Edição digital
Assine já

Cosentino lança superfície ultra compacta Dekton by Cosentino

A Cosentino refere que a Dekton “constitui o objectivo tecnológico e comercial mais importante da indústria da pedra em todo o mundo”

Ana Rita Sevilha

Cosentino lança superfície ultra compacta Dekton by Cosentino

A Cosentino refere que a Dekton “constitui o objectivo tecnológico e comercial mais importante da indústria da pedra em todo o mundo”

Sobre o autor
Ana Rita Sevilha
Artigos relacionados
OBO apresenta V10 Compact 2.0
Empresas
Guarda: Autarquia quer incluir Hotel Turismo no plano de revitalização do PNSE
Construção
Lars Petersson nomeado CEO do Grupo VELUX
Empresas
APEMIP promove reflexão com agentes da mediação imobiliária
Imobiliário
LovelyStay factura mais de 7 M€ no Verão de 2022
Imobiliário
Go Porto lança concurso para remodelação da Casa Escola do Batalhão de Sapadores Bombeiros
Construção
Matosinhos lança concursos públicos para reabilitação no valor de 25M€
Construção
Francesa Kiloutou adquire Grupo Vendap e inaugura presença em Portugal
Empresas
Exportações no cluster do mobiliário e afins superam números de 2019
Empresas
Novo revestimento de fachadas da CIN com efeito granulado mate
Empresas

O Grupo Cosentino apresentou ao mercado a sua mais recente inovação – a “superfície ultra compacta Dekton by Cosentino”, em conjunto com o Plano Estratégico de Negócio para o período 2012-2014, numa conferência de imprensa celebrada na sede do Grupo em Almería.

A superfície ultra compacta Dekton by Cosentino, cujo lançamento comercial acontecerá na Primavera de 2013, será produzida na nova fábrica localizada no Parque Industrial do Grupo Cosentino em Cantoria, Almería, e de acordo com o Grupo, “contará com a mais avançada Tecnologia de Partículas Sinterizadas ‘PST’, desenvolvida em exclusivo pelo departamento e I+D+i do Grupo”.

Esta tecnologia [Tecnologia de Partículas Sintetizadas], foi desenvolvida em exclusivo pelo Grupo Cosentino e combina tecnologias provenientes da industria do ramo da porcelana, da industria do vidro e da industria das superfícies de quartzo. A Cosentino espera que o produto revolucione o mercado “convertendo-se num grande aliado para os arquitectos” já que poderá utilizar-se tanto no interior como no exterior graças à sua resistência aos raios UV, nomeadamente “em múltiplas ocasiões de alto valor”. Os seus usos vão desde soleiras, escadas, placas, fachadas ventiladas para exteriores e até bancadas ou superfícies de trabalho.

Segundo o Grupo, o Dekton é “um produto completamente inovador” – é uma superfície ultra compacta com características técnicas superiores, composta por uma mistura de matérias primas inorgânicas que pode dar resposta à procura de formatos grandes em diferentes espessuras (irá ser fabricado em placas de formatos de 320cm x 144cm com espessuras de 8mm, 2cm e 3cm).

Em comunicado de imprensa, a Cosentino refere que a Dekton “constitui o objectivo tecnológico e comercial mais importante da indústria da pedra em todo o mundo e materializa a aposta no futuro da multinacional de Almería”. O lançamento desta nova solução, sublinha, “é o resultado de um investimento de 91 milhões de euros e 22 mil horas de investigação e desenvolvimento por parte do Grupo”.

Já no que diz respeito ao Plano Estratégico apresentado pelo Grupo Cosentino para o período 2012-2014, o mesmo “contempla um crescimento anual de 17%, com um investimento previsto de 167 milhões de euros, entre investimento produtivo e comercial”. De acordo com a Cosentino, mais de 75% do referido investimento, “é destinado a consolidar e aumentar a capacidade produtiva e logística da empresa, que apostando na fábrica de mármore em Almería, “duplica a extensão do Parque Industrial do Grupo em Cantoria com 580.000m2 adicionais de terreno industrial onde estão localizadas as novas instalações”.

