Edição digital
Assine já
Imobiliário

Fundo CA Património Crescente adquire edifício de 9 andares em Lisboa

Localizado no número 26 da Avenida Almirante Gago Coutinho, o edifício de escritórios com 9 pisos, totalmente ocupado pelo BNP Paribas, foi adquirido pelo fundo gerido pela Square Asset Management

CONSTRUIR
Imobiliário

Fundo CA Património Crescente adquire edifício de 9 andares em Lisboa

Localizado no número 26 da Avenida Almirante Gago Coutinho, o edifício de escritórios com 9 pisos, totalmente ocupado pelo BNP Paribas, foi adquirido pelo fundo gerido pela Square Asset Management

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Aberto concurso para a maior barragem de regadio de Vila Flor
Construção
Technal lança sistema com alumínio 100% reciclado
Empresas
Portugal Sotheby’s Realty realiza ‘Talent Day’ na Madeira
Imobiliário
Município de Famalicão lança Oferta Pública para aquisição de 149 imóveis por 10,5M€
Imobiliário
Requalificação urbana do Bairro dos Pescadores concluída
Construção
91 M€ para recuperar infraestruturas e equipamentos municipais afectados pelas cheias
Construção
A Mapei confirma a sua aposta na 10ª edição da Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa
Let’s Talk: “Pode o Espaço tornar a Construção mais inteligente?”
Arquitectura
Escritórios: Arranque lento em Lisboa contrasta com dinamismo no Porto
Imobiliário
Câmara de Aveiro: venda de terrenos em hasta público rende mais de 2M€
Construção

Segundo a Cushman & Wakefield, que representou o proprietário GamaLife, este edifício construído no final dos anos 70, foi alvo de uma reabilitação significativa em 2015/2016. Compreende aproximadamente 8.200 m2 de área bruta construtiva distribuída por 9 pisos e, ainda, 55 lugares de estacionamento. Está totalmente ocupado, desde 2015, pelo BNP Paribas.

No âmbito do processo de comercialização, a Cushman & Wakefield apresentou a oportunidade de investimento ao Fundo CA Património Crescente, Fundo de Investimento Imobiliário Aberto gerido pela Square Asset Management, que acabou por adquirir o respectivo edifício.

David Lopes, MRICS, Partner e Head of Capital Markets da Cushman & Wakefield Portugal salienta, a propósito, a confiança dos investidores pelo mercado imobiliário nacional. “Numa altura de relativa incerteza, esta transacção reflecte a continuada confiança dos investidores institucionais no mercado de escritórios de Lisboa”, refere o responsável.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Aberto concurso para a maior barragem de regadio de Vila Flor
Construção
Technal lança sistema com alumínio 100% reciclado
Empresas
Portugal Sotheby’s Realty realiza ‘Talent Day’ na Madeira
Imobiliário
Município de Famalicão lança Oferta Pública para aquisição de 149 imóveis por 10,5M€
Imobiliário
Requalificação urbana do Bairro dos Pescadores concluída
Construção
91 M€ para recuperar infraestruturas e equipamentos municipais afectados pelas cheias
Construção
A Mapei confirma a sua aposta na 10ª edição da Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa
Let’s Talk: “Pode o Espaço tornar a Construção mais inteligente?”
Arquitectura
Escritórios: Arranque lento em Lisboa contrasta com dinamismo no Porto
Imobiliário
Câmara de Aveiro: venda de terrenos em hasta público rende mais de 2M€
Construção
Imobiliário

Portugal Sotheby’s Realty realiza ‘Talent Day’ na Madeira

A iniciativa será dia 29 de Março, no hotel Next by Savoy Signature, na qual será feita a apresentação da empresa, mas também o recrutamento de profissionais para o seu escritório naquela região

A marca de imobiliário residencial de luxo, Portugal Sotheby’s Realty, realiza mais uma iniciativa “Talent Day”. Estes eventos que têm acontecido em diferentes zonas do País onde a Portugal Sotheby’s Realty está presente, pretendem responder a um crescimento consistente da empresa. Desta forma, a próxima edição será dia 29 de Março, no hotel Next by Savoy Signature, na Madeira, na qual será feita a apresentação da empresa, mas também o recrutamento de profissionais para o seu escritório naquela região.

