Edição digital
Assine já
Imobiliário

Grupo suíço prevê investir até 180 M€ em novo empreendimento no Barreiro

Promovido pela Solid Sentinel, o projecto pretende “redefinir o Barreiro, criando um novo estilo de vida” a apenas 20 minutos do centro de Lisboa através da ligações fluviais. Com desenho de Miguel Saraiva, Nooba, teve como inspiração a sua localização, à beira-rio e reflecte essa proximidade com o Tejo e aproveita a luz natural. A história do Barreiro, muito ligado ao mar, aos Descobrimentos e, mais tarde à indústria, também está patente no projecto

CONSTRUIR
Imobiliário

Grupo suíço prevê investir até 180 M€ em novo empreendimento no Barreiro

Promovido pela Solid Sentinel, o projecto pretende “redefinir o Barreiro, criando um novo estilo de vida” a apenas 20 minutos do centro de Lisboa através da ligações fluviais. Com desenho de Miguel Saraiva, Nooba, teve como inspiração a sua localização, à beira-rio e reflecte essa proximidade com o Tejo e aproveita a luz natural. A história do Barreiro, muito ligado ao mar, aos Descobrimentos e, mais tarde à indústria, também está patente no projecto

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Almada: Já são conhecidos os vencedores dos 4 lotes para Habitação a Custos Controlados
Arquitectura
Obras de construção da nova Secundária de Cascais arrancam em 2023
Construção
Autarquia de Arcos de Valdevez investe 1,5M€ na recuperação de vias municipais
Construção
A Casa da Praia é finalista na categoria office design dos Society of British Interior Design Awards
Arquitectura
Investimento captado pelos Vistos Gold no 1º semestre do ano cresceu 33%
Imobiliário
CBRE assegura gestão do edifício Classique do grupo AGEAS em Lisboa
Imobiliário
Hipoges: resultados do 1º semestre de 2022 com crescimento transversal
Imobiliário
1º direito em Angra do Heroísmo com 68 milhões do PRR
Imobiliário
Melom e Querido Mudei a Casa Obras distinguidos no 1º semestre do ano
Empresas
Silestone aposta na tecnologia HybriQ
Empresas

A promotora imobiliária Solid Sentinel, acaba de anunciar um novo projecto imobiliário no Barreiro. NOOBA é o mais recente empreendimento residencial no distrito de Setúbal, que “pretende ajudar a posicionar o Barreiro num local de excelência para se viver”. Mais do que um projecto imobiliário, Nooba pretende ser uma “revolução” ao mostrar a ambição do promotor em “redefinir o Barreiro, criando um novo estilo de vida para quem queira fugir da azáfama da cidade, mantendo a proximidade necessária”, explica Alain Gross, CEO e membro do conselho da Solid Sentinel.

Com uma área bruta total de 98.360m2, este projecto residencial conta com 518 apartamentos e apresenta tipologias que variam de T1 a T5, com preços a partir de 189.000 euros e tendo como alvo o mercado nacional. A cinco minutos da Estação Fluvial, o empreendimento oferece uma vista desobstruída sobre o rio e o Parque da Cidade, encontrando-se a menos de 20 minutos da Praça do Comércio, para quem opte pela travessia de ferry.

A primeira fase de construção, correspondente a 127 apartamentos, deverá ter início em Maio deste ano e tem duração prevista de 24 meses.

Por seu turno, Miguel Saraiva, arquitecto responsável por este projecto, partilha que “criámos um edifício em harmonia com a paisagem envolvente. Para o projeto NOOBA, inspirámo-nos na sua localização, à beira-rio e repleto de luz. O desenho reflecte essa proximidade com o Tejo e aproveita a luz natural típica do Barreiro e de Lisboa. A história do Barreiro, muito ligado ao mar, aos Descobrimentos e, mais tarde à indústria, também está patente no projecto. Os materiais à base de ferro, vidro e betão, dão um carácter único aos edifícios e, na minha perspectiva, conseguem perpetuar-se no tempo com muita qualidade”.

Todos os apartamentos dispõem de varandas privadas ou terraços, e partilham um terraço com piscina e uma pista de jogging panorâmica de 100m, com o objetivo de criar um sentido de comunidade e união entre os seus residentes. As plantas dos andares são diversas, no sentido de preencher as várias necessidades familiares, seja um escritório ou quarto extra, ou layouts internos flexíveis e modelares que permitem que um corredor seja também um escritório, seguindo a tendência do teletrabalho.