Segundo Francisco Martínez-Cosentino, Presidente do Grupo Cosentino, “a ampliação do Parque Industrial da Cosentino em Cantoria não é nada mais do que uma reafirmação do nosso compromisso com a Região do Mármore de Almería. Continuamos e continuaremos a desenvolver projectos inovadores de elevado valor adicional e a criar postos de trabalho aqui. A nova fábrica de Dekton e a Plataforma Logística Inteligente confirmam a nossa aposta na inovação e em fundação da liderança no sector a nível internacional, ampliando a nossa oferta de soluções arquitectónicas de máxima qualidade e oferecendo o melhor serviço possível aos nossos clientes em todo o mundo.”

Para além da aposta na capacidade produtiva, na diversificação de produto, no I+D+i e na inovação competitiva, o crescimento económico do Grupo Cosentino continuará a basear-se na internacionalização e diversificação geográfica. Neste âmbito, os planos da multinacional passam pelas novas aberturas de Centers ou plataformas de serviço integral. Nesse sentido, “ao longos dos próximos três anos, o grupo Cosentino abrirá 28 novos Centers, até alcançar os 90, continuando com a actual expansão nos EE.UU,  apostando no Brasil como quarto pilar de crescimento e diversificação, e focando-se de forma crescente no mercado asiático”.

Pilar Martínez-Cosentino, Diretora-geral Adjunta, declarou que “graças a estas linhas estratégicas e políticas concretas de investimento, esperamos alcançar crescimentos ao nível das vendas superiores a 15% na maioria dos mercados em que operamos. Os Estados Unidos reforçar-se-ão como mercado-chave com um crescimento de 16% por ano, seguindo-se o mercado europeu com um crescimento de 21%. A América Latina, principalmente o  Brasil, e a Austrália, são regiões onde estamos também a investir e onde queremos crescer. No final de 2012 teremos gerado 83% dos nossos lucros fora das nossas fronteiras e em 2014 chegaremos aos 87%”.

Artigos relacionados
OBO apresenta V10 Compact 2.0
Empresas
Guarda: Autarquia quer incluir Hotel Turismo no plano de revitalização do PNSE
Construção
Lars Petersson nomeado CEO do Grupo VELUX
Empresas
APEMIP promove reflexão com agentes da mediação imobiliária
Imobiliário
LovelyStay factura mais de 7 M€ no Verão de 2022
Imobiliário
Go Porto lança concurso para remodelação da Casa Escola do Batalhão de Sapadores Bombeiros
Construção
Matosinhos lança concursos públicos para reabilitação no valor de 25M€
Construção
Francesa Kiloutou adquire Grupo Vendap e inaugura presença em Portugal
Empresas
Exportações no cluster do mobiliário e afins superam números de 2019
Empresas
Novo revestimento de fachadas da CIN com efeito granulado mate
Empresas
Empresas

OBO apresenta V10 Compact 2.0

A segunda geração do descarregador de sobretensões compacto tem uma capacidade total de descarga até 60 kA (8/20) e oferece uma solução integrada 3+1 para sistemas de rede TN e TT, com uma largura de Modul 45 mm

CONSTRUIR

A OBO Bettermann Portugal apresenta o V10 Compact 2.0, a versão que vem substituir o V10 Compact e que está agora ainda mais optimizada. O descarregador de sobretensões compacto tipo 2+3 tem uma capacidade total de descarga até 60 kA (8/20). Oferece uma solução integrada 3+1 para sistemas de rede TN e TT, com uma largura de Modul 45 mm, possuindo elevado desempenho com tecnologia de varistores. 

A nova versão V10 Compact 2.0 agora é adequada não apenas para o uso no quadro parcial, mas também no quadro distribuidor principal (quadro geral) em edifícios sem sistema exterior de protecção contra raios e com a alimentação de energia através de cabo aterrado, bem como dispositivo de proteção para sistemas elétricos com máquinas rotativas.

Com uma largura de apenas 45 mm, o V10 Compact 2.0 destaca-se pelo seu “design compacto”. Os detalhes adicionais do descarregador de sobretensões compacto incluem as aberturas dos parafusos ampliadas, o corte térmico/dinâmico e um display de função visual LED.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Guarda: Autarquia quer incluir Hotel Turismo no plano de revitalização do PNSE

No entender do autarca, Sérgio Costa, a reabertura do hotel, que está encerrado há mais de 12 anos, “já devia ter ocorrido”, mas tal não aconteceu porque os vários concursos ficaram desertos

Ricardo Batista

O presidente da Câmara da Guarda defende a integração da recuperação do Hotel Turismo no plano de revitalização do Parque Natural da Serra da Estrela (PNSE), programa de recuperação de uma vasta zona afectada pelos incêndios deste Verão.