O evento estará dividido em três sessões, sendo a primeira às 10h, seguida da sessão das 13h e das 18h. Apresentar a empresa, o seu percurso e oportunidades profissionais e de carreira é o grande objectivo, assim como colocar a Sotheby’s em contacto com os potenciais candidatos que se deverão inscrever previamente de forma a participar.

O imobiliário de luxo está a crescer no arquipélago da Madeira onde a Portugal Sotheby’s Realty registou um aumento do volume de facturação de 137% entre 2021 e 2022. “Já há muito que a Madeira é destino turístico de eleição para visitantes nacionais e internacionais mas, nos últimos anos, tem-se afirmado cada vez mais como uma região apelativa para investimento imobiliário de luxo”, explica Lina Ramos, partner e office manager do escritório da Madeira da Portugal Sotheby’s Realty. “É preciso ainda lembrar que a região se manteve de portas abertas durante o período da pandemia, o que foi muito importante para reforçar o seu valor e visibilidade lá fora.”

Alemães, britânicos e norte-americanos são os principais compradores de imóveis na ilha da Madeira. Procuram casas com as melhores condições para desfrutar das temperaturas amenas, nomeadamente imóveis com zonas exteriores, seja em moradias ou apartamentos com generosas varandas.

No que toca à localização, o Sul é sempre a zona mais requisitada, nomeadamente o Funchal e a zona da Ponta do Sol/ Calheta. Mas a Portugal Sotheby’s Realty já está a prever um crescimento da zona Norte também, dado que começa a haver menos opções e com preços mais elevados.

É de forma a dar resposta a este interesse que a empresa está à procura de profissionais que se possam juntar à equipa da Madeira da Portugal Sotheby’s Realty. “Em 2022 voltámos a atingir o melhor ano de sempre em termos de resultados, por isso é fundamental encontrar os profissionais mais qualificados para apoiar os planos de crescimento do negócio”, conclui Lina Ramos.

Os novos colaboradores contam com formação “diferenciadora” e sem custos, assim como acesso ao novo modelo de comissionamento.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Município de Famalicão lança Oferta Pública para aquisição de 149 imóveis por 10,5M€

Está a decorrer, até ao próximo dia 3 de Maio, a Oferta Pública de Aquisição de Imóveis promovida pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão para a compra de 79 imóveis destinados a arrendamento e de 70 fogos para construir ou em construção

A Oferta Pública de Aquisição de Imóveis promovida pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão destina-se à compra de 79 imóveis destinados a arrendamento, destes 9 fogos habitacionais já edificados (4 de tipologia T2 e 5 de tipologia T3), em boas condições de conservação e prontos a habitar, sem necessidade prévia de realização de obras de reabilitação, e 70 fogos a construir ou em construção, dos quais 8 habitações T1, 21 de tipologia T2, 35 T3 e 6 de tipologia T4. O valor do investimento a realizar é de 10,5 milhões de euros.

Com esta oferta pública, que arrancou a 17 de Março a autarquia liderada por Mário Passos assinala o arranque da execução do Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, celebrado em parceria com o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) e que, no total, canaliza 62 milhões para a melhoria das condições de habitabilidade de mais de 800 agregados familiares do concelho.

Todos os fogos serão destinados aos beneficiários do Programa 1.º Direito/Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).
Para efeitos de determinação do preço a pagar pela aquisição dos fogos propostos, o Município considerará o produto das respectivas áreas brutas previstas pelo último valor mediano das vendas por metro quadrado de alojamentos familiares novos, por concelho, divulgado pelo INE. Podem apresentar propostas de venda de fogos as pessoas singulares ou colectivas, de direito público ou privado.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Escritórios: Arranque lento em Lisboa contrasta com dinamismo no Porto

Mercado de escritórios de Lisboa com arranque de ano a baixa velocidade. Já no Porto, o mesmo segmento continua numa trajectória de crescimento, fruto dos novos projectos que estão a surgir, revela análise da Savills sobre os dois primeiros meses do ano

CONSTRUIR

No período acumulado dos dois primeiros meses do ano, o mercado de escritórios de Lisboa registou um volume total de absorção de aproximadamente 8.000 m2, o valor mais baixo dos últimos 5 anos. No total foram fechadas 22 operações, com as zonas CBD (zona 2) e Corredor Oeste (zona 6) a representarem 60% do número total de operações e 57% do volume total de absorção.