Fundada pelo The Capvest Group, um promotor imobiliário suiço com sede em Genebra, e a pela Sogefonds, que em conjunto desenvolveram quatro projectos de luxo em Lisboa (Actor Tasso, Vale Pereiro, Desterro e Viriato), a Solid Sentinel expande-se agora para projectos urbanos maiores, mais inovadores e transformadores fora do centro de Lisboa. Além do Nooba, Alan Gross confirma a intenção de “continuar a apostar no Barreiro” localização que considera “ter muitas possibilidades” de investimento.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Almada: Já são conhecidos os vencedores dos 4 lotes para Habitação a Custos Controlados
Arquitectura
Obras de construção da nova Secundária de Cascais arrancam em 2023
Construção
Autarquia de Arcos de Valdevez investe 1,5M€ na recuperação de vias municipais
Construção
A Casa da Praia é finalista na categoria office design dos Society of British Interior Design Awards
Arquitectura
Investimento captado pelos Vistos Gold no 1º semestre do ano cresceu 33%
Imobiliário
CBRE assegura gestão do edifício Classique do grupo AGEAS em Lisboa
Imobiliário
Hipoges: resultados do 1º semestre de 2022 com crescimento transversal
Imobiliário
1º direito em Angra do Heroísmo com 68 milhões do PRR
Imobiliário
Melom e Querido Mudei a Casa Obras distinguidos no 1º semestre do ano
Empresas
Silestone aposta na tecnologia HybriQ
Empresas
Arquitectura

Almada: Já são conhecidos os vencedores dos 4 lotes para Habitação a Custos Controlados

Campos Costa arquitectos, Lima & Paixão, Furo Circular e MassLab são os vencedores do mais recente concurso lançado pela Câmara Municipal de Almada para a construção de 95 fogos de habitação a custos controlados. O concurso foi dividido em quatro lotes (Lote A, B, C e D), sendo que a cada um deles corresponde um… Continue reading Almada: Já são conhecidos os vencedores dos 4 lotes para Habitação a Custos Controlados

Cidália Lopes

Campos Costa arquitectos, Lima & Paixão, Furo Circular e MassLab são os vencedores do mais recente concurso lançado pela Câmara Municipal de Almada para a construção de 95 fogos de habitação a custos controlados. O concurso foi dividido em quatro lotes (Lote A, B, C e D), sendo que a cada um deles corresponde um projecto de arquitectura.

Lote A – 1º classificado Campos Costa Arqº

“Integração da proposta com a envolvente”, sem descurar “a qualidade espacial associada à prossecução dos conteúdos programáticos” foi um dos pontos em destaque pelo júri quanto ao primeiro classificado para o Lote A. O projecto de Campos Costa arquitectos distingue-se, ainda, pelos sistemas construtivos preconizados, “aliando à racionalidade construtiva exigível a empreendimentos deste género, a correcta e eficiente proposta da correspondente materialidade”.

Lote B – 1º Classificado Lima & Paixão – Gestão e Projecto

Para o Lote B, a escolha recaiu no atelier Lima & Paixão – Gestão e Projecto, cujo proposta “explora inteligentemente a ideia de construção dum edifício assente sobre ‘pilotis’, permitindo, simultaneamente, libertar o edifício do contacto com o terreno”. A proposta evidencia, também “uma eficiente escolha de materiais, contemplando a utilização de painéis pré-fabricados de betão leve nas fachadas”.

Lote C – 1º Classificado Furo Circular

“Clareza e consistência formal da solução conceptual” foram os aspectos salientados pelo júri para a proposta ganha para o Lote C pela Furo Circular. A “sustentabilidade da solução”, aliada à “racionalidade construtiva e à correcta e eficiente utilização dos materiais e sistemas construtivos” foram, também, valorizados.

Lote D – 1º Classificado MassLab

Já o atelier MassLab assina a proposta escolhida para o último Lote do concurso, o D, e que segundo o júri “resultou no desenho dum edifício de elevadíssima qualidade arquitectónica”. Aproveitando o objecto da intervenção, o autor avançou, ainda, para uma proposta de desenho para o parque e praça adjacentes, “numa clara aposta em conferir uma dimensão e escala urbana à intervenção”.

