Edição digital
Assine já
Imobiliário

Home Tailors fechou 2021 com um volume de negócios de 78 M€

Cerca de 65% dos imóveis vendidos foram apartamentos localizados nos centros urbanos dos distritos de Lisboa e Setúbal. As quintas, herdades e palacetes representaram 20% das unidades vendidas

CONSTRUIR
Imobiliário

Home Tailors fechou 2021 com um volume de negócios de 78 M€

Cerca de 65% dos imóveis vendidos foram apartamentos localizados nos centros urbanos dos distritos de Lisboa e Setúbal. As quintas, herdades e palacetes representaram 20% das unidades vendidas

CONSTRUIR
Sobre o autor
CONSTRUIR
Artigos relacionados
Jamestown altera nome do edifício JQOne para IDB Lisbon – Innovation & Design Building
Imobiliário
Os planos de expansão da Universidade do Porto, betão de cânhamo, a ‘nova’ escola da GNR em Portalegre e mais na edição 461 do CONSTRUIR
Construção
Câmara de Braga avança com plano de execução do Parque Ecomonumental das Sete Fontes
Arquitectura
JJTeixeira celebra 45 anos com reforço na capacidade produtiva e expansão geográfica
Empresas
Zehnder Group opta pelo preto mate
Empresas
Sistema híbrido de construção da Casais acelera hotel B&B em Guimarães
Construção
ESAI lança segunda fase de candidaturas para as licenciaturas de Gestão Imobiliária
Imobiliário
MatosinhosHabit no debate europeu sobre habitação social
Imobiliário
Porta-paletes eléctrico compacto da Jungheinrich vence Red Dot Design Award
Empresas
RE/MAX Collection promove oito novos empreendimentos
Imobiliário

A Home Tailors Real Estate fechou 2021 com um volume de vendas de 78 milhões de euros. De acordo com a empresa de angariação e mediação imobiliária 100% nacional criada há 5 anos, o ano passado foi “o melhor ano de sempre”, com um crescimento de 21% face a 2020.

Um crescimento que se traduziu num ano de “maior volume de negócios e também do maior número de vendas” pela Home Tailors, com quase 400 imóveis transaccionados, “o que representou um aumento de quase 30% face a 2020 no número de imóveis vendidos”.

“Estamos muito contentes com os resultados obtidos em 2021. A evolução da digitalização da empresa, o lançamento do novo site e a adaptação do plano de comunicação aos “novos media” foram fundamentais para a obtenção destes resultados a que se juntou a nossa grande aposta na formação das equipas comerciais”, segundo David Carapinha, CEO & Founder da Home Tailors Real Estate.

Cerca de 65% dos imóveis vendidos foram apartamentos localizados nos centros urbanos dos distritos de Lisboa e Setúbal. As quintas, herdades e palacetes representaram 20% das unidades vendidas pela Home Tailors, mas corresponderam a mais de 50% no volume de facturação, por serem imóveis de valor superior, situados nas periferias próximas aos centros urbanos (Lisboa, Cascais, Oeiras, Mafra e Sintra foram os concelhos com mais transacções).

Os compradores dividiram-se de forma muito próxima entre nacionais e internacionais. Os compradores portugueses representaram 52% das vendas. Quanto aos compradores internacionais, destacam-se os brasileiros, norte americanos e franceses que procuram imóveis nas principais avenidas de Lisboa e Cascais e, normalmente, com compras de maior valor.

Com a pandemia os critérios de procura sofreram ajustes, o que se fez sentir principalmente durante o primeiro trimestre de 2021. Características como ter um escritório, varanda ou jardim, passaram a ter mais predominância. A procura de imóveis com maior área, zonas sociais mais amplas ou uma assoalhada extra são agora critérios comuns.