“Os resultados deste arranque de ano são expectáveis. Sabemos que em 2023 o cenário será diferente, tendo em conta que em 2022 perto de 50% do volume de absorção se deveu a operações de pré-arrendamento e o mercado continua com uma escassez de oferta de qualidade para ocupação imediata”, menciona Frederico Leitão de Sousa, Head of Corporate Solutions da Savills Portugal.

No que concerne ao volume de absorção por sector de actividade, destaca-se o sector de Outros Serviços, TMT´s & Utilities e Serviços Financeiros, com um peso de 63% no volume de absorção total.

Mercado de Escritórios do Porto inicia recuperação.

No mercado de escritórios do Porto, o volume de absorção total relativo aos primeiros dois meses do 2023 situou-se nos 6.881 m2, um aumento muito expressivo de 166% comparativamente ao período homologo de 2022. O resultado alcançado encontra-se 50% da média dos últimos 5 anos para o mesmo período.
No total dos dois meses foram registadas 11 operações, com as zonas CBD Boavista e Out of Town a contabilizarem 80% do volume total de absorção.

Para o Consultant do Departamento de Escritórios no Porto da Savills Portugal afirma, Francisco Megre, “os resultados destes dois primeiros meses vêm provar que o mercado de escritórios do Porto se mantém numa forte trajectória de crescimento e consolidação e permite antever que 2023 deixará para trás os resultados mais tímidos dos dois últimos anos. A entrada de novos projectos que primam pela modernidade e inovação, aliada ao já caracter atractivo deste mercado, tem sido a combinação ideal para atrair um leque muito diversificado de empresas”, justifica.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Aerial view of Vilamoura with charming marina and wide sandy beach, Algarve, Portugal

Imobiliário

Your Property Advisor encerra 2022 com volume de transacções de 20M€

A empresa de consultoria imobiliária concluiu o ano de 2022 com um volume de transacções de 20 milhões de euros, representando um crescimento de 150%, face ao ano precedente

CONSTRUIR

A empresa, que opera no mercado imobiliário de luxo, inicia o ano de 2023 com a contratação de mais três property advisors e com uma nova área de actuação, chegando à região do Algarve.

Empreendedores e investidores estrangeiros, maioritariamente provenientes da Alemanha, Finlândia, Brasil, Estados Unidos da América e África do Sul, foram quem mais procurou e usufruiu dos serviços de consultoria imobiliária da YPA. A procura de imóveis, tanto no mercado residencial como para investimento, incidiu principalmente nas regiões de Lisboa, Cascais, Estoril, Sesimbra, Sintra, Ericeira e Algarve, e assentou em moradias e apartamentos com varandas e terraços.

Ao fim dois anos de actividade, a YPA já negociou a compra de 55 imóveis, gerando uma poupança de três milhões de euros aos seus clientes no acto da negociação, um valor que representa uma redução de 12% de preço de venda dos imóveis.

Para fazer face à procura sentida, a YPA contratou mais três property advisors para aumentar a capacidade de suporte em outras regiões de Portugal, como o Algarve, mas também em outros tipos de negócios imobiliários, como a consultoria na procura e negociação para fundos de investimento imobiliários.

Para 2023, o objectivo é aumentar em 50% a facturação de transacções, avançar com a contratação de mais dois property advisors para a região do Algarve e expandir a actividade para a região do Porto.

Fundada em Dezembro de 2020, a Your Property Advisor é constituída por seis property advisors, com conhecimentos em diversas áreas, como a gestão, vendas, arquitectura e design, e o seu principal objectivo passa por apoiar e proteger as necessidades do comprador em todas as fases de procura e aquisição de um imóvel, garantindo o melhor preço através da negociação.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

JLL mandatada para arrendamento de dois pisos do Arrábida Lake Towers

Os últimos espaços disponíveis ocupam os dois últimos pisos, com 1.758m2 e existe a possibilidade de arrendamento parcial

CONSTRUIR

A JLL está a promover o arrendamento dos últimos dois pisos disponíveis na Torre D do Arrábida Lake Towers, um dos mais reconhecidos projetos de escritórios do grande Porto, integrado num prestigiado condomínio residencial.

