas comerciais que começou a ser construído na Avenida de Dom António Ferreira Gomes, em Águas Santas, no município da Maia.
    Projectado pelo gabinete de arquitectura BLK – Porto Arquitectura e comercializado em exclusivo pela agência imobiliária Medium, o Golden Place ficará situado muito perto do cruzamento das autoestradas A3 e A4 e do centro da cidade do Porto.

    Apesar da proximidade do bulício urbano do Porto, o Golden Place oferece tranquilidade, dada a sua harmonia com o Parque da Pícua e um conjunto de serviços essenciais à vida quotidiana. Para além de escolas, supermercados e outros espaços de comércio e serviços, a zona é servida por uma rede de transportes públicos diversificada.
    Os 43 apartamentos e as quatro lojas comerciais já estão em comercialização. A construção do imóvel arrancou neste mês de Agosto, estando a conclusão prevista para o quarto trimestre de 2024. A construção estará a cargo da empresa Século Simétrico, da Maia.

    “O verde do parque, a rede de transportes públicos e os excelentes acessos rodoviários são factores de elevada importância para a qualidade de vida dos futuros residentes no Golden Place”, indica Pedro Fernandes, director comercial da agência Medium.

    O empreendimento estará distribuído por cinco pisos, com apartamentos de tipologia T1, T2, T2+1 e T3 e quatro lojas comerciais no rés-do-chão. Todos os apartamentos são contemplados com garagem fechada para 1, 2 ou 3 automóveis.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Artigos relacionados
    BOMO Arquitectos assinam reconversão de casa rural em Silves (c/ galeria de imagens)
    Arquitectura
    O expectável aumento do volume de investimento na hotelaria europeia
    Imobiliário
    Roca apresenta “Sparking Change” na Fuorisalone
    Empresas
    Habitação: Câmara de Lagos aprova investimento de 9,4M€ na compra de terrenos
    Construção
    Vila Galé inaugura hotéis na Figueira da Foz e Isla Canela
    Imobiliário
    Prémio Nacional do Imobiliário 2024 distingue empreendimentos do sector
    Imobiliário
    DS Private reforça rede
    Empresas
    Salto Studio ganha concurso para antiga Colónia Balnear da Areia Branca
    Arquitectura
    Município de Esposende investe 3,6M€ na construção de residência de estudantes
    Construção
    Weber lança novo acabamento para fachadas
    Empresas
    PUB
    Imobiliário

    O expectável aumento do volume de investimento na hotelaria europeia

    De acordo com o mais recente estudo da Savills ‘European Investor Sentiment Survey 2024’ espera-se que os volumes de investimento em hotéis europeus este ano ultrapassem significativamente os números de 2023

    CONSTRUIR

    Espanha ultrapassou o Reino Unido em 2022 para se tornar no maior mercado de investimento hoteleiro da Europa, afirma a consultora imobiliária internacional. No entanto, o Reino Unido recuperou a sua posição no ano passado, registando 2,62 mil milhões de euros em transacções hoteleiras, ligeiramente acima dos 2,61 mil milhões de euros anotados em Espanha.

    Este facto foi impulsionado por um aumento acentuado da actividade no Reino Unido no último trimestre, ajudado por uma redução dos custos dos empréstimos e, assim, pela melhoria do sentimento dos investidores. Com mais de mil milhões de euros de activos hoteleiros do Reino Unido já transaccionados este ano, prevê-se que os volumes totais do corrente ano ultrapassem os níveis de 2023.

    O Savills European Investor Sentiment Survey 2024 mostra também uma tendência significativa entre os investidores para aumentar o seu capital alocado ao segmento hoteleiro nos próximos três anos. Apenas neste período, os inquiridos esperam investir cerca de 10 mil milhões de euros, visando em particular os Serviced Apartments, os Lifestyle Hotels e os Mid-Market Hotels.