O concurso, que contou com a assessoria técnica da Secção Regional de Lisboa e Vale do Tejo da Ordem dos Arquitectos, contou com um total de 35 trabalhos recebidos dentro do prazo fixado para o efeito.

Sobre o autorCidália Lopes

Cidália Lopes

Jornalista
Mais artigos
Construção

Obras de construção da nova Secundária de Cascais arrancam em 2023

Com a construção da nova escola, o Município de Cascais assume, assim, o objectivo de modernização da infraestrutura e equipamentos da Escola Secundária, que vai poder acolher um maior número de alunos e dispor de melhores serviços

Ricardo Batista

Está em marcha o concurso público, promovido pela Câmara de Cascais, com vista à construção da nova escola secundária, um procedimento avaliado em 24,5 milhões de euros que vai, desde logo, dar uma solução definitiva às antigas instalações, provisórias há mais de 40 anos.

Eu reunião de câmara, o executivo liderado por Carlos Carreiras assegura que este será “um passo importante”, mas ressalvando que “após este passo ainda muitos outros virão”. Apesar de ter as instalações muito deterioradas, “é a escola pública do concelho melhor valorizada nos rankings nacionais”, garantem os responsáveis autárquicos.

Para atingir este objectivo e na sequência de um programa preliminar elaborado em estreita articulação entre a Câmara Municipal de Cascais e a Comunidade Educativa que, como refere o presidente da autarquia, “foi essencial ser o mais participativo possível, ou seja, neste caso, em concreto, ouvindo a comunidade escolar, desde professores aos alunos, aos pais em sessões de esclarecimento”, nas quais estiveram presentes “os próprios técnicos e a comunidade escolar para manifestarem as suas sensibilidades”.

Com a construção da nova escola, o Município de Cascais assume, assim, o objectivo de modernização da infraestrutura e equipamentos da Escola Secundária, que vai poder acolher um maior número de alunos e dispor de melhores serviços, permitindo a esta comunidade escolar usufruir de um programa educativo contemporâneo com as respectivas valências.

Se tudo correr como previsto, a obra iniciar-se-á no final do primeiro trimestre 2023, em simultâneo com as actividades lectivas, e decorrerão dois anos até que o edifício escolar esteja concluído (primeira fase). Seguir-se-á uma segunda-fase com cerca de ano e meio de duração, para demolição da escola existente, construção do pavilhão desportivo e arranjos exteriores que englobam o pinhal adjacente, o qual ficará disponível para usufruto da população.
Esta operação de requalificação decorre em paralelo com o processo de recuperação de outras escolas: Fernando Lopes Graça, Parede, S. João do Estoril e Ibn Mucana, Alcabideche.

Projecto de Matos Gameiro
O concurso agora lançado vai materializar um projecto assinado pelo arquitecto Matos Gameiro e Bugio II, que ganharam, em 2019, o concurso de ideias promovido pelo município.

O júri que avaliou as propostas destacou a “grande coerência tipológica e morfológica, apresentando uma clara separação dos núcleos funcionais, mantendo uma forte e eficaz ligação entre a totalidade os espaços”. O Júri acrescenta ainda que “a aparente simplicidade da proposta – baseada num pátio central, com galerias exteriores em torno deste, através das quais se acede às salas de aulas nos pisos superiores – é enriquecida pela disposição dos volumes no piso térreo onde se instalam as áreas comuns”.

De acordo com o projectista, a estratégia de projecto funda-se na criação de um páteo que se constitui como o centro da escola – um espaço quadrangular de 60x60m, definido por um corpo elevado de dois pisos que revela e enfatiza um conjunto arborizado que, em boa verdade, já existe e aqui se salvaguarda. Este conjunto de plátanos, emoludurado, é assim reinventado, ganhando uma nova e muito intensa vivência, possibilitando a sombra e o resguardo e dando enquadramento ao páteo.
Por outro lado, as copas frondosas contribuirão para a vibrante reflexão de luz indirecta nas salas, suscitando um ambiente plácido e vívo, favoráveis a uma atmosfera colhedora a tranquilizante.