Entre as transações de 2021 com maior valor destacam-se um Palacete no Príncipe Real vendido por 3,8 milhões de euros, uma moradia na Estrela por 3,5 milhões de euros, um edifício residencial na Lapa por 3,5 milhões de euros ou um apartamento na Avenida de Liberdade por 3 milhões de euros.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Artigos relacionados
Jamestown altera nome do edifício JQOne para IDB Lisbon – Innovation & Design Building
Imobiliário
Os planos de expansão da Universidade do Porto, betão de cânhamo, a ‘nova’ escola da GNR em Portalegre e mais na edição 461 do CONSTRUIR
Construção
Câmara de Braga avança com plano de execução do Parque Ecomonumental das Sete Fontes
Arquitectura
JJTeixeira celebra 45 anos com reforço na capacidade produtiva e expansão geográfica
Empresas
Zehnder Group opta pelo preto mate
Empresas
Sistema híbrido de construção da Casais acelera hotel B&B em Guimarães
Construção
ESAI lança segunda fase de candidaturas para as licenciaturas de Gestão Imobiliária
Imobiliário
MatosinhosHabit no debate europeu sobre habitação social
Imobiliário
Porta-paletes eléctrico compacto da Jungheinrich vence Red Dot Design Award
Empresas
RE/MAX Collection promove oito novos empreendimentos
Imobiliário
Imobiliário

Jamestown altera nome do edifício JQOne para IDB Lisbon – Innovation & Design Building

Edifício de escritórios com 48 mil m2, conhecido como antigo Entreposto, será reposicionado como polo de inovação e centro para a comunidade local

A empresa de investimento e gestão imobiliária Jamestown que ingressou no mercado português em 2021, anunciou o rebranding do edifício JQOne para IDB Lisbon – Innovation & Design Building Lisbon. O novo nome “reflecte a visão da empresa” para o edifício de escritórios com 48 mil metros quadrados, anteriormente conhecido como Entreposto, e que “agora passará a ser um hub para empresas inovadoras e com um forte foco em design”, explica a empresa.

“A nossa visão para o IDB Lisbon passa por tornar este espaço num ecossistema de interconexão de negócios, onde um ambiente colaborativo e inclusivo permitirá gerar inovação e criatividade”, explica Michael Phillips, presidente da Jamestown. “Além dos espaços de trabalho revolucionários, o IDB Lisbon será também um ponto de encontro para a comunidade local, onde serão proporcionadas experiências de arte e cultura. Contamos com um histórico de desenvolvimento de ambientes criativos e dinâmicos nos Estados Unidos, e estamos ansiosos por trazer este conceito para Lisboa”.

Nos Estados Unidos, a Jamestown é conhecida pelos seus projectos de reabilitação de edifícios, tais como o Industry City em Brooklyn, o Ponce City Market em Atlanta, e o The Innovation and Design Building (The IDB) em Boston. Na sequência das iniciativas de curadoria de espaços da Jamestown, o The IDB em Boston tornou-se uma âncora da economia de inovação da cidade e o lar de centenas de inquilinos de diversos sectores de actividade, incluindo design, biotecnologia, investigação e engenharia. A Jamestown pretende recriar esse sucesso com o IDB Lisbon, que consiste no primeiro investimento da empresa no mercado ibérico.

O novo nome é o primeiro passo de uma série de mudanças que a Jamestown planeia para o edifício, quer ao nível das suas funcionalidades, quer da sua imagem global. A empresa pretende melhorar a experiência global do edifício através da oferta de melhores instalações e áreas comuns mais envolventes, para além de utilizações adicionais em toda a propriedade, como forma de criar um melhor ambiente para inquilinos e visitantes.

As mudanças incluem, também, uma nova utilização do rooftop do edifício, que incluirá um restaurante, actividades desportivas e culturais. A abertura ao público deste novo rooftop está prevista para Julho. O IDB Lisbon será, também, palco de uma exposição do MUDE FORA DE PORTAS intitulada “O mundo vai continuar a não ser como era! – 100 anos de design de publicidade na Colecção Carlos Rocha”. Organizada pela Câmara Municipal de Lisboa/MUDE – Museu do Design e da Moda, a mostra gráfica irá estar disponível ao público, de 21 de Julho a 27 de Novembro reunindo uma selecção de obras que evidenciam as grandes mudanças na vida quotidiana em Portugal e os seus diferentes contextos políticos e socioeconómicos, desde 1930 até ao início do século XXI.