    No caso português, o país está na vanguarda do turismo do futuro, apostando na sustentabilidade e oferecendo experiências turísticas de elevado valor acrescentado. Em 2023, o segmento de hospitality liderou a tabela de investimento imobiliário registando sensivelmente mais de 570 milhões de euros de volume de investimento imobiliário, com 83% do capital de origem internacional.

    “No segundo semestre de 2023, a actividade de investimento mostrou sinais promissores de recuperação, assinalados por aumentos trimestrais consecutivos. Os volumes regionais aumentaram 20% em relação ao trimestre anterior durante o terceiro trimestre, um desenvolvimento assinalável, dado que o terceiro trimestre é tradicionalmente marcado por uma actividade moderada. Esta dinâmica continuou com volumes mais fortes no 1º trimestre de 2024 em vários mercados-chave da região”, aponta Richard Dawes, director Savills EMEA hotels team.

    Por sua vez, Marie Hickey, director Savills research, sublinha que “com a procura em vários mercados hoteleiros europeus ainda em modo de recuperação, continua a existir um apoio significativo a um maior crescimento da ocupação, o que irá sustentar as taxas e ajudar a impulsionar as receitas”. Assim, continua a especialista, “embora os compradores privados e proprietários/operadores tenham sido particularmente activos em 2023 – e continuarão a sê-lo este ano –, também esperamos que o capital privado de média capitalização e as instituições recuperem em 2024, apoiados pelo apelo relativo do sector de hospitalidade, fortes fundamentos de procura, desempenho operacional e a pressão para implantar capital”.

    Relativamente ao mercado nacional Luís Clara, Capital Markets Associate da Savills Portugal, refere que “em Portugal, nos próximos dois anos, deverão abrir mais de 80 novas unidades hoteleiras, que resultarão numa oferta total superior a 7.900 camas espalhadas por todo o país e promovidas por marcas internacionais de peso. Este ano, prevê-se que o segmento hoteleiro mantenha o dinamismo, assente num excelente desempenho operacional, que manterá o país na rota de investidores e marcas hoteleiras internacionais”.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Vila Galé inaugura hotéis na Figueira da Foz e Isla Canela

    O grupo Vila Galé já soma mais dois hotéis à sua rede: o Vila Galé Collection Figueira da Foz e o Vila Galé Isla Canela, o primeiro em Espanha. É na Costa de la Luz, em Huelva, que a Vila Galé estreia a sua marca em terras espanholas. Com acesso direto à praia, o Vila… Continue reading Vila Galé inaugura hotéis na Figueira da Foz e Isla Canela

    Ricardo Batista

    O grupo Vila Galé já soma mais dois hotéis à sua rede: o Vila Galé Collection Figueira da Foz e o Vila Galé Isla Canela, o primeiro em Espanha.

    É na Costa de la Luz, em Huelva, que a Vila Galé estreia a sua marca em terras espanholas. Com acesso direto à praia, o Vila Galé Isla Canela instalou-se num edifício com arquitetura e decoração de influência árabe, que conta com 300 quartos com varanda, duas piscinas, dois restaurantes, três bares – incluindo um na piscina – Satsanga Spa & Wellness com piscina interior, Clube Nep para as crianças, salas de eventos e lojas.

    Após a renovação total das áreas públicas de clientes, aqui a elegância funde-se com o cenário deslumbrante da costa espanhola, mesmo ao lado do Algarve, com uma oferta gastronómica e de animação muito vocacionada para famílias e casais, onde se inclui a opção do regime ‘Tudo Incluído’.

    Já na Figueira da Foz, um destino turístico tradicional, a Vila Galé assumiu a gestão do emblemático Grande Hotel da Figueira. Com uma localização privilegiada, na marginal e na primeira linha da praia, esta unidade foi totalmente renovada e modernizada e é agora o Vila Galé Collection Figueira da Foz.