Para Sérgio Costa, “estando a Guarda incluída no PNSE, é da mais elementar justiça e necessidade, se quisermos, que o Hotel de Turismo, o seu investimento, também possa ser ali alicerçado. É esse caminho que iremos continuar a fazer ao longo dos próximos tempos”. Segundo o presidente da autarquia beirã, “todas as ações conducentes à revitalização do nosso parque Natural da Serra da Estrela (PNSE) são importantes”.

Questionada pelos jornalistas sobre o ponto de situação da recuperação do Hotel de Turismo da Guarda, a governante respondeu que tem dialogado com o presidente da autarquia para identificar as melhores soluções. “Estamos muito perto de encontrar [uma solução], esperando devolver este ativo à comunidade, à região e ao país, garantindo que continua a criar emprego, que continua a ser um polo turístico importante”, disse.

Lembrou que a reabertura do hotel, que está encerrado há mais de 12 anos, “já devia ter ocorrido”, mas tal não aconteceu porque os vários concursos ficaram desertos.

O plano de revitalização do Parque Natural da Serra da Estrela deve estar concluído até 2032 e responde ao estado de calamidade que entretanto foi decretado, que acelera os processos decorrentes de uma rápida intervenção na região. Para o presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costa, a ambição é a de um plano de revitalização variável entre cinco e dez anos, que deve arrancar em setembro. Em causa, desde logo, está a criação de um hub tecnológico pela Universidade da Beira Interior, em conjunto com institutos politécnicos da região.

Em Julho, os responsáveis autárquicos da Guarda aprovaram, em Assembleia Municipal, uma moção para que, caso o Governo não resolva esta situação até ao final deste ano civil, “devolva a sua propriedade, livre de ónus e encargos, ao Município da Guarda, para que seja a Câmara Municipal a encontrar a solução mais rápida e viável para a recuperação e entrada em funcionamento do nosso Hotel Turismo”.

“Com o trabalho e o diálogo efetuados entre Município da Guarda e a tutela governamental, queremos ter finalmente a esperança, de que a Guarda vai voltar a possuir um equipamento que a todos nos orgulhe e, que com certeza irá colocar o nosso concelho nas rotas turísticas do país e da Europa”, referem.

Segundo dados provisórios do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a área ardida chegou ao 15.134 hectares, mais do dobro daquele que era o maior incêndio do ano até então, em Murça, no distrito de Vila Real, com cerca de 7 mil hectares queimados.

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Empresas

Lars Petersson nomeado CEO do Grupo VELUX

O novo responsável substitui David Briggs, que esteve à frente do Grupo nos últimos cinco anos e que se irá reformar

CONSTRUIR

Lars Petersson é actualmente o presidente e CEO da Hempel e irá juntar-se à VELUX a 1 de novembro de 2022. Até lá, Anders Götzsche, CFO da VELUX, ocupará a função de CEO interino.

Lars Petersson é presidente e CEO na Hempel, uma empresa global da indústria de revestimentos, sediada na Dinamarca. Antes da Hempel, Lars Petersson ocupou cargos de gestão de topo na Inwido, um fabricante sueco de janelas e portas, e no fabricante francês de pavimentos, Tarkett. Desde 2019 que Lars Petersson é membro do Conselho da empresa VKR Dovista.

“Lars Petersson traz uma vasta experiência e um forte histórico de empresas globais de manufactura. Sob a sua liderança, a Hempel lançou, com sucesso, uma estratégia de crescimento ambiciosa com foco nos seus clientes e um compromisso igualmente forte de assumir a liderança em sustentabilidade. Estou confiante de que encontrámos a pessoa certa para liderar o desenvolvimento contínuo da VELUX”, aponta Jørgen Jensen, presidente do conselho do Grupo VELUX.