A aposta da Jamestown nesta colaboração com o MUDE – Museu do Design e da Moda realça a estratégia definida pela empresa em tornar o IDB Lisbon num espaço promotor da arte nacional, evidenciado também pelo conjunto de instalações artísticas presentes no edifício que fazem parte do Collision Project. utilização do espaço construído como tela, tornando a arte numa experiência.

O IDB Lisbon faz parte da estratégia de expansão da Jamestown na Europa, que agora inclui mais de 1,1 mil milhões de euros em activos sob a sua gestão desde 31 de Março de 2022. No ano passado, a empresa garantiu um mandato para administrar um portefólio de propriedades em toda a Europa em nome de um de seus parceiros de investimento institucionais e co-investidores, o E.ON Pension Trust, fundo de pensões de uma das maiores empresas de energia alemãs. Já em 2020, a Jamestown havia comprado dois edifícios em Amesterdão e um activo de escritórios composto por três edifícios em Colónia, na Alemanha e, em 2019, adquiriu o icónico Groot Handelsgebouw em Roterdão, um dos maiores edifícios de uso misto na Holanda, que actualmente acolhe mais de 450 empresas.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

ESAI lança segunda fase de candidaturas para as licenciaturas de Gestão Imobiliária

A ESAI tem vindo todos os anos a conquistar maior reputação e procura pela sua oferta formativa, tendo no binómio 2021/2022 apresentado um crescimento de 27% no que diz respeito às inscrições em licenciaturas, quando comparado com o período homólogo anterior

CONSTRUIR

A Escola Superior de Atividades Imobiliárias (ESAI) está já a promover uma nova fase de candidaturas para as licenciaturas de Gestão Imobiliária e Gestão de Edificação e Obras bem como, para o Mestrado em Avaliação e Gestão de Ativos Imobiliários. As candidaturas nesta 2ª fase vigoram até ao final do mês de Julho.

Segundo Julie Lefebvre, presidente da ESAI, “a taxa de crescimento de inscrições no anterior binómio revela que a ESAI tem vindo a responder às exigências do mercado e sobretudo à exigência dos nossos alunos. A resposta formativa da ESAI garante que este crescimento aconteça. Somos sem dúvida uma Instituição que promove o debate e a troca de opinião, em que se discute vivamente e com muita tolerância tudo aquilo que está a acontecer, sobretudo no setor do Imobiliário. Dotamos os nossos alunos de ferramentas e conhecimentos que fazem com que tenham carreiras de sucesso num mercado altamente competitivo.”

A Licenciatura em Gestão Imobiliária visa dotar os discentes de uma visão do futuro do imobiliário permitindo aprofundar conhecimentos sobre a teoria e prática da gestão imobiliária, bem como um entendimento mais profundo de temas económicos, sociais, políticos e financeiros. Destina-se a todos os que pretendem integrar empresas e instituições que necessitam de quadros altamente especializados na área do imobiliário.

Já a Licenciatura em Gestão da Edificação e Obras une o conhecimento técnico da construção com a gestão, num peso equitativo entre os conhecimentos de Engenharia e Gestão. Esta Licenciatura conta com uma estreita parceria entre a ESAI e o Instituto Politécnico de Tomar (IPT), garantindo uma formação altamente especializada.

No que diz respeito ao Mestrado em Avaliação e Gestão de Ativos Imobiliários tem como objetivo formar profissionais orientados para avaliação imobiliária e gestão do património edificado, capacitando com métodos de investigação e de trabalho que garantam desempenhos de excelência, sustentados por competências inovadoras, desenvolvidas num ambiente académico vocacionado para a realidade imobiliária e os seus intervenientes.