E se o páteo se funda como o novo centro da escola, originando a principal área de recreio e de distribuição do edifício, também o facto de poder facilmente abrir-se à comunidade contribui para que a escola, no seu conjunto, se constitua como a nova centralidade urbana desta área. Pela natureza própria do desenho do edifício e pela permeabilidade que dele resulta, o páteo central poderá converter-se numa praça do bairro, assim a circunstância o suscite. Nessas ocasiões todo o páteo poderá comunicar com as ruas adjacentes, gerando um amplo espaço público e aproximando a escola e as suas actividades da vida da comunidade.
Quando assim ocorrer, o carácter introspectivo do páteo e o seu desenho garantirão, ainda assim, a privacidade e a autonomia dos espaços de ensino, com assinaláveis vantagens para a gestão do edifício e controle de segurança.

Sobre o autorRicardo Batista

Ricardo Batista

Director Editorial
Mais artigos
Construção

Autarquia de Arcos de Valdevez investe 1,5M€ na recuperação de vias municipais

Através destas intervenções serão realizados trabalhos de renovação de pavimentos betuminosos, requalificação e correção de traçados, beneficiação de bermas e sobrelarguras em diversos troços de vias municipais

CONSTRUIR

A Câmara Municipal adjudicou e tem a concurso obras de reabilitação, construção e beneficiação de vias municipais nas freguesias do Couto, Ázere, Vale, Extremo, Santar, Aboim das Choças, Parada, Guilhadeses, Aguiã e Gondoriz. São quatro blocos de obras no valor de cerca de 1,5 milhões de euros.

Fazem parte destas obras intervenções em estradas municipais como na EM 202, de Guilhadeses/Tabaçô até ao Parque Empresarial de Mogueiras; na EM 202-2 entre Ázere e Couto; na ligação municipal entre a EN 101 na Prova (Paçô) e a EN 202 em Guilhadeses/Tabaçô; na nova ligação entre a EN 101 (Aguiã) e o pontão de Pogido (Gondoriz), bem como na ligação em Ázere, entre a EM 202-2 e a EN 202 (estrada que liga a Soajo).

Através destas intervenções serão realizados trabalhos de renovação de pavimentos betuminosos, requalificação e correção de traçados, beneficiação de bermas e sobrelarguras em diversos troços de vias municipais, a fim de garantir vias rodoviárias locais condicentes com as necessidades atuais das populações, em condições de comodidade e segurança.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Arquitectura

A Casa da Praia é finalista na categoria office design dos Society of British Interior Design Awards

A Casa da Praia integra o leque de finalistas, entre os 85 países a concurso, aos prémios atribuídos pela Society of British Interior Design

CONSTRUIR

O projecto foi conceptualizado e desenvolvido por uma equipa interdisciplinar da WYcreative, agência do grupo, que combinou as suas valências com a equipa de arquitectura da MOA Arquitectos e Rita Andringa, Designer de Interiores e fundadora do Andriga Studio, que foi a responsável por toda a decoração do interior da Casa da Praia.

Esta estrutura colaborativa esteve na génese do Projecto, recebeu como indicação fundamental por parte do WYgroup a necessidade de criar um local de referência para a sua forte identidade e cultura colectiva. Foi isso que conduziu à idealização da Casa de Praia, um experience hub com mais de 2000m2 em frente à praia de Santo Amaro de Oeiras. Uma casa pensada para todos os colaboradores, um espaço vivo, onde todos se sentem confortáveis e que recebe de braços abertos quem a visita.

Carlos Castelo Branco, 3D Director na WYcreative, refere que “a Casa de Praia é representativa da cultura e identidade do WYgroup. Foi inspirada no próprio ecossistema – o mar, a criatividade – e orientada à sustentabilidade, através de uma cultura de consciência ambiental e de promoção de um estilo de vida sustentável, de forma a reduzir o impacto no meio ambiente e a ampliar o impacto no bem-estar. Valorizámos ambientes fluidos e ágeis, que acomodam as várias tarefas e estilos de trabalho e esse é um ponto crucial.”