“Sinto-me honrado e estou muito entusiasmado por ter a oportunidade de liderar o Grupo VELUX. Trabalho na indústria de materiais de construção há duas décadas e sempre admirei a VELUX pela sua poderosa marca e qualidade. A empresa tem um grande legado ao definir toda uma indústria e ao manter um forte senso de responsabilidade social. Estou ansioso por fazer parte da VELUX e ajudar a concretizar as ambições estabelecidas na estratégia lançada recentemente para fazer a empresa crescer e elevar o padrão de administrar um negócio sustentável”, refere Lars Petersson.

Após cinco anos a gerir o Grupo VELUX, David Briggs deixará o cargo de CEO em setembro. “O David teve uma carreira de sucesso com a VELUX durante quase 30 anos e, sob a sua liderança de cinco anos como CEO, a história de sucesso da VELUX continuou e acelerou. Lamento vê-lo sair, mas respeito totalmente o seu desejo de passar mais tempo com a família”, menciona o presidente da VELUX, Jørgen Jensen. “Juntamente com o conselho e uma forte equipa de gestão, David implementou uma estratégia empolgante destinada a proporcionar um crescimento significativo até 2030 e liderar o caminho da sustentabilidade no setor de construção. Continuamos totalmente envolvidos com os fundamentos dessa estratégia”, continua Jørgen Jensen.

“Foi a maior honra e privilégio da minha vida poder liderar a VELUX e representar esta magnífica empresa e todos os meus excelentes colegas. Desde 2018 alcançámos resultados dos quais todos nos podemos orgulhar, resultados que foram muito além do que muitos pensavam ser possível. E isso, deve-se ao compromisso dos meus colegas, mas também dos nossos parceiros, fornecedores e, claro, clientes”, confessa David Briggs.

“Acredito que o melhor ainda está para vir para a VELUX, conforme estabelecido na estratégia corporativa que lançámos em 2021, e que já começa a mostrar resultados fortes. É difícil afastar-me de algo em que acredito e que amo tanto. Mas sinto que é o momento certo para mim e para minha família. Com um forte conselho apoiado pelos accionistas de longo prazo não tenho dúvidas de que a VELUX continuará a crescer e a ser o que, provavelmente, é o melhor negócio de materiais de construção do mundo por muitos anos”, acrescenta David Briggs.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

APEMIP promove reflexão com agentes da mediação imobiliária

O GIRE – Grupo Imobiliário em Reflexão vai reunir a 6 de Setembro, no Altis Belém, com o objectivo de “procurar soluções, identificar e caracterizar os principais desafios da actividade imobiliária”

CONSTRUIR

Estudar e analisar “caminhos” que permitam encontrar as melhores soluções à representatividade dos agentes imobiliários é o objectivo do segundo encontro levado a cabo pela Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), que decorre a 6 de Setembro, no hotel Altis Belém.

O GIRE – Grupo Imobiliário em Reflexão, assim se designa a iniciativa, pretende “ouvir agentes imobiliários, procurar soluções, identificar e caracterizar os principais desafios da actividade imobiliária”.

Considerando que “é no diálogo, na troca de opiniões diversas, na construção de fortes sinergias que se constrói uma associação de profissionais da mediação imobiliária cada vez mais forte”, Paulo Caiado, presidente da APEMIP, acredita que “só dessa forma encontraremos fórmulas de convivência e intervenção que protejam a APEMIP de divisões espúrias e acolham no seu seio a generalidade dos profissionais imobiliários de todo o território nacional”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

LovelyStay factura mais de 7 M€ no Verão de 2022

De acordo com a empresa que actua no mercado de alojamento local, o número excede em 234% os valores referentes ao mesmo período do ano passado e em 337% os de 2019

CONSTRUIR

Só nos meses de Junho, Julho e Agosto, a LovelyStay, empresa que actua no mercado de alojamento local do país, gerou mais de 7 milhões de euros em receita bruta para os proprietários. O número excede em 234% os valores referentes ao mesmo período do ano passado e em 337% os de 2019, considerado, até então, o melhor ano para o turismo.

“Segundo os dados disponibilizados pelo Turismo de Portugal e pela Plataforma TravelBI, a LovelyStay está com uma rentabilidade média mais elevada do que as propriedades concorrentes. Em Lisboa estamos cerca de 43% acima da média, no Porto 32% e no Algarve 18%. Estes resultados seguem uma evolução positiva da empresa que duplicou a sua carteira de clientes nos últimos três anos e tem uma equipa cada vez mais completa e eficiente”, ressalva William Tonnard, CEO da LovelyStay.