A Torre D do Arrábida Lake Towers está localizada em Vila Nova de Gaia, junto à Ponte da Arrábida, com uma vista única sobre a cidade do Porto e a foz do Douro.
O edifício é constituído por nove pisos de escritórios e conta com um apoio complementar de retalho no piso térreo. Beneficia ainda de um parque de estacionamento interior público,
com avenças mensais para os inquilinos dos escritórios.

Os últimos espaços disponíveis ocupam os dois últimos pisos, com 1.758m2 e existe a possibilidade de arrendamento parcial. Os escritórios estão prontos a serem ocupados, com acabamentos de qualidade, nomeadamente, piso sobrelevado, ar condicionado centralizado, e vistas 360o com janelas largas que tornam o espaço único.

Em toda a zona envolvente podemos encontrar uma grande variedade de serviços, como o Arrábida Shopping, o Hotel Ibis, o Hospital da Luz e a Marina da Afurada e um vasto leque de restaurantes típicos. Tem também uma grande facilidade de acessos, tanto de carro como de transportes públicos.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

LACS abre quarto espaço de cowork em lisboa

O quarto espaço da LACS em Lisboa nasce na antiga sede da Cofidis, em Santos. O investimento superior a 600 mil euros, vai ter a capacidade de acomodar 750 postos de trabalho

CONSTRUIR

O LACS abre o seu quarto espaço em Lisboa, na zona de Santos. Com um investimento superior a 600 mil euros, vai ter a capacidade de acomodar 750 postos de trabalho. A CBRE assessorou a Cofidis, proprietária do edifício, neste negócio.

Localizado no nº98 da Avenida 24 de Julho, em Lisboa, este espaço tem cerca de 4.500 metros quadrados distribuídos por quatro pisos e um rooftop com uma vista 360º sobre o Rio Tejo, a Ponte 25 de Abril e o jardim do Museu Nacional de Arte Antiga. Além disso, beneficia, também, de 50 lugares de estacionamento em cave para os utilizadores. O edifício foi premiado com o prémio Valmor de Arquitectura e conta, ainda, com uma fachada desenhada pelo arquitecto Gonçalo Byrne.

“A procura de escritórios na zona ribeirinha de Lisboa tem vindo a aumentar e há muitas empresas que se têm estabelecido nesta zona da cidade. Consideramos que este edifício tem as condições necessárias para acomodar uma empresa com o propósito do LACS. Para a CBRE é muito importante podermos participar nesta operação que envolve um imóvel de elevada qualidade arquitectónica e que reforça a aposta das empresas em zonas diferenciadoras da cidade”, destaca André Almada, Senior Director Offices Advisory & Transaction da CBRE.

“A Cofidis continua a investir em Portugal e, com a aquisição e mudança para as Natura Towers, decidimos não vender a nossa antiga sede na 24 de Julho, um edifício histórico, Prémio Valmor, e dar-lhe uma nova vida. A sua localização e a assessoria da CBRE, que se revelou uma mais valia pelo apoio e envolvimento nesta operação, foram dois factores que contribuíram para um processo simples e célere. Estamos muito satisfeitos que a LACS seja o arrendatário porque é uma empresa com a qual nos identificamos em termos de visão e, desta forma, vamos poder contribuir para a expansão do seu negócio”, refere Pavlína Borovková, Diretora Financeira e Jurídica da Cofidis Portugal.

“Dentro do plano de expansão do LACS para 2023, este edifício encaixa na perfeição, não só pela sua localização e visual sobre o rio Tejo, mas também por ter o layout ideal para continuarmos a nossa aposta nos espaços de trabalho flexível. O facto de permitir ao LACS continuar a sua aposta como ocupante único de mais um edifício icónico de Lisboa e o facto de estar junto ao LACS Rocha Conde D’Óbidos pesou na decisão, pois vai permitir a criação de sinergias entre a nossa comunidade, desde os nossos membros até aos nossos colaboradores. Actualmente, já acolhemos marcas muito relevantes do ecossistema criativo, empreendedor e de startups e o desafio para o futuro será uma aposta contínua na melhoria dos nossos serviços para proporcionarmos cada vez mais bem-estar e flexibilidade aos nossos membros” explica Martim de Botton, CEO do LACS.