    Com 102 quartos, dois restaurantes, bar, piscina exterior e Satsanga Spa & Wellness, trata-se um imóvel histórico, ex-libris da Figueira da Foz pela sua forte presença arquitetónica e estética pós-modernista dos anos 50. Assinado pelo arquiteto Inácio Peres Fernandes e com pinturas de Thomaz de Mello e outros artistas, foi inaugurado em junho de 1953 como Grande Hotel da Figueira e está classificado como imóvel de interesse público desde 2002.

    O Vila Galé Collection Figueira da Foz é o 32º hotel da rede em Portugal, que conta ainda com dez unidades no Brasil e um resort com regime ‘Tudo Incluído’ em Cuba, o Vila Galé Cayo Paredón.

    Sobre o autorRicardo Batista

    Ricardo Batista

    Director Editorial
    Mais artigos

    Vencedores dos Prémios do Magazine Imobiliário

    Imobiliário

    Prémio Nacional do Imobiliário 2024 distingue empreendimentos do sector

    Organizado pela Magazine Imobiliário, a gala de entrega dos prémios teve lugar no Vila Galé Sintra Resort Hotel Conference & Spa

    CONSTRUIR

    Foram conhecidos esta quinta-feira, dia 18 de Abril, os vencedores do Prémio Nacional do Imobiliário 2024. Uma iniciativa da Magazine Imobiliário que se apresenta como um incentivo para que os players produzam “criações urbanas inovadoras e sustentáveis”. Com cerca de 230 convidados, a gala de entrega dos prémios teve lugar no Vila Galé Sintra Resort Hotel Conference & Spa.

    O Melhor Empreendimento do Ano 2024 foi entregue pela esmagadora maioria dos membros do júri, à Escola Básica nº1 + Jardim Infantil Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, promovido pela Lisboa Ocidental SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana. Localizado no Bairro da Boavista, em Lisboa, o empreendimento foi distinguido, igualmente, na categoria de Empreendimentos Colectivos, esta escola oferece apoio educativo à comunidade local, além de ser um espaço inclusivo e ambientalmente responsável.

    A K-Tower Lisbon Business Centre, do promotor Krest Real Estate Investments, triunfou na categoria Escritórios e na categoria Turismo o prémio foi atribuído ao Verdelago Resort, do promotor Verdelago Sociedade Imobiliária. Já na categoria Habitação, a categoria mais concorrida dos prémios com 22 finalistas, triunfou o Antas Atrium, do promotor Quest Capital.

    Por ser a categoria com mais finalistas, a Habitação distinguiu quatro projectos, consoante a sua localização geográfica. Assim, o Prémio Habitação Norte foi para River Plaza do promotor Teixeira Duarte Real Estate, o Prémio Habitação Centro foi para Miraflores Park do promotor Solyd Property Developers, o Prémio Habitação Sul para o Bayline do promotor Vanguard Properties e Savoy Residence I Insular, do promotor Savoy Signature / AFA Real Estate, foi galardoado com o Prémio Habitação Sul.

    O Prémio Projecto de Interiores coube ao Legacy Hotel by Hilton, do promotor Reformosa e com assinatura do arquitecto Luís Rebelo de Andrade.

    O empreendimento Rodrigo da Fonseca Prime Residences, do promotor Mexto Property Investment recebeu o Prémio Reabilitação. Esta categoria contou, este ano, com novas distinções, abrangendo diferentes áreas geográficas. A Norte, o premio de Reabilitação foi para Grande Hotel Paris do promotor Just Stay Hotels, no Centro foi distinguido o Duke Residences Saldanha, do promotor Pujolinvest e o Prémio Reabilitação Ilhas foi para o Barceló Funchal Old Town do promotor Emeraldtown – Empreendimentos Imobiliários e Turísticos.

    O Prémio de Excelência em Eficiência & Sustentabilidade, atribuído em parceria com a ADENE – Agência para a Energia, não só aumentou o número de empreendimentos a concurso, como revelou uma maior preocupação ambiental e energética com o edificado por parte dos promotores. O laureado foi o edifício de escritórios K-Tower Lisbon Business Centre, do promotor Krest Real Estate Investments.