Os alunos que pretendam ingressar no Mestrado têm de ser detentores de grau académico superior nacional ou estrangeiro equivalente ao 1º ciclo nas áreas das finanças, da gestão imobiliária, gestão, economia, contabilidade, matemática aplicada à economia e à gestão, engenharia, direito e arquitetura, com experiência profissional mínima de cinco anos e/ou formação anterior nas áreas científicas de Gestão e Avaliação Imobiliária.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

MatosinhosHabit no debate europeu sobre habitação social

A empresa municipal marcou presença na 3ª edição do Internacional Social Housing Festival (Festival Internacional de Habitação Social), uma iniciativa organizada pela Federação Europeia de Habitação, Housing Europe

CONSTRUIR

A MatosinhosHabit marcou presença na 3ª edição do Internacional Social Housing Festival (Festival Internacional de Habitação Social), uma iniciativa organizada pela Federação Europeia de Habitação – Housing Europe, que decorreu em Helsínquia, com o objectivo de promover o debate sobre a habitação social e pública, abordando as políticas locais e internacionais, tendo em conta 3 eixos fundamentais: Qualidade da habitação como qualidade de vida, Sustentabilidade na habitação, Direito à habitação.

A MatosinhosHabit que esteve representada através da sua administradora Executiva, Helena Vaz, faz oficialmente parte da Housing Europe – Federação Europeia de Habitação Pública, Cooperativa e Social, uma associação que reúne mais de 40 federações nacionais e regionais, a nível europeu.

A Associação Housing Europe implementada em 1988, agrega 44 federações nacionais e regionais, reunindo perto de 43 mil parceiros no domínio da habitação pública, social bem como cooperativas de habitação, oriundos de 23 países. No total, a Housing Europe abrange mais de 26 milhões de habitações, representando assim cerca de 11% dos domicílios públicos existentes na União Europeia.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

RE/MAX Collection promove oito novos empreendimentos

Para a CEO da RE/MAX Collection, Beatriz Rubio, “ao nosso portefólio, que dispõe de uma vasta carteira de empreendimentos de luxo, entre os quais novas construções exclusivas, juntam-se agora mais oito projetos imobiliários verdadeiramente diferenciadores”

CONSTRUIR

A RE/MAX Collection, imobiliária especializada no segmento de luxo, apresenta oito novos empreendimentos residenciais premium, localizados na região da Grande Lisboa. São eles o Edifício Heritage 52, Linea Residences, NooBa, Gestilar Residences Miraflores, Villas do Carmo, empreendimento Aurya, Montisnávia e Bom Sucesso.

A mediadora imobiliária, que dispõe atualmente de 979 consultores certificados neste segmento, junta assim ao seu portefólio oito empreendimentos de caraterísticas únicas como o Edifício Heritage 52, em Lisboa, na Avenida Miguel Bombarda, com sete frações T2, T4 e T5, uma por piso entre 260m2 a 300m2 e jardim privativo comum a todas as frações. Outro dos destaques é o Linea Residences, edifício focado na sustentabilidade e eficiência energética, localizado nas Avenidas Novas, em Lisboa, que conta com 36 apartamentos de tipologias T1 a T4 duplex, duas Urban Villas com piscina e terraço exclusivos e ainda duas lojas.

Já no Barreiro, na margem sul do Tejo, destaca-se o NooBa, um novo e moderno empreendimento habitacional com apartamentos à beira-rio, com tipologias que variam de T1 a T5 duplex e uma piscina no topo do edifício. Um outro edifício que se junta ao portefólio da RE/MAX Collection é o edifício residencial Gestilar Residences Miraflores, situado em Oeiras, próximo do Parque Urbano de Miraflores e do Parque Florestal de Monsanto, composto por 111 apartamentos, de tipologias T2, T3 e T4.