Entre as nacionalidades que mais se hospedaram nas propriedades da LovelyStay, os americanos estão em primeiro lugar, com uma taxa de ocupação de 13,6%, seguidos pelos espanhóis (11,4%), franceses (9,4%), portugueses (7,8%) e ingleses (6,4%).

Com a tendência das reservas a manter-se ainda durante o Outono e Inverno para Lisboa e Porto, a expectativa da LovelyStay para os próximos meses é que, entre Outubro e Março, se ultrapasse os 10 milhões de euros de facturação para os proprietários. Para o Algarve, que é naturalmente a zona mais desafiante do País durante os meses mais frios, a aposta estará em reservas de média duração precisamente para atrair aqueles que querem escapar do rigoroso Inverno europeu e têm a possibilidade de trabalhar de qualquer parte do mundo.

A melhor forma de conhecer a rentabilidade de um imóvel é precisamente compreender o rendimento médio por tipo e por zona. Durante este Verão – Junho, Julho e Agosto, um apartamento T0 teve um rendimento médio mensal de 2.780 euros em Lisboa, 2.338 euros no Porto e 2.428 euros no Algarve. Um apartamento de um quarto (T1) fez uma média de 4.307€ em Lisboa, 3.417€ no Porto e 3.131€ no Algarve.

Quanto a uma propriedade T2, o rendimento médio mensal durante os meses de Verão foi de 6.479 euros em Lisboa, 5.067 euros no Porto e 4.485 euros no Algarve. Em linha com a evolução média dos preços, o rendimento numa propriedade de três quartos foi de 8.246€ em Lisboa, 6.465€ no Porto e 6.621€ no Algarve.

“Estes números são importantes para explicar aos potenciais investidores quais as áreas do país em que é melhor investir e quais as tipologias de propriedade que têm o melhor retorno do investimento. Obviamente, se investir em decoração, em detalhes e conforto para os hóspedes, a rentabilidade aumenta significativamente. É por isso que temos uma equipa especializada que ajuda todos os clientes desde o pedido da licença AL, e até à decoração dos imóveis”, acrescenta William Tonnard.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Go Porto lança concurso para remodelação da Casa Escola do Batalhão de Sapadores Bombeiros

A Casa Escola é um edifício dentro do quartel, dedicado a simulacros e exercícios, que se encontra a necessitar de uma reabilitação estrutural, face à utilização intensiva para formação

CONSTRUIR

A Câmara do Porto, através da empresa municipal GO Porto – Gestão e Obras do Porto, lançou o concurso público para a empreitada de remodelação da Casa Escola do Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto, na Rua da Constituição. A Casa Escola é um edifício dentro do quartel, dedicado a simulacros e exercícios, que se encontra a necessitar de uma reabilitação estrutural, face à utilização intensiva para formação.

O concurso, publicado em Diário da República, decorre até ao dia 20 de Setembro na plataforma acinGov, onde podem ser consultadas todas as peças. O preço base do procedimento é de 395 mil euros, para uma intervenção com duração prevista de 150 dias.

No âmbito da intervenção estão contemplados vários trabalhos de reabilitação estrutural do edifício e da fachada, bem como a substituição de caixilharias, a cobertura e novas pinturas resistentes ao fogo, para devida adequação ao uso do edifício.

O quartel do Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto tem sido, nos últimos anos, objecto de melhorias contínuas. A renovação das fachadas, a reabilitação da área de ginásio e ampliação das instalações, a instalação do Gabinete de Estudos e Formação, a construção de coberto exterior e a criação de alojamentos para a recruta são disso exemplo.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Construção

Matosinhos lança concursos públicos para reabilitação no valor de 25M€

A autarquia aprovou o lançamento dos concursos públicos para reabilitar cinco conjuntos habitacionais do concelho: Ponte do Carro, Chouso, Recarei, Custió e Seixo II

CONSTRUIR

O investimento, na ordem dos 25 milhões de euros, visa melhorar as condições de habitabilidade e salubridade das habitações, eliminando situações de infiltrações de água pela cobertura e fachadas, mas também a eficiência energética dos edifícios.

Segundo a presidente da Câmara de Matosinhos, prevê-se que as obras arranquem no primeiro semestre de 2023. “O objectivo é termos habitações dignas para todas as famílias e, estas empreitadas contribuem para que esse objectivo seja realidade”, justifica Luísa Salgueiro.