    A realização desta iniciativa conta com patrocinadores, apoios e parceiros, como a Victoria Seguros como Patrocinador Principal, o Santander, o Banco Oficial. Juntam-se também os sponsers, Savills, ERA Portugal, Grohe, AEG, JUNG e Avila Spaces. Cocktail sponsored by LG Portugal.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Twinkloo olha para o futuro do imobiliário em Portugal através de novo podcast

    Ao longo de 50 semanas, Massimo Forte, em conversa com reconhecidos especialistas em diversas áreas, analisa alguns dos grandes temas da actualidade, do imobiliário ao crédito, passando pelo empreendedorismo e desafios do financiamento. O primeiro episódio estreia a 22 de Abril

    CONSTRUIR

    A Twinkloo, especialista em crédito habitação e intermediário de crédito, acaba de lançar o podcast “Num Piscar de Olhos”. Apresentado por Massimo Forte, real estate influencer e autor de best sellers de mediação mobiliária, o podcast nasce com o objectivo de promover uma reflexão sobre os grandes desafios do sector, além de se debruçar também sobre outras temáticas de grande relevância como o empreendedorismo ou o papel do crédito no sucesso de projectos pessoais e profissionais.

    O primeiro episódio estreia no dia 22 de Abril, tendo como convidado José Cardoso Botelho, director geral da Vanguard Properties.

    Assim, através de conversas esclarecedoras e enriquecedoras sobre o futuro do imobiliário, o projecto é uma aposta da Twinkloo para aproximar os diversos especialistas ao longo de toda a cadeia de valor, num contexto muito desafiante do mercado de habitação em Portugal.

    “Centrado em pessoas de referência em áreas como imobiliário, investimento, crédito, poupança, serviço a cliente, empreendedorismo, literacia financeira ou casos de sucesso, ‘Num Piscar de Olhos’ não é apenas um podcast; é uma plataforma de partilha, aprendizagem e inspiração, pensada para ligar profissionais e entusiastas do sector, em formato vídeo e áudio”, afirma Rui Lima, executive managing director da Twinkloo.

    Com 50 episódios, “Num Piscar de Olhos” foi planeado para oferecer uma jornada de conhecimento, que se estende ao longo de um ano, conduzida por um dos principais protagonistas no sector imobiliário em Portugal. Para o efeito reúne uma selecção criteriosa de especialistas, onde se incluem líderes de opinião e profissionais de destaque no sector imobiliário, banca ou investimento, bem como personalidades influentes e figuras-chave do empreendedorismo. Para além de José Cardoso Botelho, irão participar, entre outros, Patrícia Barão, CEO da JLL, Miguel Carvalho, presidente da Startup Portugal, Sandra Alvarez, general manager da PHD Media, Paulo Faustino, head of growth da Get Digital.

    Cada episódio é desenhado para, em 30 minutos, abordar temas estruturantes que proporcionarão aos ouvintes uma compreensão mais profunda dos mercados imobiliário e de crédito, ao mesmo tempo que abordam os desafios e oportunidades relacionados com liderança, empreendedorismo e inovação.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Iad lança iniciativa que permite ter “estimativa realista e actualizada” dos imóveis

    “Estimar o valor de um imóvel implica conhecimento do mercado, da zona, dos imóveis concorrentes e de outros factores, como a urgência que o proprietário tem na venda, por exemplo. Assim, definir o valor de um imóvel não é um palpite, implica um estudo e uma análise cuidadosa por um profissional do sector”, afirma Carolina Xavier e Sousa, head of Marketing & Communication da Iad Portugal

    CONSTRUIR

    “Estimation Week” é a nova campanha de Grupo Iad, que visa o “reforço da percepção do know-how” dos seus consultores independentes, assim como “posicionar a Iad como especialista no que toca à estimativa de valor de um imóvel”. A iniciativa decorre até 21 de Abril.