Em destaque outro empreendimento, Villas do Carmo, um condomínio privado de luxo, que contará com quatro imóveis denominados de “Villas” e que se situa nas Avenidas Novas, em Lisboa. Villa Pombal é um desses quatro imóveis, sendo composto por 46 apartamentos, com áreas privativas de 53 a 118m2 no caso dos T1, de 89 a 122m2 no caso dos T2 e de 167 a 196m2 no caso dos T3, e ainda quatro espaços de comércio de 37m2 a 57m2. Em evidência também o Aurya, um novo empreendimento que irá nascer na Quinta do Conventinho em Loures e que irá dispor de apartamentos com duas tipologias de apartamentos, T2 e T3.

Foram ainda apresentados outros dois empreendimentos, um deles o edifício Montisnávia, situado na zona de Alcântara, em Lisboa, e que nasce da união e restauro de uma casa e uma antiga fábrica, dispondo de apartamentos T1 a T4, todos com terraço ou jardim privativo. O outro imóvel designa-se por Bom Sucesso, localiza-se também em Lisboa, concretamente em Belém, agrega um conjunto de quatro edifícios e contempla apartamentos T1 a T5.

Para a CEO da RE/MAX Collection, Beatriz Rubio, “ao nosso portefólio, que dispõe de uma vasta carteira de empreendimentos de luxo, entre os quais novas construções exclusivas, juntam-se agora mais oito projetos imobiliários verdadeiramente diferenciadores. A relação entre a qualidade do nosso portefólio e a formação especializada dos agentes da RE/MAX Collection tem justificado a confiança de quem nos procura, sejam eles investidores nacionais ou internacionais, pelo que acreditamos que estes novos ativos imobiliários representam um investimento seguro, e que, por certo, serão sinónimo de grande procura.”

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Bonjardim comercializa espaços comerciais

São 16 os espaços comerciais inseridos no condomínio residencial, que já se encontra em fase de construção. Com promoção da Avenue, a comercialização está a cargo da Predibisa e da JLL

CONSTRUIR

Localizado no centro da cidade do Porto, entre a Avenida dos Aliados e a Rua Sá da Bandeira, o Bonjardim – City Center Living prossegue este mês com a comercialização da área desenvolvida para o sector do retalho, composta por 16 espaços comerciais inseridos no condomínio residencial, já em fase de construção.

Com 93 apartamentos, onde se inclui também um hotel, um coworking, um supermercado e um parque de estacionamento, o Bonjardim – City Center Living, é um projecto da autoria da Promontório. A promoção está a cargo da Avenue e a comercialização é da Predibisa e da JLL.

“Pensamos na concepção de espaços amplos e luminosos, facilmente adaptáveis à realidade de cada negócio na área da restauração, comércio ou até mesmo serviços pelas facilidades de acesso, através das ruas circundantes e da praça central do empreendimento, que convidará certamente a muitos momentos de lazer, compras ou a simplesmente tomar um café e a aproveitar a descontracção das esplanadas. No piso térreo, o jardim será aberto à comunidade”, explica Aniceto Viegas, CEO da Avenue.

Também segundo João leite Castro, director corporate da Predibisa, “este é um novo ponto de destaque no centro da cidade do Porto, pela localização singular e diferenciada, especialmente para marcas de referência, novas ou já consagradas, que se querem reafirmar e/ou lançar, até porque as diferentes frentes de rua, a praça central e a permeabilidade permitida pelo conceito desenvolvido encontram-se muito próximas dos mais importantes espaços culturais da cidade”.