Na mesma reunião foi ainda aprovado o projecto de alteração ao regulamento do Programa Municipal de Apoio ao Arrendamento, que teve em consideração a avaliação feita pelo Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada da Universidade Católica Portuguesa e os contributos quer dos partidos com assento na Assembleia Municipal quer do Núcleo Executivo da Rede Social de Matosinhos.

Com o objectivo de melhorar e de adaptar o regulamento às necessidades que têm vindo a ser identificadas, foram propostas várias alterações, entre as quais a definição de critérios de prioridade de avaliação e atribuição do apoio a grupos específicos mais vulneráveis, criando um novo escalão de apoio e promovendo uma discriminação positiva dos jovens.

Esta alteração, com um custo anual estimado de cerca de 1,2 milhões de euros, permitirá o aumento em 25% o número de famílias apoiadas (novo escalão e base de rendimentos), a mudança de cerca de 50% das famílias para escalões superiores e a majoração em 10% para os jovens.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Francesa Kiloutou adquire Grupo Vendap e inaugura presença em Portugal

O Grupo Kiloutou anunciou a assinatura de um acordo para adquirir o Grupo Vendap, a vários fundos de investimento e investidores locais. A actual equipa de gestão sénior, liderada por Francisco Ferreira do Amaral irá manter-se e reforçar

CONSTRUIR

O Grupo Kiloutou anunciou a assinatura de um acordo para adquirir o Grupo Vendap, a vários fundos de investimento e investidores locais. A actual equipa de gestão sénior, liderada por Francisco Ferreira do Amaral irá manter-se e reinvestir no grupo.

Com 40 anos de experiência, o Grupo Vendap é líder no sector de aluguer de equipamentos em Portugal com uma quota de mercado de 18% e uma oferta vasta que inclui sanitários portáteis, geradores eléctricos, plataformas de trabalho e módulos e contentores. Os seus 340 empregados operam uma rede nacional de 8 filiais em todo o país, servindo pequenos e grandes clientes nacionais nos sectores da engenharia, da construção civil e do sector público.

A aquisição pelo Grupo Kiloutou permitirá a aceleração da actividade através do crescimento interno, abertura de novos armazéns, oferta ampliada de frota e aquisições selectivas. A actual equipa de gestão apoia plenamente a transacção e conservará as suas funções na nova organização, enquanto Francisco Ferreira do Amaral, CEO do Grupo Vendap, reportará directamente ao membro executivo responsável pela parte Internacional no comité executivo do Grupo Kiloutou.

“Partilhamos com Kiloutou as mesmas competências especializadas e a ambição de melhorar continuamente os serviços que prestamos aos nossos clientes. Esta aquisição irá reforçar a nossa capacidade de desenvolvimento no mercado português. Com a nossa equipa de gestão, estou orgulhoso e satisfeito com este novo passo em frente”, sublinha Francisco Ferreira do Amaral, CEO do Grupo Vendap.

A Kiloutou é a terceira maior empresa de aluguer de equipamentos da Europa e um dos principais actores do sector em França. Com mais de 40 anos de actividade, tem entre os seus clientes empresas do sector da construção civil, artesãos, PME, autarquias e indústria. Emprega mais de 6.500 colaboradores que servem mais de 400.000 clientes em seis países europeus. A rede Kiloutou é constituída por 564 agências e oferece mais de 1.000 referências de produtos e mais de 265.000 peças de equipamento em quatro principais famílias de produtos: movimentação de terras, equipamentos de elevação, veículos utilitários e ferramentas.

“Kiloutou e o Grupo Vendap partilham muitos valores comuns. Gostaria de dar as boas-vindas aos 340 membros da equipa do Grupo Vendap, cuja forte experiência e liderança de mercado irão beneficiar muito o Grupo Kiloutou no futuro desenvolvimento da sua actividade”, refere Olivier Colleau, presidente executivo do Grupo Kiloutou
Propriedade de HLD e Dentressangle desde 2018, a Kiloutou alcançou um rápido desenvolvimento através de um crescimento orgânico estável e de uma política de crescimento externo dinâmico. Esta transacção surge no seguimento da estratégia de expansão internacional do grupo iniciada nos últimos anos. A entrada em Portugal segue-se após a aquisição da GSV na Dinamarca em Março deste ano. Kiloutou está hoje presente na Polónia, Espanha, Itália, Alemanha, Dinamarca e agora Portugal. Esta expansão contribui para a diversificação acelerada da sua base de clientes e linhas de negócios, com 33% das suas receitas geradas fora de França, e deverá permitir ao Grupo Kiloutou granjear receitas superiores a mil milhões de euros.