    Num momento particularmente desafiante, em que o mercado se encontra volátil há vários meses, o objectivo da filial nacional passa por “ajudar os portugueses a ter uma estimativa realista e actualizada de valor do seu imóvel”, no momento de compra ou venda de uma casa, contando com o apoio de um profissional especializado com recurso à mais avançada tecnologia.

    “O objectivo desta campanha passa por inculcar uma mensagem na mente dos proprietários: para vender rapidamente, é preciso fazer uma boa estimativa de valor e isso significa estar acompanhado por um profissional que tenha know-how nesta matéria e o acesso às melhores ferramentas tecnológicas do sector”, reforça Alfredo Valente, CEO da Iad Portugal.

    Actualmente, o valor dos imóveis flutua bastante, e uma estimativa de valor com mais de três meses nem sempre reflecte a realidade do mercado actual. O tempo médio dos imóveis no mercado tem aumentado – passou de cinco para seis meses – e o desconto implícito, isto é a diferença entre o último asking price e o preço da transacção, aumentou para 6%, segundo dados do último relatório do Confidencial Imobiliário.

    “Estimar o valor de um imóvel implica conhecimento do mercado, da zona, dos imóveis concorrentes e de outros factores, como a urgência que o proprietário tem na venda, por exemplo. Assim, definir o valor de um imóvel não é um palpite, implica um estudo e uma análise cuidadosa por um profissional do sector. Os consultores da Iad têm, pois, o know-how que legitima esta campanha e que ajudará a alinhar expectativas de proprietários e compradores”, acrescenta Carolina Xavier e Sousa, head of Marketing & Communication da Iad Portugal.

    Esta é uma iniciativa ao nível do grupo Iad, que acaba de lançar a Estimation Week em diversas filiais em simultâneo, tais como França, Itália e Reino Unido.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos

    WellBe (Parque das Nações)

    Imobiliário

    Análise: Mercado de escritórios em Lisboa em “forte recuperação”

    Neste período, a ampla maioria das operações foram mudanças de instalações, representando cerca de 90% da área colocada, onde se assinala, ainda, a entrada de três novas empresas na região de Lisboa

    CONSTRUIR

    O primeiro trimestre de 2024 foi marcado por um crescimento significativo da absorção de espaços de escritórios em Lisboa, que ascendeu aos 76.131 metros quadrados (m2). Depois de uma dinâmica mais moderada assinalada em 2023, os primeiros meses de 2024 demonstraram a “!resiliência e a atractividade” do mercado, que apresentou sinais de “forte recuperação” no volume de operações que quase triplicou face ao período homólogo, destaca a Worx Real Estate.

    “Vermos o mercado a recuperar novamente e a voltar aos valores pré-pandemia, deixa-nos confiantes em relação ao restante ano de 2024. Até agora, a Worx foi responsável pela colocação de mais de um terço da área total absorvida, com aproximadamente 29.200 m2 e foi responsável por quatro das cinco maiores operações deste início de ano. Estes resultados são o reflexo do nosso trabalho de equipa e do nosso posicionamento diferenciado perante os desafios do mercado de escritórios em Lisboa”, afirma Bernardo Zammit e Vasconcelos, head of Agency da Worx Real Estate Consultants.

    Da análise realizada ao mercado da capital, a consultora destaca o Parque das Nações (zona 5) como a zona “com maior procura neste período”, com 41% da absorção total, tendo assinalado igualmente a maior transacção do trimestre, com a colocação da Caixa Geral de Depósitos no edifício WELLBE.

    Por outro lado, a Prime CBD (zona 1) registou o maior número de operações, evidenciando uma maior apetência da procura por espaços em localizações centrais e de prestígio, ainda que com áreas mais reduzidas.