De salientar, ainda, que o projecto Bonjardim é representativo de um “encontro único entre a inspiração clássica e a arquitetura contemporânea”, através da reabilitação das fachadas do século XIX, existentes na Rua Sá da Bandeira, onde os pormenores arquitectónicos de época se fundem com o “tawny” das novas fachadas em construção para uma harmonia de contrastes, que aspiram a uma nova existência desta nova zona comercial, que já começa a ganhar vida no centro da cidade.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Smartfrius é o novo inquilino do Parque Verde

Empreendimento, localizado no Parque das Nações, é gerido pela Norfin e contou com a comercialização da Worx Real Estate Consultants e da JLL

CONSTRUIR

A Smartfrius, empresa especializada em soluções de refrigeração, presente em Portugal e Angola, é o novo inquilino do empreendimento Verde Parque, gerido pela Norfin, e localizado na zona norte do Parque das Nações. A comercialização foi atribuída à Worx Real Estate Consultants e à JLL.

O Verde Parque é um empreendimento de escritórios novo, com excelentes condições e infraestruturas, estacionamento e muita luz natural. Com preços de renda muito competitivos, junto ao Parque das Nações e com rápidos acessos ao IC2, razões pelas quais esta acabou por ser uma opção que se destacou na procura de um novo espaço pela Smartfrius. Também a zona envolvente é uma mais-valia neste activo, pelos seus amplos espaços verdes e ajardinados, diversos restaurantes e pela existência de um Pingo Doce. Além disso, existe também um parque de bicicletas Gira mesmo em frente ao edifício, em linha com as novas tendências de estilos de vida.

“O edifício Verde Parque é uma excelente opção para empresas que procurem um edifício moderno e de elevada qualidade, pelo que foi uma escolha natural a SmartFrius ter optado por este edifício”, refere Bernardo Zammit e Vasconcelos, head of Agency da Worx Real Estate Consultants, que colaborou na promoção deste empreendimento gerido pela Norfin.

“A relação e a comunicação com a equipa da Norfin tem corrido muito bem, valorizámos muito a flexibilidade e o cuidado da Norfin em ir ao encontro das nossas expectativas. O nosso escritório está excepcional e ficámos muito satisfeitos com o resultado do seu fit-out.”, afirmou José Carlos Simão, director comercial da Smartfrius.

O empreendimento Verde Parque é composto por dois edifícios. Localizado no Lote 2, o primeiro edifício, conta com três pisos e tem uma área total de 3.700m2, sendo o piso 0 ocupado por um supermercado. O segundo edifício, localizado no Lote 3, conta com cinco pisos acima do solo e oferece uma área toral de 6.300m2. Ambos os edifícios apresentam espaços para escritórios a partir de 350 m2 e até cerca de 1.200 m2, com espaços exteriores.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

ERA Arca d’Água comercializa Edifício La Lys no Porto

Promoção está a cargo da Right Two Invest, que aponta a conclusão da obra para Dezembro de 2023. Com um total de 10 apartamentos, de tipologia T1 a T2, metade das unidades “foram vendidas logo após o lançamento do empreendimento”

CONSTRUIR

A ERA Arca d’Água está a comercializar, em exclusivo, o Edifício La Lys, um novo empreendimento no distrito do Porto, localizado na Rua 9 de Abril. Com um total de 10 apartamentos, de tipologia T1 a T2, metade das unidades “foram vendidas logo após o lançamento do empreendimento”, indica a mediadora.  A construção do edifício está a cargo do promotor Right Two Invest, cuja conclusão está prevista para Dezembro de 2023.

Esta comercialização “vem reforçar a aposta da ERA no programa Obra Nova”, que pretende identificar as melhores oportunidades de construção para promotores e construtores imobiliários de todo o País, “contribuindo para um rápido crescimento dos negócios, ao mesmo tempo que oferece as melhores oportunidades do sector imobiliário ao cliente”, refere a empresa.

Situado junto ao Jardim de Arca d’Água, o novo empreendimento destaca-se por uma fachada em mármore e pelo aproveitamento da luz natural, uma vez que todos os vãos exteriores acedem às varandas privativas de cada divisão com guardas em vidro. O Edifício La Lys é uma combinação entre os conceitos de funcionalidade e modernidade.