O LACS, operador de espaços de trabalho flexíveis, tem actualmente três polos — LACS Rocha Conde D’Óbidos, LACS Cascais e LACS Anjos –, num total de cerca de 20 mil metros quadrados. Conta com cerca de 3.000 membros e quase 250 empresas instaladas.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Fortera inicia investimento de 110 M€ em Gaia

Alive Riverside, na margem do rio Douro, terá 126 apartamentos e deverá estar concluído no Verão de 2025

CONSTRUIR

Arranca esta semana a primeira fase do empreendimento Alive Riverside, orçada em 40 milhões de euros. Localizado nas margens do rio Douro em Vila Nova de Gaia, o empreendimento representa um investimento global de 110 milhões de euros e comporta 126 apartamentos de tipologia T1 a T5.

“Quisemos implementar em Portugal o nosso inovador conceito Alive by Fortera, e agora damos o primeiro passo para tornar essa visão uma realidaderealidade”, descreve Elad Dror, CEO da empresa. Recorde-se que, no final de 2022, num evento de apresentação do empreendimento e de pré-venda, a Fortera assegurou de imediato a colocação de 50% das frações disponíveis para venda.

Com este novo conceito, a Fortera pretende fomentar o sentimento de ‘estar vivo’ em comunidade e, por isso, pretende criar infraestruturas nos seus edifícios como uma série de novos serviços e “amenities” que facilitem a vida das pessoas e possam ir de encontro a nova forma de estar e viver.

“A adesão a este novo conceito mostra-nos que as pessoas precisavam de uma nova forma de viver, com mais proximidade e convivência”, reforça o mesmo responsável.

A proposta para o Alive Riverside é alimentada pela app especialmente desenvolvida para facilitar a gestão de actividades em condomínio, desde serviços partilhados a actividades lúdicas. “Num mundo onde tantos amigos são virtuais, chegou a hora de nos reunirmos novamente, na vida real, e nada melhor do que o sítio onde vivemos para o fazermos. Isto é o Alive, um conceito que pretende criar sinergias, aproximar pessoas, proporcionar uma habitabilidade plena no século XXI e cimentar o sentimento de ‘estar vivo’”, conclui Elad Dror.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

ERA Imobiliária conta com três novas agências

Estarreja, Lamego e Mangualde são as três novas agências que reforçam a presença da imobiliária na região Centro e Norte do País

CONSTRUIR

Estarreja, Lamego e Mangualde são as três novas agências da ERA Imobiliária na região Centro e Norte do País. Com estas aberturas, já são seis as novas agências a arrancarem com a operação desde o início de 2023.

A abertura de mais uma loja em Lamego, a segunda na região, justifica-se com o aumento de procura na zona, tal como se tem verificado na generalidade do território português. O cliente-tipo que procura casa nesta região fá-lo em busca de uma habitação secundária, num local isolado, e pretende adquirir imóveis T3 ou moradias com terreno.

No caso de Estarreja, a nova agência permitirá aumentar a dimensão e representação da ERA na zona Centro e, em simultâneo, acrescentar valor no mercado imobiliário. Também aqui a procura aumentou significativamente, sobretudo devido aos imigrantes provenientes do Brasil e da Venezuela que se fixam na região.

Já em Mangualde, além da subida exponencial dos preços em Viseu (capital de distrito), a aposta no desenvolvimento turístico dos produtos regionais veio criar oportunidades de investimento em alojamento local que acabou por fazer disparar a procura e justificar a abertura de uma nova loja ERA. Os portugueses, ingleses e brasileiros são os que mais procura casa nesta região.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Vila Galé Monte do Vilar representa investimento de 4M€

O Grupo Vila Galé vai abrir a sua 40ª unidade, a 1 de Abril. Localizado nos terrenos do Clube de Campo do grupo em Beja, o Vila Galé Monte do Vilar representa um investimento de 4M€

CONSTRUIR

Localizado nos terrenos do Clube de Campo Vila Galé, em Beja, esta nova unidade terá 12 quartos, resultado de um investimento de quatro milhões de euros do grupo. O Vila Galé Monte do Vilar terá como temática os principais monumentos alentejanos, contando com uma piscina exterior, dois salões de eventos e duas salas de reuniões.