    Neste período, a ampla maioria das operações foram mudanças de instalações, representando cerca de 90% da área colocada. Neste âmbito, foi ainda assinalada a entrada de três novas empresas na região de Lisboa, entre as quais a empresa de flex offices Monday.

    No que toca ao perfil da procura, as empresas de serviços financeiros captaram a maior área absorvida, impulsionada em grande medida por duas transacções acima dos 10 mil m2, contudo, as TMT’s continuam a representar o maior número de operações.

    Perante este arranque de ano, as perspectivas de evolução do mercado continuam “optimistas”, face ao crescente número de empresas a quererem instalar-se em Lisboa, pela sua “localização estratégica, boas infraestruturas e pelo ambiente calmo e seguro” do País, ainda mais relevante no actual contexto que a Europa atravessa.

    “Não temos dúvidas de que o mercado vai continuar a crescer, dado que as empresas continuam a investir na melhoria das suas instalações e a apostar em boas localizações, como forma de atrair os seus colaboradores para um regresso ao escritório, no pós-pandemia”, conclui Bernardo Zammit e Vasconcelos.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    B. Prime coloca modelo “inovador” da Regus em Lisboa

    Dos candidatos, a IWG (Regus) acabou por ser a seleccionada devido ao “profundo conhecimento de mercado local, know how e track record”, destaca a consultora

    CONSTRUIR

    O proprietário do edifício Fontainhas, em Alcântara, que foi totalmente reabilitado, pretendia potenciar a rentabilidade do activo através da exploração de um flex space, tendo, para o efeito, mandatado a B. Prime.

    A consultora começou por seleccionar uma série de operadores neste segmento, interessados numa parceria em modalidade de “Managed Client Agreement” – Contrato de Gestão – em que o operador garante a operacionalização do negócio, mas em que o proprietário é responsável pelo edificado e manutenção da infraestrutura. Este modelo inovador parece ser uma tendência neste segmento de mercado, em Portugal.

    Dos candidatos, a IWG (Regus) acabou por ser a seleccionada devido ao “profundo conhecimento de mercado local, know how e track record”. A B. Prime vai igualmente colaborar com a Regus, na colocação de empresas neste espaço.

    “O nosso modelo está cada vez mais assente em parcerias com os proprietários dos edifícios que investiram na plataforma IWG para criar espaços de trabalho flexível nos seus edifícios. As parcerias permitem que proprietários e investidores aumentem o retorno dos seus imóveis capitalizando a rápida expansão da procura de soluções de trabalho híbrido”, afirma Jorge Valdeira, country manager Portugal da IWG.

    A IWG mandatada pelo proprietário, vai comercializar e gerir um novo flex space da marca Regus no decorrer do primeiro semestre de 2024. O novo centro vai oferecer uma oferta diversificada de espaços privados e de coworking numa zona da cidade em franca renovação e muito carenciada deste tipo de serviços.

    Com a Regus Alcântara, a IWG aumentará a sua rede para 21 unidades em Portugal, já que as suas marcas – Regus, Spaces e HQ – cobrem o território continental desde o Minho até ao Algarve e estão presentes em mais de 120 países, em todo o mundo.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Projecto brasileiro ‘Moréias’ quer atrair compradores portugueses

    Localizado no Ceará, o empreendimento acaba de ser lançado no mercado português pela Athena Advisers, que além dos investidores nacionais pretende captar o interesse de outros mercados europeus, assim como o norte-americano

    CONSTRUIR

    Os portugueses são o principal público que a Athena Advisers quer atrair para o projeto imobiliário Moréias, localizado no Ceará, Brasil, e que a consultora acaba de lançar no mercado português. No âmbito europeu, a Athena Advisers vai também comercializar o projeto nos mercados britânico e francês, onde tem uma forte presença, assim como em Espanha e Itália. Do outro lado do Atlântico, além dos brasileiros, a aposta será nos investidores norte-americanos, que constituem actualmente uma parte expressiva dos seus clientes.