As unidades do empreendimento oferecem ainda amplas salas com península na área da cozinha, permitindo a sua utilização como zona de refeição, sendo equipadas com electrométricos Siemens. Na área dos banhos, encontramos móveis com desenhos personalizados, louças sanitárias da Valadares, assim como colunas de hidromassagem nos duches.

Além dos estacionamentos privativos e dos fáceis acessos ao centro da cidade do Porto e às vias de acesso, este edifício habitacional localiza-se apenas a 15 minutos a pé da estação de Metro do Polo Universitário. O empreendimento torna-se na solução ideal para quem pretende viver perto de todo o tipo de comércio e serviços, centro de saúde e principais escolas da zona.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Escritórios em Lisboa e Porto mantêm tendência de crescimento

O mercado de escritórios de Lisboa mantém o ritmo de crescimento, com Maio a apresentar terceiro melhor resultado do ano. O Porto segue trajectória de recuperação

CONSTRUIR

O mercado de escritórios de Lisboa registou um volume de absorção acumulado entre Janeiro e Maio de 2022 de 146.992 m2 , num total de 86 operações. Os negócios que exerceram maior expressividade no volume de absorção, durante o mês de Maio, disseram respeito à ocupação do Novo Banco no Corredor Oeste (zona 6), de 8.233 m2 e da SGS Portugal para o Polo Tecnológico de Lisboa (outras zonas) ocupando uma área de 4.163 m2 .

Seguindo a tendência que se tem registado durante este ano, os resultados relativos a estes cinco primeiros meses encontram-se substancialmente acima dos registados no mesmo período de 2021 e 2020, o que atesta a recuperação a bom ritmo do mercado de escritórios de Lisboa.

“O mercado de escritórios de Lisboa mantém o sentido de crescimento. O mês de Maio foi o terceiro melhor de 2022 em termos de absorção, estando 44% acima do resultado de 2019 e consideravelmente acima de 2020 e 2021. Considerando o período acumulado entre Janeiro e Maio dos últimos 3 anos, facilmente percebemos que a recuperação veio mesmo para ficar, muito alicerçada em operações de relocalização de empresas” aponta Alexandra Portugal Gomes, head of research & communications da Savills Portugal.

Até ao final de Maio concluíram-se 86 operações, mais 40 em comparação ao mesmo período de 2021. O Corredor Oeste (Zona 6) registou 22% das operações, seguida pela Prime CBD (zona 1) com 20 % e CBD (zona 2) com 17%. A mudança de instalações foi responsável por 72% dos negócios, seguida pela expansão de área (19%) e o estabelecimento de novas empresas na cidade de Lisboa (9%).

Analisando o volume de absorção por zona de mercado, confirma-se que o Parque das Nações e Novas Zonas de Escritórios lideram, com 33% e 26%, respectivamente. Quanto à absorção por sector de actividade, os sectores dos Serviços Financeiros e dos Serviços a Empresas foram responsáveis por 74% (53% e 20%, respectivamente).
No que se refere à ocupação por intervalo de área, o intervalo mais representativo é o acima dos 5.000 m2, (62% do total), apesar de, no mês de Maio, não se ter registado qualquer operação relativa a este intervalo.

No que se refere ao mercado de escritórios do Porto, até ao final de Maio de 2022, registou um volume de absorção total de 23.524 m2, resultante da conclusão de 32 negócios, reforçando o desempenho em comparação com mesmo período de 2021.

Após um mês de Abril que obteve um volume de absorção 52% acima do registado no primeiro trimestre do ano, o mês de maio ultrapassou ligeiramente (1%) o resultado de Abril, apesar de ter registado um menor número de operações. As zonas Out of Town e CBD Baixa foram as mais activas em termos de volume de absorção, correspondendo a cerca de 43% e 30%, respectivamente, do total do mercado.

Neste período, os negócios de maior relevo, foram a mudança de instalações de duas empresas, nomeadamente a Saltpay, correspondendo a 3.750 m2 e a Sodecia, ocupando mais de 1.324 m2.