Muito satisfeita com esta nomeação, , acrescenta “Acreditamos que o futuro do trabalho coexiste com o home office, e que para a criação de um ambiente de trabalho positivo, os escritórios deverão ser cada vez mais humanizados e preparados para a aprendizagem, o crescimento, e a partilha de cultura. Na idealização da Casa da Praia a aposta focou-se na promoção da experiência dos colaboradores in loco, privilegiando o bem-estar, a sustentabilidade, a colaboração, a interacção e proximidade entre as pessoas porque equipas felizes e saudáveis são produtivas e os melhores activos de qualquer organização que quer ser bem-sucedida no futuro. E no WYgroup, acreditamos que a melhor forma de evoluir, é construir o futuro todos os dias.”, acrescenta Rita Baltazar, Co-fundadora e partner do WYgroup

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Investimento captado pelos Vistos Gold no 1º semestre do ano cresceu 33%

Em Junho foram atribuídos 155 vistos, dos quais 126 através da aquisição de bens imóveis, que totalizaram um investimento de 62,3 milhões de euros. A maioria, 68, foi canalizada para projectos de reabilitação urbana

CONSTRUIR

No primeiro semestre deste ano, o investimento captado através da concessão de Vistos Gold atingiu os 316,2 milhões de euros, mais 33% face a igual período de 2021. Neste período, foram atribuídos 649 ARI. No período em análise Junho é o mês que se destaca já que o investimento captado superou os 77,9 milhões de euros, representando mais 44% face a Maio, mês em que o investimento captado foi de 53,8 milhões de euros.

Assim, em Junho foram atribuídos 155 vistos, dos quais 126 através da aquisição de bens imóveis, que totalizaram um investimento de 62,3 milhões de euros. A maioria, 68, foi canalizada para projectos de reabilitação urbana, para a qual foi canalizada cerca de 24 milhões de euros. No período o montante canalizado para a aquisição de imóveis (58 ARI) foi de 38,4 milhões de euros.

Ainda nesse mês, 28 autorizações de residência foram atribuídas com o argumento de transferência de capitais, cerca de 15,6 milhões de euros e uma para criação de postos de trabalho.

Em Junho, foram atribuídos 30 vistos a cidadãos da China, 30 dos Estados Unidos, 14 da Turquia, 11 da índia e 10 do Brasil. Foram também concedidas 204 autorizações de residência a familiares reagrupados, que somam os 735 no acumulado do ano.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

CBRE assegura gestão do edifício Classique do grupo AGEAS em Lisboa

O imóvel, que conta com cerca de 2.253 metros quadrados, 9 pisos, e 42 lugares de estacionamento, tem como inquilinos a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), a Nutribalance, a Pares Advogados e a Valores Exclusivos

CONSTRUIR

A CBRE recebeu a instrução pelo Grupo Ageas Portugal para assegurar a gestão do Edifício Classique, localizado no número 23 da Rua Alexandre Herculano em Lisboa.

O imóvel, que conta com cerca de 2.253 metros quadrados, 9 pisos, e 42 lugares de estacionamento, tem como inquilinos a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), a Nutribalance, a Pares Advogados e a Valores Exclusivos, empresa de investimentos imobiliários.

“O Edifício Classique é um imóvel com história, mas moderno no seu interior e adaptado aos actuais funcionamentos de escritórios. Esta gestão junta-se a tantas outras do nosso portefólio de activos e vai permitir optimizar o nosso know-how nesta área, com mais um imóvel relevante no mercado”, sublinha Frederico Mondril, Offices and Logistics Property Management Director da CBRE Portugal.

Até ao momento, a CBRE é responsável pela gestão de 140 activos de escritórios e logística no mercado.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Hipoges: resultados do 1º semestre de 2022 com crescimento transversal

Crescimento de quase 20.000 milhões de euros em activos sob gestão, situando-se agora nos 46.000 milhões de euros, aumento do volume de negócios em 73% dos Corporate Services e criação de novas entidades, traduzem o dinamismo da actividade nos primeiros seis meses do ano

CONSTRUIR

A Hipoges empresa que actua no sector de asset management, viu reforçada a sua actividade, em toda a linha, nos primeiros seis meses do ano. A começar pelo significativo aumento do valor de activos sob gestão do servicer. Só no primeiro semestre do ano, a Hipoges registou um crescimento de quase 20.000 milhões de euros em activos sob gestão, situando-se agora nos 46.000 milhões de euros. A este resultado somam-se também a aquisição de novos clientes e carteiras, o desenvolvimento de novas linhas de negócio e novas empresas e a expansão da equipa com a integração de mais profissionais experientes e dedicados.

“Contra todas as expectativas, 2022 iniciou-se com um volume muito elevado de operações e estamos convencidos de que vamos poder desempenhar um papel muito relevante no mercado como aconteceu nos últimos anos”, sublinha Claudio Panunzio, Managing Partner da Hipoges.