Em comunicado, o grupo refere que esta nova unidade irá privilegiar um ambiente “relaxante, privacidade e tranquilidade absoluta”. Inserida numa herdade com 1.620 hectares a nova unidade permite “desfrutar da comunhão com a natureza e de actividades ao ar-livre como caminhadas, piqueniques e ecoturismo”. A oferta deste ecoturismo inclui o Satsanga Spa & Wellness.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Matinha

Imobiliário

VIC Properties anuncia novos accionistas e reforça estrutura financeira

Os novos investidores são agora a AlbaCore Capital Group, Mudrick Capital Management e a Owl Creek Asset Management e da qual faz parte, também, a actual equipa de gestão da Vic. A transacção deverá estar concluída durante o segundo trimestre de 2023

CONSTRUIR

A VIC Properties anunciou esta sexta-feira, dia 17 de Março, que a Aggregate Holdings  vendeu a totalidade das acções que detinha da promotora imobiliária, numa transacção que totalizou um montante superior a 670 milhões de euros e que “proporcionará à VIC Properties uma estrutura financeira significativamente reforçada e mais flexível”. A transacção está sujeita às condições habituais para uma operação desta natureza, e espera-se que seja concluída durante o segundo trimestre de 2023.

Os novos investidores, liderados pela AlbaCore Capital Group, Mudrick Capital Management e a Owl Creek Asset Management e da qual faz parte, também, a actual equipa de gestão da Vic, confirma o “compromisso de longo prazo para com o mercado residencial português”, naquela que será “uma nova fase de crescimento”.

Como parte do seu novo plano estratégico, a VIC Properties receberá um significativo reforço de capital, cujos termos e valor ainda estão por acordar, de forma a acelerar o desenvolvimento dos seus três grandes projectos residenciais em Portugal. Estes projectos contemplam o Prata Riverside Village e a Matinha, ambos situados na zona ribeirinha de Lisboa, e o Pinheirinho, localizado entre a Comporta e Melides. Na sua globalidade, estes projectos têm uma área bruta de construção combinada de 570 mil metros quadrados (m2) e, após estarem totalmente licenciados e desenvolvidos, irão fornecer aproximadamente três mil novos apartamentos à cidade de Lisboa e variadíssimas unidades residenciais e turísticas na região entre a Comporta e Melides.

“Hoje arranca um novo e excitante capítulo para a VIC Properties. Juntamente com os nossos novos parceiros, e beneficiando de uma estrutura de capital reforçada, estamos altamente entusiasmados por podermos investir no desenvolvimento contínuo de alguns dos mais proeminentes projectos residenciais do País, proporcionando habitação de alta qualidade, sustentável e moderna, que tanta falta faz a quem vive em Portugal”, afirma João Cabaça, ceo da VIC Properties.

Já Jason Mudrick, fundador e chief Investment Officer da Mudrick Capital Management, afirma que “esta transacção vai permitir à VIC Properties acelerar as suas ambições estratégicas”

“A Aggregate e a equipa de gestão da VIC fizeram um trabalho notável na criação e desenvolvimento da empresa a partir do zero, o que nos deixa bastante entusiasmados em trabalhar com a VIC nesta nova etapa, apoiando-a na promoção dos seus emblemáticos projectos residenciais, contribuindo assim para novas soluções de habitação em Portugal”, reforça.

O acordo requer determinadas alterações aos actuais acordos de financiamento do grupo VIC, incluindo, entre outros, um exercício de solicitação de consentimento para que os titulares das obrigações em circulação da VIC aprovem certas alterações aos termos de tais obrigações a fim de implementar a transacção, incluindo a libertação da garantia existente prestada pela Aggregate, assim como de quaisquer compromissos futuros relacionados com as obrigações convertíveis da VIC.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se informado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.