Espera-se que a aquisição do Grupo Vendap seja encerrada antes do final de Setembro, ambas financiadas com os recursos existentes. A aquisição está sujeita a aprovações legais consuetudinárias.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Exportações no cluster do mobiliário e afins superam números de 2019

Os dados apurados pela APIMA revelam a consolidação da tendência de afirmação internacional dos sectores, com destaque para os mercados francês, espanhol e americano

CONSTRUIR
tagsAPIMA

Entre os meses de Janeiro e Junho de 2022, as empresas do cluster do mobiliário e afins geraram quase 1000 milhões de euros em vendas ao exterior, superando em 9% os valores registados em igual período no ano transacto. O resultado confirma as perspectivas de retoma do crescimento que o cluster vinha a registar na última década, mesmo com os impactos da pandemia, com um crescimento de 5% face ao primeiro semestre de 2019.

Os principais mercados comerciais deste cluster demonstram, assim, um desempenho positivo quando comparados com o ano anterior. França, responsável por 33,84% das exportações nacionais, importou mais 6,66% face ao igual período em 2021, seguindo-se Espanha, com uma quota de 24,60%. Já o mercado americano, manteve-se como o terceiro mais relevante, ao registar uma variação homóloga de 38,66%, seguindo-se a Alemanha (4,70%) e o Reino Unido (20,42%).

Joaquim Carneiro, presidente da Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA), demonstra-se “satisfeito com os resultados alcançados, numa conjuntura particularmente desafiante, pautada pela escassez de matérias-primas, pelos custos de produção e de transporte.  Não podemos, contudo, acreditar que estas condicionantes não afectarão seriamente a actividade económica deste cluster. “

“Por outro lado, a retoma dos grandes certames internacionais, como a Maison&Objet, a Tortona Design Week ou o Portugal Home Week, está a revelar-se extremamente positiva para o cluster, ao permitir que apresente a excelência da produção nacional e a complementaridade da sua oferta internacionalmente. Falamos de um cluster altamente exportador e que vê nas feiras uma enorme possibilidade de fechar negócios com os seus clientes”, acrescenta.

O saldo da balança comercial nos primeiros seis meses do ano manteve-se substancialmente positivo, cifrado nos 401 milhões de euros, com uma taxa de cobertura das importações pelas exportações de 169%. Assim, o cluster do mobiliário e afins constitui um dos mais exportadores da economia nacional, com cerca de 90% da produção a ser destinada aos mercados estrangeiros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Novo revestimento de fachadas da CIN com efeito granulado mate

O Karst é um revestimento espesso de granulometria média (1,2 mm), com “índice de brancura superior, melhor trabalhabilidade e aderência” que é “ideal para disfarçar as irregularidades ligeiras do reboco”

CONSTRUIR

A especialista ibérica de tintas e vernizes CIN lançou um novo produto para fachadas que, além da “protecção duradoura”, assegura um “efeito decorativo granulado mate às paredes de sua casa”. O Karst é o novo revestimento espesso de granulometria média (1,2 mm), apresentando “um índice de brancura superior, melhor trabalhabilidade e aderência, traduzindo-se num menor desperdício de produto na fase de execução”.

As suas características tornam o Karst “ideal para disfarçar as irregularidades ligeiras do reboco, contribuindo para um melhor acabamento estético das fachadas”. O novo produto da CIN é também recomendado como acabamento para sistemas de isolamento térmico pelo exterior.

O novo produto está disponível em branco e em centenas de cores do catálogo de fachadas da CIN, as quais “são formuladas exclusivamente com corantes inorgânicos que confere uma elevada resistência à alcalinidade e aos raios UV”. A nível técnico, o novo revestimento demonstra “elevada permeabilidade” ao vapor de água, assim como “baixa permeabilidade à água líquida e resistência ao desenvolvimento de fungos e algas”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.