No início do ano os departamentos de Valuations da Hipoges de Portugal e Espanha passaram a ser regulados pela RICS, uma instituição internacional de qualificação e normalização de terrenos, imóveis e construção. No primeiro semestre de 2022 o grupo criou a Hemisphere, uma nova empresa que actuará de forma autónoma na área das avaliações em Portugal, mas que contará com o apoio do servicer como consultor de mercado, e que servirá para “reforçar a posição do grupo neste sector”.

Noutros serviços, os bons resultados do primeiro semestre do ano estão associados, sobretudo, ao aumento do volume de negócios. É o caso do departamento de Corporate Services, uma equipa dedicada à gestão de veículos de investimento imobiliário e especializada na prestação de serviços corporativos, de contabilidade, tax compliance e reporte financeiro, bem como na gestão de tesouraria e administração, cujo volume de negócios cresceu 73% no período em análise.

O mesmo acontece nos serviços de Securitization Vehicles e Advisory. No que diz respeito ao primeiro, o departamento da Hipoges responsável pela oferta de serviços especializados na constituição e gestão de veículos de titularização e respectivas emissões de valores mobiliários no mercado nacional adianta que, até ao primeiro semestre de 2022, foram emitidos cumulativamente mais de 3.2 mil milhões de euros de notas. Já a equipa de Advisory, cuja actividade assenta na prestação de serviços de assessoria a investidores institucionais e no apoio ao grupo nas suas actividades de expansão noutras linhas de negócio e nas várias operações de aquisição, revela que já assessoraram centenas de operações de crédito e imobiliárias no valor de dezenas de milhões de euros.
Também o departamento de Real Estate esteve em grande destaque nos primeiros seis meses deste ano com um aumento do volume de vendas e com a criação de uma nova secção dedicada a investidores profissionais na sua plataforma imobiliária Portal Now.

“O valor acrescentado dos serviços do grupo encontra-se nas sinergias e no know-how gerado pela actividade de servicing da Hipoges, sendo pioneiros em oferecer aos nossos clientes dados analíticos para cada categoria de ativo”, explica Nuno Godinho, chief corporate services. Já Mário Neves, associate director valuation & technical due diligence do departamento de valuations do servicer, acrescenta que “a “cultura” e conhecimento do mercado imobiliário no grupo Hipoges é um ponto chave para o nosso constante e contínuo desenvolvimento, que sustenta e fortalece o nosso valor”, constata.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

1º direito em Angra do Heroísmo com 68 milhões do PRR

O município de Angra do Heroísmo, nos Açores vai investimento de 68 milhões de euros na reabilitação dos bairros sociais do município

CONSTRUIR

O município assinou um acordo com o Instituto de Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU) para aceder ao Programa de Apoio ao Acesso à Habitação 1.º Direito. Esse acordo vai vigorar durante seis anos e possibilitar a reabilitação dos bairros sociais do município, muitos dos quais construídos após o sismo de 1980, que destruiu a cidade.

“O acordo de colaboração assinado permite um investimento de 68 milhões de euros, bastante considerável, e poderá ter um financiamento de 100%, no âmbito das verbas do PRR”, afirmou, em conferência de imprensa, a vereadora da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo Fátima Amorim.

O acordo abrange a reabilitação do parque do município destinado à habitação social, o que compreende cerca e 448 casas. A intenção do município é a de arrendar outras habitações, subarrendando-as a famílias carenciadas, por um preço mais baixo.

A Câmara pretende acelerar as obras de reabilitação, de modo a estarem concluídas até Junho de 2026 e o investimento do município poder ser comparticipado a 100% pelo PRR.

“Temos de andar rápido para termos um financiamento do PRR a 100%. Caso não seja possível concluirmos até Junho de 2026, o contrato é por seis anos, podemos também continuar a beneficiar de verbas através do 1.º Direito, não do PRR, mas de outro fundo, que não é a 100%”, sublinhou Fátima Amorim. Segundo a vereadora, a Estratégia Local de Habitação do município vai permitir “implementar soluções habitacionais para 500 agregados familiares e 1500 pessoas”.

O acordo prevê ainda a candidatura a apoios para reabilitação de habitações por parte de privados, num montante de 24 milhões de euros. O que permitirá criar habitação para mais 200 agregados familiares, num total de cerca de 700 pessoas, de acordo com as contas da autarquia.