“O mês de Maio obteve um comportamento muito semelhante ao mês de Abril, estando ainda sensivelmente acima, o que na generalidade concede um resultado muito positivo ao mercado de escritórios do Porto, reforçando o seu crescimento”, explica Alexandra Portugal Gomes.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Casas: Preços de venda crescem 2,5% em Maio

Em resultado do ritmo intenso de aumentos mensais verificado nos últimos meses, o preço das casas evidencia já um crescimento de cerca de 10% no acumulado de 2022, até Maio

CONSTRUIR

O preço de venda das casas em Portugal (Continental) aumentou 2,5% em Maio face ao mês anterior, de acordo com o Índice de Preços da Confidencial Imobiliário. A variação mensal registada em Maio dá continuidade à trajectória de forte crescimento dos últimos meses e é uma das mais robustas dos últimos quatro anos. Ao longo desse período, apenas precisamente há um ano e no final de 2018 se observaram variações mensais idênticas.

Em resultado do ritmo intenso de aumentos mensais verificado nos últimos meses, o preço das casas evidencia já um crescimento de cerca de 10% no acumulado de 2022, até Maio. Em termos homólogos (Maio 2022 vs Maio 2021), o incremento é de 17,6%, uma valorização que iguala a marca máxima alcançada por este indicador no pré-Covid.

As vendas de habitação alcançaram, assim, um preço médio de 2.007€/m 2 no país em Maio, considerando um acumulado de três meses, de acordo com os dados mais recentes do SIR-Sistema de Informação Residencial. Este é já o terceiro trimestre em que as transacções se realizam por valores superiores a 2.000€/m 2 , algo que aconteceu, pela primeira vez, no período final de 2021, confirmando-se nos primeiros três meses de 2022 e agora novamente.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos
Imobiliário

Mexto Property anuncia investimento superior a 100 M€ na Suíça

Investimento permitiu a aquisição de um conjunto de terrenos, com localização na região de ”Unterseen/Interlaken“, no cantão de Berna. Com aproximadamente 20 mil m2 de ABC, 50% das unidades serão destinados ao mercado de arrendamento, enquanto que os restantes 50% serão apartamentos para venda e para compradores finais

CONSTRUIR

A Mexto Property Investment, promotora imobiliária focada no segmento de luxo, acaba de anunciar um novo investimento através da sua subsidiaria suíça. Trata-se da aquisição de um conjunto de terrenos, com localização privilegiada na região de ”Unterseen/Interlaken“, no cantão de Berna, na Suíça.

Estes activos servirão para desenvolver um projecto residencial com aproximadamente 150 unidades de apartamentos de tipologias T2 a T4. A área bruta de construção é de aproximadamente 20 mil m2 e 50% das unidades serão destinados ao mercado de arrendamento, enquanto que os restantes 50% serão apartamentos para venda e para compradores finais. O investimento global para a realização deste projecto ultrapassa as 100 milhões de euros e levará entre quatro a cinco anos a ficar concluído.

Com uma actividade imobiliária desenvolvida maioritariamente em Portugal e em Espanha, a promotora pretende também afirmar-se no mercado imobiliário suíço, “onde tem previstos outros investimentos e projetos que serão anunciados para breve”.

“Além de Portugal e de Espanha, onde estamos a crescer de forma consolidada, o mercado Suíço é também um mercado prioritário para os nossos investimentos. Queremos crescer em várias geografias, com projectos sustentáveis e emblemáticos, como os que temos desenvolvido em Lisboa e, neste caso, apostar no mercado de arredamento, segmento em que a Suíça é muito forte. Acreditamos muito neste mercado e nas oportunidades de investimento que vai permitir”, segundo Tomas Suter, senior advisor & partner da Mexto.

Sobre o autorCONSTRUIR

CONSTRUIR

Mais artigos

Navegue

Sobre nós

Grupo Workmedia

Mantenha-se conectado

©2021 CONSTRUIR. Todos os direitos reservados.