    Com princípios e práticas “fortemente ecológicas e sustentáveis”, a Fazenda Moréias está implantada em 2 500 hectares de área preservada que abriga 10 biomas naturais e se estende ao longo de oito quilómetros de praias na região costeira de Tatajuba (entre Barra Grande e Preá), conhecida por ser um dos melhores destinos de kitesurf do mundo. No empreendimento está já em funcionamento o restaurante de gastronomia local Orós e uma escola de kitesurf, além de um hotel que abriga quatro bungalows em operação há dois anos.

    A próxima fase do projeto, com o nome Barvalento, já arrancou com a construção e será composta pelo Vilarejo Moréias com 12 casas chave-na-mão (mobiladas e equipadas) e a Morada Moréias, com 27 lotes de terreno para a construção de bungalows e moradias, também no modelo chave-na-mão.

    O Vilarejo Moréias é inspirado na arquitectura tradicional do Ceará numa interpretação contemporânea e, como tal, o planeamento urbano segue os preceitos do design biomimético, que imita os processos e estruturas naturais encontrados no meio ambiente. As suas casas, todas de tipologia T2 com piscina, têm áreas de 150 m² e estão implantadas em terrenos de 400 metros quadrados (m2).

    Os lotes da Morada Moréias compreendem áreas entre os 1 500 m e 2 400 m para a construção de bungalows de tipologia T1 e T2, e moradias de tipologia T2 e T4, todas com os quartos em suite.

    Na concepção destes espaços, que se caracterizam por promover o slow living em conexão com a natureza quase intacta da região e respeitar a comunidade local envolvente, trabalha uma equipa de arquitectos constituida por Carlos Motta, Gui Mattos e o atelier DEF Projetos, responsáveis pelo design dos bungalows e moradias, e Dani Fromer, que teve a cargo a concepção do Vilarejo.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    Perspectivas e desafios da habitação em debate na Universidade de Aveiro

    O encontro, que conta com os seminários “Habitação – Enquadramento, problemas e desenvolvimento futuro” e “Habitação – Construção e Reabilitação”, tem lugar dia 19 de Abril, na Universidade de Aveiro

    CONSTRUIR

    Em conjunto, a Associação de Antigos Alunos da Universidade de Aveiro (AAAUA) e a Keller Williams (KW) Área Aveiro, organizam o encontro “Habitação – Perspectivas e Desafios” conta com os seminários “Habitação – Enquadramento, problemas e desenvolvimento futuro” e “Habitação – Construção e Reabilitação”.

    Marcado para a manhã de sexta-feira, dia 19 de abril, no auditório do edifício III, da Universidade de Aveiro, o encontro segue a filosofia de encontros anteriormente realizados pela Associação: fomentar o debate de temas de interesse para os sócios e para a sociedade em geral, reforçando simultaneamente a sua ligação à região e aos territórios.

    Consciente da relevância da habitação no âmbito nacional, os organizadores seleccionaram o tema “Habitação – Perspectivas e Desafios” para o encontro de 2024. Com este encontro, e tal como em edições anteriores, esperam contribuir para o debate informado sobre um tema que consideram sensível e de primordial importância no quotidiano das famílias, sem esquecer a ligação da comunidade dos antigos alunos aos territórios.