A Estratégia Local de Habitação do município teve por base um diagnóstico que identificou “737 agregados familiares a viver em situações de carência habitacional, o que corresponde a 2.174 pessoas”. “Este diagnóstico permitiu tipificar as carências existentes no concelho em termos de precariedade, sobrelotação, inadequação e salubridade”, explicou a vereadora.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Melom e Querido Mudei a Casa Obras distinguidos no 1º semestre do ano

Até Junho, a Melom recebeu quatro prémios, dois atribuídos pelos consumidores e outros dois pela Associação Portuguesa de Franchising. Também o Querido Mudei a Casa Obras foi reconhecido como Marca Recomendada pelo Portal da Queixa

CONSTRUIR

No primeiro semestre do ano, a empresa de remodelação de imóveis Melom recebeu quatro prémios, dois atribuídos pelos consumidores e outros dois pela Associação Portuguesa de Franchising. Também o Querido Mudei a Casa Obras, insígnia que faz parte da Melom, vocacionada para pequenas remodelações, foi reconhecido como Marca Recomendada pelo Portal da Queixa.

Presente no mercado há 12 anos, a empresa afirma-se como a marca preferida no sector das obras pelos consumidores portugueses, vencendo na categoria “Obras e Remodelação de Imóveis” pelo terceiro ano consecutivo a “Escolha do Consumidor 2022” e pelo quinto ano consecutivo o “Prémio Cinco Estrelas 2022”.

A empresa obteve um índice de satisfação global de 79,34% e uma intenção de compra de 76,30% na avaliação da “Escolha do Consumidor”, com classificação mais elevada do que a concorrência em critérios como “Orçamento discriminado e esclarecedor”, “Garantia da obra”, “Cumprimento do orçamento”, “Bons acabamentos”, “Explicação detalhada de todo o serviço“ e “Aconselhamento no planeamento da obra”. Os consumidores destacam, ainda, a confiança na marca, assim como a experiência acumulada no sector.

Pelo quinto ano consecutivo, a Melom foi igualmente distinguida com o “Prémio Cinco Estrelas 2022”, resultado da auscultação dos consumidores relativamente a cinco marcas, obtendo um índice de satisfação global de 81,7% (8,17 em 10 pontos possíveis), mais seis pontos percentuais face ao ano passado.

Nos Prémios Franchising 2022, a Melom obteve o primeiro lugar em Marca Internacional e o segundo lugar como Franquiador do Ano (categoria Master). Com estas distinções, a Associação Portuguesa de Franchising reconhece as melhores práticas de gestão em franchising das marcas que actuam no mercado das franquias em Portugal em diversos sectores de actividade.

“Foi com enorme satisfação que recebemos estes prémios atribuídos pela Associação Portuguesa de Franchising. Consideramos que o franchising tem ajudado a profissionalizar vários setores de atividade e o setor das obras é um deles”, considera João Carvalho, co-fundador da MELOM.

O responsável acrescenta, ainda, que receber “o selo de excelência em franchising representa que o caminho que iniciamos em 2010 é o correcto, e acima de tudo que temos uma rede de franchisados disposta a melhorar os seus processos e sistemas. Iniciámos há dois anos o nosso processo de expansão internacional e é para nós uma enorme honra recebermos também o prémio de 1º lugar como marca internacional”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Empresas

Silestone aposta na tecnologia HybriQ

A primeira superfície mineral híbrida feita com a tecnologia HybriQ é uma nova geração de superfícies de design que assenta na utilização de materiais reciclados produzidos através de um processo de fabrico sustentável, com 99% de água reciclada e energia eléctrica de fontes renováveis

CONSTRUIR

HybriQ é uma tecnologia pioneira e registada em patente da Cosentino desenvolvida para o fabrico da nova Silestone. Uma nova mistura de alto desempenho de minerais premium e materiais reciclados produzidos através de um processo de fabrico sustentável, com 99% de água reciclada e energia eléctrica de fontes renováveis.

Segundo a marca, com a tecnologia HybriQ+, “Silestone mantém o desempenho e o comportamento através da durabilidade, resistência e higiene, aumentando simultaneamente as suas possibilidades estéticas graças à selecção de minerais premium, à sua sustentabilidade e ao novo processo de fabrico e à adição de um mínimo de 20% de materiais reciclados, como vidro, à sua composição”.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.