    O encontro conta com dois seminários, “Habitação – Enquadramento, problemas e desenvolvimento futuro”, que conta com a participação de Fernanda Rodrigues, a anterior secretária de Estado da Habitação, Ricardo Guimarães, director da Confidencial Imobiliário, Marco Tairum, CEO da Keller Williams Portugal e Romeu Vicente, coordenador da Unidade de Investigação Risco; e “Habitação – Construção e Reabilitação”, com a presença de Hugo Rodrigues, coordenador do Colégio de Engenharia Civil da Região Centro, de Artur Varum, CEO da Civilria, de Gonçalo Martins, CEFA na Perfisa e Margarida Ferreira, coordenadora do Núcleo Alumni de Engenharia Civil.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    Imobiliário

    IHG Hotels & Resorts duplica presença na Alemanha

    IHG Hotels & Resorts e Novum Hospitality assinam acordo que duplica a presença hoteleira da IHG na Alemanha, lança a colaboração Holiday Inn – the niu e estreia as marcas Garner e Candlewood Suites na Europa

    CONSTRUIR

    A IHG Hotels & Resorts (IHG) e a Novum Hospitality anunciam um acordo de longo prazo que duplicará a presença da IHG na Alemanha para mais de 200 hotéis em quase 100 cidades, através de uma colaboração com a marca Holiday Inn – the niu e da estreia na Europa das marcas Garner e Candlewood Suites da IHG.

    O acordo com a Novum Hospitality, um dos maiores operadores hoteleiros privados da Alemanha, propriedade de David Etmenan, tornará a IHG num dos principais intervenientes nos segmentos midscale e upper midscale.

    Assim, entre 2024 e 2028, deverão juntar-se ao sistema da IHG 108 hotéis Novum Hospitality (15.334 quartos) e 11 hotéis em desenvolvimento (2.369 quartos). A conversão dos hotéis para o sistema da IHG ocorrerá por fases, com início em 2024, sendo que a maioria terá lugar nos próximos 24 meses. Com esta operação, o tamanho do sistema global da IHG aumentará em até 1,9% nos próximos anos.

    Outros 52 hotéis abertos e em projecto juntar-se-ão à IHG através de uma colaboração distinta entre o Holiday Inn e a the niu, a elegante e emblemática marca de gama média-alta da Novum Hospitality.

    Esta colaboração combinará a presença doméstica da the niu com a reputação de confiança da Holiday Inn e o reconhecimento global da marca para construir uma posição de liderança num mercado alvo fundamental. As outras marcas da Novum Hospitality, Yggotel, Select e Novum, com 56 hotéis abertos e em projecto, serão convertidas na nova marca de conversão de gama média da IHG, Garner, e a marca acora Living the City, com 11 hotéis abertos e em projecto, será convertida na marca de estadia prolongada de gama média da IHG, Candlewood Suites.

    O acordo inclui uma parceria de exclusividade para que os futuros hotéis da Novum Hospitality se juntem às marcas líderes e ao portfolio de hotéis da IHG, com a ambição de desenvolver conjuntamente mais hotéis ao longo do tempo

    O acordo tem um prazo de 30 anos e a opção de renovação por prazos adicionais.

    A Novum Hospitality adoptará as marcas e os sistemas da IHG para todo este portfólio, tornando-se um dos maiores franchisados da IHG a nível mundial, com acesso ao poderoso motor comercial e às plataformas tecnológicas da IHG para impulsionar o desempenho do hotel, melhorar a eficiência das operações hoteleiras e a experiência do cliente.

    “Estamos muito satisfeitos por colaborar com um grupo tão respeitado como a Novum Hospitality e duplicar a presença da IHG na Alemanha, um dos maiores mercados hoteleiros da Europa e uma prioridade de crescimento para o nosso negócio. Este acordo demonstra quão atractivo é o nosso empreendimento para os proprietários e o sucesso da IHG em atrair excelentes oportunidades de conversão para aumentar a dimensão do seu portfolio. Também cria uma forte plataforma doméstica na Alemanha para aumentar a procura e o conhecimento da marca, bem como captar uma maior parte dos milhões de viagens de saída efectuadas todos os anos na Europa e não só”, afirmou Elie Maalouf, director executivo da IHG Hotels & Resorts.

    Sobre o autorCONSTRUIR

    CONSTRUIR

    Mais artigos
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB
    PUB

    Navegue

    Sobre nós

    Grupo Workmedia

    Mantenha-se informado

    ©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.